segunda-feira, 30 de abril de 2012

EBD Editora Betel - O Herdeiro toma posse e o Usurpador reage



Assembléia de Deus CONAMAD
Lição 06 - O Herdeiro toma posse e o Usurpador reage
06 de maio de 2012


Texto Áureo
“E, se somos filhos, somos, logo, herdeiros também, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo; se é certo que com Ele padecemos para que com Ele também sejamos glorificados”. Rm 8.17
“E, se nós somos”(ARC). O texto não está pondo dúvida e nem ensinando errado. Vemos a colocação de certeza: dizemos que somos e que cremos ser. Então, SE somos mesmo, vamos analisar se temos padecido (isso é indispensável e bíblico). Precisamos entender esta condição maior (padecer por ele para sermos juntamente glorificados, ele e nós). Se temos padecido, será que tem sido com ele? Se tem sido com ele , e se temos mesmo padecido, iremos ser glorificados com, por e para ele! Aleluia!
Verdade Aplicada
Deus tem todo direito de dispor de todas as suas obras como lhe agrada. Mas ainda que todas as coisas lhe pertençam por direito de criação, Ele não age de forma arbitrária.
Todas as ciências, todas as formações de bacharelados, doutorados e tantas outras, foram criadas pelo supremo sábio: Deus. A Medicina, a Astronomia, Física Quântica... Sim, ele tem todo direito. Ele age segundo leis que ele mesmo criou. Cremos (e precisamos ter certeza) que suas lógicas, leis e estatutos, são os únicos verdadeiros. Logo, são as melhores leis. Ele não ignora o Direito, apesar de ser criador de todas as coisas.
Objetivos da Lição
Fortalecer a confiança do crente na Justiça de Deus;
            Aquele se gloria, glorie-se nele, em saber que ele existe e em ser dele (I Co 1:31, II Co 10:17). Não há justiça, senão a feita, criada, mantida, ensinada e praticada pelo Senhor. Ele julga com maestria, bondade e imparcialidade.
Mostrar que a Justiça de Deus não só se manifesta em Seu caráter, mas também no modo como julga e aplica as suas próprias leis;
O povo bíblico foi formado e educado em torno dessa história da salvação. A celebração da Páscoa reforçou a memória dessa história. Nessa celebração, não havia lugar para ódio, mas salvação. Portanto, o povo foi educado em torno de experiências históricas que o levaram a mudar o seu modo de fazer justiça. O critério da justiça não mais era a lei escrita por seres humanos, mas o caráter do Deus que salva, perdoa e oferece oportunidade de uma nova vida.
                                                                                   prof. Tércio Machado Siqueira
Remover a falsa idéia de que a Terra será destruída e incutir a doutrina da redenção e restauração de todas as coisas.
Não podemos apoiar nem de longe tal ensino. Mesmo que as passagens explicitamente ensinadoras do desfazimento do que conhecemos e temos visto até hoje (II Pe 3:10 e 12, Ap 6:13 e 14, 8:10, 11:6, 21:1) fossem alegóricas ou poéticas, nos sobrariam todos os flagelos, guerras, dores, pragas, pestes, mortes e caos da Natureza (terremotos, furacões, nevascas, chuvas tempestuosas e etc. Somente com estes últimos, já teríamos um planeta devastado. Lamentavelmente não participamos de tais entendimentos.
Glossário
Co-herdeiros: Que, ou o que herda com outro ou outros;
Arbitrária: Que não é regulado por lei ou praxe, mas só depende do critério ou vontade;
Castiçais: Utensílio em que se coloca uma vela para alumiar.
Leituras Complementares
·    Segunda feira: Ap 10.1-7
·    Terça feira:  Ap 10.8-11
·    Quarta feira: Ap 11.1,2
·    Quinta feira:  Ap 11.3-7
·    Sexta feira:  Ap 11.8-13
·    Sábado: Ap 11.14-19

Introdução
Jesus, o dono do Planeta, está voltando para tomar posse daquilo que lhe pertence e todos os impostores serão banidos. É o assunto desta lição. Vamos estudar?

1. A leitura do termo de posse
“E vi outro anjo forte, que descia do céu, vestido de uma nuvem e por cima da sua cabeça estava o arco celeste, e o rosto era como o sol, e os pés como colunas de fogo; e tinha na mão um livrinho aberto e pôs o pé direito sobre o mar e o esquerdo sobre a terra.” (Ap 10.1,2; Sl 68.17; Dn 7.10; Ez 38.4). Pés como colunas de fogo de fogo* e rosto como o sol são características de Jesus listadas no capítulo um (Ap 10. 15,16). O livrinho é o mesmo que estava na mão direita de Deus. Com estas informações em mente podemos afirmar que:
* erro gráfico constante na revista

            Apesar de serem algumas características de Cristo no capítulo 1, não é possível afirmar-se precisamente ser o próprio Senhor Jesus. Ele possui características de grande poderio, mas faltam outras, ainda, para uma caracterização total. É tido para alguns como um embaixador de Deus. Notemos que há divergências entre os eruditos sobre esta questão. É preciso vermos o todo e amplos aspectos e opiniões.

Há semelhanças estreitas entre esse anjo e o próprio Cristo. Contudo no Apocalipse anjos são sempre anjos; Cristo nunca é chamado de anjo. Esse anjo não recebe adoração. O Apocalipse nunca confunde o Senhor que está assentado no trono com os seus emissários que descem à terra.
                                                                                   Estudos  no Livro de Apocalipe – Hewrnandes Dias Lopes
1.1.Os capítulos dez e onze tratam da tomada de posse do planeta
            Sob o aspecto mais amplo e costumeiro, Deus sempre teve e tem tudo consigo (Sl 24:1). Já na ótica do Direito e da lógica humana, podemos ver uma retomada de controle, visto que o reino deste mundo não é do Senhor (Mt 4:8, Lc 23:42, Jo 18:36). A própria conjectura e construção de argumentos a favor do Reino Milenial, nos mostra que então se verá o governo do Senhor verdadeiramente operando neste planeta.
Deus manifesta sua reivindicação de propriedade sobre o mundo inteiro, pois foi ele quem o criou (v. 6). Nas seis primeiras trombetas apenas parte da criação era o alvo. Agora está em jogo toda a criação. Isso descreve que ele exerce poder em todo o mundo e sua palavra é para o mundo inteiro. O mar e a terra representam a totalidade do universo criado.
                                                                    Estudos  no Livro de Apocalipe – Hewrnandes Dias Lopes - Hagnos
“O anjo que introduzirá a sétima trombeta traz, em primeiro lugar, a mensagem torturante dos sete trovões. Por que será que João teria re­cebido esta revelação específica e depois recebido ordem de não revelá-la aos seus leitores? 2Foi uma visão notável, e o anjo é uma figura no­bre, muito parecido com o Cristo do capítulo 1, acabando de uma vez por todas com qualquer idéia de que os anjos são criaturas efeminadas que tocam harpas languidamente. É óbvio que João ouviu e en­tendeu o que os trovões disseram. Mas da mesma forma como acon­teceu com Paulo (2 Co 12:4), João não deveria divulgar o que tinha visto e ouvido.
Podemos ainda arriscar uma tentativa para descobrir qual foi o assunto dos trovões. O paralelo bíblico mais próximo é, provavelmente, o Salmo 29, onde o trovão é chamado de "a voz do Senhor" e é men­cionado sete vezes. O que o trovão faz é declarar a grandiosidade e a majestade de Deus, de tal forma que "no templo de Deus tudo diz: glória" (Sl 29:9). Talvez as revelações que Deus faz de Si mesmo aos habitantes da terra sejam muito mais compreensíveis do que podemos supor. Talvez não seja bom para os cristãos saberem quão numerosas são as advertências divinas ao mundo, para que não venham a de­sistir de sua responsabilidade evangelística.
Seja lá como for, o certo é que o próximo evento do calendário divino será a sétima trombeta, e com ela virá o fim...”
                                                                              A Mensagem de Apocalipse - Michael Wilcock - ABU
1.2.A tomada de posse da herança será pública
            Não há como contestar a publicidade destes atos ou declarações diante de tamanha solenidade:  soar de vozes de trovões (sete), grande voz (como de leão), testemunha (jurou por Deus) e a voz do sétimo anjo e o som de sua trombeta. Após tudo isto, seria declarado o segredo de Deus. Não há como se tornar algo mais público e conhecido que neste caso, seja qual for o evento que de fato  aconteceu aqui e o que quer  tenha sido dito. João não pode escrever o que os trovões disseram, não o que foi falado dito fora disto. Por fim, vemos que no capítulo 11, versículo 15 vemos uma declaração sobre tomada de controle, de poder e de domínio pleno. O “vieram”(ARC), fala de que passaram a ser continuamente de Deus e de seu Cristo (Jesus) como um relato, não como algo que já não haja sido anteriormente (retomada).
1.3.A posse seguiu todos os trâmites legais
“...temos a oferecer a seguinte sugestão: As testemunhas, que declaram a verdade de Deus aos habitan­tes da terra, são a igreja de Deus no mundo, o povo de Deus entre as nações pagãs, aqueles para quem o evangelho é doce em meio àque­les para os quais o evangelho é amargo, o santuário que permanece como propriedade de Deus mesmo quando não somente a cidade, mas o próprio átrio do templo é profanado. Eles se vestem com pano de saco, o que serve para caracterizar a gravidade da mensagem. Muitas conjecturas têm sido levantadas para determinar por que são duas as testemunhas, mas as coisas notáveis que elas fazem nos versículos 5 e 6 nos relembram, talvez, de modo convincente, as duas testemunhas da glória de Cristo no monte da transfiguração: Moisés e Elias.19 Es­ses dois representam o testemunho da igreja como um todo, bem co­mo a segurança desse mesmo testemunho, pois o princípio bíblico é que "o testemunho de duas pessoas é verdadeiro" (Jo 8:17; ver At 1:8). São também inextinguíveis, como as lâmpadas que o profeta Zacarias viu, e que estavam diretamente ligadas à fonte de óleo que saía das oli­veiras vivas (v.4; Zc 4:2ss). Elas são intocáveis, como a igreja de Cris­to também é no seu todo, embora seus membros, individualmente, pos­sam ser atacados (v.5). São invencíveis, e produzem provas do poder de Deus correspondentes às produzidas por Moisés e Elias (v.6). Es­tas provas, tanto nos dias antigos como nos de hoje, não conseguiram promover um arrependimento geral, apesar das qualidades perenes de rigor e singularidades que possuem. Acerca da singularidade pode­mos dizer que durante todas as épocas resultaram secas, sangue e pra­gas, quer literal quer metaforicamente, como conseqüência do teste­munho e da atividade profética do povo de Deus, de um lado inspi­rados pelo Espírito Santo, mas por outro lado rejeitados pelos homens. Acerca do rigor visto grandemente nos ministérios de Moisés e Elias, podemos dizer que a profecia judaica esperava o aparecimento de ou­tro Moisés e de outro Elias, cujos ministérios tinham por objetivo fa­zer com que os homens ouvissem a Deus antes que o dia do juízo vies­se; que essas predições foram grandemente cumpridas por Jesus e por João Batista; e que um contínuo testemunho do mesmo tipo através dos cristãos, o qual é uma "indicação desta suprema determinação de trazer os homens ao arrependimento, a qualquer custo, antes que seja tarde demais"...”
                                                                              A Mensagem de Apocalipse - Michael Wilcock - ABU
Até aqui, as analogias do comentarista da revista são conexas e possuem clareza. Contudo, não achamos nenhum outro comentarista participante da mesma visão. Parece-nos uma interpretação bem peculiar. Contudo, encontramos um pequeno texto que segue paralelamente aos raciocínios e conclusões da revista. Sendo que esta estica muito mais (talvez a revista haja ampliado). Vejamos:
Quando seu arauto firma o pé sobre o mar e a terra, Deus manifesta sua reivindicação de propriedade sobre o mundo inteiro, pois foi ele quem o criou (v. 6). Na realidade essa reivindicação não se desfez por terem penetrado, nesse ínterim, senhores estranhos no mundo de Deus. Ele agora está vindo para julgar. Enquanto que ele colocava a mão apenas sobre partes da criação através dos seus precursores (cap. 8,9), o todo sem restrições está em jogo para ele agora.
                                                                     Comentário Esperança – Editora Batista Regular

2. O herdeiro entrega o planeta aos co-herdeiros


“E a voz que eu do céu tinha ouvido tornou a falar comigo e disse Vai e toma o livrinho aberto da mão do anjo que está em pé sobre o mar e sobre a terra. E fui ao anjo, dizendo-lhe Dá-me o livrinho. E Ele disse-me Toma-o e come-o, e ele fará amargo o teu ventre, mas na tua boca será doce como o mel.” (Ap 10.8.9; Jr 15.16; Ez 2.8; 3.1-3). Por que Jesus mandou João comer o livrinho Por que seria amargo no ventre e doce ao paladar Por que depois disso João ainda teria que profetizar a muitos povos, nações e línguas? Vamos às respostas?


O anjo se parece com Cristo e o livrinho, provavelmente, contém as palavras de Cristo, pois é dito a João que após digerir o conteúdo do livrinho, ele precisará profetizar. O profeta Ezequiel passou por experiência semelhante (Ez 2:8 - 3:3). E todos os cristãos concordarão com o testemunho de que o primeiro sabor do evangelho é de grande doçura: os santos de todas as épocas têm achado a mesma coisa (Sl 19:10; 119:103). Mas há amargura nele quando é apresentado ao mun­do incrédulo, pois fala da alienação existente entre o homem e Deus, da ira e do inferno que aguardam todos os que não se arrependerem. Seja qual for a mensagem envolvida nos detalhes, o versículo 11 deixa claro que a mensagem tem aplicação universal.


                                                                              A Mensagem de Apocalipse - Michael Wilcock - ABU


2.1. João come o livrinho


A palavra grega para livrinho (v. 2) é diferente da usada em (Ap 5:1). Livrinho não dá a idéia de rolo. O livrinho está aberto, no sentido de que seu conteúdo é conhecido. O rolo (5:1) contém a revelação do propósito de redenção e justiça que Deus executa na história humana, o livro pequeno deve contar uma parte deste propósito divino.Outros identificam esse livrinho como a Palavra de Deus que deve ser comida e pregada ao mundo (v. 11).Ezequiel e Jeremias também receberam ordens semelhantes (Ez 2:9; 3:3; Jr 15:16-17). Ambos comeram o livro e pregaram. O livro era a Palavra de Deus: julgamento e castigo a um povo rebelde. Assim também João é chamado a comer o livro e pregar. A igreja é chamada a comer o livro e pregar para uma geração que se aproxima do fim.
 

                                                    Estudos  no Livro de Apocalipe – Hernandes Dias Lopes – Ed. Hagnos


O D.A. compartilha do entendimento que o livrinho seja a evangelização dos povos, apesar de fazer sentido as comparações do comentarista sobre a terra retomada.


2.2. Comer o livro provoca desgosto e prazer


A maioria dos homens se comprazem olhando os acontecimentos futuros e todos os homens bons gostam de receber uma palavra de Deus. mas quando este livro da profecia foi digerido completamente pelo apóstolo, seu conteúdo resultou amargoso; havia coisas terríveis e espantosas, perseguições tão dolorosas do povo de Deus, tais estragos na terra que vê-los e conhecê-los por antecipado seria doloroso para sua mente. Procuremos sermos ensinados por Cristo e obedeçamos a suas ordens; meditemos diariamente em sua Palavra para que nutra nossas almas; e depois, declaremo-la conforme a nossos diversos emprazamentos. A doçura das contemplações estará, freqüentemente, misturada com amargura quando comparamos as Escrituras com o estado do mundo e da igreja, ou até com o de nossos próprios corações


                                                               Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso NT – Matthew Henry – CPAD


Lembremo-nos que o rolo comido por Ezequiel (Ez 2:9 - 3:3) também continha “ais”, que também são mencionados no Apocalipse. De igual modo, após ser comido, causou tanto amargura como doçura ao profeta, uma experiência devido mais ao misto de bênçãos e ais a serem pronunciados do que à doçura de anunciar fielmente o que é amargo. Tal relato, nesta passagem, nos indica uma reafirmação da chamada e comissionamento profético-apostólico de João. Dias de trevas e sofridos serão estes. Após tudo terminar, enfim virá alegria sem fim e gozo eterno na presença do Pai.   


2.3. João, um pregador intercontinental


Conforme a tradição, João foi o único apóstolo a não morrer por martírio. Possivelmente um destaque de Deus por ele ter ficado até o final na Crucificação. As próprias revelações em si, já são por este mesmo destaque. Possivelmente, por representar a fidelidade do Corpo da Igreja, somente ele haja recebido tal iguaria, por assim dizermos. O D.A. não partilha do uso do termo igreja para os que ficarem sem serem arrebatados, até mesmo devido a incerteza de tentar alcançar a Salvação via martírio, por não subirem no Arrebatamento. Na verdade, tanto afirmar que haverá como de que não haverá, são conclusões e conjecturas humanas tentando desvendar o Apocalipse. Não queremos causar impasses nem debates, mas olhemos fixamente para o ‘rapto’! Pensemos mais em procurarmos dignidade de vida para subir logo. Temos mais firmeza em crer na salvação dos Judeus (que rejeitaram a Cristo) pois irão reconhecer seu poderio como o Messias esperado. Em tempo: parece-nos que o rapto da Igreja em si não foi muito falado nesta revista. Olhando rapidamente, nem mesmo encontramos o momento onde ele acontece/acontecerá. Recomendamos alguns estudos abaixo, lembrando que não são a palavra final, mas sérios argumentos a serem meditados sempre.


www.prbetoluz.wordpress.com/2009/02/26/a-caminho-do-arrebatamento

www.chamada.com.br/mensagens/print.php?docname=arrebatamento

www.chamadadaultimahora.com/JCBV001.html

www.assembleiagurupi.com/img/anexos/62.pdf

www.chamada.com.br/mensagens/certezas_arrebatamento.html


Obs.: em caso, fale conosco que enviaremos por e-mail




3. Identificando as duas testemunhas


A esta altura, você já deve ter feito à clássica pergunta: quem são as testemunhas? Não vamos tentar adivinhar os seus nomes. Seguiremos as pistas espalhadas pelo capítulo onze que nos dão ideia de quem poderiam ser. Vamos examiná-las?

Outra vez damos nossos parabéns quanto a este item(3) e não consideraremos nada além.  Apenas indicaremos uma leitura atenta de outros excelentes e sérios estudos que indicamos abaixo:

http://www.metodistalivre.org.br/Artigos/artigos.info.asp?tp=172&sg=25&form_search=&pg=1&id=627



http://www.monergismo.com/textos/pos_milenismo/Duas_Testemunhas_Hermes.pdf

vale ler este para avaliar as diversas opiniões e interpretações:


http://gospelbrasil.topicboard.net/t4095-o-misterio-do-arrebatamento-de-enoque-e-elias

3.1. Pistas no capítulo onze

3.2. Com quem as testemunhas se parecem

3.3. Então, quem são elas?



Um bom fim-de-semana e uma ótima aula, amigos, professores, mestres e conservos.

  

Conclusão


Os eventos de Apocalipse capítulos dez e onze constituem providências legais de Deus, para efetuar os julgamentos que ainda serão executados sobre a Terra. Todas as ações divinas narradas daqui por diante no Apocalipse, e relacionadas ao planeta estão respaldadas nestas providências.



Fontes:



Bíblia Sagrada  ARC/ARA/ACF/TB/NVI/NTLH/RV

Revista: Apocalipse (professor) - Editora Betel - 2º Trimestre 2012 - Lição 06.

Comentário Bíblico Chapter

O novo Comentário da Bíblia - F. Davidson - Ed. Vida Nova

A Mensagem de Apocalipse - Michael Wilcock - ABU

Comentário Esperança - Editora Evangélica Esperança

Estudos  no Livro de Apocalipse - Hernandes Dias Lopes - Ed. Hagnos

Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso NT - Matthew Henry - CPAD

Comentario Biblico Atos Novo Testamento - Craig S. Keener - Ed. Atos

Comentário Bíblico do AT e NT - F. B. Meyer - Ed. Betânia

Manual de Escatologia – J. Dwight. Pentecost – Ed. Vida

Comentário Bíblico do AT e NT - D. L. Moody

Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal - CPAD



Em Espanhol:



El Apocalipsis – Um Estúdio Y Comentário Breve- Guillermo Álvarez

Estudio del Libro de Apocalipsis - Pr. Rene X. Pereira - Santa Isabel, Puerto Rico
23 Sermones en Apocalipsis - Ray C. Stedman

7 comentários:

  1. durante 100 anos a assembléia de Deus ensinou que a terrá será destruida, agora o comentarita no objetivo da lição ele diz que esta lição tem como função remover uma idéia de que a terra não será destruida e chama a idéa de falsa como se explica isso aos crentes e o que diz a Bíblia arrespeito de acrescentar e tirar alguma palavra ou ponto ou virgula a palavra de Deus, então sertamente os que até hoje ensinaram isso estão com eles os flagelos descritos no livro, como poderá alguém que terá flagelos em sua vida ser salva sendo que ja passou para a eternidade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro irmão,

      Sou membro da Assembléia de Deus e fui ensinada que esta terra "NÂO" será destruída.
      Diante disto, afirmar que a Assembléia de Deus ensinou desta maneira, penso que é generalizar.
      Existem sim, pessoas que desempenham função de ensinadores, mas que a fazem relaxadamente, sem uma dedicação e estudo profundo e ficam ensinadas coisas que não condizem com o que diz a Palavra de Deus.
      Outros há tb, que mesmo a Palavra de Deus não falando claramente, fecham questões que não dá para fechar, levando em muitos casos, pessoas a ensinos errôneos.
      Fique na paz do Senhor Jesus !

      Excluir
  2. indefinido ser "Discípulo", você diz que foi ensinadA, mas se dá o nome de Discípulo... É irmão ou irmã? Eis um dos motivos pelos quais iremos parar de publicar comentários sem identificação. Cremos que todos os que por aqui passam, bem possivelmente sejam professores ou diretores de ensino, logo, no jargão popular, nunca deveriam ter medo de colocar a "cara na rua". Cremos que sejam apenas lapsos (ainda que tantos...).
    Gostaríamos muito que também explicasse melhor sua posição: sua igreja praga ou não a destruição? voce crê como? ao seu ver a massa assembleana (e todas as susa vertentes) são ou não da destruição? Nós da equipe D.A. só ouvimos da não destruição por lábios dos TJs até hoje. Soa-nos totalmente NOVIDADE. Rogamos o seu parecer claro e com suas 'digitais'. Apesar de simplório, este canal não é de debates, achismos, defensor de vertentes nem de iminentes ou não doutrinadores. Valem-nos sempre o exame textual mais tradicional e difundido, arestado e comparado junto a mais de 5 obras conceituadas (passando de 10 - 12, por vezes) seguido de piedosas súplicas ao E. Santo. Tentamos sempre divulgar algumas linhas ainda que não as creiamos e colocamos nosso ponto de vista às claras, sem ataques às mentes/corações. Ofato de alguém tecer linhas em uma revista de EBD ou mesmo um livro, não o isenta de tendências ou equívocos. Calvino, Armínio, Lutero, Champlin e outros, foram ícones e nos deixaram grandes, pesados, notáveis e épicas obras, mas TODOS eles cometeram crassos desvios. Champlin chegou a calcular a data da volta do Senhor...
    Não há indício de aniquilamento deste planeta. Ele não desaparecerá. Mas não haverá um plano de replantios e tratamento da superfície. Tudo o que vemos será destruído por fogo, ao mesmo passo em que serão refeitos. Logo, o que vemos será destruído e refeito. Esta Terra, como a vemos, será destruído por fogo.

    meditem nestes pontos de vista e examinem os detalhes sem preconceitos:

    http://www.oevangelhoeterno.com.br/2011/01/terra-sera-destruida.html

    http://www.webartigos.com/artigos/a-terra-sera-totalmente-destruida/12390/

    http://extestemunhasdejeova.net/forum/viewtopic.php?f=11&t=438

    http://www.sermoes.com.br/tsermoes61.htm

    http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDG55004-6010,00-PARA+CIENTISTAS+TERRA+SERA+DESTRUIDA+DAQUI+A+BILHOES+DE+ANOS.html

    http://www.palavraprudente.com.br/estudos/calvin_d/escatologia/cap36.html

    Shalom

    R.S.Costa

    ResponderExcluir
  3. Dr. Humberto Fontoura6 de maio de 2012 15:13

    R.S. Costa, a paz do Senhor meu irmão.

    Sinceramente, não entendi sua colocação com a irmã intitulada "discípulo", ela fez uma defesa da A.D contra o argumento generalista que foi feito antes e você a ataca desta maneira?
    Faltou interpretação da leitura do que foi exposto.
    Outrossim, não tratamos assim nem quem se considera nosso inimigo, quanto mais um irmão na fé, ainda mais em um blog público.
    Exercer um pouco de paciência, compreensão e alegria não faz mal a ninguém.
    É inclusive incoerente, depois do teor do seu texto despedir com Shalon, pense nisto.

    Ah, e pense bem antes de me responder, seja educado afinal, muitos podem ler esta postagem e escandalizar com suas palavras.

    Grato,

    Prof. Dr. Humberto de Sousa Fontoura

    ResponderExcluir
  4. caro irmão Prof. Dr. Humberto de Sousa Fontoura , queremos reconhecer seu gesto de dar-se nome. este é o caminho que temos pedido aqui, faltando apenas e-mail. mas já estás no caminho...
    é bem notado o senhor ter dito sobre interpretação, quando de sua parte a mesma também faltou e muito. prova de nossas iguais limitações. outro ponto é que quando há um aparente ataque, sempre surgem pessoas prontas. nós dissemos claramente que este canal não caminha em debates ou coisas tais. explicamos-lhe que nós queremos apenas um "sim, creio que a Terra nada sofrerá", "sim, creio que ela sumirá do espaço" ou "sim, ela sofrerá destruição da superfície". rogamos que as mesmas paciência, compreensão e alegria citadas permanecam em sua vida, irmão Prof. Dr. Humberto de Sousa Fontoura. educação certamente lhe é fácil, porém pondere melhor suas conclusões e críticas. é uma grande alegria a nós usarmos Shalom, pois não temos a incoerência que o senhor enxergou, irmão Prof. Dr. Humberto de Sousa Fontoura. queremos que passe a reconsiderar suas aquilatações e pesagens, pois em muito diferem das aferições reais. seus pontos de vista estão muito equivocados, mas isto não é o fim do mundo. irmão Prof. Dr. Humberto de Sousa Fontoura, encerramos alegres de talvez termos dirimido suas dúvidas e estamos à sua disposição, sempre que não nos compreender. de igual modo a todos os outros doutores, pois esta é a meta de nosso projeto: doutorar homens e mulheres em cuidados das almas via devoção, amor, tratamentos e Salvação, isso não se adquire com exegeses nem perícopes, postulados, nem teimosia, etc. somente com quebrantamento e serviço. os academicismos formais são muito fáceis de serem alcançados, não temos por hora nenhum olho nisto, irmão Prof. Dr. Humberto de Sousa Fontoura. no mais, nos desculpamos por outros possíveis mal-entendidos que não fazem parte do histórico deste site. basta observar mais atentamente nossos "papos". que o Senhor ilumine nossos corações, almas e mentes! :)

    Shalom

    ResponderExcluir
  5. edimilson alves barbosa9 de maio de 2012 12:27

    Não sabia que a A. D. tem duas interpretações de acontecimentos futuros com a terra, pois se eu citei uma colacação generalizada na mensagem do dia 30 do 04 de 2012. É culpa de quem, termos algumas das A. D. que ensina a destruição da terra e outras que ensina a purificação do planeta. Pensava q erá só os TJ
    Se existem estes tais que ensina erronemente que será destruida tem que se ensinar que não e sim purificação. A pesar de que quando se diz não ficará nem rais nem ramo eu acredito na destruição.
    Quero afirmar que não sou nenhum doutror, mas gosto de ler a Bíblia e entende-la.

    ResponderExcluir
  6. caro amigo Edimilson, quando fomos inspirados a juntar pessoas em Cristo para trabalhar, ensinar, lapidar e samaritanizar, não foi por outro motivo que o Senhor nos instigou a este nome, Doutores de Almas. E este nome fora dado a um servo de Deus que estava evangelizando (não era nenhum de nossa equipe) um doutor devidamente laureado e diplomado. Este último, o humilhava por não ser nada, não ter nenhum título e etc. O irmão respondeu "EU SOU DOTÔ DA ZALMA!!!". Em Cristo, os fiéis trabalhadores possuem gigantesca autoridade espiritual e são doutos nas ciências divinas. Estudar a Bíblia está além de qualquer outra coisa! Vamos ter consciência de tais labores! O amado além disto é um aprendiz-colaborador por aqui, logo tá no 'doutorando'...

    Em tempo: estamos selecionando membros efetivos para aumento de nossa equipe. Quem sentir-se apto e ouvir o chamar de Deus, faça contato conosco urgente.

    não cansemos de amar os homens! Shalom.

    ResponderExcluir

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho