domingo, 31 de março de 2013

EBD Editora Betel - A Vida Edificada Sobre a Rocha






Assembleia de Deus CONAMAD
Lição 01 – 07 Abril de 2013
Revistaebd Revista escola bíblica dominical editora betel conamad Passagem bíblica trecho bíblico bíblia como estudar teologia bíblia escola dominical escola dominical betel escola biblica betel escola bíblica betel escola dominical conamad auxilio professor ajuda professor subsídio professor auxílio professor subsidio comentario ebd comentário bíblico ebd professor mestre comentário biblico escola dominical comentario biblico escola bíblica comentario bíblico pregação pregador palestra estudo bíblico bíblico

Texto Áureo

“Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pra­tica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha”. Mt 7:24

A prática das palavras aprendidas é comparada a prudência de construir uma casa com sólido fundamento, e seu oposto é verdadeiro. Percebamos que aqui Jesus deixa bem claro que sobre a casa construída em sólido fundamento também cairá a chuva, transbordarão os rios, soprarão os ventos e darão contra tal casa. Nesta vida teremos aflições.

Escola Bíblica Semanal Lição 3: Evangelho de Mateus – Carlos Alberto Bornhofen

Verdade Aplicada

A vida cristã deve estar funda­mentada em Cristo e não nos alicerces humanos do dinheiro, da cultura, dos títulos, da fama e da popularidade.

Objetivos da Lição

Mostrar que é prudente edificar sobre a Rocha que é Cristo;
Explicar que edificar sobre a areia, significa não obedecer aos ensinamentos de Cristo;
Alertar para os resultados práticos da obediência a Cristo. sabedoria; qualidade de néscio; tolice.

Textos de Referência

Mt 7.24 Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha.
Mt 7.25 E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha.
Mt 7.26 E aquele que ouve estas minhas palavras e as não cumpre, compará-lo-ei ao ho­mem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia.
Mt 7.27 E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda.

Leituras Complementares

Segunda  I Co 3:11   Terça  Ef 2:20-22      Quarta Cl 2:7
Quinta     Pv 14:1      Sexta  Pv 24:3            Sábado Lc 6:46-49


Introdução

Essa parábola é mais um extraordinário exemplo da maneira poética que o Senhor Jesus Cristo usou em grande parte de seus sermões. Nesta parábola, em especial, Mateus destaca a doutrina de que no âmbito espiritual, acima de todas as demais, ser apenas ouvinte não possui valor algum se o discurso não resultar em atitudes. E salienta que a maneira do cristão viver não será bem sucedida se ele não tiver sua vida fundamentada sobre a Rocha, que e Cristo.

Antes de interpretarmos o construtor imprudente como um agente das trevas, um “possuído pelo Mal” e etc., lembremos que ele errou nos projetos (escolhas de terreno, fundação e materiais), mas era um construtor! Era alguém determinado em trabalhar, em fazer e em dar curso à sua missão. Talvez, se houvesse um auxiliar, um amigo que o orientasse (um pregador cristão), ele pudesse ter dado ouvidos. Temos somente observado os outros, ou temos agido e trabalhado de forma excelente? E se temos trabalhado bem, será que estamos evangelizando e ensinando com nosso testemunho?


1. A construção sobre a Rocha (Mt 7.24,25)

Essa parábola também é conhecida como a dos Dois Construtores. Ela é o final de uma série de discursos feitos por Jesus, no conhecido Sermão da Montanha, e tanto cristãos, quanto não cristãos, reconhecem igualmente como uma das declarações mais importantes, em todos os tempos, do caráter moral da raça humana. É nesse memorável discurso, que encontramos as qualidades que Deus conclama a seus filhos a porem em prática na vida. Construir sobre a Rocha é fazer exatamente como Jesus ensinou.

1.1 É prudente construir sobre a Rocha

Quando constrói uma casa, lança o fundamento firmemente em terra sólida, se possível, na rocha. Observam a eloqüência da descrição, para representar o de-repente e a fúria dos elementos em fúria: chuva sobre o telhado, rio contra o fundamento, vento contra as paredes; mas a casa permaneceu de pé, porque seu fundamento foi lançado sobre a firmeza da resistente rocha.

Comentário Bíblico Kretzmann Mateus – Editora Sheed

1.2 É ouvinte e praticante quem constrói sobre a Rocha

Jesus chegou ao fim do seu discurso. Uma última ilustração tem como objetivo deixar mais uma vez clara a finalidade do seu discurso de maneira eloqüente e impactante. Mais uma vez é uma palavra de separação. É dirigida aos seus discípulos e aos que o escutavam.
Tudo depende de pôr em prática o que Jesus disse. Somente é sensato aquele que transpõe para a palavra do Senhor para a prática. Quem apenas ouve e não age, é tolo. Ouvir apenas proporciona uma posse aparente, que se quebra justamente quando deve ser comprovada. Porém para aquele ouvinte que realiza o que ouviu, a palavra de Jesus se torna um poder e uma força bendita. Esse realizar transforma-se num bem interior e numa riqueza interior que se iguala a uma casa fundamentada sobre uma rocha e que superará as provações, mesmo nas mais fortes tempestades e torrentes de angústias e tribulações.

Comentário Bíblico Esperança NT –  Editora Evangélica Esperança

Aqui Cristo mostra que não bastará reconhecê-lo como nosso Amo somente de palavra e língua. É necessário para nossa felicidade que acreditemos em Cristo, que nos arrependamos do pecado, que vivamos uma vida santa, que nos amemos os uns aos outros. Esta é sua vontade, nossa santificação.

Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso NT – Matthew Henry – CPAD

1.3 Está preparado para o dia da angústia

R.N. Champlin diz que: ventos, chuvas, rios, são turbulências. Outros intérpretes fazem desses símbolos de turbulência, comparações com as tentações, com as perseguições, com as heresias da igreja, etc. Outros ensinam que estão subentendidas três provas diversas, como: 1. Chuva: as aflições temporais; 2. Rio: as provas que resultam no maltrato por parte de outros homens; 3. Vento: as tentações e as provas que se originam em Satanás ou nos demônios. Mas, provavelmente, Jesus falou em termos gerais, que incluem essas ideias, mas sem fazer referência exata ou intencional a essas coisas.


2. A edificação sobre a areia (Mt 7.26)

Esse texto foi descrito em paralelismo clássico: revelando a sabedoria de quem constrói sobre a rocha (Jesus) e a insensatez de quem constrói sobre a areia (alicerces humanos). “E aquele que ouve estas minhas palavras e as não cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia”. Um “homem insensato” tem seu sentido principal de alguém que é embotado, pesado e estúpido. E para efeito de comparação, pode ser aplicado à alma e a mente do ser humano que ouve a mensagem do evangelho, mas não consegue praticar os ensinos da Palavra de Deus.

Tenhamos cuidado de não apoiar-nos nos privilégios e obras externas, não seja que nos enganemos e pereçamos eternamente com uma mentira a nossa direita, como o fazem multidões. Que cada um que invoca o nome de Cristo se afaste de todo pecado. existem outros cuja religião descansa no puro ouvir, sem ir além; suas cabeças estão cheias de noções vazias. Essas duas classes de ouvintes estão representados pelos dois construtores. Esta parábola nos ensina a ouvir os ditados do Senhor Jesus: alguns podem parecer duros para carne e sangue, mas devem ser feitos. Cristo está colocado como fundamento e toda outra coisa fora de Cristo é areia. Alguns constroem suas esperanças na prosperidade mundana; outros, numa profissão externa de religião. Sobre estas se aventuram, mas estas são só areia, demasiado fracas para suportar uma trama como nossas esperanças do céu.

Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso NT – Matthew Henry - CPAD

2.1 Edificar sobre a areia é desobedecer à Palavra

Há uma tormenta que vem e provará a obra de todo homem. Quando Deus tira a alma, onde está a esperança do hipócrita? A casa desabou na tormenta, quando mais a necessitava o construtor, e esperava que lhe servisse de refúgio. Caiu quando era demasiado tarde para edificar outra. O Senhor nos faça construtores sábios para a eternidade. Então, nada nos separará do amor de Cristo Jesus.
As multidões ficavam atônitas ante a sabedoria e o poder da doutrina de Cristo. Este sermão, tão freqüentemente lido, sempre resulta novo. Cada palavra prova que seu Autor é divino. Sejamos cada vez mais decididos e fervorosos, e façamos de uma ou de outra destas bem-aventuranças e graças cristãs o tema principal de nossos pensamentos, por semanas seguidas. Não descansemos em desejos gerais e confusos, pelos quais possamos captá-lo tudo, porém sem reter nada.

Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso NT – Matthew Henry - CPAD

A importância suprema de se edificar sobre alicerces certos. O homem cuja casa ruiu falhou não porque deixasse de trabalhar, mas porque não utilizou a rocha. A rocha. O próprio Cristo (I Co. 3:11) e seus ensinamentos.
As pratica. Obediência aos ensinamentos. O sermão foi dirigido aos crentes e pressupõe fé em Jesus como o Messias. Não é legalismo. Nenhuma obra alicerçada em meros esforços humanos tem algum valor espiritual, mas a fé em Cristo, a rocha, produz a regeneração que se manifesta na vida piedosa.

Comentário Bíblico Moody AT/NT – Editora Batista Regular Moody

2.2 Oportunistas de plantão

2.3 A ilusão de construir sobre a areia

A “casa” são todas as nossas realizações como cristãos. Com essa semelhança, fica claro que não podem os negligenciar a obediência e os princípios que, na realidade, são verdadeiros sustentáculos. Vale tanto para a vida espiritual quanto para a secular. Sem o princípio do alicerce, as edificações não terão firmeza diante dos desafios dos vendavais. Ouvira Palavra e cumpri-la é o verdadeiro alicerce para todo crente fazer sua edificação.


3. Resultados práticos da obediência a Cristo

Muitos cristãos procuram atalhos para viver o evangelho. Na verdade, o “mundo evangélico” está transbordando de métodos e fórmulas para uma vida bem sucedida. No entanto, a vida cristã autêntica só poderá ser experimentada a partir da obediência aos ensinos de Jesus. Ensinos que modificam a ética e o comportamento morais das pessoas, que se tornam íntegras, honestas e incorruptíveis, cujos atos e atitudes são irrepreensíveis, contagiando o ambiente em que vivem com honestidade e retidão.

Assim como temos oito bem-aventuranças, também temos oito exclamações de ais no evangelho de Mateus. Primeiro ouvimos de nosso Salvador as exclamações de felicidade. Com elas inicia sua primeira grande pregação. Somente mais para o fim de todos os seus discursos Jesus proclama os oito ais sobre os líderes espirituais, os representantes da igreja judaica. Por não terem seguido ao chamado de bem-aventurança do Senhor, esses escribas farisaicos tornaram-se maduros para a condenação do Senhor. Uma advertência séria também para nós!

Comentário Bíblico Esperança NT - Editora Evangélica Esperança

3.1 Alcança a felicidade plena (Mt 5.1-12)

Quem é que, tendo ouvido falar de Jesus de Nazaré, e sabendo um pouco acerca do que ele ensinou, não está familiarizado com as bem-aventuranças que dão início ao Sermão do Monte? A simplicidade de palavras e a profundidade de idéias deste Sermão têm atraído cada nova geração de cristãos, além de mui­tas outras pessoas. Quanto mais exploramos suas implicações, mais fica por ser explorado. Suas riquezas são inexauríveis. Não podemos sondar suas profundezas. Na verdade, "Aproximamo-nos do céu".
Para estarmos prontos para considerar separadamente cada bem-aventurança, há três pontos de caráter geral que precisamos saber e aprender:

a.As pessoas descritas
b.As qualidades recomendadas
c.As bênçãos prometidas

Resumindo estes três pontos introdutórios relacionados com as bem-aventuranças, podemos dizer que as pessoas descritas são de modo geral os discípulos cristãos, pelo menos em ideal; que as qualidades elogiadas são qualidades espirituais; e que as bênçãos prometidas(como dons da graça imerecida) são as bên­çãos gloriosamente compreendidas pelo governo de Deus, experimentadas agora e consumadas depois, incluindo a herança de ambos, terra e céu, consolo, satisfação e misericórdia, visão e filiação de Deus.
Agora estamos prontos para examinar detalhadamente as bem-aventuranças. Diversas tentativas de classificação foram experimentadas. Não são certamente um catálogo fortuito, mas, nas palavras de Crisóstomo, "uma espécie de cadeia de ouro".Talvez a divisão mais simples seja considerar as quatro primeiras descritivas do relacionamento do cristão com Deus, e as outras quatro, do seu relacionamento e deveres para com o próximo.

Contracultura Cristã  –  John Stott – ABU Editora

O evangelho sempre valorizou mais o caráter do que talento, embora a igreja de hoje, tenha feito ao contrário. Os cristãos precisam entender que, embora ele não utilize todos os talentos que existem no mundo, precisará de todos os aspectos do caráter quando colocar seus talentos em ação.

Em construção... Ore por nós e volte mais tarde

3.2 Aprende a ser sal da terra e luz do mundo (Mt 5.13-16)

Como sal e luz no mundo, o cristão deve criar elos de forma autêntica, ser guiado pela verdade que é Cristo, abraçar, encarar e lidar com situações negativas, superando os problemas, resolvendo-os ou transformando-os. Ser voltado para o crescimento, que nos leva a progredir. E por fim, que nos leve a transcender, ou seja, enxergar melhor a nós mesmos e as situações como um todo.

3.3 Vida cristã transformada (Mt 5.17-7.1-28)


Conclusão

Quando o Senhor Jesus concluiu o Sermão do Monte com a parábola dos dois construtores, do prudente e o insensato, a multidão maravilhada se entusiasmou pela sua autoridade de mestre. Pois Ele não ensinava como os seus oponentes religiosos, que citavam outros rabinos para a fim de apoiar seus ensinos particulares. Jesus na verdade falava com autoridade divina. Naquele dia, foi como a melhor aula que o povo já havia ouvido. Portanto, que possamos fundamentar as novas vidas nos ensinos incomparáveis de Jesus, que é a Rocha verdadeira.


Fontes:

Em Língua Portuguesa

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/NTLH/NVI
Pontos Salientes da Nossa Fé (revista) – Editora Betel – 2º Trimestre 2013 – Lição 01
Contracultura Cristã  –  John Stott – ABU Editora
Comentário Bíblico Kretzmann Mateus – Editora Sheed
Escola Bíblica Semanal Lição 3: Evangelho de Mateus – Carlos Alberto Bornhofen (link)
Comentário Bíblico Esperança NT – Editora Evangélica Esperança
Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso NT – Matthew Henry – CPAD
Comentário Bíblico Moody AT/NT – Editora Batista Regular Moody
Compreendendo Todas as Parábolas de Jesus – Guia Completo – Klyne Snodgrass – CPAD
As Parábolas de Jesus – Álvaro C. Pestana (link)
Todas as Parábolas da Bíblia – Herbert Lockyer – Ed. Vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho