domingo, 9 de junho de 2013

EBD Editora Betel - A Bênção da Boa e Soberana Vontade de Deus






Assembleia de Deus CONAMAD
Lição 11 – 16 de Junho de 2013
Revistaebd Revista escola bíblica dominical editora betel conamad Passagem bíblica trecho bíblico bíblia como estudar teologia bíblia escola dominical escola dominical betel escola biblica betel escola bíblica betel escola dominical conamad auxilio professor ajuda professor subsídio professor auxílio professor subsidio comentario ebd comentário bíblico ebd professor mestre comentário biblico escola dominical comentario biblico escola bíblica comentario bíblico pregação pregador palestra estudo bíblico bíblico

Texto Áureo

“E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita Vontade de Deus”. Rm 12:2

Em vista de tudo quanto Deus fez por Seu povo em Cristo, como Seu povo deve viver? Deve apresentar-se a Deus como "sacrifício vivo", consagrado a Ele. Os sacrifícios de animais, oferecidos numa época anterior, tornaram-se obsoletos graças à oferta que Cristo fez de Si mesmo. Mas sempre há lugar para o serviço divino prestado por corações obedientes. Em vez de viverem pelos padrões de um mundo em desacordo com Deus, os crentes são exortados a deixar que a renovação das suas mentes, pelo poder do Espírito, transforme as suas vidas harmonizando-as com a vontade de Deus.
A Bíblia nunca ensina uma doutrina para torná-la simplesmente conhecida. Mas ela é ensinada para que seja transferida para a prática. "Se sabeis estas cousas, bem-aventurados sois se as praticardes" (Jo 13:17). Daí, Paulo repetidamente apresenta uma exposição doutrinária, após uma exortação ética, interligando ambas, como aqui, pela conjiin-ção "pois" ou equivalente (ver Ef 4:1; Cl 3:5).
Além disso, é digno de nota que as admoestações éticas desta e doutras epístolas do Novo Testamento, quer sejam ou não de Paulo, têm forte semelhança com o ensino ético de Cristo registrado nos evangelhos. Na verdade, elas se baseiam na "lei de Cristo", como lhe chama Paulo (Gl 6:2; ver 1 Co9:21).
De maneira particular, pode-se traçar uma impressionante lista de paralelos entre 12:3-13:14 e o Sermão do Monte. Embora não existisse nesse tempo nenhum dos nossos evangelhos canônicos, o ensino de Cristo registrado neles era corrente nas igrejas — certamente em forma oral, e talvez também na forma de sumários escritos.
Transformai-vos. O verbo grego é metamorphoõ, traduzido por "transfigurar-se" nas narrativas da transfiguração em Mateus 17:2; Marcos 9:2. O único outro lugar onde aparece no Novo Testamento é 2 Coríntios 3:18, referindo-se aos crentes "transformados" na imagem do Filho "de glória em glória" (ou "de um grau de glória a outro", RSV) pela operação do "Senhor, o Espírito" — passagem que é útil comentário a este.

Romanos, Introdução e comentário – F.F. Bruce – Ed. Vida Nova

Verdade Aplicada

Fazer a Vontade de Deus é a mais sábia decisão que podemos tomar.

Objetivos da Lição

Aceitar que Deus tem um plano para os seus filhos;
Discernir a Vontade de Deus em cada área específica da vida;
Sujeitar-se à Vontade de Deus como a melhor opção.

Glossário

Sistematizado: que se processa segundo um método ou ordenação; metódico, organizado;
Progressivamente: que atravessa sucessivamente cada etapa de um processo em que há aumento, crescimento;
Alienados: que ou aquele que sofre de alienação mental; louco, maluco, doido.


Introdução

O nosso valor diante de Deus, tem maior compreensão, a partir do estudo sistematizado das Escrituras Sagradas. Percebemos o quanto somos importantes para o Senhor. E nesse sentido, é que descobrimos que Ele tem um plano especial para cada um dos seus filhos. Ao navegar pelas águas da Bíblia, encontramos o quanto a palavra “melhor” é uma das preferidas de Deus. Surge a pergunta: por que Ele insiste tanto nesta palavra? Cremos que é para nos revelar o quanto Ele deseja o melhor para o seu povo. E, se muitas vezes nos encontramos na pior, não é porque seja da responsabilidade de Deus, mas única e exclusivamente da nossa.

Se seu coração é sincero na busca pelo melhor de Deus, se você não deseja ser estúpido ou teimoso, se você for sensível à gentil disposição do Espírito Santo, você encontrará o melhor das bênçãos de Deus. Esta não é uma promessa vazia, é uma assertiva profética direta para seu espírito.
O coração paterno de Deus mandou seu único Filho para reaver legalmente sua herança legítima. O Espírito Santo pode agora agir como executivo de Deus falando em seu nome. Ele assumirá sua causa e o colocará com toda a sua herança. Por ser filho de Deus, você tem o direito legal de reclamar seu amor mais que qualquer outro tipo de causa que você possa apresentar num tribunal terreno. O testamento está selado no sangue de Jesus. Satanás é incapaz de contestá-lo. Ele apenas pode fazer que você duvide dele.
Não se contente em conhecer a doutrina. A doutrina é somente um meio pelo qual o Espírito Santo pode levar você à realidade do conhecimento de Deus. Todo o céu já prometeu que você virá a conhecer a boa, perfeita e agradável vontade de Deus em sua vida. Se você apresentar seu corpo como sacrifício vivo e ficar firmes diante de todas as pressões que buscam apertá-lo em seu molde, se você permitir à Palavra de Deus re-programar todos os seus padrões de pensamento, você não falhará em encontrar o melhor de Deus.
Deus terá a maior glória de sua humanidade - o que é bom. Outros terão o maior beneficio à medida que você achar seu destino nele - o que é aceitável. Finalmente, você mesmo encontrará o máximo de realização - que é perfeito. ( Romanos 12:1-2).
Sem o amor de Deus; sem a obra de Seu Filho; sem a obra do Espírito Santo, você nunca encontrará o melhor de Deus mesmo se vivesse 10.000 anos. Com a ajuda deles, com certeza encontrará.
A graça maravilhosa de Deus já alcançou sua vida insignificante, destruiu seu senso de perdição na vastidão de Seu amor. Você já nasceu de semente incorruptível da Palavra de Deus e Ele aperfeiçoará o que te diz respeito. O governo de sua vida está sob Seus ombros. Todas as coisas, boas ou ruins serão apenas boas, pois nelas Deus estará criando a imagem de Seu Filho Jesus em você (Romanos 8:29).
Deus já ouviu o clamor de seu coração para ter mais DELE. Ele já viu suas muitas buscas por Ele mesmo. Agora Ele moverá céus e terra para traze-lo até Seu MELHOR!

Você pode Ter o Melhor das Bênçãos de Deus – Eric C. Madisson (Trad. Rodnei Bortolozzo ) – http://www.dci.org.uk


1. O que é preciso para saber a Vontade de Deus?

Para saber a vontade de Deus, há, pelo menos, três movimentos importantes a serem dados. O primeiro é fundamental para que os outros aconteçam: é o novo nascimento, que acontece a partir de uma entrega real e irrestrita ao Senhor Jesus, reconhecendo-o como o único Senhor e Salvador de sua vida. O segundo é passar a ter compreensão espiritual, evidentemente fruto do primeiro movimento, sem novo nascimento não há percepção espiritual verdadeira. O terceiro e não menos importante, seria a obediência a Palavra de Deus.

Gostaria você de conhecer o futuro? Desejaria saber escolher acertadamente nas decisões com que se depara? Crê que Deus tem um plano para sua vida e sabe como descobrir o que inclui esse plano?
O mundo está cheio de pessoas que procuram conhecer o futuro, que andam cambaleando em busca de orientação. Os mapas astrológicos estão à venda em toda parte. Ainda proliferam os cartomantes e os quiromantes. Em todo lugar as pessoas querem saber o que ocorrerá em seguida e como preparar-se para isto.
Este impulso e curiosidade por desvendar o amanhã é parte integrante do ser humano.
Para o cristão, uma das perguntas que se faz com mais freqüência é como conhecer a vontade de Deus em sua vida. Às vezes nos sentimos frustrados pela aparente falta de orientação divina em nossos dias e em nossa era. Rememoramos os tempos bíblicos, quando vinham anjos e caminhavam com os homens ao meio-dia, quando os profetas estavam vivos e de boa saúde, e nos sobrevem o desejo de que tivéssemos o mesmo acesso ao conhecimento da vontade de Deus.
Por outro lado, o cristão imaturo freqüentemente lança mão de expedientes e de manobras de feitura humana, tais como atirar para o ar uma moeda ou tirar a sorte com papelinhos ou desenvolver alguma elaborada fórmula repetitiva para seguir, a fim de tornar conhecida a Sua vontade.

Como  Conhecer  a  Vontade  de  Deus – Morris Venden – Casa Publicadora Brasileira

1.1 Nascer de novo

Conceitos orientadores: renúncia; morte da vida anterior; pecador remido; faltas e falhas ocasionais; indignação com os erros pessoais

O crente agora torna-se uma nova criatura. Sobre nova, veja 3:6. Já passaram. O tempo é aoristo, e assim indica uma mudança definitiva que aconteceu por ocasião da regeneração. O mesmo verbo (parerkomai) foi usado com referência ao passar catastrófico do céu e da terra na última conflagração (Mt. 5:18; Lc. 21:32, 33; II Pe. 3:10). O tempo perfeito em eis que se fizeram novas dramatiza a mudança permanente introduzida pela regeneração.

Comentário Bíblico Moody AT/NT – Editora Batista Regular

O que significa nascer de nova? Não se trata de uma obra de auto-aperfeiçoamento que, de alguma forma, aplicamos a nós mesmos. Hoje em dia ouvimos falar multo em reciclagem, reconstrução, remodelação. Reformamos casas, acrescentando-lhes novas cômodos. Demolimos construções velhas para construirmos novas, e chamamos a isso renovação urbana. Milhões e milhões de dólares são gastos anualmente em centros de estética, institutos de beleza, e cosméticos exóticos – por pessoas que desejam remodelar o rosto ou renovar o corpo.
Da mesma forma, os homens experimentam, freneticamente, todos os tipos de mezinhas que aparecem, prometendo uma renovação interior. Alguns procuram isso num consultório psiquiátrico. Outros buscam essa renovação através de uma incursão pelas religiões orientais, ou em processos de meditação transcendental. Outros, ainda, procuram a paz interior e a renovação nas drogas e no álcool. Mas qualquer que seja o caminho experimentado, eventualmente, todos chegam a um beco sem saída". Por quê? Simplesmente porque o homem não pode renovar a si mesmo. Foi Deus quem nos criou e somente Deus pode recriar-nos. Somente Deus pode dar-nos novo nascimento que desejamos e de que precisamos tão desesperadamente.

Como Nascer de Novo – Billy Graham – Ed. Betânia

Ao reconhecermos que somos falhos, incompletos e afastados da Comunhão Divina já ao nascer (Sl 51:5), estamos devidamente nos voltando para o reconhecimento de outra questão: de que somos pecadores e precisamos do perdão de Deus, por meio do Salvador Jesus Cristo. Como saber se alcançaremos tal estado de pureza e mudança? Evidentemente, seguindo sua vontade, expressa na Bíblia. É o que veremos nos próximos tópicos.


1.2 Ter Compreensão Espiritual

Conceitos orientadores: submissão consciente e inteligente; O Plano Divino; Céu, Inferno e Julgamento

Deus nos tem revelado sabedoria verdadeira por seu Espírito. Esta é uma prova da autoridade divina das Sagradas Escrituras (2 Pe 1.21). veja-se como prova da divindade do Espírito Santo, que conhece todas as coisas e esquadrinha todas as coisas, ainda as coisas profundas de Deus. ninguém pode saber as coisas de Deus, senão seu Espírito Santo, que é um com o Pai e o Filho, e que dá a conhecer os mistérios divinos a sua Igreja. Este é um testemunho muito claro da verdadeira divindade e da personalidade do Espírito Santo.
Os apóstolos não foram guiados por princípios mundanos. Receberam do Espírito de Deus a revelação destas coisas, e do mesmo Espírito receberam sua impressão salvadora. Estas coisas são as que declararam com uma linguagem clara e simples, ensinada pelo Espírito Santo, totalmente diferente da afetada oratória ou palavras sedutoras da humana sabedoria. O homem natural, o homem sábio do mundo, não recebe as coisas do Espírito de Deus. a soberba do razoamento carnal é tão oposta à espiritualidade como a sensualidade mais baixa. A mente santa discerne as belezas verdadeiras da santidade, mas não perde o poder de distinguir e julgar as coisas comuns e naturais. O homem carnal é estranho  aos princípios, gozos e atos da vida divina. Somente o homem espiritual é uma pessoa a quem Deus dá o conhecimento de sua vontade. Quão pouco tem conhecido a mente de Deus pelo poder natural! O Espírito capacitou os apóstolos para dar a conhecer sua mente. A mente de Cristo e a mente de Deus em Cristo nos são dadas a conhecer plenamente nas Sagradas Escrituras. O grande privilégio dos cristãos é que têm a mente de Cristo, revelada a eles por seu Espírito. Eles experimentam seu poder santificador em seus corações e dão bom fruto em suas vidas.

Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso AT/NT – Matthew Henry –  CPAD

A Compreensão Espiritual envolve a Fé, a Obediência, a leitura e estudo da Palavra de Deus, experiências pessoais, conselhos dos mais velhos e vida consagrada em oração e jejum. Tenhamos em mente, porém, que ser batizado com o E. Santo, ter formação teológica ou secular, funções ou cargos eclesiásticos ou ter decorado vários versículos não livra ninguém de ter uma atitude carnal ou de ter conclusões precipitadas. Também é possível o treinamento, o exercício e avaliação de exemplos pessoais e de outras pessoas (personagens bíblicos e etc.) para servir como pontos direcionais.

Entendimento Espiritual (curso em áudio)

1.3 Obediência à Palavra de Deus

Conceitos orientadores: cumprir orientações bíblicas;  equilíbrio; prudência; Sensibilidade Espiritual;

Não sabeis. Os leitores conhecem o antigo sistema do escravismo. Que daquele a quem (cada vez) vos ofereceis como servos (escravos) para obediência, desse mesmo a quem obedeceis sois servos (escravos). O adendo “a quem obedeceis” confirma mais uma vez o que naquele tempo estava claro para todos: submissão faz parte da estrutura da instituição da escravidão. Todo o resto é teoria. Um escravo, sonhando acordado, podia esquecer por um momento esse elemento de sua constituição existencial, porém logo que abrisse os olhos, a realidade se impunha pesadamente. Também uma troca de proprietário, da qual o escravo talvez tenha esperado uma melhora de suas condições, jamais acabava com a sujeição de escravo.

Comentário Bíblico Esperança NT - Editora Evangélica Esperança

Obedecer e sacrificar. A Obediência a Deus não é algo de apenas cumprir as vontades e/ou ordens de aguém. Tão pouco se refere a ‘pagar’ o Dízimo, ir aos cultos, ganhar almas, afertar, orar e seguir ao pastor/regulamento interno. Antes mesmo de descobrirmos profundamente o que a Bíblia diz, possivelmente esteja mais relacionado a um “voto” favorável ao Criador: decide-se amorosamente moldar todo o viver de forma a cumprir com o plano feito para o Homem. Logo, isto envolve sacrifício pessoal e consciente.



2. Instrumentos confiáveis para saber a Vontade de Deus

Os indicadores seguros da vontade de Deus são muitos, mas alguns fundamentais não podem faltar na vida dos cristãos que desejam conhecer os conselhos de Deus.

Usa-se a expressão "a vontade de Deus" de modo tão impreciso, sendo as consequências dessa imprecisão sobre a nossa paz de espírito tão sérias, que gostaria de passar algum tempo refletin-do com você a respeito do assunto. Nada mais há que mereça tanta clareza de reflexão; no entanto, parece-me às vezes, que poucos assuntos geram tanta confusão.
Quando perdemos uma pessoas amada, dize­mos que foi "a vontade de Deus", embora as medi­das tomadas para impedir essa morte dificilmente seriam consideradas contrárias à vontade de Deus. Se as mesmas providências, no entanto, tivessem alcançado sucesso, teríamos dado graças a Deus, certos de que, na recuperação do doente, a vontade de Deus se havia concretizado. De modo semelhan­te, quando a tristeza, a doença e a calamidade reca­em sobre as pessoas, elas dizem, resignadas: "Seja feita a vontade de Deus". Dizem isto mesmo quan­do o ocorrido contraria essa vontade. Quando Jesus curou muitas pessoas na Palestina, alegrando-lhes a vida, estava cumprindo a vontade de Deus. Não a estava contrariando, tampouco anulando-a.

1.  Vontade intencional — seu plano ideal.
2.  Vontade circunstancial — seu plano conforme as circunstâncias.
3.  Vontade última — a realização final de seus pro­pósitos.

Algumas orientações sobre como tomar rumos e decisões conforme a vontade de Deus:

 l. Nenhuma vontade própria sobre o determinado assunto
2. Não se deixe levar simplesmente pelo sentimento
3. Estude a Palavra de Deus
4. Considere as circunstâncias providenciais
5. Consulte-se com amigos piedosos
6. Peça a Deus, em oração, que lhe revele Sua vontade
7. Tome uma decisão!
8. Prossiga com sua decisão
(Como  Conhecer  a  Vontade  de  Deus – Morris Venden – Casa Publicadora Brasileira)

2.1 A Poderosa Palavra de Deus

Conceitos orientadores: Estudos Bíblicos; prática devocional diária; auto-programação; visão panorâmica; regras de condutas

Há outra maneira de usar a mente e a sabedo­ria das pessoas. Agimos assim ao ler bons li­vros, sobretudo os históricos e os biográficos. Já fui grandemente consolado ao ler biografia de grandes homens. Poucos problemas existem em nossa vida que grandes pessoas já não tenham enfrentado antes de nós; e, quando lemos a Bí­blia, biblioteca de variados livros, embora escri­tos sob uma perspectiva ímpar — sob as três manifestações da vontade de Deus e sob os pro­pósitos de Deus —, talvez tenhamos acesso com maior clareza à orientação que Deus proporcio­na aos filhos que procuram discernir sua von­tade.

As Três Vontades de Deus – Leslie D. Weatherhead (seleções)

Estude a Palavra de Deus para ver o que está revelado que possa orientar na presente decisão. Deus sempre nos guia através da Sua Palavra, nunca contrário a ela. Veja Salmo 119:105. Pode não haver informação específica sobre sua decisão particular, embora haja freqüentemente princípios que se ajustam. Mas você pode sempre ir à Palavra em busca de comunicação.

Como  Conhecer  a  Vontade  de  Deus – Morris Venden – Casa Publicadora Brasileira

A Bíblia tem sido estudada de todas as formas possíveis, boas, depreciadoras, mercenárias e até mesmo como orientação para servir ao deus de Israel, o Deus Jeová. Há algumas formas básicas. Orientamos a que seja lido o NT todo e depois o AT. Após isto a leitura corrida(capa à capa) deveria fazer parte da vida de todos os cristãos, se possível uma vez ao ano. Após ter lido a Bíblia completa, aí sim partir para seu estudo: a Bíblia pela Bíblia.

1. Estudo Devocial da Bíblia (todos os dias: orar, ler e meditar)
2. Memorização de Trechos
3. Estudo Tópico da Bíblia (temas)
4. Estudo Biográfico (personagens)
5. Estudo de Livros (esbôços panorâmicos)
6. Estudo de Capítulos
7. Estudo de Palavras

Se fizermos estas leituras/estudos com aplicação piedosa e amorosa prática dos ensinos vistos, estaremos usando a melhor bússola, o melhor conselheiro e o melhor oráculo/profeta. Somente após estes estudos é que alguém deveria estudar Hermenêutica e Exegese.

OBS.: Orientamos a que sejam usadas as versões ARC, ARA e TB como base e as outras como auxiliares para entendimentos (NVI, NTLH, Viva e etc.; são bem mais fáceis de se entender, mas infelizmente possuem omissões e várias mudanças de sentido). É altamente recomendável o uso de um ou dois bons dicionários de Língua Portuguesa, um ou dois dicionários bíblicos, um bom manual bíblico e um atlas bíblico.


2.2 A vida constante de oração

Conceitos orientadores: o que é orar?; como, quando e quanto orar?; comunicação X comunhão; respostas; silêncio; demoras

Disciplina rigorosa

Quando fazemos da oração um hábito, permanecemos em sintonia com Deus e abertos para receber suas bênçãos. Como fazer da oração um hábito? Jesus ensinou alguns princípios. Antes de comentá-los, preciso fazer duas advertências.
A primeira é para aqueles que gostam de listas e fórmulas, para os que fazem anotações durante palestras, sublinham a leitura e já praticam um rigoroso regime espiritual. Não aumentem a lista de deveres espirituais. Vocês precisam de mais hábitos ou de hábitos mais eficientes? Você precisa se sobrecarregar ainda mais ou levar sua carga pesada para Jesus?
Receio que para um grande número de cristãos a disciplina espiritual se transforme em uma camisa de força recheada de exigências que sufoquem a vitalidade, a espontaneidade e a aventura da vida e da fé. Para estas pessoas, Cristo já não traz liberdade. A religião se torna um fardo pesado. A maioria das pessoas não consegue viver muito tempo desta maneira. Os poucos que conseguem, desenvolvem uma postura tão hipócrita que os demais ficam torcendo para que fracassem.
Gálatas 5.1 adverte os adoradores de listas: "Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão".

Uma decisão inegociável

Minha segunda advertência é para aqueles que caem no outro extremo, igualmente errado. Talvez alguém esteja pensando que não precisa de nenhuma estrutura ou de hábitos rígidos para fazer o coração crescer. É o tipo que "toca de ouvido". Segue o fluxo espiritual Deixa o barco correr e Deus operar do jeito que quiser para ver o que acontece.
Esta atitude é, na melhor das hipóteses, ingênua; na pior, auto-enganosa. Nós não podemos crescer sem estrutura, sem um objetivo em relação a nossa vida espiritual, do mesmo modo que não é possível perder peso, desenvolver tônus muscular ou aumentar o patrimônio se permanecemos sentados, esperando o que vai acontecer.
Se meu alvo é importante, tenho que me disciplinar para atingi-lo. Decido, com antecedência que o exercício para alcançar o alvo é inegociável, caso contrário, sem sombra de dúvida, eu desisto na última hora. Por exemplo, um de meus grandes objetivos é permanecer vivo e saudável. Sei que com minha herança genética, eu seria louco se não fizesse exercícios fielmente, todos os dias. Portanto, tomei uma decisão: vou correr e o tempo que separo para correr é inegociável.
Eu não espero para sair até sentir vontade. Vamos ser sinceros! Quantos dias da semana eu tenho vontade mesmo de correr? Hoje não. Preciso ficar mais um pouco no escritório. Meu biorritmo não está bom. Está um pouco frio. Vai chover. O sol está muito quente. Meu tênis está apertado. Meus joelhos doem. O sofá está convidativo. A lista é interminável.
Quando levamos a sério nosso propósito de aprender a orar, é hora de tomar uma decisão: quero aprender quais são as disciplinas necessárias para a minha vida de oração e vou praticá-las com regularidade, sem falhar.
Manter bons hábitos de oração é inegociável. Eu sei que a vontade, sem disciplina, por si mesma não gera um relacionamento entre mim e Deus. Ao mesmo tempo, reconheço que não desenvolverei uma vida de oração rica e recompensadora se tentar fazê-lo sem disciplina.

Ocupado Demais para Deixar de Orar – Bill Hybels

Por mais que acrescentássemos textos, pensamentos ou mesmo que orássemos ao seu lado, isto não faria você desfrutar da Oração e nem viver em oração. Decida-se, firme-me nesta meta e siga. E ore por nós!

Como Desenvolver uma Vida de Oração (parte 1) (parte 2)
Como Desenvolver uma Vida de Oração Eficaz (parte 1) (parte 2)

2.3 O Bom Senso e os sábios conselhos

Conceitos orientadores: ouvir conselhos; aconselhar; observação; cautela; ensino X experiência

1. A consciência pode ter origem humilde. Algu­mas pessoas acham que é uma espécie de sabe­doria de grupo, acumulada ao longo das eras, à medida que as pessoas iam descobrindo que certos comportamentos conduziam a um preci­pício, outros a um beco sem saída e outros cons­tituíam avenidas. Sei que pode-se dar muito desprezo a essa voz suave e modesta do interior do coração. Os seres humanos já praticaram o mal, supondo estarem seguindo os ditames da consciência. Essa voz é distorcida pelo nível es­piritual que a raça atingiu, e depende muito da sensibilidade da pessoa que a ela reage.
Até mesmo pessoas da mesma geração têm opiniões diferentes a esse respeito. Uma pessoa pratica algo relativamente mau sem sentir ne­nhuma alfinetada na consciência. Outra faz a mesma coisa e sente que um tormento lhe pene­tra a alma, um grande remorso, o qual talvez não se justifique tanto.
2. Há outro "sinal" de estrada a que damos o nome de "bom senso". "Orei pedindo orientação", dis­se um homem certa vez, "mas nada aconteceu. Não recebi resposta alguma às minhas orações. Então usei o bom senso". Mas, quem lhe deu o "bom senso", e por que foi-lhe dado? Se Deus colocou dentro da nossa mente um maquinismo que nos ajuda a tomar decisões, por que não o usaríamos? É certo que um entendimento baseado na apreciação bem ponderada da situação merece mais confiança do que impulsos. Mas não merece mais confiança que os desígnos de Deus. Ao mesmo tempo precisamos fazer uma advertência: às vezes a orientação da vontade de Deus é o oposto daquilo que o bom senso está determinando. Às vezes a vontade de Deus é o que o mundo chama "loucura".
3. Não vamos desprezar o valor do conselho de um amigo. Não me refiro ao conselho de um ministro do evangelho, nem o de um consultor profissional; refiro-me a compartilhar as dificul­dades com um amigo sábio que, pelo fato de poder ver a questão de outro ângulo, consegue enxergar os prós e os contras de modo imparcial, e que, por estar emocionalmente fora do proble­ma, muitas vezes nos pode prestar um conselho muito útil.
É claro que há problemas em que o melhor meio de Deus ajudar a pessoa é mediante um es­pecialista. Numa situação médica ou psicológica difícil, talvez não tenhamos sabedoria suficiente para trazer a melhor solução; o psicólogo fez dos problemas particularmente difíceis para nós seu campo de especialização. De novo pensemos no conselheiro como um instrumento nas mãos de Deus, como alternativa à nossa capacidade de avaliação.

As Três Vontades de Deus – Leslie D. Weatherhead (seleções)

Levando Outros à Maturidade

Uma segunda responsabilidade do discípulo é levar outros à maturidade. Paulo escreveu acerca deste tema na sua Epístola aos Colossenses (1:28, 29). Paulo era o instrumento do Espírito Santo, e reconheceu que Deus providencia o poder necessário e depois opera através de seres humanos dedicados para levar outras pessoas a um estado de maturidade espiritual.
Alguém sugeriu que há cinco maneiras mediante as quais estimulamos a maturidade nos outros: ao servir como exemplo de como deve ser o cristianismo maduro (1 Ts 2:8), ao provi­denciar oportunidades para um discípulo ter experiências prá­ticas em testemunhar e servir (Mc 6:7), ao avaliar as ações do discípulo durante seu período de treinamento (Mc 6:30), ao ensinar e dar informações (2 Tm 3:15-17), e ao confrontar honestamente os outros com as dificuldades do discipulado (Lc 14:25-33)." Estes cinco princípios podem ser usados na medida em que discipulamos aos outros, e também podem ser usados pelas pessoas que nos discipulam. É possível que estas também sejam algumas das maneiras mediante as quais Deus nos transforma no tipo de indivíduo que Ele quer que sejamos.

Ajudando Uns aos Outros pelo Aconselhamento – Gary R. Collins – Ed. Vida Nova

Os cinco itens acima nos parecem voltados somente para doutrinar ou formar obreiros (oficiais). Na verdade, todos os servos de Deus são missionários e obreiros no sentido mais firme, eficaz e incubido da coisa. No entanto, todos temos responsabilidade para com os novos-convertidos (discipulado). Se evangelizarmos, faremos seguidores de Cristo. Assim, não só estaremos trabalhando para o Senhor, como nos preparando para aconselhar (o texto acima chama de Maturidade). Tanto devemos buscar ajuda, conselhos e orientações, como devemos nos preparar para sermos estes aconselhadores e ajudadores.


3. Quais os resultados da Vontade de Deus?

Antes de comentar sobre os resultados da vontade de Deus, é preciso dizer que há uma distinção muito importante quando se trata de outro assunto: a vontade objetiva de Deus e a vontade permissiva de Deus. Há situações que Deus determina na vida dos cristãos, por Sua vontade objetiva. Valendo lembrar que sempre são coisas positivas e boas. No entanto há momentos na vida dos cristãos que não se constituem a vontade objetiva de Deus, mas a sua vontade permissiva, isto é, Ele não planejou que fosse desta forma, mas permite que o seja em favor de seus propósitos eternos e sábios.

Você gosta de ser favorecido? Beneficiado em situações ou por pessoas? Por exemplo: descobre que pode ser beneficiado com um auxílio do governo no passe, encontrar uma boa promoção em algo que estava precisando, um conhecido seu estava se desfazendo de um eletrodoméstico ou roupas em boas condições e se lembra de você, é bom? Com certeza, o ser humano gosta de ser beneficiado e favorecido.
O mais importante favor que o ser humano pode ter é o favor de Deus. Você gosta de ser abençoado por Deus? Ter suas orações respondidas? No dicionário a palavra benção é dita como benefício, graça, favor especial. Todas as vezes que somos abençoados temos o favor (amparo) de Deus sobre as nossas vidas. Deus deseja que toda a nossa vida seja abençoada, em todas as áreas e você deseja isso? Então é preciso aprender que:

1. A Benção é fruto da Obediência
2. Obedecer nem sempre será fácil
3. A obediência libera o favor de Deus
4. Não se desvie deste caminho de obediência

O Segredo Para Ser Abençoado – Amanda Sniecikoski – http://www.sdblisboa.com

3.1 Uma vida de paz

Conceitos orientadores: consciência sossegada; longanimidade; intolerâncias

Em Cl 1.24 ouvimos de “tribulações de Cristo”, em Cl 2.11 de uma “circuncisão de Cristo”. Agora ouvimos a respeito da “paz do Cristo”. Ela “seja determinante em vossos corações”. Paulo utiliza a mesma raiz semântica da qual antes derivou a expressão “negar o prêmio da vitória” (Cl 2.18). Logo se tem em mente a atividade do árbitro. Quando nosso coração indaga: “O que devo fazer agora? Que rumo devo tomar? Que palavra direi?” então a paz do Cristo deve ditar a decisão. Dessa “paz” já se falou na saudação inicial. Em seguida ouvimos que ela foi conquistada por Cristo “pelo sangue de sua cruz” (Cl 1.20), ao eliminar a nota promissória que nos tirava a paz e nos acusava.
“Paz” é um daqueles conceitos que não se pode “explicar” nem tornar compreensível por mais exaustivas que sejam as considerações. Quem, no entanto, encontrou “paz” sabe muito bem que a possui e a inefabilidade que essa palavra contém. “Paz” pode abarcar todos os bens da salvação, a paz com Deus (Rm 5.1) assim como a decorrente paz do coração e a paz para com as pessoas. “Paz” é aquilo que as pessoas separadas de Deus jamais conseguem ter (Is 57.20s). Unicamente na redenção por meio de Cristo e na comunhão de vida com ele encontramos essa paz, que justamente por isso se chama “a paz do Cristo”.
Por isso essa “paz” não tem nada a ver com transigência natural e pusilanimidade pessoal. Existe uma “pacificidade” que não passa de “carne”. Foi justamente a paz do Cristo que determinou os corações de Paulo e Timóteo quando decidiram continuar a árdua luta pela igreja em Colossos e resistir implacavelmente a todos que tentavam confundir essa igreja. A “paz do Cristo” é sempre a paz daquele que não veio para trazer paz, mas a espada (Mt 10.34). Ao mesmo tempo, porém, é realmente ela que mantém coesa a igreja “em um só corpo”. Quantas cisões dolorosas e denegridoras do nome de Jesus teriam deixado de ocorrer na igreja se, em vez da teimosia, da necessidade de afirmação e às vezes também do ardor político, a paz do Cristo tivesse sido determinante nos diálogos e negociações, em assembléias sinodais e disputas teológicas.

Comentário Bíblico Esperança NT - Editora Evangélica Esperança

Temos nossa natureza (nova) imitando a natureza de Cristo (3:12-14; veja Rm 8:29; 2 Pedro 1:3-4). Com isto não deixamos de ter personalidade, do contrário ninguém erraria tanto nem se desviaria. Não devemos nos aproveitar ou usurpar dos outros, mas agir conforme "a paz de Cristo" (3:15; veja I Co 6:1-11). "A paz de Cristo" é o que nos conduz ao Criador nuntos num só corpo (Ef 2:13-18). Ensina a verdade de Deus, os que agem de acordo com esta paz; ela promove união verdadeira (veja João 17:17-21).
A Paz de Deus excede a todo entendimento. È por meio de Cristo que temos paz com Deus, e isto foi realizado por seu sacrifício na Cruz. Pela fé nos unimos a e em Cristo(por meio da sua morte e ressurreição em glória). Ao morrermos para o Mundo, o Maligno e para nossas vontades mesquinhas ressurgimos como um novo homem e em paz com Deus (Ef 2:15)
Agora estamos neste corpo que é composto por pessoas de diferentes classes sociais, etnias, línguas, nações, etc. A paz de Deus ultrapassa todas as diferenças nos leva aos nossos semelhantes:  prova de que somos nascidos dele.

3.2 Uma vida bem sucedida

Conceitos orientadores: o que é sucesso?; O que é a derrota?; o que é a vida?; possibilidades X probabilidades; milagres nem sempre

A vontade de Deus é que seus filhos sejam bem sucedidos. Nas Escrituras, há um número grande de declarações para uma vida de sucesso (Sl 1:3; Gn 39:3 e 23). Deus não fica feliz por ver seus filhos viverem uma vida de derrotas constantes. Fracassos após fracassos. No entanto uma vida bem sucedida só poderá ser experimentada a partir da obediência consciente à voz do Espírito Santo.


3.3 Uma vida de convicção

Conceitos orientadores: fé; certeza; espera; paciência; correntezas, multidões e postura pessoal; discernimento; experiências

Quero mesmo discernir a vontade de Deus, ou simplesmente quero que ele aprove a minha?
Discernir a vontade de Deus significa colo­car-nos fora do quadro — não vamos escolher um caminho, argumentando que é o caminho de Deus, só porque é desagradável (já tratei des­sa falácia), nem ir ao outro extremo, dizendo: "Vou fazer tal e tal coisa. Por favor, aprove meu plano, Senhor, porque quero muito realizá-lo".

As Três Vontades de Deus – Leslie D. Weatherhead (seleções)

Na revista foi tratado o lado das dificuldades em servir bem e do crescimento nas lutas. Iremos avaliar o lado da fé no auto-engano e de se auto-comandar.
Estar convicto e estar convencido (pejorativo) são assentimentos mentais e/ou internos/espirituais que em si mesmos não trazem a atestação de ser o melhor, o pior ou nem mesmo o “mais ou menos” (e suas variantes: “mais ou menos ruim”, “menos pior”, “é melhor que...” e etc.). São apenas determinações! Muitas vezes estamos, inclusive, empurrando nossas preferências, “achismos”, teimas e cegueiras na mesa de Deus, querendo cauterizar dentro de nós que estamos ‘acreditando’ e ‘confiando’ em Deus, quando nós fomos os traçadores do caminho. Em casos de fracasssos, tragédias, tristezas e outras, talvez diremos: “...tá horrível, mas é por causa do Inimigo... ...logo-logo, irei subir no palco da vitória (para se gabar)... todos verão quem é o vencedor (o bom, na verdade)...” ou “Deus me abandonou”, “sou um azarado...”.
Apesar de termos sido salvos, libertos e transformados, ainda podemos estar carregando feridas internas, traumas e maus-costumes antigos na bagagem. Logo, nem sempre os planos divinos irão fluir como poderiam/deveriam, apesar de termos a convicção de que ele está agindo, mesmo que nossa fé seja realmente firmada nele, nos seus traçados e não em na fé em si mesma (fé na Fé). Verdadeiramente temos o poder de atrapalhar tudo. Estejamos abertos a opiniões e prontos a mudanças de edificação sempre.


Conclusão

O segredo da felicidade e da paz perfeita não são as circunstâncias que estão ao redor, mas a certeza de que se está exatamente no centro da vontade de Deus. Isto é, sem sombra de dúvidas o melhor da vida. Pode ser até que alguém lhe pergunte: “Como você sabe que esta é a vontade de Deus?”. E talvez a única resposta coerente seja: “Como eu sei, eu não sei; eu só sei que eu sei”. Pode ser estranho, porém esta é a resposta de quem tem uma convicção íntima muito definida, que não pode ser explicada humanamente, mas simplesmente ser vivida.


Fontes:

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/NTLH/NVI
Pontos Salientes da Nossa Fé (revista) – Editora Betel – 2º Trimestre 2013 – Lição 11
Como  Conhecer  a  Vontade  de  Deus – Morris Venden – Casa Publicadora Brasileira
¹As Três Vontades de Deus – Leslie D. Weatherhead – Ed. Mundo Cristão
Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso AT/NT – Matthew Henry –  CPAD
Ajudando Uns aos Outros pelo Aconselhamento – Gary R. Collins – Ed. Vida Nova
Comentário Bíblico Moody AT/NT – Editora Batista Regular
Comentário Bíblico Esperança NT - Editora Evangélica Esperança
Ocupado Demais para Deixar de Orar – Bill Hybels – Ed. United Press

¹ Obra com muitos conceitos e conclusões melindrosos. Contudo, seu aspecto mais amplo é bem proveitoso por possuir pontos de reflexões bem interessantes.


Bibliografia Indicada (estude mais)

Como Nascer de Novo – Billy Graham – Ed. Betânia
Como Saber a Vontade de Deus (12 Sermões) –  Luiz Antonio Ferraz (link)
Obediência – Marco Antonio Ripari (link)
Conhecendo a Vontade de Deus – Comunidade Cristo Para as Nações (link)
Como Tomar Decisões Sábias, Dentro da Vontade de Deus (link)
Obedecer é o Melhor Caminho (link)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho