segunda-feira, 15 de julho de 2013

EBD Editora Betel - A Importância do Planejamento Familiar Responsável

Assembleia de Deus CONAMAD
Lição 03 – 21 de Julho de 2013
Revistaebd Revista escola bíblica dominical editora betel conamad Passagem bíblica trecho bíblico bíblia como estudar teologia bíblia escola dominical escola dominical betel escola biblica betel escola bíblica betel escola dominical conamad auxilio professor ajuda professor subsídio professor auxílio professor subsidio comentario ebd comentário bíblico ebd professor mestre comentário biblico escola dominical comentario biblico escola bíblica comentario bíblico pregação pregador palestra estudo bíblico bíblico

Olá, amado!

Alertamos que faltam apenas artigos sobre o perigo da Educação Humana (especialmente pelo Poder Público) e nossos Conceitos Orientadores. Ainda hoje (sexta) terminaremos.

R.S.Costa

Texto Áureo

“Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar?” Lc 14:28

Em seguida, Lucas relata Jesus em outra situação, já com grandes multidões acompanhando-o (v. 25), em que Ele mostra os "custos" em que alguém incorreria se decidisse segui-lo, fosse com a família (v. 26), fosse com o carregamento da sua cruz (v. 27). Era preciso, portanto, pensar bem e avaliar tudo o que envolvia o fato de alguém se tornar cristão (vv. 28-33). Converter-se a Cristo envolve renúncia a uma série de situações e relacionamentos, e isto não pode ser feito levianamente. E, uma vez convertido, o crente é comparado ao sal, tem que temperar o mundo que o cerca, tem que dar-lhe sabor (v. 34), senão será lançado fora (v. 35).

O Evangelho de Lucas – Gustavo – www.ocontornodasombra.blogspot.com

Verdade Aplicada

Avaliações constantes, minuciosas e honestas de todas as nossas ações, atitudes e providências tomadas para edificar as bases do lar, são necessárias à tranquilidade, à paz, à segurança e ao sucesso da nossa família.
Toda a etapa de planejamentos é bastante proveitosa se posta em ação. O simples bom proceder não trará, por si só, o êxito. Há diversas variáveis e acidentes de percurso possíveis. Contudo, ser prudente, determinado, perseverante e esperançoso, é o mínimo que podemos fazer (Js 1:6).

Objetivos da Lição

Mostrar a importância do planejamento familiar;
Consolidar nos crentes a certeza de que com planejamento adequado, mesmo nos dias atuais¹, podemos edificar ou reedificar bases sólidas para nossas famílias;
Ensinar que o planejamento familiar inclui o preparo dos pais para forjar nos filhos o caráter de Cristo, de modo a que rejeitem o mal, agindo com justiça e retidão.

Textos de Referência

Lc 14:28 - Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar?
Lc 14:29 - Para que não aconteça que, depois de haver posto os alicerces e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a escarnecer dele.
Lc 14:30 - dizendo; Este homem começou a edificar e não pôde acabar.
Lc 14:31 - Ou qual é o rei que, indo à guerra a pelejar contra outro rei, não se assenta primeiro a tomar conselho sobre se com dez mil pode sair ao encontro do que vem contra ele com vinte mil?


Introdução

Se perguntarmos a qualquer pessoa o que é planejamento familiar, possivelmente obteremos a seguinte resposta: “Planejar a família é fazer os cálculos de quantos filhos o casal, pode sustentar e educar sem depender de terceiros, ou da caridade publica”. Isto é apenas parte da verdade e representa somente uma das etapas do projeto. Para chegarmos ao tão almejado planejamento, não devemos negligenciar etapas importantes, como veremos a seguir:

Deus ordenou ao homem no Gênesis, dizendo: – "Dominai sobre tudo o que se move sobre a terra." Segundo Geziel Correa Ferreira de Souza, autor do livro Planejamento Familiar: – "Se  Deus nos dá condições de dirigir o que está ao nosso alcance na terra, se ele nos dá sabedoria para compreender e testar o fenômeno da reprodução, e nós não usamos a inteligência  que ele nos propicia para o nosso bem, nós não estamos agindo em conformidade com a Sua vontade".
Nos tempos primitivos, era atitude sábia buscar o crescimento acelerado da família. Em nossos dias, devemos multiplicar-nos ordenada, comedida, e racionalmente. Mesmo porque o excesso de filhos traz prejuízo à saúde da mulher, ao orçamento familiar, e ao orçamento das nações."
A reprodução responsável, deve ser uma atitude consciente e coletiva, como a que vem sendo aplicada nos países desenvolvidos, como forma de equacionar os problemas decorrentes da reprodução humana, dando origem a famílias de pequeno porte e adequadas à suas realidades sócio-econômicas.
Os governantes deveriam adotar políticas voltadas para a solução deste problema, de modo que viesse solucionar os problemas gerados pela reprodução descontrolada da população.
A prática do planejamento familiar, é salutar para a família, e para a sociedade como todo. Ela não fere princípios bíblicos; não ferindo a lei de Deus, nem a dos homens, e que sob orientação correta, não traz prejuízos à saúde física, e mental do ser humano.

Augusto Bello de Souza Filho


1. Projetando a família

Para imitarmos ao Senhor na constituição da família, precisamos abrir mão da maneira de pensar mundana, caso já se tenha instalado em nossa mente, e permitir que o Espírito de Cristo suplante todo nosso entendimento carnal para vivermos inconformados com este mundo. O pensamento terreno acerca da família é frontalmente contra os princípios bíblicos, por isso os filhos de Deus devem se orientar biblicamente;

A nossa relação com Cristo muda a nossa forma de pensar. A Bíblia diz em Romanos 12:2 “E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”
Os cristãos devem ter a ‘mente de Cristo’. A Bíblia diz em 1 Coríntios 2:15-16 “Mas o que é espiritual discerne bem tudo, enquanto ele por ninguém é discernido. Pois, quem jamais conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo.”
A mente cristã tem a atitude de Cristo. A Bíblia diz em Filipenses 2:5 “Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus.”
A mente cristã deve pensar naquilo que é bom. A Bíblia diz em Filipenses 4:8 “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.”

Mente – http://www.jesusvoltara.com.br


1.1 Quanto ao desejo

Conceitos orientadores:

Os pais que são crentes em Deus e andam no Caminho (segundo o Espírito e a Palavra do Senhor Jesus, o Messias – 2Sm 22.31; Is 40.3; Jr 32.39; Mt 7.13; 11.10; Lc 20.21; At 9.2), devem ensinar (inclusive mediante o testemunho pessoal de uma vida regenerada) seus filhos, desde a mais tenra idade, a amar e obedecer à Palavra de Deus, pois assim como são instruídos na simmeninice é de se esperar que cresçam e gerem muitos discípulos na graça e no conhecimento do Senhor. A instrução e a disciplina (ou correção) andam sempre juntas em benefício do sábio, desde a infância até a vida madura (Gn 18.19; 1Rs 8.63; Pv 1.8; 4.11; 22.15).

Introdução a Provérbios – www.files.caminhandocomjesuscristo.webnode.com.br

Ensina a criança. Não uma palavra comum com o sentido de educar, mas o significado está claro e a promessa é rica.

Comentário Bíblico Moody AT/NT – Editora Batista Regular

Devemos educar nossos filhos desde cedo. Amar a família, os pais, os amigos, os vizinhos e até aos inimigos. As crianças nascem plenas em questão de capacidades. Nós, contudo, vamos minando isto e mostrando (ensinando) sobre as dificuldades e impossibilidades. Precisamos investir firmemente nelas. Isso é até mesmo uma forma de economia: quanto mais bem moldadas, mais teremos chances de sermos bem amparados na nossa velhice. Vejamos alguns itens importantes:

- vida com Deus
- no aperfeiçoamento do caráter
- nos relacionamentos domésticos
- sentimentos e desejos dignos e elevados
- nos estudos, no desenvolvimento dos talentos e na vida profissional
- estabilidade econômica em função da família que irão formar
- conter desejos carnais

Vivemos, em uma época em que as pessoas configuram suas famílias a partir da concupiscência da carne: os casamentos são matizados de modo irresponsável por pessoas que sequer sabem o que querem, que não desejam de verdade formar uma família e que não têm a intenção de mantê-la a qualquer custo. Filhos são concebidos por descuido, em relacionamentos pré-maritais, extra-maritais (na maioria dos casos por pessoas que não pensam em sustentá-los, pois como poderiam criá-los e educá-los?), em “produções independentes relacionamentos praticados por adolescentes numa “ficada” etc. Crianças são adotadas e/ou concebidas em uniões monopolares e em muitas outras modalidades estranhas ao relacionamento conjugal e à verdadeira família. Infelizmente há muito despreparo precipitação e desrespeito aos princípios bíblicos também por parte do povo de Deus, no que diz respeito à formação de novos lares. Precisamos fazer de tudo para doravante. agirmos acertadamente. Que Deus nos conceda a graça de imitá-lo. obedecendo à inclinação da mente de Cristo, implantada, em nós desde o dia em que nascemos de novo) (I Co 2:16b).

1.2 Quanto ao tipo

Conceitos orientadores:

Antes de perguntarmos o que é “tipos de famílias”, vejam os links abaixo. Logicamente não defendemos todos os tipos ali existentes, apenas os do padrão bíblico. Mas, se você for trabalhar em Assistência Social, Direito, Educação Secular, Saúde e etc. Terá que saber tais coisas e saber se portar, apesar de muitos deles serem de existência e bases malignas. A família é um espelho de nós mesmos (os líderes e chefes). Logo, para que sejam agradáveis a Deus, primeiramente nós devemos assim ser e estarmos. Eles terão também que saber quem e o que são, o que fazem e o que têm, para calcular e refletir sobre o que é necessário ou suficiente para seguir com o projeto de vida deles. Pedir a Deus que providencie um par com projetos semelhantes também é indispensável.


1.3 Quanto ao propósito

Conceitos orientadores:

Os desígnios de Deus para a família já estão determinados (Dt 26:19; Is 43:7), Portanto, os propósitos do crente têm que ser subordinados aos de Deus. Defina os meios como sua família poderá atender àquelas resoluções. Imite, obedeça, honre e glorifique a Deus. Peça a Deus que o transforme, que o faça parecido com Ele. Permita que Cristo o transforme na imagem e semelhança de Deus. Assim você poderá criar filhos que glorifiquem ao Criador: imitando, obedecendo, respeitando e honrando os pais como você aos seus, a seu cônjuge e a seu Deus (I Co 11:1; Ef 5:1). Se já se casou e tem filhos, mas percebe que as coisas não foram ou não estão sendo feitas do modo correto, procure acertar de hoje em diante, Certamente Deus será com você.

Aqui Moisés põe em vigência os preceitos. São leis de Deus, portanto, devem cumpri-las, pois para esse fim lhes foram dadas; cumpram-nas e sem discutir; executem-nas sem desdizer-se; realizem-nas, não descuidada e hipocritamente, senão com o coração e a alma, de todo seu coração e toda sua alma. Nós juramos e rompemos o compromisso mais sagrado se, quando tomamos o Senhor para ser nosso Deus, não assumimos consciência de obedecer a seus mandamentos. Somos escolhidos para obedecer (1 Pe 1.2); escolhidos para sermos santos (Ef 1.4); purificados para sermos um povo próprio, que possamos não só realizar boas obras, senão sermos zelosos delas (Tito 2.14). A santidade é a verdadeira honra, e o único caminho à honra eterna.

Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso AT/NT – Matthew Henry –  CPAD

A Família Cristã (12 lições)


2. Edificando as bases para a família

Depois que o pecado entrou no mundo, ninguém jamais encontrou condições favoráveis para construir um novo lar. O estrago foi feito e atingiu a todos, A situação piora a cada dia. Mas em Cristo fomos gerados de novo, numa semente incorruptível. Podemos edificar bases sólidas para os nossos descendentes, na viva esperança de que nós e eles formaremos famílias do agrado de Deus (I Pe 1:3 e 23). Pode ser que você venha de uma estrutura familiar falida, ou tenha crescido fora dos laços familiares, tenha sido abandonado quando criança, ou seus pais não sejam cristãos, conheceu a Cristo depois de já ter constituído um lar, ou, sendo cristão, se tenha descuidado ao seguir os princípios bíblicos na formação e conduta da sua casa... Quem sabe teve a felicidade de haver sido criado por pais crentes e exemplares? Qualquer que seja o caso, quem quiser ter condições de formar uma família e conduzi-la à plenitude de vida, terá que:


2.1 Organizar a vida para a formação da família

Conceitos orientadores:

É possível perceber que poucas pessoas conseguem alcançar a plena satisfação pessoal em meio a toda a correria do dia-a-dia. O problema é que muita gente faz as coisas certas na hora errada ou então gasta muito tempo com atividades desnecessárias. As conseqüências disso são as horas extras no trabalho, o stress e a decepção por querer realizar muitas coisas e sentir-se mal por não ser capaz. Quantas vezes você já disse para si mesmo que gostaria de ter mais tempo com os seus filhos, com os amigos, com o companheiro ou então mais disposição para si mesmo, mas o cansaço não o permitia? É possível sim ser produtivo no trabalho e realizar tudo o que precisa, tendo espaço ainda para aproveitar o melhor da vida pessoal com simples mudanças nos seus hábitos de organização.
Anote tudo, não esqueça nada! Com as novas tecnologias, a famosa e velha agenda de papel vem sofrendo muito preconceito por parte dos profissionais, que junto com elas, abandonam o hábito de escrever suas atividades. Para os adeptos às inovações tecnológicas, sugiro que procurem algumas ferramentas existentes hoje para a organização pessoal. Adote novamente o hábito de escrever o que precisa ser feito nos próximos dias e planeje a execução. Confiar seus compromissos apenas na memória não é uma maneira recomendável para cumpri-los no prazo correto.

        Organização Pessoal Melhora a Qualidade de Vida – http://www.minhavida.com.br

            Por projeto, criação, chamada, missão e espelhamento, somos seres sociais, sentimentais, espirituais e alguns outros adjetivos e etc. Nossa vida cristã não se resume a ganhar sustento dignamente e ir aos cultos. Nem tão pouco somos crentes apenas durante os cultos, como também não é necessário um ofício, um alvará municipal, emenda constitucional e nem aguardar ‘virar’ diácono, líder de departamentos nem nada do tipo para se pensar em fazer algumas coisas relacionadas na Grande Comissão ou no “ide e pregai”. Contudo, nossa vida deve ser regida pela Palavra de Deus. Para isto ocorrer de uma forma ordenada e bem “à mão”, observe a relação abaixo (especialmente para educar crianças):

- corrigir possíveis falhas de comportamento e caráter
- resolver problemas de relacionamento (com pais, irmãos, amigos, vizinhos, namoro ou casamento anterior)
- rever a relação com o princípio de autoridade (filhos não reconhecem a autoridade de pais que não aprenderam a submissão)
- ser um verdadeiro adorador interessado em cumprir os desígnios de Deus.


2.2 Criar e/ou reunir condições para a formação da família

Conceitos orientadores:

Qualquer pessoa, por mais que tenha instrução ou experiência de vida, se não pertence ao rol dos filhos de Deus, não consegue compreender e partilhar dos sentimentos de um pecador arrependido, nem da plena alegria do perdão e reconciliação, que somente o Salvador pode conceder ao crente arrependido (1Sm 1.10; Mt 26.75; 13.44; 1Pe 1.8).

Introdução a Provérbios – www.files.caminhandocomjesuscristo.webnode.com.br

            O ideal da maioria de jovens: formar uma família. Ao menos deveria ser. Cabe a nós, adultos, pais, professores, pastores e etc., despertarmos isto neles. Nosso futuro e existência dependem da continuidade!
            A família não surge de uma vez por todas. É uma semente e precisa de cuidados constantes para crescer e desenvolver-se. Ao casarmos, entre outras coisas, temos essa semente que pode germinar e um dia dar fruto: ser uma família de verdade. Sejamos conscientes de que é preciso trabalhá-la e cultivá-la constantemente, e com todo o amor.
            Aos entrarmos no interior de alguma família, esquecendo-nos das teorias e descendo ao chão da própria vida, vemos que ela é uma realidade dinâmica, com evolução permanente, sempre. Cada uma é um mundo. Propostas, idéias e jeitos próprios.
            É aqui que Deus conduz seu projeto. São dados ao homem e à mulher como sementes. Ele nos fez à sua imagem. Com amor para o amor. Para levarmos a semente à plenitude. Ele pôs em nossas mãos a criação.


2.3 Avaliar se o que foi e está sendo feito é bom e suficiente

Conceitos orientadores:

Nunca se concentre no fracasso, porque quem faz isso, se programa para o fracasso. As pessoas vencedoras, nunca olham para o fracasso como um inimigo, elas fazem do fracasso um aliado. É nossa visão positiva em relação ao fracasso que nos faz aprender lições que de outra maneira não aprenderíamos. Nunca faça como algumas pessoas que levantam um monumento à um erro passado e passam o resto da vida prestando homenagens a este erro. Veja sempre o fracasso como uma situação momentânea. Sabe quando as pessoas erguem monumentos em homenagem aos próprios erros? Quando dizem frequentemente: “Tentei, mas não funcionou. Disseram que era impossível, e tinham razão”. Outra frase famosa escrita no monumento ao fracasso é a que diz: “Não consigo mudar. Sou assim mesmo, desse jeito”. Ou ainda: “As circunstância me fizeram a pessoa que sou.” Gosto de afirmar sempre que o fracasso tem tudo a ver com o sucesso. Toda vez que aprendemos alguma lição com um erro, significa que demos um grandioso passo para o sucesso. Você está aberto para as mudanças necessárias? Então torne o fracasso um aliado e não um inimigo, o fracasso pode ser o seu melhor professor.

O Fracasso não é o Fim – http://amofamilia.com.br

            Avaliar ações de terceiros é relativamente fácil. Quando envolve a nós mesmos, podemos nos perder em sentimentalismos, problemas de auto-estima, fugas, culpas e tantas outras questões que podem nos cegar ou fazer exagerarmos (pra bom ou pra ruim). As avaliações devem ser:

- constantes
- detalhistas sem deixar de ser abrangentes e panorâmicas
- honestas e não punitivas
- imparciais
- lógicas, racionais e com sentimentos (preze pelo equilíbrio)
- consideradoras de objetivos, opiniões e de mutualidade e parcerias em amor
- promovedoras de melhorias, ajustes, acertos e motivação

            Contudo, não façamos isto por porfia, inveja, disputas nem por obcessões ou perseguições internas. Consulte algumas pessoas idôneas, experientes e piedosas para conferir os apurados (conselheiros e etc.). E não abandone o barco em caso de fracassos, prejuízos ou “quedas de rendimentos”. Busque ao Senhor em tudo. Apaixone-se por sua família!



3. Capacitando os filhos para uma vida com propósito

Precisamos considerar que Deus tem propósitos específicos para nossos filhos. É importante agir como Manoá, que orou ao Senhor para que Ele lhe ensinasse como deveria criar Sansão (Jz 13, 8,12). Ainda que não consigam entender completamente a extensão do propósito para o qual estão sendo educados, crianças e adolescentes reagem melhor à educação e à disciplina se forem informados do porquê de cada ação educativa e disciplinar a que forem submetidos. Podemos educar nossa família para fins específicos:


3.1 Através da educação espiritual e moral

Conceitos orientadores:

            Candidatos ao casamento precisam receber uma sólida educação espiritual para que sejam capazes de: a) produzirem nos descendentes uma consciência profunda da pecaminosidade humana, através de confiança incondicional no amor e na misericórdia de Deus e dependência total do Espírito Santo; b) levarem os filhos ao desejo e desenvolvimento do caráter de Cristo; c) rejeitarem o mal; d) agirem com justiça e retidão; e) amarem a verdade e dizê-la; f) serem benevolentes, misericordiosos, altruístas, fiéis, leais e equilibrados. Estas, entre outras virtudes cristãs.

“Grande parte da alegria espiritual e constante que as crianças nos trazem, reside na sua capacidade de ver o Mundo como algo novo, como pura intuição, renovando em nós a frescura da Vida. Mas sempre a perdem assim que começam sua educação”.

        Joyce Cary


3.2 Através da Educação Humana

Conceitos orientadores:

            Esta deve se constituir num dos principais investimentos dos pais em si mesmos e nos filhos. Por ela, as gerações vão legando, umas às outras, as experiências, os conhecimentos, a cultura acumulada ao longo da história, permitindo tanto o acesso ao saber sistematizado, como a produção de bens necessários à satisfação das necessidades humanas. Porém, a educação formal - aquela adquirida na sala de aula - não é neutra em matéria de fé, religião, valores e princípios morais e espirituais e propósito da vida. Por conta disso, pais cristãos devem ser primorosos no cuidado, e acompanhar de perto a educação das crianças, para ensinar-lhes a detectar o mal e rejeitá-lo, a compartilhar a fé, a ética, os princípios e valores cristãos, a fim de levarem os colegas e professores a Cristo e ao conhecimento do propósito de Deus para eles. Lembrem-se: Se a criança, o adolescente ou o jovem cristão não forem ensinados ao ponto de se tornarem capazes de influenciar os colegas não cristãos, certamente serão influenciados por eles, que farão de tudo para desviá-los do propósito de Deus.


3.3 Através da reunião de recursos materiais

Conceitos orientadores:

            Aos que pensam em não ‘deixar nada para os filhos’, leiam II Co 12:14-16. Há pessoas que dizem que este tesouro são valores morais e etc., baseando-se em referências parecidas em provérbios. Lendo atentamente os sentidos da passagem citada, sem dificuldade alguma vemos Paulo se referindo a uma constatação e ensino conhecidos, já em sua época
O casal deve ter um planejamento financeiro que inclua todas as despesas ordinárias pois digno de nota é aquele que mantém uma boa contabilidade, gastando menos e mais sensatamente. O casai deve lutar para permanecer dentro do orçamento. Marido e esposa devem ser disciplinados no uso do dinheiro. As compras devem ser decididas racionalmente, e não na base da emoção.



Conclusão

Que cada pai e mãe possam ajudar seus filhos a não dispensarem as etapas fundamentais na formação da família. Que os princípios norteadores aqui discutidos possam ajudar a edificar as bases do lar que são necessárias à tranquilidade, à paz, à segurança e ao sucesso da nossa família.

Fontes:

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/NTLH
Família Cristã (revista) – Editora Betel – 3º Trimestre 2013 – Lição 03
Comentário Bíblico Moody AT/NT – Editora Batista Regular
Bases Bíblicas e Teoógicas da Família – Prof. Sila D. Rabello – Sem. Teol. Nazareno
Redescobrindo O Tesouro Perdido do Culto Familiar – Jerry-Marcellino – Ed. FIEL
Comentário Bíblico Esperança NT – Editora Evangélica Esperança
Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso AT/NT – Matthew Henry –  CPAD
Adolescentes S/A – Ciro Sanches Zibordi – CPAD
Responda-me Por Favor! Sexo e Namoro – Marta Doreto de Andrade e Claudionor Corrêa de Andrade – CPAD
Antes de Dizer Sim – Jaime Kemp – Mundo Cristão
Como Mudar o que Mias Irrita no Casamento – Gary Chapman – Mundo Cristão
As Cinco Linguagens do Amor – Gary Chapman – Mundo Cristão
Oficina do Amor – Adão Carlos Nascimento – Apoio Pastoral Editora

Bibliografia sugerida (estude mais)¹

Curso de Noivos (link)
Curso para Noivos e Casais (link)
10 Questões para Avaliar Antes de Se Casar (link)
Espiritualidade e qualidade de Vida (e-book)
Proposta: A Volta das Matérias de O.S.P.B e Educação Moral e Cívica (link)
Os Procedimentos da Educação Moral (link)
Ética, Educação, Moral, Direito: O que significam? (link)
Educação e Formação Humana: a contribuição do pensamento de Marx para a análise da função da educação na sociedade capitalista contemporânea (link)
A Celebração do Matrimônio (link)
Recursos Materiais (link)

¹ Algumas de nossas indicações são de origens diversas porém, precisamos ampliar nossos horizontes. Não queremos apregoar ecumenismo, sincretismos ou heresias. Leia com peneiras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho