segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Editora Betel EBD - Auxílios e Subsídios



EBD Editora Betel - Barnabé, um líder comprometido em manter os resultados (com versão para imprimir)



Esta semana colocamos em movimento um antigo desejo de obter auxílios e subsídios para as lições bíblicas de E.B.D. da Editora Betel, que abastece as Assembléias de Deus “CONAMAD”. Como usuários de tais ajudas, sempre ficamos dependendo de uns poucos  valentes que, por conta própria, tentam prestar um tão grande serviço ao Reino; mas talvez por falta de incentivo dos alunos ou das lideranças e também pela questão de serem autônomos, seguindo por sua conta e risco, tentam equilibrar suas vidas pessoais, financeiras e até mesmo mentais. Afinal, fazer trabalhos deste tipo sem muito ou nenhuma ajuda, consome a vida. Talvez caberiam até ajudas financeiras a tais elaboradores.

E nesta necessidade de uma continuidade e disponibilidade destes materiais, nos lançamos a tentar nós mesmos elaborar alguns também e, no momento em que outros não consigam preparar a tempo, talvez supramos aos honrados professores desta nação. Reconhecemos que há uma dúzia(ou dúzia e meia) de bons materiais, o problema é a descontinuidade: ficam semanas sem preparar  nada. Ou a extrema concisão(algo tão pequeno que parece ser escrito durante o café da manhã antes de ir à aula...).

Fica aqui nossas honrarias a alguns sites: www.ebdareiabranca.com e http://ensinodominicalbetel.blogspot.com. PARABÉNS!!

lição 10 - 4 dezembro de 2011 - Barnabé e Paulo recusam a Adoração

Texto Áureo Atos 14:15

“e dizendo: Senhores, por que fazeis estas coisas? Nós também somos homens, de natureza semelhante à vossa, e vos anunciamos o evangelho para que destas práticas vãs vos convertais ao Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar, e tudo quanto há neles;”

Verdade Aplicada

1 Muitos dos vários milagres de Jesus foram tão criticados, que chegava-se a não servir de ensino ou de revelação da glória de Deus; os religiosos da época estavam tão arraigados à Lei, aos costumes e ritos sociais que não examinavam com o coração.

2 Desde os mais antigos relatos bíblicos se nota a inflamação dos corações dos homens em se sentirem altivos, grandes, influentes e bajulados. Alguns usam estas coisas apenas para influenciar socialmente. Outros, contudo, usam tudos isto para politicagens, arquitetarem dinastias eclesiásticas(verdadeiros reinados). Toda Glória seja dada ao Criador.

3 Nossos esforços, se realmente forem pra engrandecer o Reino de Deus, nem sempre serão aplaudidos pelos homens. É até benéfico que seja assim! A pregação do Evangélio sempre deve visar salvar e tranformar vidas, mudar nações e enfatizar o poderio de Deus.

Leituras Complementares

Segunda Sl 96:9
"Adorai ao Senhor vestidos de trajes santos; tremei diante dele, todos os habitantes da terra."

Nossa adoração deve brotar no interior de um homem quebrantado, vestido de trajes espirituais de louvor, representando a separação dos desejos e práticas mundanas e/ou pagãs. Até os demônios tremem diante dele(Tg 2:19) mas não o dignificam nem obedecem. Todo o joelho se dobrará diante do que vive eternamente(Fp. 2:10)

Terça I Cr 16:29 
"Tributai ao Senhor a glória devida ao seu nome; trazei presentes, e vinde perante ele; adorai ao Senhor vestidos de trajes santos." 

Acima do dever de glorificar nosso Deus e de agir de forma apostólica, deve-se dar prioridade a sentir amor e ardor de sua presença. Louvá-lo por ânsias, por sede, por fome. Melhor que ofertas e outros em dinheiro, ou fazer trabalhos grandes pra ele ou abrir igrejas, é sempre estar diante dele, já que uma vez nós FOMOS até ele(“...e vinde perante ele.!). Como na leitura de ontem vemos novamente as vestes santas de um espírito reto e magnificador(“...vestidos de trajes santos”.). 

Quarta Ap 22:9
"Mas ele me disse: Olha, não faças tal; porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus." 

Conservo: servo juntamente com outrem; aquele que serve ou serviçal.

            Vemos uma breve, porém firme declaração sobre a real posição que temos uns diante dos outros: servos. Irmãos. Ajudadores mútuos e não apenas instrutores de ajudas ou receptores delas ou chefiadores (Rm 12:10), mesmo que vejamos que quem necessita de ajuda não creia em Deus ou o sirva de qualquer maneira. 

Quinta Mt 11:25
“Naquele tempo falou Jesus, dizendo: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos.”

            Notamos, com alguma facilidade, o próprio Senhor nos ensinando a glorificar com o viver diário; Os humildes (“...pequeninos”) de coração e alma deixam que o Pai seja o grande em tudo. Daí, passam a vivenciar a cada momento mais e mais de sua presença. Foi o próprio Deus quem definiu serem assim tais descobertas e revelações. 

Sexta Sl 33:8
“Tema ao Senhor a terra toda; temam-no todos os moradores do mundo.”

            Nota-se mais claramente que no texto anterior sobre a adoração. Neste, porém, não se ensina nem se presta: se conclama, se orienta e se ordena. 

Sábado Sl 34:22
“O Senhor resgata a alma dos seus servos, e nenhum dos que nele se refugiam será condenado.”

            Agora vemos uma garantia de recompensa(na Eternidade) da Vida Eterna! Ainda que estivéssemos no profundo do mar ou em vales, ali ele nos encontraria pois “...a tua destra me susterá(Sl 139:10)
 

1 A Cura do Paralítico 

Igreja... Quem já ouviu que somos a agência de Deus na Terra? Obviamente ele não depende de nós nem de seus arautos: ele apenas determinou e colocou e andamento o seu plano. Se não falarmos, pedras hão de fazê-lo(Lc 19:40). Contudo, cabe ao povo que se chama povo de Deus(II Cr 7:14) proclamar as boas-novas de salvação, como Cristo deixou claro. Mesmo diante de milagres, o coração se endurece (Ex 7:13 e 14, 22 e 23, 8:15, 19). Mesmo reconhecendo a mão e o poder de Deus, não é possível ao homem entende-lo completamente(Sl 139:6 e 14).

1.1  A Fé Vem Pelo Ouvir
Quando se diz ‘ouvir’, talvez alguém questione: “como um surdo irá ouvir?”. Seguindo-se nestas questões perceberemos que apenas pregar o Evangelho em púlpitos, cruzadas, Rádio e Tv, panfletos e etc., não é suficiente pra alcançar todas as pessoas. Várias necessitarão de linguagem de sinais, Braile e algumas outras mais específicas. Imagine um indígena surdo ou cego? Não basta apenas falar a quem ouve ou mostrar pra quem enxerga! E os que são analfabetos? Após contornarmos isso, a Fé possa ser gerada( a Fé “...vem pelo ouvir”; não é obrigatório crer. É opção). Em 1980, Billy Ghaham já se lamentava da frieza e mundanismo do crentes norte-americanos em sua obra “A Segunda Vinda de Cristo”. Passados 3 décadas, caminhamos(seguindo os caminhos deles à época) talvez em piores mornidões.

1.2   A Fé de que um milagre necessita
O título agora examinado, parece que não está na ordem correta ou, ao menos, está com algum erro. Examinando todo o texto deste item, nota-se que está se falando da fé de alguém que estava muito enfermo. Este alguém, necessitou ter/criar fé para poder ser curado; “A Fé de QUEM um milagre necessita” parece-nos o mais de acordo(temos que supor tentando deduzir o que o comentarista pensava, de fato).

Num segundo aprofundamento, notamos a germinação de esperança e fé,  proporcionados pela ação evangelística da Igreja. As palavras de Paulo não brotaram puras de seu peito: eram palavras dadas pelo Espírito de Deus, prova é que, ao serem ouvidas, fizeram o paralítico crer que podia ser curado. Possa dar o caso de nunca alguém ter lhe proposto tal troca (acredite e seja sarado).

Discordamos sobre o fato de ninguém poder lhe oferecer nada, exceto pouco dinheiro(revista). Nada impede a existência de ricos na localidade nem sua passagem naquele local; obviamente havia a possibilidade dele receber grandes somas, que nunca comprariam sua cura.

1.3   Administrando milagres
Talvez a minha ou a sua fé ou intimidade com Deus não nos permitam sair curando, porém, podemos oferecer a salvação(e pra isto temos que ter fé, obrigatoriamente). Se SOMOS salvos, temos fé pra oferecer a Salvação em Cristo para quem quer que seja!É necessário mais poder pra fazer alguém crer e abraçar a Vida Eterna que pra ser curado. Afinal, quem está gemendo, no sofrimento ou em misérias, aceita qualquer tipo de oferta pra tentar melhorar.

É quase certo que você conheça pessoas que viram milagres ou foram curadas, que não seguiram a Cristo ou não se firmaram na presença do Senhor. Todos podem pregar a Palavra, ler trechos da Bíblia(explicando-os), dar uma palavra de aconselhamento ou dar um abraço em um aflito. Estão na escuridão. Nós podemos trazê-las pra luz, e pra isto, é necessário um poder que Deus oferece a todos os fiéis; poder muito mais excelente que uma cura ou outros milagres  tais. TEMOS ESTA MISSÃO. É NOSSO DEVER.
 

2 Impedindo a Falsa Adoração 

O antigo paralítico que mendigava esmolas, agora estava andando e testificando o poder de alguns homens, Paulo e Barnabé! A localidade era pagã, idólatra, cheia de lendas e outras coisas que afastam de Deus e estavam tentando entender o que seria aquilo; fizeram conclusões baseadas em suas práticas e crenças. Como foram tentados aqueles apóstolos a serem exaltados ali! Mas ambos tinham sincero temor e prezavam pela fiel pregação, juntamente com um modo de viver e proceder que dignificasse a Deus: trataram logo de explicar, conforme as Escrituras, o que de fato tinha acontecido.

2.1   A má interpretação de um milagre
Possivelmente o idioma usado pelos apóstolos(Grego) dificultou conseguirem acalmar a multidão. O idioma mais falado ali era o Licaônico, conforme nos explica Moody, em seu comentário de Atos:

Em seu excitamento, o povo começou a falar em  língua licaônica, sua língua nativa, e Paulo e Barnabé não puderam entender o que estava acontecendo. Grande  parte do mundo mediterrâneo era bilíngüe, os habitantes falando a língua geral que era o grego e também o seu dialeto nativo.

O motivo de Barnabé ser citado antes de Paulo não contradiz as conclusões unânimes entre os eruditos de Paulo ter se tornado o novo líder, conforme ainda nos ensina Moody:

Sendo Paulo o porta-voz dos dois, o povo o chamou de Hermes; enquanto Barnabé, o mais silencioso, que permanecia em segundo plano, chamaram de Zeus, o pai dos deuses.

Muito interessante a forma de cultura deles: o mais poderoso(Zeus, porém usou-se Júpiter), era o mais calado; não precisava ficar ‘ditando’ nada. Já o ‘ditador’(Paulo, que pregava), foi tido como Mercúrio, seu mensageiro. Veja, do mesmo escritor:

  Júpiter e Mercúrio são os nomes latinos equivalentes aos nomes gregos
 desses mesmos deuses, mas os termos gregos é que deveriam ser usados. 

Outra vez, o povo entendeu errado por não conhecer as Escrituras...


2.2   A má interpretação conduz a uma falsa adoração
O líder da seita local tentou ofertar sacrifícios (touros) e louvores(grinaldas), tão logo soube que Júpiter havia descido lá. As Escrituras nos falam de sacrifícios vivos(Rm 12:1) e de louvor(Hb 13:15) e vestes espirituais(Ap 16:15), não mais existem o sacrifício de animais nem de trajes cerimoniais(as grinaldas eram colocadas em cima dos touros), como esclarece David J.Williams em seu comentário Atos:

As grinaldas eram usadas para enfeitar as vítimas e talvez o sacerdote, o altar, e os adoradores (cp. Virgílio, Eneida 5.366; Eurípedes, Hércules 529). 

Vemos desde o princípio da história do homem na Bíblia, tais loucuras e ofensas a Deus. 

2.3   O protesto de Barnabé e Paulo
Até o final deste capítulo(14), nota-se o “Paulo e Barnabé”, conforme explicado o motivo mais acima. No capítulo seguinte, volta-se à ordem costumeira. A localidade, como sabemos, era idolátra e politeísta. Ambos os evangelistas eram monoteístas e adorando ao Deus de Israel, unicamente. Com essa firmeza em mente e no coração, rejeitaram a adoração que tentou-se prestar a eles e de vestes rasgadas(símbolo de total indignação e tristeza) conseguiram ensinar mais sobre o Caminho. Paulo receberia seu prêmio por isto, mais à frente.


3 Orientando a Verdadeira Adoração 

Para sermos incisivos em nossas afirmações devemos depender apenas do Espírio, nunca de arrogância, prepotência nem soberba no falar, ainda que saibamos em quem temos crido( ). Diante de um povo desconhecedor da Palavra, eles precisavam mostrar toda a alegria dada por este Deus desta mesma palavra.

Os apóstolos sabiam que a alegria do céu era a que verdadeiramente fortalecia a alma ( ). Então, nada mais em acordo que pregar com serenidade, afeto e total respeito aos ouvintes, que em sua ignorância tentou reverenciá-los.



3.1   Somos homens como vós

Por maiores que tenham sido ou que possam ser os milagres, somos apenas instrumentos (Jr 51:20) nas mãos do grande construtor e artífice(Is 29:16, Hb 11:10). Cristo repreendeu os 70 por se alegrarem mais “com os demônios”(ao expulsar) que com os anjos(seremos iguais a eles e moraremos onde eles moram) e do que pela própria salvação. Seria como ter um ataque devido a notícia de alguém curado e apenas esboçar um sorriso ao saber que alguém foi salvo ou liberto!

Vemos homens serem postos em pedestais devido à sua eloquência ou conhecimentos teológicos, quando vários deles apenas fizeram treinamentos intensivos de Oratória e sobre trechos  bíblicos que tocam nos pontos sensíveis da alma humana. Outros são desprezados por sua fala destreinada, falta de cultura ou por pregar sobre Arrebatamento, conversão legítima ou que o Inferno existe! “...Somos homens como vós...”, disse Paulo.



3.2   Paulo é apedrejado

Alguns dias depois dos fatos de Atos 14, Paulo recebe sua premiação pelo anúncio do Evangelho: o mesmo povo, na mesma cidade onde o milagre aconteceu e recebeu-se a Palavra de Deus apedrejou Paulo até a morte(pararam por terem certeza de estar morto).

Alguém pode perguntar “onde estava o Deus de Paulo ao deixar ele praticamente ser morto?” Indaga-nos Dennis Allan “Por que o mesmo povo que quase adorou a Paulo e a Barnabé logo depois apedrejou a Paulo? Nota-se que houve algo espetacular, conforme diz David J. Williams:



Por fim, como última indignidade, pensando que estava morto (v. 19), arrastaram-no para fora da cidade, como o fariam a um saco de detritos, e atiraram-no ao monte de lixo. Entretanto, quando os discípulos chegaram (para enterrá-lo? ), encontraram-no vivo, e capaz de acompanhá-los de volta à cidade. Lucas não intenciona apresentar este caso como sendo um milagre de restauração de vida a um defunto (observe seu comentário: pensando que estava morto). Entretanto, podemos ver a mão de Deus em sua sobrevivência. Paulo demonstrou grande coragem ao regressar à cidade, embora fosse improvável que os magistrados estivessem envolvidos no linchamento, pelo que o apóstolo nada tinha que temer, em nível jurídico.



Alguns, como Moody, veem as “marcas do Senhor” que Paulo disse, possivelmente criadas neste incidente:

A simplicidade dessas palavras sugere que aconteceu um milagre. É difícil compreender que um homem possa sair de um tal apedrejamento sem receber sério prejuízo físico. "As marcas do Senhor Jesus" (Gl. 6:17) talvez fossem as cicatrizes deixadas por essas pedras. Derbe. Uma cidade fronteira da província da Galácia.



F.B.Mayer nos fala que há alguns que creem que o arrebatamento de Paulo possa ter sido neste momento (praticamente foi ao céu e voltou). É de duvidar-se que o apóstolo tenha se levantado naturalmente e apenas ficado alegre, sem uma intervenção direta de Deus. Sobre as viagens missionárias da Igreja Primitiva notemos o comentário abaixo ,de fonte desconhecida:



Esta foi a primeira vez que as Boas Novas (o Evangelho) foram apresentadas a povos completamente pagãos. O apelo à revelação natural de Deus (a criação do céu, mar, terra e seus habitantes) se baseia no fato de Deus ser o único grande e primeiro Criador e, portanto, o Deus vivo que abençoa com sua misericórdia toda a humanidade (1Ts 1.9-10; Gl 4.9; At 15.19; 26.18). A expressão: “práticas inúteis” (ou vãs) deriva de uma forma usada no AT para descrever falsos deuses (1Sm 12.21).



3.3   Paulo e Barnabé partem

Sofrer pela Salvação de almas, sobretudo de desconhecidos, é crer que somos obra das mãos  de um mesmo Pai! Nos dias atuais, notamos muitos pregando a mensagem por porfia, lucro financeiro entre outros motivos tão ou mais mesquinhos. A própria Bíblia diz ser necessário a divulgação da Mensagem, ainda que desta forma falsa ou materialista (Fp 1:15-20).

Ao confirmarem que os irmão (a igreja local) estava firmada e frutificando, dirigiram-se para outros apriscos (Derbe), onde deram seguimento a outros trabalhos, como lemos na Bíblia.

Lágrimas, sofrimentos, gemidos, fome, nudez, naufrágios, perseguições, calúnias e tantas outras afrontas fazem parte da vida dos que piamente quiserem seguir a Cristo (II Tm 3:12)


ore por nós.  tenham paciência: fazemos com amor e estamos engatinhando
J

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho