sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Ensino Bíblico – adendos e erratas de Doutores de Almas


Revista Editora Betel – Apóstolo Barnabé (4º trimestre de 2011)

EBD Escola Bíblica CONAMAD

Põe, ó Senhor, uma  guarda à minha boca; vigia a porta dos meus lábios!  Sl 141:3

Algumas considerações

Deixamos escapar alguns detalhes que podem trazer alguma confusão ou desvios.

Lição 11 – Barnabé, um líder comprometido em manter os resultados

No tópico 2.1 lemos “...ouvir as palavras de seus lábios era como tomar um banho de força no Senhor Jesus Cristo...” Ora, que Cristo é a nossa força (Is 40:31), disso sabemos. Que o batismo em águas é um memorial/cerimonial de testemunho ao Mundo  também mas, que a expressão é muito estranha, isto é. Podia-se ter usado “injeção de ânimo”, “oásis no deserto” e etc.
Durante a ministração desta aula em nossa congregação, decidiu-se por não utilizar-se tal expressão pois, na mente de vários irmãos, gerava uma alusão a banho de descarrego.
Quando se escreve algumas linhas sobre a Palavra de Deus, deve-se considerar o contexto social atual (últimas semanas e dias), o recente (últimos meses) e se houve algum fato muito marcante nos anos e décadas anteriores.

Contexto Social Atual (últimas semanas e dias)

Nos dias em que terminamos este ano, muito se fala sobre início de chuvas e desastres, um evento pseudo-gospel de uma gigantesca corporação no Rio (com público insignificante), morte do jogador Sócrates, do carnavalesco Joãozinho Trinta, doença do ex-presidente Lula e etc.

Contexto Social Recente (últimos meses) 

Falou-se muito sobre a PL122, a morte de uma juíza no Rio, greve dos bombeiros, uma mãe famosa foi depor por agredir seu filho gay (agrediu também a delegada), quedas várias de ministros brasileiros, a prisão do traficante “Nem” e protestos no Egito.
Como fatos marcantes nos últimos anos e décadas, temos: a morte de Michael Jackson, de Amy Winehouse, de Osama Bin Ladem, a queda do WTC, os tsunâmis, a eleição de Barack Obama, de Dilma, os apagões e o programa Fome-Zero.
Quem escreve, deve considerar alguns fatos (acontecimentos), dados (conhecimento) e usos e costumes (cultura), por mais que se ignore, não se pode, por exemplo, negar a influência do Funk carioca ou o quebra-quebra durante esta ou aquela partida de futebol. De igual maneira, não se pode ignorar algumas expressões de uso secular (principalmente) ainda que de bons significados. Uma vez percebido por um líder, professor, ministro, palestrante ou mesmo se algum irmão ou irmã tiver tido o despertamento espiritual, que comunique aos demais para ser considerado. Um exemplo é “tá ligado”. No meio cristão, tem um significado (ainda que usado somente em uma denominação). No meio secular, é uma gíria das mais malandreadas possível.
Pra encerrar nossas breves observações, foi usado durante o trimestre, por duas vezes a palavra ‘cristandade’. Tal palavra, ainda que desconhecida de muitos, é muito usada pelos Testemunhas de Jeová para se referirem aos cristãos católicos e evangélicos como uma classe ignorante por reconhecer o senhorio de Jesus Cristo. O referido grupo religioso referido acima, não tem Cristo como Deus, não o reverencia como Senhor (até despreza este tratamento) e apregoa que somente eles irão herdar a Terra (o céu é só para 144.000), mas estes detalhes não cabem aqui. Tiremos tal palavra de nosso vocabulário, irmãos.
Obs.: os leitores ou visitantes que souberem de algum hábito, palavras, expressões ou práticas incompatíveis com a boa conduta doutrinária, escreva para nós:  email  robsontj@ig.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho