terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

EBD Editora Betel - Jacó sobe à Betel e edifica um altar a Deus

Assembleia de Deus de Madureira - CONAMAD
Lição 9 – 26 de fevereiro de 2012  Jacó sobe a Betel e edifica um altar a Deus
escola dominical EBD Betel Jacó sobe à Betel e edifica um altar a Deus Jaco sobe à Betel e edifica um altar a Deus Jacó sobe a Betel e edifica um altar a Deus Jaco sobe a Betel e edifica um altar a Deus
  
vídeo do projeto treinamento missionário 


versão para impressão download




TEXTO ÁUREO

“E edificou ali um altar, e chamou aquele lugar El-Betel; porquanto Deus ali se lhe tinha manifestado, quando fugia da face de seu irmão”. Gn 35.7

            Nas  manifestações de Deus iniciais na história do AT, vemos marcações destas na forma de altares: Deus aparecia, falava e os homens construíam memoriais de tais glórias para sua própria firmeza e lembrança e também para seus descendentes e para os demais povos e nações.
 
VERDADE APLICADA

Não haverá nenhuma virtude em nosso despertamento se ele não nos levar a obedecer a Deus.

            O que é despertamento? É um congresso, uma conferência missionária, uma vigília de poder, uma oração de 4h sentindo um fogo ardendo no peito? Um dirigente que faz uma campanha de 5 anos numa localidade e acaba com as drogas e o crime ou o meu e o seu coração contritos  se voltando para a simplicidade do viver ensinado nas Escrituras? O obedecer a Deus não é observar o Estatuto desta ou daquela igreja ou denominação nem contribuir financeiramente e ser pontual e não faltar aos cultos. Isso é feito por várias religiões muito melhor do que fazemos...
 
OBJETIVOS DA LIÇÃO

Ensinar o poder da Palavra de Deus;
Mostrar que Deus sempre alcança seu objetivo;
Acrescentar o desejo da busca do avivamento.

GLOSSÁRIO

Hodierno: Nos dias atuais, hoje em dia;
Impessoal: Que não se refere ou não é dirigido a alguém em especial;
Libação: Derramamento de um líquido como oferenda a uma divindade.

LEITURAS COMPLEMENTARES 

·    Segunda feira: Gn 12.8
·    Terça feira: Gn 28.19
·    Quarta feira: Js 7.2
·    Quinta feira: 2Re 2.2,3
·    Sexta feira: Am 7.13
·    Sábado: At. 2:1-4 

Obs.: a leitura de sábado não nos parece em nada relacionada nem à História de Israel alí, nem aos contextos relacionados.


INTRODUÇÃO 

A lição deste Domingo ensinará como a voz de Deus poderá provocar mudanças significativas na conduta do seu povo. Jacó e sua família são ordenados pelo Senhor a um realimento na sua jornada espiritual. Após assumir uma postura de obediência, a família da promessa volta mais uma vez a estar no centro da vontade de Deus.  

A voz de Deus muda a vida de alguém? Discordamos em parte pois, há muitas vozes no Mundo (I Co 14:10 e 11), e apenas ouvi-las não dá sequer compreensão. Quando buscamos entendimento, passamos a buscar sentido nas palavras e, então, poderemos ou não tentar atender ao ensino, instrução, alerta ou repreensão das tais vozes. Vemos muitas vezes no passado, Deus falando como que ao vento (Jó 33:14, Pv 13:1), entretanto, o povo que mais viu maravilhas e mais perto andou com Deus, é um dos que menos deu valor real ao seu falar (Dt 4:33).


1. DEUS FALA COM JACÓ (GN 35.1-15) 

Deus disse a Jacó para que ele se aprontasse e fosse para a cidade de Betel e construísse um altar e dedicasse a Ele, lembrando o episódio em que o Senhor apareceu a ele em Betel quando estava fugindo de Esaú. Jacó então reuniu sua família e todos os que estavam com ele e pediu para que se apartassem de toda a idolatria e purificassem as suas vestes. É interessante que todo verdadeiro despertamento começa quando Deus fala conosco  (Pv 29.18). 

Aquilo que vestimos mostrando elegância, beleza e, em muitos corações inclinados ao mal, sensualidade, não é o que Deus quer que realmente apresentemos a ele: as vestes espirituais, são muito mais vistas pelos que não servem a Deus, do que pelos cristãos. Jacó fugia de Esaú, vestes da infâmia. Ainda assim, construiu um altar ao passar por Betel. Agora Israel, não mais Jacó, está com novas vestes, nada deve a ninguém, não está sob ameaças e nem enganou mais ninguém e recebeu comandos de Deus para construir um altar. A construção era a mesma, o louvor também, o Deus era o mesmo, o destino era o mesmo, mas o homem estava transformado por experiências com o Criador! 

Betel ficava 310 ms acima de Siquém e estava situada junto à estrada que levava a Jerusalém, Belém e Hebrom. Jacó já se demorara demais em alcançar este santo lugar. Devia agora edificar ali um altar, como Abraão o fizera na sua memorável viagem à Palestina. Jacó edificara um massiba, isto é, uma coluna de pedras, depois de sua inesquecível experiência com Jeová, ao fugir para Harã. Esta volta ao lugar santo envolveria uma entrega total de sua vida ao Senhor. Ele negligenciara o altar de Deus. A ênfase espiritual estivera ausente do seu pensamento e vida.  

      Comentário Bíblico Moody AT - D. L. Moody 

1.1.  Despertamento de Jacó  

Novamente, destoamos da revista: Jacó já havia construído um altar naquela cidade! O que ele pactou com Deus é que se ele fosse sempre firme com Jacó, este teria Jeová como ÚNICO Deus, o servindo prestando total servidão. O Voto era que se Deus o guardasse, ele seria firme. O segundo altar foi construído por diretriz específica, nada em relação ao voto. Surpreendente é que Deus os guardou de fato e de verdade, pois o local era hostil (Gn 35:5): 

Então se levantaram e foram-se a Betel, e surpreendentemente os cananeus não os atacaram, a causa foi um terror inspirado por Deus que havia se apoderado deles.   

                              Nuevo Comentario Biblico Siglo XXI AT – Biblioteca Mundo Hispano 

Israel, não apenas o novo homem, mas agora iniciava-se a nação, seguia mais firme que nunca. O Patriarca certamente estava extremamente realizado e contente, com os seus e com o seu Deus.

1.2.  A obediência à voz de Deus (Gn 35.4-8) 

Ao chegar em Luz, morre Débora, babá de Rebeca, sendo sepultada no pé da árvore sagrada (a revista diz “debaixo” da árvore, conforme a ARC). Isreal esforça-se por seguir em obedecer a Jeová. Fixemos em nossa almas o quem diz a Palavra em João 10:27: “As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço- as, e elas me seguem.” Apenas quando mudamos nosso pensar, é que alcançamos o rumo da obediência consciente; não havendo tal posição, o estudar doutrinas, teologia, jejuar, orar ou mesmo ganhar almas, serão práticas apenas. Não serão frutos de uma vida pia em Cristo, nosso Senhor. 

1.3.  O despertamento na família  

Célula-Mater da sociedade. Sem bons suportes à estrutura da família, teremos a total degeneração da sociedade e do caráter humano, individualmente. Deveria sempre ser o local onde todos pudessem encontrar refúgio, principalmente espiritual e afetivo. A formação da personalidade depende em muito das características vistas e aprendidas no seio familiar. Nesta família, em especial, havia desde roubo (Raquel e os terafins de Labão), Golpes (Jacó mais novo) e favoritismos (Raquel, José dentre outros, eram claros protegidos de Jacó). A família que foi o grande berço da Nação Israelita, trazia de tudo: havia até várias coisas boas. Observemos tais detalhes feios para nunca os copiar. A Paz de Cristo e a Alegria do Espírito não podem faltar em nenhum lar.


2. TIRANDO OS DEUSES ESTRANHOS (GN 35.4) 

Antes de ir embora, Jacó volta a entender a construção de sua história com Deus e manda que todos os ídolos sejam retirados do meio de sua Família. Não que necessariamente houvesse idolatria declarada, mas era comum a algumas famílias terem em suas casas objetos que eram mais superstição do que idolatria. Ele manda que se livrem inclusive dos brincos que usavam em suas orelhas. Eram mais que joias ou enfeites, os brincos eram vistos como amuletos de proteção e eram usados também no culto a deuses estrangeiros (Ex 32.2,3).  

Quantos deuses familiares ou domésticos temos ou podemos ter? Vemos aqui, a expulsão dos deuses estranhos, não apenas dos corpos e casas, mas das vidas, das almas e das mentes! Existe diferença entre idolatria declarada ou oculta?É mais fácil livrar-se de maus ensinos em uma escola sabidamente ruim (e de maus ensinos), ou em uma com boa reputação, mas de péssimo ensino? A idolatria declarada, é fácil de se fugir, evitar ou avaliar. Entendemos que as ocultamente praticadas, sejam as piores. Como dizia conhecido pensador: “...o óbvio ululante...”. Tão à vista, mas devido ao “ocultamento”, quando percebida, por lesado estarem os sentidos, é ignorada. Não devemos tirar os deuses. Eles não devem sequer entrar! 

2.1. Lançando fora os deuses estranhos 

Terafins= Imagens de vários deuses, usadas em família e por indivíduos em particular. Estes ídolos eram de vários tamanhos e de várias formas, desde tão pequenos que podiam ser levados escondidos nos arreios de camelo, Gn 31: 19, 30, até ao tamanho de um homem, 1 Sm 19: 13. Eram tidos como portadores de felicidade. Consultavam-nos respeitosamente sobre resoluções a tomar, Ez 21: 20, 21; Zc 10: 2. Esta palavra tem a forma do plural, e significação plural, 1 Sm 19: 13. (Dicionário Bíblico Davis) 

Não sabemos se chegou ao conhecimento de Jacó sobre o furto cometido por Raquel, mas é certo que após Deus lhe falar sobre seus planos e sobre Adoração a si, Israel sente-se impulsionado a retirar tudo o que seja estranho a Jeová. Muitas vezes sentimos fortes impulsos espirituais sobre direções e atitudes a tomarmos ou práticas que devam ser feitas ou deixadas de lado. Precisamos estar com nossos sentidos e percepções espirituais sempre aptos a discernir o que é desejo/pensamentos/vontades criados ou exagerados ou ordens de Deus. 

2.2. Purificação 

No texto sagrado não lemos sobre Deus cobrar a remoção dos deuses estranhos. Uma coisa é haver fortes indícios seguidos de atitudes, palavras e/ou acontecimentos que favoreçam tais deduções/especulações, outra é lermos explicitamente algo. Cuidemos de não darmos sentenças baseadas em nossas conclusões ou ‘achismos’ como que constado na Bíblia ou como sendo fato histórico narrado em alguma outra fonte (assim sendo, deve constar a fonte). O contato cada vez mais fortalecido com o Pai, nos muda internamente e externamente, muitas vezes sem mesmo nos darmos conta. Há casos de objetos que somem de nossos lares, pessoas que deixam de nos procurar ou frequentar nossas vidas, palavras que são tiradas de nosso vocabulário, pensamentos que somem de nossas mentes. Até mesmo podemos perder empregos ou entes queridos para fazermos algumas mudanças (Is 6:1). Tenhamos como necessárias as mudanças vistas na Palavra para o Novo Homem, sem esperar anjos, profecias ou sonhos... 

2.3. Mudando as vestes 

A Renúncia é algo mostrado, percebido, necessário e exigido por Deus várias vezes na História de Israel e da Igreja. Bom é a prática dela voluntariamente e em bons tempos, sem esperarmos apertos, privações financeiras ou qualquer tipo de “ajustes” do Alto para cedermos. Quando estamos cheios de alegrias, nada nos abala em definitivo. Quando pensamos biblicamente em coisas boas, passamos a dar importância primeiramente à Obra de Deus. Começa, até mesmo, a nos faltarem palavras deprimentes, pesadas, obscuras, torpes entre outras. Começamos a ser conselheiros. “Vestes” nos fala de algo maior e mais completo. Se bem que, em muitos casos, há uma grande falta de pudor e de vergonha na cara mesmo (vestes físicas) ou ostentações a título de “melhor pra Deus”, quando é para o nosso ego ou humilhações dos menos favorecidos.


3. A TERCEIRA COLUNA LEVANTADA POR JACÓ 

Na sua chegada a cidade de Betel a imagem, que se desenha, é de um despertamento coletivo na família de Jacó. O texto diz que assim que Jacó e toda a sua família chegaram à cidade de Luz, que passaria a ser chamada de Betel, ali ele construiu um altar em adoração ao Senhor (Gn 35.6,7). Uma nova etapa sendo construída na família da Aliança. 

            Que maravilha é quando damos ouvidos ao falar de Deus sobre mudanças: sinal de que estamos despertando. Porém, tais despertamentos não são um genuíno avivamento. Foi Deus quem ordenou ou guiou expressamente (Lc 17:10). Devemos, por nós mesmos (ideias e vontades), criarmos o desejo de perguntar a Deus o que MAIS ele quer de nós e o que os acontecimentos irão nos causar ou lapidar, ao invés de ficarmos perguntando sobre suas ações. A passagem do Servo de Deus muda a história de um lugar, famílias e até nomes de ruas ou cidades e formas de governo. Entendemos que falando-se seriamente sobre novas etapas, na maioria das vezes tais etapas irão nos colocar em coisas maiores, visto termos sido aprovados nas anteriores... 

3.1. Uma coluna de pedras 

            Como seria se ainda existisse a Arca da Aliança ou a Serpente de Metal? Fatalmente teriam se tornado objetos de idolatria ou de culto. As colunas de pedra que Jacó ergueu, serviam de marcos e de testemunho. O que ele adorava era o Deus dos pactos (que as colunas serviam de memoriais). Em Levítico 26, vemos a proibição de imagens, estátuas e figuras de pedra com intuito de prostração. Segundo os historiadores, muitos altares tornavam-se em santuários, sendo o altar o próprio ser adorado (ainda que indiretamente, pois dizia-se que era um objeto alusivo). 

3.2. Uma libação de azeite 

Este óleo utilizado para ungir a coluna de pedra era óleo de oliva do mais alto grau de pureza. Sendo muito  caro, usá-lo demonstrava o alto valor dado ao objeto ungido. Assim,  Jacó estava demonstrando enorme  respeito pelo  local onde se encontrara com DEUS.

Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal –CPAD 

Muitos podem dizer que encontraram Deus pela primeira vez na igreja. Eles também podem testificar, que a partir dali, Deus tem lhes falado muitas vezes através da pregação da Palavra. Que nós possamos oferecer sacrifícios espirituais a Deus em nosso serviço prestado na igreja e através dela [I Pedro 2:5; Filipenses 2:17 e 4:18]. Este é o sentido espiritual do versículo 14. A coluna designou o lugar como a casa de Deus. A oferta de libação representa o culto espiritual de Jacó a Deus. No texto Grego de Filipenses 2:17, Paulo compara sua vida com a oferta de libação derramada no serviço de Deus. O óleo representa a presença do Espírito Santo na igreja. 

Um Guia de Estudo para o Livro de Gênesis  - Ron Crisp, pastor 

Oferta de Libação: 

“Geralmente não eram oferecidas sozinhas (Gn 35:14). Era oferecida com o sacrifício da manhã e da tarde, que era um holocausto, e era acompanhada com uma oblação (oferta) de cereais. Consistia de vinho e a quantidade, variável de acordo com o animal oferecido (Nm 28:14). “...no santuário oferecerás a libação de bebida forte* ao Senhor.” (Nm 28:7) Na terra de Canaã devia se oferecer uma libação de cheiro suave. A quantidade de vinho e azeite deviam ser iguais, e em proporção à importância da vítima (Nm15:1-11). Pode ser um tipo de gozo do Espírito na consciência sobre o valor da obra de Cristo feita para a glória de Deus (cf. Fp 2:17, que pode ser alusivo a oferta de libação).”  

* vinho
Tradução livre dos editores deste site da obra “Diccionario Biblico Moody (Espanhol), com algumas variantes. 

3.3. O testemunho do avivamento 

Avivamento= exatamente o que consta em I Cr 29: 1-11. O item principal é a morte de si mesmo. O primeiro a começar serei eu mesmo.
(D.A.) 

“Avivamento significa em primeiro lugar que os crentes mornos, cansados, despertem para uma nova vida espiritual e entrem outra vez em contato com ‘rios de águas vivas.’”
www.chamada.com.br/mensagens/avivamento.html 

            Como uma grande alegria, Jacó agora não mais tinha medo de Deus nem recorria a este com desespero nem atribulações na alma: a se manifestar, Deus o despertou pra si (I Jo 3:20) de que realmente era o seu Deus (o único) e que este povo que nascia, seria o seu povo (único, até então). Não há a menor dúvida de que o medo de Jacó desapareceu em Israel. 


CONCLUSÃO 

Urge em nossos dias a necessidade de um despertamento no seio da Igreja. A Palavra de Deus precisa ser pregada sistematicamente através de nossos meios de comunicação, para que o povo de Deus experimente, a cada dia, a sua vontade na sua peregrinação rumo ao céu. 

Fontes:  

Bíblia Sagrada ARC/ARA
Comentário Bíblico do AT e NT - F. B. Meyer - Ed. Betânia
Comentário Bíblico do AT e NT - D. L. Moody
Diccionario Bíblico Moody – Espanhol
Dicionário da Bíblia de Easton
Ítalo Fernando Brevi - Dicionario Bíblico
Enciclopédia Temática da Biblia – Shedd Publicações
Bíblia de Estudos Aplicação Pessoal
Um Guia de Estudo para o Livro de Gênesis  - Ron Crisp, pastor
O Novo Comentário da Bíblia - F. Davidson
Dicionário Sacconi da Língua Portuguesa - Atual Editora
El libro del Génesis - Gerhard Von Rad - Ediciones Sígueme - Salamanca - Espanha – 1982
Revista: JACÓ – Editora Betel - 1º Trimestre 2012 (professores) – Lição 09

7 comentários:

  1. Gostei muito, pois nos ajuda na preparação de uma aula mais cheia de informação.

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo e irmão Antonilson,

    agradecemos muito sua opinião e manifestação (poucos se dão ao trabalho SEQUER de escrever mesmo criticando ou coisa tal). Continue nos ajudando orando e divulgando nosso trabalho que , embora recente na web, tem alcando um grande número de alunos-mestres (estimamos que entre 80 - 90% do total sejam professores, diretores de ensino, superintendentes ou pastores). Estamos saindo das "nuvens" e implantando pequenos núcleos aqui e ali, para formarmos trabalhadores (oficiais ou não) e futuramente, missionários. A Paz de Cristo a todos!

    ResponderExcluir
  3. a pouco tempo encontrei este site e estou amando. dou aula na ebd e tenho recorrido a voces para me auxiliar melhor. parabens...

    ResponderExcluir
  4. Monica. Parabéns!!!! Deus te abençoe, este estudo vai me ajudar bastante....

    ResponderExcluir
  5. Toda a honra e toda a Glória sejam dados a Jeová, ao seu Cordeiro e ao seu Santo Espírito!

    Meus caros e amados amigos leitores-mestres (ou seria Aprendizes-Doutores? rs): muito obrigado pelo cuidado, carinho e afetuosidades. Voces não fazem NOÇÃO do quanto suas médias ou poucas linhas nos são como dádivas e bençãos dos altos céus. Estamos com um número tão grande de 'aprendizes', que nos é até constrangedor publicar... Mas tudo isto não nos envaidece. Novamente pedimos, suplicamos e ROGAMOS que os ilustres tenham total liberdade e desprendimento: façam contato. Digam mais de si, de seus ideais, seus projetos, críticas e dúvidas. Nada sabemos de voces, além do país (via analisadores de fluxo). Escrevam-nos à vontade. Como iremos saber se estamos dando frutos ou apenas causando raiva? E aos "anônimos" legítimos (Mônica, você tá fora), peço que saiam da caverna...

    Shalom

    R.S.Costa

    ResponderExcluir
  6. gostei da forma que a lição foi comentada meus parabéns. continuem sendo fonte de aprendizado pra o povo cristão!

    ResponderExcluir
  7. gostei muito mesmo,que DEUS possa continuar te direcionando e abençoando no ministerio do ensino da palavra de DEUS

    ResponderExcluir

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho