segunda-feira, 2 de julho de 2012

EBD Editora Betel - Os Primeiros Discípulos de Jesus

Lição 02 – 08 de Julho de 2012


AVISO: alertamos aos professores que releiam nossos apontamentos por inteiro, pois fizemos algumas reconsiderações profundas neles, especialmente o 1.2 (André e João seguiram Jesus)


Texto Áureo

“Os dois discípulos, ouviram-no dizer isso e seguiram a Jesus” Jo 1.37

Quais seriam os reais motivos deles terem deixado João Batista para seguir o novo mestre? Seria totalmente a certeza de sua Divindade? Ou uma mistura de devoção a Deus e devoção ao novo “ídolo” (Cristo tinha seguidores, tinha fama, mensagens, carisma e etc.; era um tipo de líder-ídolo). Sem falar que estavam abandonando o antigo professor, de certa forma.

Verdade Aplicada

Depois de encontrarmos Jesus, devemos ajudar os nossos familiares e amigos a fazerem o mesmo.

Objetivos da Lição

Conscientizar quanto à responsabilidade de conduzir os nosso familiares e amigos a Jesus Cristo;
Demonstrar, por meio do(s) relato(s) bíblicos, que quando fazemos a nossa parte, o Senhor Jesus sempre faz a dele;
Extrair exemplos da vida evangelística de André.

Glossário

Consanguínea: que é do mesmo sangue; mesma origem.
Devastador: que ou o que devasta;
Messias: para os cristãos, esse ser na pessoa de Jesus Cristo.*

* melhor seria algo como: “para os cristãos, este é na pessoa de Jesus Cristo, o Salvador prometido no AT”.


Leituras Complementares

· Segunda feira: Jo 40:1
· Terça feira:  Jo 1:39
· Quarta feira: Jo 19:27
· Quinta feira:  Jo 14:9
· Sexta feira:  Pv 18:13
· Sábado: At 1:13


Introdução

O propósito maior do Evangelho de João é afirmar que Jesus é o Filho eterno de Deus (Jo 20.31). O autor, segundo a tradição judaico-cristã, é o próprio João, o apóstolo. Ele é aquele discípulo a quem Jesus amava e que estava presente na última ceia, na crucificação, e ao túmulo vazio do Senhor. Na Bíblia, há quatro livros biográficos sobre Jesus, os primeiros três são geralmente conhecidos como sinóticos. João é impar porque nos ajuda a entender os outros três. Pois dá uma interpretação mais profunda da vida do Senhor.

Temos nos escritos de João, uma exposição de amor de um discípulo (O Amado) pelo Deus-Amor, Cristo. Ele nos leva passo a passo a vermos que ele é o Verbo, O Autor da Vida e o Redentor de Israel e dos gentios. Também temos no Evangelho em tela, uma visão assombrosa do ministério, vida e obra de um homem tido como louco por uns e Deus em carne por outros. É o relato mais apaixonante e espiritual, no meu ver.


1. André e sua História

As informações bíblicas e históricas disponíveis sobre a biografia do apóstolo André não deixam dúvidas sobre a relevância de sua participação tanto no grupo embrionário de discípulos, quanto na posterior liderança de importantes congregações cristãs do século I.

1.1.  A Origem de André

“...Depois de At 1:13, o nome deste apóstolo não parece na Bíblia. Quantas obras fizeram os apóstolos que não se registraram nas escrituras? Conforme a tradição André foi crucificado em Acáia. segundo a ordem do proconsul Eges, cuja esposa se convertera ao ouvir sua pregação. Conforme a informação tradicional foi crucificado em uma cruz decussata (X), depois conhecida como a cruz de Santo André. Diz-se que foi atado, e não cravado, à cruz, para assim prolongar seus sofrimentos. As Igrejas Gregas e Romanas festejam o seu dia aos 30 de novembro. Na Igreja da Inglaterra este dia foi designado para se pregar sobre o assunto das missões -assunto inspirado pelo exemplo do apóstolo André.

                        Pequena Enciclopédia Bíblica – Orlando Boyer – Inst. Bíb. das Ass. de Deus (1966)

Vemos a prontidão de André em seguir o Messias e de apresentar seus amigos e parentes a ele nos quatro evangelhos. Dois pescadores que deixaram as redes para trabalhar na Seara do Senhor (Mt 4:19 e Mc 1:17), tirando homens do Mar do Pecado e da Perdição até o momento da morte do mestre, quando voltaram às suas redes, não em definitivo, mas como quem precisava preencher o tempo (Jo 21:3). Vejamos:

“...Pedro não suportava ficar inativo. À vista do seu barco e das águas do seu amado mar, e talvez a necessidade de manter corpo e alma despertos, ditou esse súbito pronunciamento. É arriscado pensar que Pedro fosse voltar à pesca como ocupação permanente. Falando-se a verdade, o infinitivo do verbo "pescar" está no tempo presente, o que sugere ação prolongada. Mas isto é contrabalançado pelo verbo vou que sugere uma expedição e não uma carreira. Além disso, a aquiescência dos outros discípulos esclarece que eles compreenderam que o propósito de Pedro era temporário. À vista dos aparecimentos do Senhor (cons. 20:21-23), é inaceitável que eles estivessem voltando à pesca como ocupação definitiva.”

                                                               Comentário Bíblico Moody – Editora Batista Regular

 Ele era de origem simples, de poucos recursos, mas isto não impede a devoção na vida de um discípulo (na revista consta “apesar” de sua origem... demonstrou atuação efetiva...).

1.2.  André e João seguiram Jesus

“...Veja Mt 4.18-22 n. Compare Lc 5.1-11. Era fundamental no ministério de Jesus a escolha e preparação dos Doze, que iam compartilhar com Ele a responsabilidade de proclamar as boas novas, durante Sua vida, e de continuar a disseminá-las depois da Sua ascensão. Os dois pares de irmãos mencionados aqui já conheciam Jesus (veja Jo 1.15-42) e criam que fosse o Messias. Agora Ele os chama ao passo definitivo de deixarem a pescaria para segui-lO incondicionalmente. A vida de pescador os preparava bem nas qualidades de paciência e persistência necessárias para o serviço de ganhar os homens para Cristo...”

 O Novo Comentário da Bíblia – F. Davidson – Ed. Vida

De fato, os dois seguiram ao Senhor, porém seguindo os relatos paralelos entende-se mais facilmente terem sido André e Pedro os dois primeiros seguidores, sendo aqui qualquer conclusão sempre baseadas em hipóteses mais prováveis. Mas, em um apurado mais detalhado e comparativo entre os quatro evangelhos, vemos mais indícios de ser João o segundo a ser arrolado . Em Mateus (Mt 4:18), primeiro é citado Pedro. Nos demais textos (Mc 1:16 – novamente Pedro na frente) vemos um relato não seqüencial nem cronológico das chamadas. Tal característica, não nos dá  certeza clara nem imediata desta informação/conclusão, mas é comum entre os comentaristas tal posição, qual o da revista.

1.3. Andre Apresentou Pedro a Jesus

É interessante um detalhe: vemos tanta ênfase em saber e/ou conhecera casa onde morava Jesus, que nos parece ser isso muito mais preocupação em ver ela que em crer nele como Senhor. Contudo, não é possível medirmos o quanto o fato de ele ser O Messias, tenha impulsionado André. Sabemos que ele saiu conduzindo não só sua família, mas amigos e conhecidos ao Senhor. Assim devemos fazer também, conforme o que orienta-nos a Palavra de Deus (I Tm 5:4 e 8, Hb 11:7). Na revista vemos uma posição mais equalizadora sobre o segundo/terceiro discípulo: “Andre´, possivelmente, acompanhado de João...”. 

“...A cidade de Cafarnaum, onde Jesus foi habitar nessa época, era colônia romana, perto do Mar da Galiléia e o centro do Governo romano na Galiléia. Zebulom e Naftali (13). As regiões limítrofes são mencionadas em Js 19.10-16,32-39. A citação nos vers. 15 e 16 é adaptada dos LXX de Is 9.1-2. Grande luz (16). Cfr. Lc 2.32; Jo 8.12 e Mt 12.46...”

  O Novo Comentário da Bíblia – F. Davidson – Ed. Vida


2. A Conversão de Pedro
Quando nos preocupamos em colocar um parente ou amigo diante de Jesus, não precisamos ficar ansiosos quanto ao que vai acontecer. Tenha certeza de que Jesus não irá se embaraçar com quem quer que seja conduzido a sua presença. O mais importante é crermos no Senhor Jesus, e o mais ele fará (Sl 40:1); após apresentá-los precisamos estar orando sempre por eles, pois travamos uma batalha severa contra o pecado e Satanás (II Co 11:14), que não admite perder qualquer espaço no Mundo.
Há uma canção antiga que diz: “minha família está nas mãos de Deus... eu quero ser abençoado agora, minha família está nas mãos de Deus!” É declarado pela letra que alguém colocou a família nas mãos do Pai (confiando nele e em Sua Obra), mas que gostaria de ser abençoado agora (se possível for: Salvação, Libertação entre outros). De igual modo, devemos falar de Cristo com nosso viver e orar por eles, mas o convencer cabe ao E. Santo. Não adianta ficar “profetizando” (decretando: faz logo, seu Deus molengo), nem dizendo “eu determino” nem nada do tipo. Nosso testemunho pessoal suplanta nossas possíveis palavras...

2.1. Jesus Recebeu Simão

O trabalho pessoal de André começou cedo e com seus parentes. A troca do nome de Simão para Cefas, o termo aramaico para Pedro, significando pedra, provavelmente indica uma mudança prometida da fraqueza para a estabilidade e força (Lc. 22:31, 32).

 Comentário Bíblico Moody – Editora Batista Regular

Mesmo sabendo que Pedro precisava ser moldado, liberto e confirmar sua própria fé, Cristo não hesitou em recebe-lo nem em mantê-lo no Colégio de Apóstolos.

2.2. Jesus Alterou o Nome de Simão

“Cefas” (como o apóstolo Paulo o chamava – 1Co 9.5; Gl 1.18): kepha, em aramaico ou keph, em hebraico – rocha (Jó 30.6; Jr 4.29), ou ainda petros, em grego. Portanto, Pedro significa pedra ou rocha (Is 51.1). Mas, como para o nome de um homem era necessário usar a forma masculina, permaneceu petros.

                     (obra sem autoria/créditos  www.ibc.org.br/site/anexos/evangelhos_segundo_joao.pdf)

Ali o Senhor já estava prefigurando uma grande mudança na vida de Pedro. Há transformações instantâneas, como a que aconteceu com Paulo, mas isto não afirma que todas serão assim ou que não continuem acontecendo modificações dia a dia, ano a ano. Deus nos suporta, nos ama, nos ajuda, nos salva e nos guarda mesmo estando fora do nível requerido. Cabe a nós, trabalharmos, louvarmos o seu nome e divulgarmos seus feitos e sus misericórdia enquanto tivermos fôlego.

2.3. Jesus Torna Simão o Líder da Equipe

Sua precipitação e afobação, não era apenas descontrole ou algo de alguém que quer se exibir. Ele verdadeiramente possuía um coração, raciocínio e alma de líder. Vemos vários despontares deste homem de Deus nos escritos do NT. Mesmo assim, ele não alcançou perfeição, tanto que agiu de forma inconstante e dúbia, tendo que ser repreendido por Paulo (Gl 2:11). Não há registro de que seu irmão André tenha tido ciúmes de seu destaque, ou que haja sido humilhado pelo novo líder e nem que Pedro tenha sido desrespeitado por ser da família.


3. Lições da Vida de André

André alimentava esperança messiânica tão profunda quanto sua insatisfação, assim saiu a procurar pelo contentamento. Tornou-se, então, discípulo de João Batista, e fez-se acompanhar de um colega de profissão, João irmão de Tiago, filho de Zebedeu, também pescador. É mais fácil alcançarmos o que desejamos acompanhados do que só, o que aconteceu com ele pode acontecer conosco também. Vejamos outras coisas que ele fez.

Essa referida esperança e insatisfação tão profundas, são deduzidas por indícios, baseados nos relatos. Nada há explícito nos mesmos que sacramentem isto. Tenhamos sempre o brilho de analisar o que é hipótese, pois os fatos são evidências para várias linhas de suposições. Não havendo fatos concretos, estaríamos trabalhando em conjecturas sem muitas bases.

3.1. Busque Jesus até o Encontrar

“...Com os pés feridos, não podia ser aquele o meu Jesus. Onde está tua coroa de brilhantes, e por que se veste feito um pescador?...”, diz a letra de uma linda canção. Onde temos buscado alegria? Onde o Mundo imagina encontrar respostas? Onde achar o rumo de uma tranqüilidade na Eternidade? O nosso grande encontro com o Senhor será no fim da jornada. Nós temos esta convicção. Mas, e os homens sem Deus? O que se passa em seus corações? Devemos, como André, conduzir os homens a Cristo, ainda que a maior parte venha a rejeitá-lo. “...Vou te buscar, vou te adorar, até chegar no Céu...”, diz a letra de outra canção.

3.2. Esteja Vigilante e Seja Amistoso

Amistoso. Este é o modo como precisamos viver com todos os homens (no que depender de nós), para que tenhamos atenção quando falarmos. Para que não sejamos censurados em nossas palavras, é preciso que elas sejam apenas lembretes de nossa atitudes, ações e procedimentos. Em todo tempo que alguém seja rude, impaciente ou sem misericórdia dentro de uma casa, família ou ambientes outros de convívio rotineiro, sempre haverá um registro de suas ações e pessoas a lembrar dos maus efeitos delas e de como é uma pessoa que causa desconfortos, tristezas, raiva e sofrimentos (como dizem, “apesar de serem crentes”).

..."Que buscam?" A pergunta que lhes faz Jesus é a que deveríamos fazer-nos todos quando começamos a segui-lo: que queremos e que desejamos? Ao seguir a Cristo, buscamos o favor de Deus e a vida eterna? Os convida a acudir sem demora. Agora é o tempo aceitável (2 Co 6.2). Bom é para nós estar onde esteja Cristo, onde quer que seja.
Devemos trabalhar pelo bem-estar espiritual de nossos parentes, e procurar levá-los a Ele. os que vão a Cristo devem ir com a resolução fixa de ser firmes e constantes nEle, como pedra, sólida e firme; e é por sua graça que são assim...”

                                                                Cometário Matthew Henry NT Conciso - CPAD

3.3. Ajude as Pessoas Encontrarem Jesus Cristo

Quando na revista lemos “...o nosso trabalho... está no lugar onde vivemos...”, entendemos que seja baseado no fato de que o Senhor começará a operar através de nós, no primeiros locais onde vivemos em algum tipo de ajuntamento. Os que moram sozinhos, ou os casais sem filhos, certamente se ajuntam a muito mais pessoas seja na Igreja, Trabalho, Escola ou em casa de amigos ou parentes. Logo, os locais onde começará nosso trabalho, é nos mais próximos a nós (Lc 24:49, At 1:8), junto às pessoas que sabem de nossa conduta anterior à Conversão e que verão nosso novo proceder em Cristo. Verdadeiramente estando nós na Rocha e na Fé Piedosa, o Senhor operará maravilhas (Ex 14:13, I Ts 4:11).


Conclusão

Credita-se a André o trabalho evangelístico, em Patra, na Grécia, e outros, até finalmente ser martirizado numa cruz em forma de X, por não achar-se digno de morrer numa que fosse igual a de seu Senhor. Assim como André, sejamos generosos em compartilhar aquilo que temos recebido, possibilitando assim a mudança de muitas vidas, a partir dos membros da nossa própria família, dessa maneira podemos deixar uma história digna de ser relembrada com prazer, pelo fato de termos sido úteis ao Senhor e aos nossos também.


Fontes:

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/NTLH/NVI/RV
Revista: Jesus Cristo – Editora Betel - 3º Trimestre 2012 – Lição 02.
Comentário Bíblico do AT e NT – F. B. Meyer – Ed. Betânia
O Novo Comentário da Bíblia – F. Davidson – Ed. Vida
Pequena Enciclopédia Bíblica – Orlando Boyer – Inst. Bíb. das Ass. de Deus (1966)
Comentário Bíblico Moody – Editora Batista Regular



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho