domingo, 27 de maio de 2012

EBD Editora Betel - A Grande Babilônia

30 de junho Criacionismo/SBB



Assembleia de Deus CONAMAD
Lição 10 - A Grande Babilônia
03 de junho de 2012


escola dominical betel  escola biblica betel escola bíblica betel auxilio professor subsídio professor auxílio professor subsidio comentario ebd



Texto Áureo

“E ouvi outra voz do céu que dizia Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados e para que não incorrais nas suas pragas”. Ap 18.4

Sair do meio, sem sair de dentro. Devemos tirar do nosso ser (nosso meio íntimo) os olhares para o brilho sedutor das Obras das Trevas (que apesar de sua escuridão, possui reluzires ardilosos), deixar de suspirar pelos aromas enebriantes de seus banquetes e manjares, para nem sequer raciocinar nem pensar conforme os ímpios fazem, sugerem, querem ordenar e algumas vezes cobram de nós (exigem com outros nomes/táticas que lhes obedeçamos). Assim, nos revestiremos de seus pecados e sairemos da rota de destino.


Verdade Aplicada

Sob nenhuma hipótese, a Igreja do Senhor na terra, pela qual Ele entregou a própria vida na morte, deve ser confundida nem comparada com a meretriz do Apocalipse.


Objetivos da Lição

Entender que os falsos cristãos são, por Satanás, introduzidos na igreja, mas não fazem parte dela;

Cristo nos advertiu sobre o joio (Mt 13:30) e sobre os falsos mensageiros do Céu (Mt 7:15), Paulo nos disse sobre os falsos irmãos (II Co 11:13 e 26, Gl 2:4), sobre os demônios pessoalmente e materialmente manifestos, juntamente com seu chefe  (II Co 11:13-15)  e Pedro nos disse sobre os falsos mestres (II Pe 2:1), Judas antecipou que haveriam ensinadores do erro, do engano e da Concupiscência que ensinariam ao povo a blasfemar (Jd 8). Como disse João, estavam juntos, mas não misturados: não eram parte da Igreja (I Jo 2:18-24).


Ensinar que a meretriz não é somente a instituição religiosa, mas todo o conjunto de doutrinas e idéias que apoiam projetos contrários a Deus e ao Seu reino;

Há muitas ondas e movimentos que fazem o coração se afastar do alvo, que é Cristo: Alimentação Naturalista, movimentos verdes, ONGs, defesa dos ‘Direitos dos Animais’, das minorias sociais (para se tornarem super-cidadãos). Até mesmo eventos de igrejismos podem nos esfriar na fé: passa-se a amar e crer mais em festas, eventos, multidões e celebridades, do que no Cristo que deveria ser o centro de tudo isto! Até mesmo o próprio estudo bíblico e a Teologia facilmente nos enchem de conhecimentos e apego a filosofias e homens brilhantes, junto com o desapego e desamor aos perdidos, a Oração e à Piedade.


Enfatizar que verdadeira igreja não deve tolerar a Meretriz. Mas rejeitá-la através de ensino veemente e constante da sã doutrina.

Ensino, trabalho, devoção e auxílio aos necessitados são funções essenciais da Igreja. Sem o ensino constante deixamos de observar e corrigir falhas nas demais áreas. Até mesmo a oração se não houver ensino, deixa de existir, juntamente entram frieza, apostasias, heresias e compactuações das mais variadas.


Glossário

Descrição: narração pormenorizada;

Teocrático: governo em que o poder está na mão do clero, ou de Deus;

Hesita: ter falta de decisão.



Leituras Complementares

·      Segunda feira: Ap 17.4,5
·      Terça feira:  Ap 17.8-14
·      Quarta feira: Ap 17.15-18
·      Quinta feira:  18.1-8
·      Sexta feira:  Ap 18.9-24
·      Sábado: AP 19.1-10



Introdução

Em Apocalipse 16.17, já foi dado o anúncio da queda de Babilônia. O capítulo 17 se detém na descrição daquela que foi, e será a grande prostituta, até que seja julgada e destruída. O capítulo 18 se ocupa dos pormenores da queda e destruição dela, bem como das suas consequências para os habitantes da terra.

A Babilônia é mais um símbolo do que um lugar. Babilônia refere-se à Babilônia dos tempos de Babel, à Babilônia de Nabuconodosor, a senhora do mundo; a Roma dos Césares, a Roma dos papas e a todos os impérios do mundo que se levantaram contra Deus e sua igreja. A Babilônia aqui não é apenas a Babilônia escatológica, mas a Babilônia atemporal, o mundo como centro de sedução em qualquer época.
Babilônia aqui é um símbolo da rebelião humana contra Deus. É o sistema do mundo que opõe contra Deus. No capítulo 17, Babilônia era a grande Meretriz, a religião apóstata, em contraste com a Noiva do Cordeiro, a igreja verdadeira.
No capítulo 18, a Babilônia é o mundo, a cidade da luxúria, a morada dos demônios em contraste com a Nova Jerusalém, a cidade santa, a morada de Deus.

                                                               Estudos  no Livro de Apocalipse - Hernandes Dias Lopes - Ed. Hagnos


1. A Mulher Montada na Besta

Ao estudar os capítulos 17 e 18 de Apocalipse, somos tentados a identificar tanto a Besta quanto a meretriz com algum sistema político ou religioso passado e contemporâneo. Até somos estimulados a isso pelo próprio livro (Ap 13.18). Porém aqui evitaremos esta linha e nos esforçaremos para obter a maior compreensão possível do texto.

Num primeiro momento, o comentário da revista parece nos indicar que veremos como de fato se deve interpretar; talvez alguma outra explicação (não como “algum sistema político ou religioso passado e contemporâneo”). Em uma segunda avaliação, nos parece que o comentarista quis dizer que não era apenas isto e que iria nos mostrar mais detalhes...


1.1.A área de influência

“...À primeira vista, parece estranho que no vers. 1 a prostituta assenta-se sobre muitas águas, enquanto que no vers. 3 ela habita num deserto. A explanação pode ser que João está recordando a profecia de Isaías contra Babilônia, o título de que é "Sentença contra o deserto do mar" (Is 21.1)...”

                                                               O novo Comentário da Bíblia - F. Davidson - Ed. Vida Nova


Influências espirituais, filosóficas e políticas: terá uma sede instalada e sua influência em massa com injustiças e impiedades, luxo e riquezas, nos indica controle sore povos. “Povos, e multidões, e nações, e línguas”, claramente nos faz saber de domínio total (exceto nos que sofrerão martírios ou que irão conseguir se esconderem) sobre os reinos e governos. Podemos e até devemos estudar conceitos e ensinos diferentes da fé em Deus, mas sempre firmes nas doutrinas bíblicas. Naqueles dias haverá muito carisma por parte desta organização.


1.2.Os trajes da mulher

Suas vestes são de escarlate. Está adornada de ouro e pedras preciosas e pérolas. Ela segura em sua mão um cálice de ouro. A religião prostituída, o mundo, faz ostentação da sua riqueza e do seu luxo.
Este quadro é uma descrição perfeita do mundo à parte de Cristo, blasonando de sua riqueza, de sua alimentação, de seus banquetes, de seus carros, de seu equipamento, de seu vestuário e de toda a sua beleza e glória.
A meretriz é atraente e repulsiva ao mesmo tempo. De baixo de suas vestes de púrpura esconde suas abominações repulsivas.

                                                               Estudos  no Livro de Apocalipse - Hernandes Dias Lopes - Ed. Hagnos

Vestes são muitas vezes associadas a valores, tanto ruins, como excelentes, caráter, poder e desonra na Bíblia. O Dragão e a Besta se vestiam da mesma cor: vermelha, somente acrescentando a Púrpura à mulher. Possivelmente isto indique semelhanças de propósito e desígnios malignos. Quem se render a esta dupla e a este sistema, gozará de luxo, riquezas e tranquilidades.    

1.3.A embriaguez da mulher


Embriaguez é muito além de álcool no organismo. É um torpor, um êxtase  que alegra por tirar o juízo e os limites de alguém (libido), além da produção de algumas substâncias no cérebro, que causam sensações agradáveis e que viciam, fazendo com que as pessoas façam de tudo por tais sensações (D.A.).
No caso deste texto, a bebida é sangue. Não é sangue realmente ingerido (ainda que existam dezenas de ritos e seitas que fazem isto), mas é sangue derramado violentamente, daí a comparação com bebida alcoólica. O derramar (assassinatos, chacinas e até mesmo sacrifícios) do sangue é verdadeiramente um embriagar-se.
Satanás se passará por senhor, tanto político e militar, quanto religioso. Não apenas ele deseja oprimir os homens, leva-los para a Perdição Eterna, como também oprimir, massacrar e matar os contrário ao seu poder.



2. O Mistério da Besta

Já tivemos oportunidade na lição sete, de estudar um pouco a respeito desta Besta, por isso, neste tópico, analisaremos somente sua relação com Babilônia, a grande meretriz. Leia atentamente o capítulo 17 para maior aproveitamento da lição.

Lição 7 - A Mulher Vestida do Sol e seus Adversários


“...era, e já não é, mas que virá no vers. 8, sente-se ser inteiramente explicável pelo mito do Nero ressuscitado, cujo retorno dos mortos para lutar contra Roma era largamente esperado quando este livro estava sendo escrito. Com esta expectação os vers. 16 e 17 concordam admiravelmente.
Há, contudo, uma outra possível linha de interpretação. Admite-se unanimemente que os vers. 1-6 retratam um império, não um indivíduo. Se João utilizou algum escrito anterior em compilar os vers. 7-18, essa fonte também se referia à besta como o império. Por isso não é improvável que o profeta cristão tivesse particularmente em vista, o império. Se assim é, o vers. 8a deve-se explicar principalmente, não de Nero ressurreto, mas do império. De tais Escrituras, como Is 27.1; Is 30.7; Is 51.9-10, é claro que os profetas do Velho Testamento aplicavam propositadamente o símbolo do "monstro caótico" às nações hostis a Israel, especialmente ao Egito, mas não somente àquela potência. Deus havia conquistado aquele monstro no princípio. Jaz dormente por enquanto (cfr. Is 30.7) mas está, para se levantar de novo. A tal tempo, Deus o destruiria de uma vez para sempre. "A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá à perdição" (comp. Is 27.1) assim descreve este monstro, esboçando a sua história. Uma solução razoável parece ser que João aqui fundiu dois símbolos para dar a sua mensagem, o do monstro caótico e o de Nero Redivivus. A besta é o poder do mal, manifestando-se através da história nos impérios sem Deus, mas agora no Império Romano. Até agora, tem jazido mais ou menos dormente; em breve se levantará da sua inatividade e revelar-se-á num furor de impiedade, encarnando-se no Nero ressurreto. Com esta chave à passagem em mente, podemos atender aos seus detalhes.

                                                                              O novo Comentário da Bíblia - F. Davidson - Ed. Vida Nova



2.1. Era e já não é (Ap 17.8a)

Há uma corrente de comentaristas, tanto do passado como do presente, que baseados em Ap 11.7 e 13.3 e o versículo que temos secção, defendem a posição da reencarnação de Nero. Para eles a expressão: “Foi e já não é”, que se complementa na parte final com a frase: “mas que virá”; aludi à tradição de Nero redivivo. Nero “foi”, mas morreu. Todavia, voltaria. Esta interpretação para nós não se harmoniza com a tese e argumento principal da Bíblia. Ela condena a reencarnação. Devemos ter em mente que João olhava para o futuro dos séculos (os dias do Anticristo) e depois lança retrospectivamente um olhar para par traz e, contempla o império romano de 455 d.C. a 754 a.C. Assim temos o antigo império romano como existiu na forma imperial até os dias de João, e até sua destruição por Odoacro rei dos Hérulos.

                                                                              Apocalipse Versículo por Versículo – Severino Pedro da Silva

A besta era, não é, está para emergir do abismo e caminha para a destruição (v. 8) - A besta foi a personificação dos grandes impérios do passado. Já não é porque esses impérios caíram. Está para emergir porque antes da segunda vinda, o anticristo se levantará para caminhar para a destruição.

                                       Estudos  no Livro de Apocalipse - Hernandes Dias Lopes - Ed. Hagnos

O livro de Daniel nos mostra impérios mundiais e seus líderes opressores. “...era já não é ”, nos fala que tais impérios haviam ruído ao chão. O texto dos capítulos 12 e 13 de Apocalipse, nos indicam propósitos e ideais iguais entre a Besta e o Dragão. A religião que tentará suplantar (a Meretriz),  o nome de Deus e de seu Cordeiro, é apoiada pela Besta (e também pelo Dragão, por eles andarem juntos). Querem não apenas suplantar, mas tomar seu lugar, seu reino e seu trono!

2.2. Ainda virá

“...A besta foi, e já não é (8); isto é, tinha antes uma existência como uma potência má e ímpia, mas que tem sido silenciada. Isaías chama o Egito de "Gabarola que nada faz" (Is 30.7), isto é, o monstro caótico, feito inútil por Deus. A Roma é dado aqui um nome semelhante, ela foi, e já não é, mas que há de vir, isto é, brevemente está para subir do abismo e fará uma obra de horror como os faraós, os reis assírios e Antioco Epifânio de outrora. Contudo, irá para a perdição - o monstro caótico não pode triunfar sobre Deus, nem o pode Roma. Como o vers. 11 refere isto a Nero, que está para voltar à terra, podemos compreender que a plena posse por parte de Roma das características do monstro caótico só poderá, ser quando ele se encarnar no Nero que há de vir. Este rei demoníaco compartilha tão plenamente da natureza do poder do mal, que as suas histórias podem ser delineadas nos mesmos termos. Ele é a besta encarnada. Uma manifestação tão espantosa de poder sobrenatural faz que toda a terra se admire, salvo aqueles cujos nomes estão escritos no livro da vida...”


                                                                              O novo Comentário da Bíblia - F. Davidson - Ed. Vida Nova


Todo o orgulho e soberba da Humanidade, é visto desde a Torre de Babel: elevando-se e sendo derrubados. Os desejos e motivações permaneceram desde a queda deste império (...foi e já não é...) nos corações e centros das associações e organizações humanas que arquitetam e tramam tomadas de poder e ardilosas tramoias. Na revista consta “formar um império à prova de   intervenção divina”. Esta afirmação é totalmente equivocada, tenhamos atenção. Cremos que o comentarista quis expressar que eles imaginam que seu império será imbatível.

2.3. As sete cabeças e os dez chifres

...Sete cabeças e dez chifres. Nos versículos 9 e 12 deste capítulo, o anjo celestial faz a interpretação par o Apóstolo dizendo: “...As sete cabeças são sete monte, sobre os quais a mulher está assentada.... e os dez chifres que viste são dez reis, que ainda não receberam o reino...”. Isso significa, segundo se depreende da visão de Daniel (7.240 que durante o período da Grande Tribulação, “se levantarão dez reis” dentro dos limites do antigo império romano. São eles as ‘dez pontas” que João contempla na cabeça da Besta que subiu do mar (Ap 13.1). Eles serão dez agente de Satanás, que ajudarão ao Anticristo, em sua política sombria pela conquista do mundo (17.13). Alguns deles (3) receberão poder apenas por “uma hora”; depois cairão e só sete permanecerão (Dn 7.8; Ap 17.12)...
“...As sete cabeças são sete montes”. Todos sabem a quem esta passagem se refere: geograficamente. É a Roma. Simbolicamente, porém, ela diz respeito a os “sete sistemas de governo” que existiu neste império (v.10). A cidade de Roma é das mais antigas da península Itálica, está edificada “sobre sete colinas”, que o Apóstolo João chama de “sete montes”. Nos dias do império estas montanhas eram denominadas de; (Aventino, Palatino, Célio, Esquilino, Vidimal, Quirinal e Capitólio). A cidade ficava à margem esquerda do rio Tibre, a 24 quilômetros da sua desembocadura no mar Tirreno, na costa ocidental da península. O seu fundador foi um habitante do Lácio (donde vem a palavra latino) chamado Rômulo que junto com Remo seu irmão fundou a cidade e o império em 754 a. C. ou segundo os cálculos astronômicos em 750 a. C. Mas tarde, Rômulo se desentendeu com Remo, e o matou em combate. No capítulo dois do profeta Daniel, esse poderoso império é contemplado nas “pernas de ferro” da estátua colossal do sonho do monarca Nabucodonosor.

                                                                              Apocalipse Versículo por Versículo – Severino Pedro da Silva



3. O Mistério da Mulher

A meretriz do capítulo 17 pode e deve ser identificada com o sistema religioso que desde sempre se opõe ao povo de Deus. Porém jamais deve ser confundida com a igreja visível, pois esta foi edificada por Jesus (Mt 16.18) e será sustentada por Ele mesmo depois que os fiéis forem arrebatados (Ap 12.14). Ela não se transmutará em meretriz, mas deixará de existir quando se extinguirem os motivos para sua existência.

Entendemos que Igreja significa “tirados para fora”; de fato estamos juntos aos ímpios, incrédulos e aos blasfemadores e, pela Graça, seremos Arrebatados (herdaremos a Salvação por bondade de Deus). Logo, Igreja quer dizer ‘salvos aptos (em e por Deus) a subir arrebatados’, se não subiu, não estava apto. Se não estava apto, não estava como igreja (separados para e por Deus). Entendemos e até aceitamos que haverá salvação na Tribulação, especialmente para com os judeus (sobre estes nada duvidamos). Isto posto, concluímos que não se aplica, assim considerando, o termo Igreja aos que ficarem. No Céu estarão todos os remidos, todos os santos, todos os salvos pelo sangue do Cordeiro de todas as eras e lugares. Igreja, entendemos tratar-se dos que ainda estão trabalhando por subir. Considerem a afirmação acima “...deixará de existir”.


3.1. Quem é a Meretriz

Um grupo de servidores/adoradores de Satanás, da Besta e do Falso Profeta alusivamente em escárnio ao povo que andou anunciando as Boas-Novas na Terra, quase sempre abdicando de suas próprias vontades, planos, projetos e conforto.

Consideramos pontualmente cada item exposto no restante da revista, restringindo-nos de referir  Igreja aos que ficarem. Mais uma vez, nossas congratulações ao Pastor Orivaldo e a Editora Betel. PARABÉNS!
Não teríamos muito a acrescentar ou explicar. Cessaremos nossos apontamentos. Boa aula a todos e um excelente fim de semana na Graça do Senhor Jesus.



3.2. Como surgirá a cidade da meretriz
3.3.  A estrutura da meretriz



Conclusão

A visão da grande prostituta fascina. Poder, riqueza, luxo, ócio e vícios, exercem atração sobre as pessoas em todos os tempos e lugares. Asafe, no Salmo 73, comprova que a grande tentação é pensar e agir como os ímpios. “Mas nós aguardamos novos céus e nova terra em que habita a justiça” (2Pe 3.13).



Fontes:

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/NTLH/RV
Revista: Apocalipse (professor) – Editora Betel - 2º Trimestre 2012 – Lição 10.
O novo Comentário da Bíblia - F. Davidson - Ed. Vida Nova
A Mensagem de Apocalipse - Michael Wilcock - ABU
Comentário Esperança - Editora Evangélica Esperança
Estudos  no Livro de Apocalipse - Hernandes Dias Lopes - Ed. Hagnos
Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso NT - Matthew Henry - CPAD
Comentário Bíblico do AT e NT - F. B. Meyer - Ed. Betânia
Comentário Bíblico do AT e NT - D. L. Moody

2 comentários:

  1. estou cada vez mas perto de Deus atravez do insanamento do livro da revelacao que e apocalipse vamos encomodar as pessoas samos responsavel a dizer a verdade ja chegou a hora da melhor opotunidade e todos tem o mesmo direito da salvaçao meus irmao ja estamos estudando a licao de numero 10 e o que falou neste estudo anteriores que o Antecristo nao vem para brinca de ser poderoso entao para de brincar de ser crente e vamos subir no arrebatamento da igreja de CRISTO muitas profecias ja ten acontecido veja em genesis 13

    ResponderExcluir
  2. segue abaixo outro comentário do Denilson, que o postou(cremos) no local errado. colocamos aqui devido ao conteúdo ser de acordo.


    Tópico 1.2os trajes da mulher E vê uma linda mulher montada em uma besta vermelha, sendo esta coberta de nomes blasfemos com sete cabeças e dez chifres a mulher ricamente vestida e adornada(enfeitada ), com ouro, pedras preciosas e perolas,segurando o cálice de ouro ,as pessoas terão casas , veículos, dinheiros suficiente para comprar, vestir,comer e divertir-se provavelmente, todos terão plano de saúde seguro de vida e outros benefícios será a gloria da babilônia ai quando todos disserem há paz e segurança o que vem esta escrito em 1Ts 5.3 pois que quando todos disserem:há paz e segurança, então lhe sobrevirá repentina destruição,como as dores de parto aquela que esta grávida e de modo nenhum escaparão.

    ResponderExcluir

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho