domingo, 28 de abril de 2013

EBD Editora Betel - As Autoridades São Constituídas por Deus






Assembleia de Deus CONAMAD
Lição 05 – 05 Maio de 2013
Revistaebd Revista escola bíblica dominical editora betel conamad Passagem bíblica trecho bíblico bíblia como estudar teologia bíblia escola dominical escola dominical betel escola biblica betel escola bíblica betel escola dominical conamad auxilio professor ajuda professor subsídio professor auxílio professor subsidio comentario ebd comentário bíblico ebd professor mestre comentário biblico escola dominical comentario biblico escola bíblica comentario bíblico pregação pregador palestra estudo bíblico bíblico


Texto Áureo

“E, como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé”. II Tm 3:8

Como exemplo de mestres falsos, agora Paulo menciona "Janes e Jambres" que foram (de acordo com a tradição judaica) dois mágicos importantes na corte de Faraó. Os seus nomes não são mencionados nos textos do Velho Testamento, contudo um dos Targuns insere esses nomes em Êxodo 7: 11, onde se lê: "Faráo, porém, mandou vir os sábios e encantadores, e eles, os sábios do Egito, fizeram também o mesmo com as suas ciências ocultas". O que se pode concluir do que Paulo escreve aqui é algo extremamente importante, mas a percepção não é fácil. Ele traça um paralelo histórico entre Janes e Jambres (que se opuseram a Moisés séculos antes) e "estes" (os falsos mestres de seus dias), que também se opunham à verdade. Janes e Jambres eram mágicos; os falsos mestres também eram "perversos" e "impostores" (v.13). É possível que eles tenham também praticado a magia, pois quando os efésios "que haviam praticado artes mágicas" se converteram, "reunindo os seus livros, os queimaram diante de todos" (At 19: 18-19). O que é digno de nota quanto a esta analogia, porém, não é somente que os falsos mestres da Ásia são comparados aos mágicos egípcios, mas sim que Paulo, dessa forma, compara-se a si mesmo com Moisés! E Moisés foi a maior figura do Antigo Testamento. Nunca mais se levantou em Israel profeta algum como Moisés, conforme nos diz o texto bíblico, tanto com respeito ao conhecimento de Deus ("com quem o Senhor houvesse tratado face a face"), como nos sinais e prodígios que ele fez para autenticar a revelação de Deus (Dt 34: 10-11). "Vê", disse o Senhor a Moisés, "que te constituí como deus sobre o Faraó ... Tu falarás tudo o que te ordenar" (Êx 7: 1-2). Assim, por quarenta anos, Moisés falou a palavra de Deus e deu as leis de Deus ao povo.
Mas agora Paulo tem a ousadia de comparar-se a Moisés. Assim como Janes e Jambres se opuseram a Moisés, assim também os falsos mestres da Ásia vinham se opondo à verdade. A que verdade? Ora, à verdade ensinada por Paulo e confiada por Paulo a Timóteo (1: 14), a fé apostólica, o sagrado depósito, que Timóteo deveria guardar e transmitir. Dessa maneira o apóstolo Paulo, naturalmente e sem qualquer aparente hesitação, coloca-se no nível de Moisés, na situação de alguém que também ensinava a verdade divina. Moisés ensinou a lei; Paulo pregava o evangelho. Em ambos os casos, no ensino do profeta Moisés e na pregação do apóstolo Paulo, a verdade de Deus é que estava sofrendo oposição e rejeição por parte dos homens.
Por isso Paulo os rejeita por serem homens "corrompidos na mente", a despeito da pretensão gnõsis (conhecimento) desses homens, e da sua condição de "réprobos" (adokimoi, "provado e achado em falta") quanto a fé. Além disso, Paulo está certo de que tais homens "não irão avante", mas sim "irão de mal a pior" (v.13). Esses falsos ensinos poderiam temporariamente espalhar-se, corroendo "como câncer" (2: 17). Mas tal sucesso seria limitado e passageiro. Como Paulo podia estar tão certo disso? Porque "a sua insensatez será a todos evidente, como também aconteceu (egeneto, no tempo aoristo) com a daqueles" (Janes e Jambres).

Tu, Porém – John R. W. Stott – ABU Editora

Verdade Aplicada

A obediência a Deus e às autoridades constituídas, é a mais infalível evidência do sincero e supremo amor a Ele.

Objetivos da Lição

Mostrar que, para exercer liderança, o obreiro precisa ser forte e corajoso para não ser vencido pelos murmuradores;
Ressaltar que obedecer é melhor que sacrificar;
Deixar claro que os líderes precisam de apoio, estímulo e amizade dos liderados.

Glossário

Resistir: oferecer resistência, teimar, não aceitar, não ceder; opor-se, confrontar duramente;
Afronta: ofensa, desprezo ou injúria que se lança em rosto em confronto e desrespeito;
Consciência: faculdade de estabelecer julgamentos morais e justos dos atos realizados; senso de responsabilidade.

Leituras Complementares

Segunda I Pe 2:13-17            Terça I Tm 2:1-3       Quarta Tt 3:1
Quinta I Co 16:15 e 16         Sexta Cl 3:22 e 23      Sábado I Sm 24:6


Introdução

A autoridade eclesiástica visa ao benefício da igreja em sua organização e disciplina. Deus instituiu as lideranças pastorais para cuidar do Seu rebanho enquanto peregrinam fielmente aqui na terra. Orar por essas lideranças é dever do povo de Deus; apoiá-los é de total responsabilidade da igreja, enquanto eles estiverem no caminho do Senhor; ajudá-los é a nossa maneira carinhosa de dizer-lhes muito obrigado, e entendermos o quanto é fundamental para a divulgação e expansão do Reino de Deus.
Deixamos aqui um ponto a ser extremamente considerado: o texto acima diz: “...enquanto peregrinam fielmente...”, ou seja, enquanto estes forem de bom caráter e administrativamente, humanamente e doutrinariamente retos. Mas, e quando eles saírem destes trilhos, como fazer e o que fazer?A posição de ficar anos seguidos suportando isto em orações (claro, após tratar com o corpo ministerial e com o próprios ‘problemáticos’ diretamente, inclusive os aconselhando) não é algo saudável. Não estamos pregando ‘linha dura’ nem intolerâncias com os líderes, mas a ‘espera em Deus’ pode ser o início de conivência e covardias não detectadas.
            Reafirmamos que todos os componentes do MDA são membros integrantes de igrejas (instituições) devidamente registradas, tendo assim, pastores responsáveis sobre nós e sabendo a importância de sermos apascentados. Não somos rebeldes nem incitadores de rebeldias ou rebeliões, mas não somos cegos e nem novatos: aos líderes piedosos, obediência e apoio. Aos maus obreiros, amor, ajuda, aconselhamento e cobrança de mudanças. Em casos continuados, a participação aos superiores sobre sua conduta deve ser obrigatória. E se o mau obreiro for um dos fundadores ou presidentes do ministério (‘donos’), amigos íntimos destes ou seus filhos ou parentes? Temos visto que dificilmente haverá mudança, correções  ou penalizações. Só o E. Santo poderá lhe responder o que fazer.

Nota MDA: Faça um comparativo deste nosso comentário acima com cada um dos itens da lição e com os ministérios e lideranças que você conhece de perto, inclusive os seculares.


1. Quem Resiste À Autoridade Resiste À Ordenação de Deus

“E os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação” (Rm 13:1-7). A autoridade foi dada por Deus para ordenação, controle e respeito na sociedade como um todo. Toda instituição precisa ter liderança, porque evita que todos mandem, que a desordem se instale e a instituição vire bagunça.
Semelhante à Pobreza, a pirâmide de comando/poder/hierarquias sempre existirá neste Mundo(sistemas). O Comunismo e o Socialismo tentam remodelar as coisas numa suposta ‘igualdade’ a todos. O primeiro já demonstrou total fracasso e cansaço. O segundo ainda se debate e luta. Alguém lembra ou sequer ouviu falar do Esperanto? Pois é, podemos comparar pobreza e comandos quanto à necessidade de um para a existência do outro. Não há espaço para todos serem autônomos, ou todos fazerem suas próprias regras, como não é possível todos serem os líderes/chefes. Logo, sempre irá existir líderes e liderados.
Não é fácil entender, mas nem todos conseguiriam gerir as riquezas da Terra, da mesma forma que muitos não ficam na penúria por muito tempo (não descartamos ou ignoramos as tiranias e nem os corações miseráveis como agravantes). Há sérios estudos que provam que se possível fosse dividir igualmente todos os bens e riquezas existentes, em pouco tempo a maioria voltaria ao estado anterior, uns por garra, competência e trabalho, outros por esbanjamentos, luxos e falta de trato financeiro. Resumindo: igualdade social aqui não existirá plenamente como também sempre irão existir autoridades.


1.1 A Insubmissão é uma Afronta

Jesus, em certo número de ocasiões, falava palavras como este pequeno dito (Mt 10:40; Jô 13:20). Lucas evidentemente o coloca aqui porque é apropriado de modo geral e não para indicar que foi falado necessariamente nesta ocasião. Enfatiza a importância dos mensageiros que Jesus enviou. Quando ele autoriza um homem a falar, esse homem fala com autoridade. Aquele que o ouve, ouve a Jesus, e aquele que o rejeita, rejeita seu Senhor. Isto coloca uma grande responsabilidade sobre todos os que ouvem a mensagem. Mas não para ali. O homem que rejeita a Jesus rejeita também, e com o mesmo ato, aquele que o enviou. Sua mensagem deve ser tomada com plena seriedade.

Lucas – Introdução e comentário –Leon L. Morris – Ed. Vida Nova

O “Passar por cima de uma autoridade” tem vários aspectos a serem avaliados cautelosamente: um dos mais críticos talvez seja quando a lentidão ou descaso implicam em riscos de morte, doenças ou desagregações nos grupos ou equipes. A criação de ongs, centros de recuperação de dependentes químicos e tantas outras instituições é ‘tomar a frente’ sim! Enquanto os dirigentes nada fazem, ficaremos vendo pessoas sofrerem? Depor titulares nem sempre é ‘covardia’. Covardia mesmo é ficar parado vendo líderes insanos, inconseqüentes e até afastados de Deus teimar em não ‘sair do trono’. Primeiro tenta-se o diálogo, depois se vai aos superiores destes líderes. Se por um lado há de se evitar rebeliões e disputas internas, por outro lado aqueles que são líderes não devem fomentar um corporativismo em favor da permanência de comandos prejudiciais. Tolerar má administração não é ‘confiar no Senhor’ e nem ‘obedecer’. É ser tolo, cego e fraudador da Obra de Deus!
A autoridade de quem perde a submissão não prevalece. Se você é insubmisso, a sua autoridade vai falhar. A verdadeira autoridade é mostrada na submissão. Se as regras ditadas são fracas, insuficientes ou radicais, discutem-se tais regras e não se praticam insubordinação.


1.2 A Rebelião é uma Maldição

O Apóstolo Paulo começa dizendo que nós devemos ser submisso às autoridades, entendendo que foi Deus quem estabeleceu esta ordem no universo. Este é um universo com ordem, é um universo que conhece o significado do termo autoridade. Mas também, o apóstolo Paulo deixa claro que as autoridades precisam ser submissas, porque elas são ministros de Deus para o bem. Isto significa que as autoridades estão submissas a Deus, e ao padrão que Deus tem de bem e de mal. É sempre bom lembrar que, num regime democrático como o que nós vivemos, a autoridade máxima é o povo, e todos os poderes constituídos governam em nome do povo, e que o apóstolo está deixando bastante claro que o papel da autoridade é representar a justiça divina, combater o mal e exaltar o bem. Fica aqui, obviamente, nesta colocação do apóstolo Paulo um princípio bastante claro: o princípio da submissão, tanto das pessoas às autoridades quanto das autoridades a Deus — e este princípio da submissão traz à tona outro princípio que é o princípio da aferição: assim como as pessoas precisam ser aferidas na sua submissão às autoridades, as autoridades precisam ser aferidas na sua submissão a Deus.

A Epístola aos Romanos: Uma carta para hoje – Ariovaldo Ramos

Sujeitar-vos a toda instituição ... ao rei ... como governo. Um cristão é respeitador da lei, meticuloso e autodisciplinado. Esta doutrina compara-se a de Paulo em Rm. 13:1-7 e Tt. 3:1, 2. Ela não deve ser entendida, naturalmente, como aquiescência forçada com o mal. As palavras do próprio Pedro ao Sinédrio foram estas: "Julgai vós se é justo, diante de Deus, ouvir-vos antes a vós do que a Deus" (Atos 4:19).
Pela prática do bem, façais emudecer a ignorância dos insensatos. Plínio, no seu relatório a Trajano sobre os cristãos do Ponto e Bitínia, duas das províncias mencionadas em 1:1, fala dos "crimes aliados ao nome" dos cristãos. Embora acontecesse em uma época consideravelmente posterior (112 A.D. mais ou menos), é uma ilustração da maneira ignorante e injusta pela qual as pessoas de um grupo podem ser consideradas criminosas. A resposta de uma vida digna seria a melhor das respostas.
Honrai . . . Amai . . . Temei. Aqui está o auto-sacrifício e o desejo de conceder a cada um aquilo que merece. A palavra honrai está ligada à palavra "precioso" e sugere a alta estima do cristão pela personalidade humana. A palavra amai indica o ágape divinamente concedido de I Co. 13. Este é o amor com o qual Cristo duas vezes desafiou Pedro em Jo. 21:15,16, um desafio do qual o honesto Pedro desviou-se com a resposta, "Eu te amo" (gr. philo, "amar humanamente").

Comentário Bíblico Moody

O que acontece com os obreiros que imitam a Cora?

Caso não se arrependam, sofrerão as duras penas do juízo divino. Vemos que a Bíblia ensina por diversas vezes que devemos ser submissos aos nossos líderes (Hb 13.7,17; 1 Pe 5.5), e com toda certeza este é o desejo de Deus para que seja mantida a ordem e a decência em sua casa. Devemos saber que Deus tem o tempo certo para destrinchar a chamada na vida do homem e da mulher, e não precisamos utilizar-nos de meios e atalhos, pois a Bíblia diz que deve ser "nem por força nem por violência, mas pelo Espírito".

?

Rebelar-se contra a autoridade representativa de Deus ou resistir a ela é resistir ao próprio Deus (Lc 10:16; Rm 13:2). Quem ofende uma autoridade delegada por Deus não ficará impune (I Sm 26:9). Quando as pessoas não aceitam a autoridade, menosprezam qualquer governo (II Pe 2:10). Corá, Datã, Abirão e os 250 líderes se rebelaram contra Moisés. Qual foi o resultado? A terra abriu sua boca e os engoliu vivos na frente de toda a congregação (Nm 16:30-33). Cuidado! Não corra risco e não brinque com este tipo de maldição.
Quem resiste à autoridade constituída por Deus sofrerá condenação (Rm 13:2). Sujeitai-vos, pois, a toda autoridade humana (I Pe 2:13-17). Jogar pedra nos líderes é fácil difícil é receber pedrada quando você se tornar um deles. Excitar o povo contra, a igreja, o pastor, a convenção e os líderes superiores mostra caráter distorcido por falta de conversão autêntica a Cristo.


1.3 A Insensatez dos Resistentes será Manifesta a Todos

Quando os filhos são desobedientes com seus pais, isto faz com que os tempos sejam perigosos. Os homens são ímpios e sem temor de Deus porque são ingratos ante as misericórdias de Deus. Abusamos das dádivas de Deus se as fazemos alimento e combustível de nossas concupiscências. Os tempos também são perigosos quando os pais carecem de afeto natural por seus filhos. Quando os homens não comandam seus próprios espíritos, somente desprezam o bom e o honroso. Deus tem de ser amado por acima de tudo, mas a mente carnal, cheia de inimizade contra Ele, prefere qualquer coisa antes que Ele, especialmente o prazer carnal. Uma forma de piedade é muito diferente do poder; os cristãos devem afastar-se dos que são achados hipócritas. Tais pessoas tem sido encontradas dentro da igreja externa, em todo lugar e em todas as épocas.
Sempre existiram homens espertos que, com pretensões e bajulações, se infiltram no favor e na confiança dos que são demasiado crédulos, ignorantes e fantasiosos. Todos devemos estar sempre aprendendo a conhecer o Senhor, mas estes seguem qualquer noção nova, e nunca buscam a verdade como é em Jesus. Como os magos egípcios, estes eram homens de mentes corrompidas, com prejuízos contra a verdade, e carentes de fé. porém, apesar de que o espírito do erro possa estar livre por um tempo, Satanás não pode enganar as nações e igrejas além do que Deus permita.

Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso – Matthew Henry – CPAD

O comentário da revista fala sobre descoberta de falhas nos líderes e cita a murmuração, que não é uma ajuda. Em vez de comentarmos (falar mal, na verdade) suas falhas uns com os ouros, que tal falarmos direto com o líder que está tropeçando? Por mais errado que ele esteja, temos a obrigação de tentarmos ajuda-lo antes de qualquer outro tipo de atitude, salvo exceções de caráter criminoso, fraudulento e outros tão ou mais escandalosos.
As facções são como facas afiadas nas gargantas das autoridades (parte divergente ou dissidente de um grupo que não aceita a liderança). Os conluios normalmente têm o dedo de satanás (maquinam e conspiram para derrubar alguém que Deus levantou). Não espere receber algo de Deus se você planta resistência e não respeita os seus superiores.


2. Obedecei a Vossos Pastores e Sujeitai-vos a Eles

Obedecer aos pastores é mandamento bíblico e isso não deve ser contestado*, porque eles velam pelas almas como aqueles que hão de dar conta delas (Hb 13:17). As lideranças eclesiásticas são autoridades espirituais dadas por Deus, não as despreze, não as enfrente. No entanto, isso não quer dizer que a liderança em forma de ditadura é ensinada nas Escrituras como padrão a ser seguido (III Jo 9 e 10), mas a deferência pelas autoridades, pela ordem e disciplina na igreja de Cristo são amplamente ensinadas no Novo Testamento.

O apóstolo havia introduzido suas instruções sobre a conduta correta na igreja, recordando primeiramente os dirigentes (em grego, hegoúmenoi) que já partiram. Foram eles os irmãos que guiaram a igreja com responsabilidade, aos quais a pregação da palavra de Deus havia sido confiada de maneira especial. Agora o apóstolo fala da responsabilidade da igreja diante dos homens dirigentes ainda vivos da igreja. Obedecei aos vossos guias e sede submissos para com eles; pois velam por vossa alma, como quem deve prestar contas, para que façam isto com alegria e não gemendo; porque isto não aproveita a vós outros. Deus conferiu à sua igreja leis de vida espiritual, as quais temos de observar. Faz parte delas que o Senhor chama para si, dentre a sua igreja, pessoas às quais ele impõe uma medida especial de responsabilidade e às quais ele pode confiar a condução de sua igreja. Ser líder e pastor significa ser exemplo na fé (v. 7) e pregador da palavra de Deus. No entanto, inclui também a necessidade de que um dia este guia terá de prestar contas perante Deus pelas pessoas que lhe foram confiadas. Neste sentido, Tiago nos adverte: “Meus irmãos, não vos torneis, muitos de vós, mestres, sabendo que havemos de receber maior juízo” (Tg 3.1). Contudo, não há na igreja responsabilidade maior para o indivíduo se a respectiva pessoa não receber uma proporção mais intensa de autoridade. Por isto, os dirigentes podem reivindicar a obediência dos membros da igreja. A boa ordem e subordinação fraterna não somente têm efeitos benéficos na situação atual da igreja, mas significam uma bênção eterna para todos os participantes.

Comentário Bíblico Esperança NT

Respeito para com os nossos guias (17)

a. Aqui (diferente do versículo 7), os guias estão vivos
b. Na igreja hoje (depois do período apostólico), os guias designados por Deus numa igreja local são os persbíteros/bispos/pastores (cf. At 20:28; 1 Tm 3:5; 5:17). Há perigo quando outros usam este versículo para exigir a obediência dos irmãos
c. Obedecer (a palavra usada aqui) significa “ser persuadido” ou “deixar persuadir”
i. Mesmo no caso de presbíteros que nos guiam, não devemos seguir cegamente (cf. At 5:29)
ii. Pastores são mestres (cf. Ef 4:11), e devem guiar as ovelhas pelo ensinamento da palavra e pelo bom exemplo
iii. Pastores não devem ser dominadores (cf. 1 Pe 5:3)

Jesus é Superior:  Um estudo do Livro de Hebreus – Dennis Allan – www.estudosdabiblia.net

* Nota MDA: O contestar refere-se exclusivamente ao mandamento, nunca às atitudes, caráter e falta de prudência, imaturidade e atitudes temerosas, levianas ou conhecidamente repetitivas com frutos maus ou que prejudiquem ou venham a denegrir a igreja. Também isto não abona as pessoas conhecidamente causadoras de contendas e polemicistas; algumas são até baderneiras, desagregadoras e sabidamente instáveis ou desequilibradas, crendo serem ‘justas’ e ‘preto-no-branco’ e etc.


2.1. A Obediência é Uma Semeadura

Atitudes de boa semeadura entre líderes e liderados:

- obedecer aos seus superiores, para ser obedecido quando estiver liderando
- não permitir o surgimento de motineiros
- olhar para o exemplo servil do Senhor Jesus, imitando-o
- não é boa atitude cobrar obediência nem para si nem para terceiros: usemos uma vida de exemplos  e advertências pacíficas por meio da Palavra de Deus
Jesus nos ensina através do Seu exemplo que mesmo sendo em forma de Deus não teve por usurpação ser igual ao Pai, mas a Si mesmo Se esvaziou tomando a forma de servo, fazendo-Se semelhante aos homens. E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz. A semeadura lhe rendeu a exaltação e um Nome superior; a ele todos têm de se dobrar (Fp 2.5-11).

2.2. A Obediência por Causa da Consciência

- Não se força alguém a obedecer
- A obediência deverá ser por livre e espontânea vontade e sem pressão por causa da consciência
- A obediência forçada não produz resultado satisfatório
- Devemos obedecer às autoridades voluntária e conscientemente
- Respeitar as leis que nos regem (enquanto não forem contrárias à Bíblia e nem à Vida)
- A obediência voluntária se verifica na ausência do superior e quando não há “espias”, câmeras e nenhum outro tipo de monitoramento delator.
Muitas ovelhas agem como bodes (Jo 10:26), pois além de não obedecer, ainda querem mandar nos pastores e tomar seus cajados. Mas em Jo 10:4 e 5 e 27 está escrito: “As ovelhas o seguem” e não “o pastor as segue”. O pastor vai à frente e as ovelhas têm a obrigação de obedecer à risca a direção dada. O verbo “seguir” tem o sentido de um discípulo estar no mesmo caminho acompanhando a orientação de seu mestre. Deus julga entre ovelhas e bodes (Êx 34:17-24; Mt 25:31 – 34:41).

2.3. Obedecer é Melhor que Sacrificar

Notemos que se olharmos mais para a palavra sacrifício, veremos que ela nos conduz a outros sentidos. Por exemplo: abdicar de realizar desejos, pensamentos, gostos e etc., é renunciar. Logo, é um sacrifício pessoal. Quando seguimos a Vontade de Deus, estamos nos sacrificando. Então, ao obedecermos amorosamente, estaremos sacrificando, num outro aspecto de significados. Queremos dizer que quem sacrifica sem obedecer, erra e não agrada a Deus. Já quem obedece, acerta, agrada a Deus e sacrifica a si mesmo quanto a suas vontades.
Não adianta ser o máximo, trabalhar como ninguém, fazer tudo da melhor maneira possível; se não obedecer aos pastores, tudo, se torna nulo, porque o sacrificar sem obedecer não estimula o prazer do Senhor. É melhor fazer pouco em submissão do que muito em desobediência.



3. Reconheçam Os que Presidem Sobre Vós no Senhor

“Agora vos rogamos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós, e que presidem sobre vós no Senhor, e vos admoestam. Tratai-os com grande estima e amor, por causa da sua obra. Tende paz entre vós” (I Ts 5:12 e 13). Por que as ovelhas devem estimar seus pastores? Por causa do seu trabalho! Os líderes precisam de apoio, estímulo e amizade dos liderados; carecem, também, de reconhecimento pelo que fazem, pelas noites mal dormidas, lágrimas derramadas e as preocupações com o rebanho. Muitas vezes são incompreendidos por uns e rejeitados por outros. Você que têm o Espírito de Deus em sua vida abençoe seu pastor, ele é seu líder espiritual.


3.1 Tratai-os com Grande Estima e Amor

Agora, a questão prática é: Como posso honrar o meu líder?

1- Em primeiro lugar, submeta-se a ele.

Não há maior honra do que esta. Jesus um dia disse: (Lc 6:46) "Porque me chamais Senhor, Senhor e não fazeis o que vos mando?"
Creio que isso resume bem a expectativa de um líder. De que adiantam os discursos e as honrarias exteriores se não provêm de um coração fiel e submisso? Se para Deus "é melhor o obedecer do que o sacrificar" (I Sm 11:22), para os seus escolhidos também. Para mim, pelo menos, não há melhor presente que a fidelidade.

2- A segunda forma prática de honrar seu líder é ser seu escudeiro, defendê-lo, falar bem dele, ressaltar suas virtudes, relegar suas deficiências.

O líder é sempre um alvo do inferno e da maledicência daqueles que tem o coração tomado de inveja ou de rebelião.

- Perceba que as pessoas carnais estão sempre fazendo comentários críticos sobre as autoridades. É uma obra da carne. Deus se enoja disso e compra a briga para si. Quando, por exemplo, Mirian e Arão resolveram falar mal de Moisés, o Senhor inteferiu duramente: "meu servo Moisés, que é fiel em toda a minha casa... como, pois, não temestes falar contra o meu servo, contra Moisés? E a ira do SENHOR contra eles se acendeu; e retirou-se" (Nm 12:7-9). Ora se Deus age assim contra alguém que fala mal de um guia espiritual, como Ele não agirá com aquele que constantemente abre a sua boca para bendizer e raspaldar? Se quer o favor de Deus, aprenda esta lição.

3- A terceira forma de honrar um líder é abençoá-lo com as coisas materiais.

Paulo questionou seus discípulos com as seguintes palavras: (I Co 9:11). "Se nós vos semeamos as coisas espirituais, será muito recolhermos de vós bens materiais?" Muitas gente ainda não ganhou esta visão, mas ela é bíblica. Presentear, ofertar, semear financeiramente na vida de um guia espiritual é algo que, segundo o mesmo ensino apostólico, "redunda em muitas graças a Deus" (I Co 9:12). Talvez tenha sido este uns dos segredos dos valentes de Davi, que saíram da carverna da revolta para a honra do governo. Entre muitas outras virtudes, eles sabiam manisfestar o valor que davam ao seu líder e pastor. Uma prova cabal disso foi o fato de três deles terem arriscado suas vidas simplesmente para buscar no meio do arraial dos inimigos uma vasilha de água pela qual Davi suspirara (leia a história em I Cr 11:16-19). E, embora Davi soubesse os limites da honra que deveria receber e tenha derramado a água como oferta ao Senhor, a atitude daqueles homens foi tão espiritual que mereceu ser contada entre seus grandes feitos.

CONCLUSÃO:Que também na sua vida a honra aos líderes seja uma postura que vá muito além do "Dia do Discipulador".

                Você Honra Ao Seu Líder? -  http://igrejas.noivadecristo.com.br


3.2 Tende Paz entre Vós

Viver em paz com os líderes é uma necessidade, mesmo que Deus já o tenha rejeitado. Davi nos dá uma grande lição. O reinado de Saul já estava decadente, Deus já havia rejeitado Saul, Davi já era escolhido e ungido por Deus, mas não enfrentou o rei, suportou, não criou confusão, esperou o tempo passar para não tomar decisão precipitada. Viver em paz é esperar Deus agir. Quem toca nos ungidos do Senhor será castigado (lCr 16.22). Não se devem devorar uns aos outros (Gl 5:15), mas amar cordialmente uns aos outros com amor fraternal preferindo em honra uns aos outros (Rm 12:9 e 10; I Co 10:24; Fp 2:1-8); com toda humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz (Ef 4:1-3).
Ser insubordinado, contender e brigar com as autoridades nunca rendeu nada positivo para ninguém; ao contrário, só rende desgaste. Tudo que estiver ao seu alcance para fazer faça-o sem discussão; não crie contenda (Fp 2:3), nem murmuração (Fp 2:14). Enquanto depender de vós tende paz também com os líderes (Rm 12:18). Suporte e perdoe as falhas uns dos outros (Cl 3:13). Quem perdoa também erra!


3.3 As Más Autoridades Terão que Prestar Contas da Sua Administração a Deus

Se o pastor não der ouvidos e não quiser ser desafiado sobre as coisas e se ele requer “lealdade inquestionável”, eu sugeriria fortemente que você deixe a igreja. Esse homem é um Diotrefes e ficar nessa igreja vai estropiar sua vida spiritual e torná-lo algo como um membro de culto (No site Modo de Vida, leia os artigos “Lealdade Inquestionável à Liderança Pastoral, a Marca de um Culto” e “Outra Advertência sobre a Lealdade Inquestionável”).
Se, por outro lado, você tem um pastor piedoso, humilde, qualificado pelos padrões de Deus e aberto a desafios do seu povo, seja paciente com ele. Você deve sempre se lembrar de que você não é o pastor. Ele, não você, tem que suportar a carga do ministério e posso garantir-lhe que talvez não haja um trabalho mais difícil no mundo do que liderar uma igreja e lidar com GENTE! Ele, não você, tem o chamado de Deus para tomar as decisões mais importantes sobre o ministério da igreja.
Eu o advirto para sempre dar aos pastores o benefício da dúvida. Nem todas as questões que surgem na igreja são preto no branco como podemos pensar. Deus dá sabedoria aos pastores. Eles sabem e entendem o quadro geral de modo diferente do seu. Ao mesmo tempo, pastores são somente pecadores salvos (espero) pela Graça. Eles estão aprendendo e crescendo como o resto do povo de Deus. Deus nos permite cometermos erros para nos ensinar lições; não daríamos nós a mesma liberdade aos pastores enquanto sábios? Não me refiro aqui a ao erro bíblico claro e heresia ou o tipo de pecado que requeira disciplina da igreja. Falo sobre coisas como permitir música que você pense estar no limite e talvez ser muito paciente com novos convertidos sobre limpar suas vidas e não lidar com questões que penso que ele deveria e trazer pregadores de que não gosto e ter ou não ter um ministério jovem e designar trabalhos a pessoas que não penso que deveriam receber este trabalho e não ter o programa de ganhar almas exatamente como penso que devesse ser e fazer coisas no Natal que eu desejaria que a igreja não fizesse e não fazer o que eu acho que deveria ser feito e não enfatizar o bastante sobre a Bíblia King James e talvez dando um valor “melhor ou diferente” para ela, etc.
Uma qualificação para o pastor é que ele não seja auto-direcionado (Tito 1:7). Isto significa que ele deve reger sua igreja pela vontade de Deus e não por sua própria vontade, pela Palavra de Deus e não pelo seu próprio pensamento. O homem dirigido por sua própria vontade quer dirigir outras pessoas e controla-las. É uma questão de atitude de coração. É uma questão de orgulho e falta de compaixão e paciência divina.

                Eu Não sou Seu Pastor! - http://solascriptura-tt.org

A administração fraca, frouxa, leviana ou fraudulenta é feita por líderes desqualificados, não compromissados com o Reino de Deus, não chamados pelo Senhor, mas convidados ou oferecidos, que já foram rejeitados, que já perderam os seus cajados. Usar a nossa própria força ou querer resolver os problemas, corrigir os defeitos fora da nossa alçada usando as nossas mãos ou a nossa justiça, só complicará a nossa situação diante de Deus. Lembra-se do bom exemplo de Davi em relação a Saul.



Conclusão

Quem não concorda e briga, discute, desafia, murmura, fala mal dos superiores do próprio ministério deveria procurar um lugar onde servisse a Deus com alegria, não é bom adorar a Deus descontente. Precisamos tirar todos os impedimentos de ir para o céu, porque ficar do jeito que está é duvidoso. Os que não concordam com nada devem mostrar dignidade, ser coerentes e entregar as chaves.


Fontes:

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/NTLH/NVI
Pontos Salientes da Nossa Fé (revista) – Editora Betel – 2º Trimestre 2013 – Lição 05
Tu, Porém – John R. W. Stott – ABU Editora
Lucas – Introdução e comentário – Leon L. Morris – Ed. Vida Nova
Comentário Bíblico Esperança NT
Jesus é Superior:  Um estudo do Livro de Hebreus – Dennis Allan – www.estudosdabiblia.net
Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso – Matthew Henry – CPAD
Comentário Bíblico Moody
A Epístola aos Romanos: Uma carta para hoje – Ariovaldo Ramos (link)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho