domingo, 6 de janeiro de 2013

EBD Editor Betel - Importância do Ensino Cristão



Assembleia de Deus CONAMAD
Lição 02 – 13 de janeiro de 2013
Revista escola bíblica dominical editora betel conamad Passagem bíblica trecho bíblico bíblia como estudar teologia bíblia escola dominical escola dominical betel escola biblica betel escola bíblica betel escola dominical conamad auxilio professor ajuda professor subsídio professor auxílio professor subsidio comentario ebd comentário bíblico ebd professor mestre comentário biblico escola dominical comentario biblico escola bíblica comentario bíblico pregação pregador palestra estudo bíblico bíblico

Obs.: não se esqueçam que nossa produção não é linear nem definitiva. Releiam sempre nossos comentários, em especial citações e indicações de artigos na Internet.

Texto Áureo

“Estes, pois, são os mandamentos, os estatutos e os juízos que mandou o Senhor, vosso Deus, para se vos ensinar, para que os fizésseis na terra a que passais a possuir”. Dt 6.1

Muito mais do que leis e regras a serem cumpridas ‘a ferro e fogo’, tais diretrizes deveriam ser assimiladas, amadas, vividas e ensinadas. Quem seriam os professores e mestres? Primeiramente os pais, os mais idosos e todos os que possuíssem crianças ou jovens sobre seus cuidados. Notemos que todos os demais (independente de posição ou idade) também deveriam guardar estes ensinos e estar sempre fazendo revisões.

Verdade Aplicada

A educação cristã deve promover entusiasmo, ânimo e vida cristã em abundância.

Objetivos da Lição

Mostrar que não existe genuíno cristianismo senão através do ensino prático de Jesus Cristo;
Indicar quais as esferas em que o ensino cristão deve ser aplicado;
Revelar a necessidade de desenvolvermos um caráter, à semelhança de Jesus mediante o ensino.

Textos de Referência

Dt 6.6  E estas palavras que hoje te ordeno estarão no teu coração;
Dt 6.7  e as intimarás a teus filhos e delas falarás assen­tado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te.
Dt 6.8  Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por testeiras entre os teus olhos.
Dt 6.9  E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas.

Glossário

Inserção: admissão, inclusão, entrada;
Vigente: que vigora;
Senda: vereda, caminho estreito.


Introdução

O ensino cristão atua na vida como um todo. Ele abarca todos os aspectos da vida humana, tanto para o presente como para a eternidade. Na família ou no indivíduo, o seu impacto é sempre positivo. Sua fonte de autoridade são as Escrituras, e seus propósitos são fundamentais para promover progresso social. Na lição de hoje, estudaremos sobre a natureza, os propósitos e os resultados desse ensino.


1. O Ensino Cristão e sua natureza

Desde o nascimento, entramos num circuito de constante aprendizado, que caso nos empenhemos, seguir-nos-á em toda a nossa existência. Aprendemos a falar, andar, relacionar-mos com as pessoas, a partir das nossas famílias e depois enfrentamos longos anos escolares, cursos, etc. A inserção do indivíduo na sociedade é possível também graças a este incessante ato de aprender. A educação cristã deve ser compreendida como um elemento que deve permear e nortear, desde o mais cedo possível, a vida de um indivíduo por causa da importância que ela tem, como veremos abaixo.

O que é ensinar?

Em primeiro lugar citaremos o que não é ensinar:

-Não é apenas narrar fatos. O aluno não compreende tudo que ouve.
-Não é repetição de frases decoradas ou recitadas como uma "ladainha".
Ensinar é despertar a mente do aluno para captar e reter a verdade. "No conceito moderno, ensinar não é apenas transmitir conhecimentos, mas também promover aprendizagem por parte do aluno (...) Ensinar não é apenas ler ou falar diante de uma classe, mas primeiro despertar, motivar e interessar a mente do aluno e em seguida dirigi-la no processo da aprendizagem." (Livro texto do Seminário Teológico Paulo Leivas Macalão, disciplina Escola Dominical, pág. 11).

Edílson Teles - http://www.ebdweb.com.br

As Verdades Sagradas devem primeiramente ser ensinadas no lar, no seio da família. Devido às estruturas sócio-culturais da Modernidade, os pedagogos orientam a quem façamos referência ao termo ‘família’, pois não sabemos se a criança possui (ou mesmo conhece) seu pai ou sua mãe. Some-se a isto os ‘novos’ tipos de uniões divulgados e já permitidos por lei, e poderemos causar sérios constrangimentos ao nos dirigirmos a alguém (especialmente crianças e jovens).
A compreensão real de tais verdades vem do Espírito Santo (João 16:7-11). Não é resultado de métodos de ensino eficaz. Porém, ele não ensina sem que os fatos sejam mostrados. Logo, aquele que conduz o ensino bíblico doméstico deve buscar o auxílio do Espírito antes e enquanto demonstra as doutrinas. O ensinador deve ter esperança que os alunos alcancem e usufruam do que foi ensinado (Tiago 5:7).

1.1. É uma ordem superior (Dt 6.6)

«Estas palavras» se referem ao pacto de YHWH, eu foi dado por Moisés.
«Estarão sobre teu coração» O Coração, em hebraico, significa o centro que dirige a vida de uma pessoa. A ênfase
no AT também teria o propósito de ser a fidelidade interna, como no NT (cf. Deuteronômio 4:29; 6:5, 6; 10:12; 11:13, 18; 13:3; 26:16; 30:2, 6, 10; NT: «com toda tua mente», Marcos 12:30; Lucas 10:27). Às vezes fazemos uma distinção falsa entre o Antigo Pacto como uma lei externa e o Novo Pacto como uma fé interna. Provavelmente percebemos esta falácia de Jeremías 31:31-34, que faz ênfase em «um coração novo ». Sem dúvida, inclusive no AT, se esperava que o crente individualmente direcionasse toda a sua personalidade, ações e motivações para o Senhor, seu Deus

Usted puede entender la biblia - Bob Utley - East Texas Baptist University (trad. Livre D.A.)

Ensinar não é algo apenas para líderes ou para os que possuam formação, grandes compreensões ou saberes ou mesmo o dom do Espírito. É para todos! Sobre o ensino, destacamos abaixo que:

- Eram da parte do Senhor Deus (Dt 6.1)
- Desta forma tais palavras deveriam ser observadas e postas em práticas com o coração (Dt 6.6)
- O Senhor Jesus frisou a praticidade dos mesmos ensinos (Mt 7.24)
- Todos eles deveriam ser ensinados integralmente no campo do discipulado (Mt 28.20)
- Todo o ensino cristão deve ser posto em prática a partir do coração por ter em sua fonte uma ordem superior, caso contrário poderá ser entendido apenas como preceito humano

1.2. É transmissão de conhecimento (Dt 6.7)

De acordo com o versículo 7 do capítulo 6, os pais eram responsáveis por ensinar as palavras do Senhor a seus filhos, já o versículo 20 mostra os filhos questionando seus pais. Já o versículo 21 mostra os pais respondendo seus filhos. Tais perguntas são feitas de antemão em três outras ocasiões. Em Êxodo 12:26, o assunto é a Páscoa (Qual é o caminho da salvação). A passagem de Êxodo 13:14 lida com a separação que segue (Porque esta contínua separação do mundo?). Finalmente Josué 4:6 diz respeito às doze pedras tiradas do Jordão e colocadas em Canaã (uma pergunta relativa à posição celestial do crente e à unidade da Igreja como o corpo de Cristo). Queridos jovens amigos, façam essas perguntas! Que excelentes respostas vocês receberão (Vv. 21-25)!
Israel não devia poupar nada pertencente aos cananeus nem aos seus deuses. Isto não era para satisfazer o espírito militar e tirânico que geralmente motiva as nações vitoriosas, mas porque Israel era um povo santo ao Senhor (v.6).

Dilmar Pereira - http://alimentandoaalma.blogspot.com.br

Homens ensinando homens. Esta é a essência deste ensino. Poucas vezes Deus ensinou diretamente ao povo. Ainda que no AT foram eleitos vários mediadores, sempre havia o repasse deste ao povo que tornava a repassar entre si por gerações. Vejam alguns ítens fundamentais:

- Vida Cristã é instrução
- Seguir e obedecer a Cristo exige consciência e esforço próprio do ouvinte
- Compromisso de se transmitir conhecimento com modo teórico e prático eficazes
- A responsabilidade de ouvir e praticar pacientemente
- Contínua avaliação pessoal e do coletivo

As nossas casas, templos, etc., devem ser fonte de conhecimento de Deus e sua palavra. Esses lugares devem ser oásis nos desertos da nossa existência. Entretanto é de suma importância que se disponibilize e se empenhe em transmitir o conhecimento acerca de Deus (Os 6.3)

1.3. O desenvolvimento de um estilo social cristocêntrico (Dt 6.7b)

7b-9; cons. Sl. 1:2. Moisés não estava aqui fazendo exigências cerimoniais, mas elaborando com dados concretos a exigência de uma constante focalização de solicitude com a boa vontade do Senhor de Israel.

Comentário Bíblico Esperança NT - Editora Evangélica Esperança

Como já citado anteriormente, a família possui papel ‘protagonista’ na sociedade. Os males sociais seriam eliminados em grande parte (ao menos minimizados) se as sociedades recebessem muito maior atividade(serviços) da Igreja, dos servos de Deus e dos ministros. Ao ministrar às novas gerações, iniciamos uma grande mudança. Ao ministrarmos aos demais, permitimos que estes possam pensar em mudanças e em suas condições atuais e diante de Deus. O ensino é algo para aplicação hoje. Sobre este ensino que desenvolve:

- É magistério prioritário dos pais e tutores, quais sejam (estes fazendo)
- Prejuízos inevitáveis em falhas: a falta da alegria do Senhor, uma vida vazia e a busca do preenchimento impossível (as falsas alegrias só causam males)
- A obediência à Palavra é o ponto e não uma ordem de apenas saber coisas ou ensiná-las sem transformações

Nosso lar deve ser um lugar onde Deus habita, onde as Escrituras são honradas e não onde temos vergonha de nossa fé. Uma Bíblia sobre a mesa ou estante e al­guns textos bíblicos nas paredes já servem de testemunho que somos do Senhor e desejamos lhe agradar.

Artigos sobre o Ensino Cristão:



2. O Ensino Cristão e seus propósitos

Os propósitos do ensino cristão são bem diversificados e, dada a natureza relevante e extensa desse assunto, selecionamos alguns tópicos trabalhados a partir do texto bíblico de Deuteronômio 6, considerados de suma importância para uma reflexão prática. Tal ensino deve abranger três esferas de relacionamento, isto é, que apontam para o desenvolvimento espiritual e individual do ser, sem jamais negligenciar as atividades sociais que visam o bem estar do próximo.

2.1. Em seus aspectos relacionais

Shema(Heb)= "ouvir"; esta confissão de fé inicia com "Ouve, Israel". É recitada junto com Deuteronômio 11: 13-21 e Números 15: 37-4,1 como oração diária.

Em Mateus 22.37-39 Jesus cita o Shema (Dt 6:4), uma confissão diária dos judeus ortodoxos. O maior mandamento é amar a Deus com todo nosso ser e com tudo o que temos, inclusive o serviço cristão. Amar a Deus também é ter bons pensamentos sobre ele, mas não é somente isto.
O pleno amor envolve o coração, serviço e obediência e também amar ao próximo. Toda a Lei e os Profetas baseiam-se nesses dois mandamentos. Um relacionamento correto com Deus não traz problemas com seus mandamentos. O amor é obediência. A Lei como um todo se resume no amor (Rm 13:8-10). Quem ama a Deus, amará ao próximo. E, se amarmos, nada faremos para prejudicá-lo.

2.2. Em relação ao método pedagógico (Dt 6.7)

Eis aqui os métodos para manter e guardar a religião em nosso coração e em nosso lar.
1) Meditação. Devemos pôr a palavra de Deus em nosso coração para que nossos pensamentos estejam diariamente nela.
2) A educação religiosa das crianças. Repitam-lhes com freqüência estas coisas. Sejam cuidadosos e exatos no ensino de seus filhos. Ensinem estas verdades a todos os que estejam sob seu cuidado em alguma forma.
3) Fala piedosa. Falem destas coisas com a devida reverência e seriedade para benefício não só de seus filhos, senão de seus servos, amigos e companheiros. Usem toda ocasião para discorrer com os que os rodeiam, não de assuntos duvidosos e discutíveis, senão das claras verdades e leis de Deus, e das coisas que correspondem a nossa paz.
4) Leitura freqüente da Palavra. Deus mandou a seu povo que escrevesse as palavras da lei em suas paredes, e nos rolos de pergaminho que deviam levar pendurados de seus pulsos. Isto era obrigatório ao pé da letra para os judeus, como é o plano para nós, a saber, que por todos os médios devemos familiarizar-nos com a palavra de Deus para usá-la em todas as ocasiões, para prevenir o pecado e para conduzir-nos no dever. Nunca devemos envergonharnos de nossa religião nem de reconhecer-nos sob seu controle e governo.
Aqui há uma advertência: não esquecer a Deus no dia da prosperidade e da abundância. Quando lhes facilitava todo por dádiva, eram dados a sentir-se seguros de si mesmos e a esquecer a Deus. Portanto, cuidem-se de não deslembrar-se do Senhor quando estejam sãos e salvos. Quando o mundo sorri, somos propensos a cortejá-lo e a esperar sermos felizes nele, e esquecemos Àquele que é nossa única porção e repouso. É necessário muito cuidado e cautela num momento assim. Então, cuidem-se: estejam alertas, tendo sido advertidos do perigo. Não tentarás o Senhor teu Deus, desesperando de seu poder e bondade, enquanto seguimos na senda de nosso dever, nem presumindo disso quando sairmos desse caminho.

Comentario Biblico Conciso AT Matthew Henry - Matthew Henry – CPAD

O Ensino Bíblico está alinhado com a Pedagogia Moderna. As família  seriam escolas. Os pais devem ensinar seus filhos pessoalmente (sem delegar à outrem), exemplificando com a própria vida o ensino. A Saturação (falar em todas as oportunidades com os filhos), tem que ser muito bem equilibrada: sem enxergar aplicações nos pais e no seio familiar (maus dirigentes ou obreiros contam em extremo também), os filhos não ouvirão de bom-grado e nem irão conseguir aplicar na prática. Lembramos que aqueles que só falam em “Bíblia”, “Igreja” e etc., passam por fanáticos, bitolados e se tornam indesejáveis e enfadonhos. Lembremos da Teologia Paulina: extremamente apurada, inteligente, eficaz e totalmente e indispensavelmente prática e solucionadora de problemas. Sem pomposidades nem contratempos.
Isso aqui não tem nada de simbólico, era, plenamente literal. Hoje lamentavelmente um ensino assim é difícil, pois os filhos não acompanham mais os pais como antes, contudo precisamos lançar mãos dos recursos modernos para implementarmos essa saturação nos filhos, construindo em suas vidas sólidas bases cristãs.

2.3. Em relação ao tempo e memória

- Não percamos nenhuma oportunidade
- Criemos oportunidades, caso poucas ou inexistentes
- Aprendamos a responder as causas de crermos
- Desenvolvamos maestria em provar que cremos no que dizemos crer
- As próximas gerações aprenderão conosco se ensinarmos a atual a propagar o que ensinamos

Devemos receber e abraçar tais orientações não apenas para a lembrança da vontade de Deus, mas para a imediata e real prática (Dt 11.20-22). Uma ferramenta muito poderosa é a memorização de trechos bíblicos, já que nada nos assegura que sempre teremos textos impressos ou em mídias digitais.
Com isso, fica claro que a família e a residência dos fiéis devem ser um lugar de aprendi­zado da fé em Cristo, uma fonte de conhecimento do evangelho e da vida cristã. Os jovens cristãos quando se propõem casar, devem-se enquadrar nesse projeto para suas famílias crescerem temendo e obedecendo a Deus. E nos lares, onde não se pratica isso, deve haver arrependimento e, com esforço, tentar reverter a situação com sabedoria e paciência. Fica claro que se efetivamente for isso poderemos fortalecer nossas famílias e influenciar poderosamente o bairro onde residimos.


3. Resultados do ensino

Aquele que planta uma semente espera, dela, algo colher para sua satisfação. Em toda atividade, espera-se que dela se obtenha resultado, tal coisa não é diferente quando se ensina os caminhos do Senhor. Instruir é um trabalho vigoroso, que exige humildade, paciência e esperança quanto aos resultados, que se podem ver a curto ou longo prazo. Basta lembrarmos de Jesus, que, nos evangelhos, é chamado de Mestre, mais do que qualquer outra coisa, então nos sentiremos motivados a ensinar. Foi a Sua docilidade, conhecimento e sabedoria que o tornaram inesquecível.

3.1. Desfazendo equívocos
           
O nascimento de Cristo foi o maior marco da História, tanto que mudou até mesmo a contagem do tempo. Vários dos acontecimentos narrados na Bíblia mostram a clara intervenção de Deus entre as nações. Assim sendo, é totalmente fora de rota e propósito supormos um cristão indiferente e que não cause impacto em seu meio. Vejam o exemplo de Robert Raikes, que ao se incomodar com crianças sem atividades em um domingo de outubro de 1780, permitiu-nos hoje termos as escolas bíblicas (EBD). Várias das grandes universidades renomadas iniciaram como centro teológico de ensino. O ensino deve seve ser ativo, instrutivo, despertador, desenvolvedor de mentalidades, solucionador de problemas e gerador de projetos e iniciativas que desfaçam dúvidas e equívocos, não todos, mas o máximo possível.


3.2. Longevidade (Dt 6.2)

Passando ensinamentos. Moisés depois continuou com o ensino que o Senhor lhe havia dado para Israel após os Dez Mandamentos, ou como uma explicação adicional aos mesmos. Fazendo a introdução a este ensino, Moisés outra vez recorda ao povo que estes mandamentos são o meio para obter vida, olhando para o futuro distante (v. 2c). Este olhar de longo alcance fez ver uma vez mais a necessidade de que o ensino seja passado a gerações futuras; daqui surge a frase tu com teu filho e o filho de teu filho (v. 2).

Nuevo comentario biblico siglo veintiuno AT - Editorial mundo hispano (trad. Livre D.A.)

As empresas de seguros, de assistência médico-hospitalar-dental e os planos funerais priorizam o público cristão devido a eles serem muito regrados, de boas relações amistosas e nas vizinhanças e menos agressivos possível no trânsito. Logo, vivem mais, melhor e usam menos tais serviços: menores riscos de prejuízos a tais entidades ou grupos. Relembramos do alerta da revista sobre nada garantir que um cristão alcance 90 anos de vida.


3.3. Prosperidade (Dt 6.3)

Nesta passagem e em outras similares, os "mandamentos" parecem denotar a lei moral; os "estatutos", a lei cerimonial, e os "decretos", a lei pela qual decidiam os juízes. Moisés ensinou ao povo tudo aquilo, e unicamente aquilo que Deus lhe mandou ensinar. De modo semelhante, os ministros de Cristo devem ensinar a suas igrejas tudo o que Ele lhes mandou, nem mais nem menos (Mt 28.20). O temor de Deus no coração será o princípio mais poderoso para a obediência. É altamente desejável que não só nós, senão também nossos filhos e os filhos de nossos filhos, tenham temor do Senhor. a religião e a justiça fazem progredir e asseguram a prosperidade de qualquer povo.

Comentario Biblico Conciso AT Matthew Henry - Matthew Henry – CPAD

Para que bem te suceda. O contínuo deleite de Israel habitando na terra de Deus, como Adão desfrutou continuamente do paraíso original, dependia da contínua fidelidade ao Senhor. É preciso estabelecer certas importantes distinções ao fazer tal comparação. Obediência impecável era a condição da contínua permanência de Adão no Jardim; mas a posse permanente de Canaã nas mãos de Israel condicionava-se à manutenção de uma medida de lealdade religiosa, a qual não incluía todo o Israel nem exigia perfeição mesmo daqueles que constituíam o verdadeiro Israel. Havia uma liberdade no exercício do julgamento como também na restrição do mesmo, uma liberdade que se originava no princípio latente da graça soberana no seu governo sobre Israel. Não obstante, Deus dispensou o seu julgamento de modo que os interesses da mensagem típica e simbólica da história de Israel foram preservados. (Veja mais adiante os comentários sobre os caps. 27.30.)

Comentário Bíblico Moody AT/NT – Editora Batista Regular

Ser bem sucedido e próspero é um tema nas Escrituras sempre associado ao aprendizado (Dt 6.2). Salomão buscou sabedoria, e Deus, além desta, premiou-lhe com riquezas simultaneamente.

=> O que não implica que o ensino irá trazer obrigatoriamente riquezas, prosperidade nem sabedoria(que é dada por Deus)

Vivemos hoje um momento muito especial, aqui no Brasil, de muita prosperidade em função de vários fatores, que inclui principalmente o interesse pela educação. A verdadeira riqueza de um povo não jaz nos recursos naturais de seu país, mas na mentalidade que possui. O ensino da Palavra de Deus tem participação efetiva em nossa prosperidade, visto que a Bíblia foi uma poderosa aliada na alfabetização de muitos, nunca se aprendeu tanto a Bíblia Sagrada como nos últimos anos através dos diversos meios disponíveis. O ensino bíblico junto ao secular tem contribuído eficazmente para elevar a estima e a autoconfiança de milhões de jovens cristãos que estão alcançando patamares inimagináveis por suas famílias e amigos.
Os veículos de comunicação têm sido poderosos aliados na transformação da nossa nação. Hoje podemos ouvir mensagens e estudos bíblicos pelas rádios, Tvs e internet, acrescentamos ainda que, somado a isso temos seminários teológicos, EBDs, escola bíblica de férias para as crianças, etc. Isto quer dizer que está. se utilizando de todos os meios disponíveis em favor da educação cristã.


Conclusão

O coração do ensino cristão pode se resumir pelo fato de Jesus Cristo viver através de nós, a sua igreja; e que isso é demonstrado quando desenvolvemos o sentimento de amor em nós mesmos nas três direções como falamos acima. É dessa maneira que não vivemos meramente, mas que espelhamos o Filho de Deus para que todos vejam e tenham oportunidade de viver segundo a sua graça, amor e poder.


Fontes:

Em Língua Portuguesa

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/NTLH/NVI
Vida Cristã Vitoriosa (revista) – Editora Betel – 1º Trimestre 2013 – Lição 02
Comentário Bíblico Esperança NT – Editora Evangélica Esperança
Comentario Biblico Conciso AT Matthew Henry – Matthew Henry – CPAD
Comentário Bíblico Moody AT/NT – Editora Batista Regular
O Ministério Didático da Igreja – Jorge Himitian odiscipulo.com
Táticas de Ensino Instituto Bíblico Tempo de Colheita
Manual do Professor Eficaz Donald Griggs Ed. Cultura Cristã
Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes – www.terceiroanjo.org
A Didática e A Bíblia Elinaldo Renovato de Lima
Pais Brilhantes, Professores Fascinantes – Augusto Cury – Ed. Sextante
Internet

Em Espanhol

La Biblia Sagrada RV
Usted puede entender la biblia - Bob Utley East Texas Baptist University
Nuevo comentario biblico siglo veintiuno AT Editorial mundo hispano

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho