domingo, 28 de julho de 2013

EBD Editora Betel - Praticando com Sabedoria A Comunicação no Lar


Assembleia de Deus CONAMAD
Lição 05 – 04 de Agosto de 2013
Revistaebd Revista escola bíblica dominical editora betel conamad Passagem bíblica trecho bíblico bíblia como estudar teologia bíblia escola dominical escola dominical betel escola biblica betel escola bíblica betel escola dominical conamad auxilio professor ajuda professor subsídio professor auxílio professor subsidio comentario ebd comentário bíblico ebd professor mestre comentário biblico escola dominical comentario biblico escola bíblica comentario bíblico pregação pregador palestra estudo bíblico bíblico
                                                             
Graça e Paz, amados!

            Queremos agradecer o esforço, o prestígio e o carinho de todos os que estão nos ajudando na divulgação de nosso trabalho, site, cursos, treinamentos, eventos e projetos. Uns oram, outros oram e jejuam, outros muitos nos escrevem e assim seguimos. No momento estamos precisando de mais colaboradores. Fiquem atentos que breve iremos iniciar a convocação. Você pode se tornar um colaborador de várias formas: presenciais (Reg. Metropolitana do Rio), montadores de projetos, equipes ou turmas e de várias outras maneiras.

Até logo!

R.S.Costa

P.S.: Pretendemos terminar nosso estudo amanhã. Ore por nós!

Texto Aureo

‘‘Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também.” Jo 13:15

A medida do amor de Cristo pelos Seus é o auto-sacrifício, do qual eles se beneficiam (cons. I Jo. 3:16). Tal padrão pode ser alcançado só quando o amor do próprio Cristo tem permissão de fluir através da vida do Seu povo. A anunciação da cruz feita por Jesus nos sinóticos enfatiza a necessidade divina; aqui a motivação é amor. A cruz não é algo imposto mas algo aceito – dar alguém a sua própria vida. Prova imediata de amor é a prontidão em dar indicação antecipada do propósito de morrer por aqueles que são amigos Morrer por eles de modo nenhum contradiz o propósito de morrer por um círculo maior, até mesmo pelo próprio mundo.

Comentário Bíblico Moody AT/NT – Editora Batista Regular

Verdade Aplicada

A comunicação e o estabelecimento no lar de padrões baseados em princípios bíblicos são fundamentais para a edificação de uma família plenamente bem sucedida.

Objetivos da Lição

Ajudar o aluno a aplicar os princípios aprendidos na lição anterior às relações familiares;
Orientar o aluno quanto ao modo de afastar os vícios que sutilmente vão destruindo a ligação familiar;
Estimular o aluno a acrescentar à vida familiar os traços que tornam a comunicação eficaz.

Textos de Referência

Jo 13:3 - Jesus, sabendo que o Pai tinha depositado nas suas mãos todas as coisas, e que havia saído de Deus, e que ia para Deus,
Jo 13:4 - levantou-se da ceia, tirou as vestes e, tomando uma toalha, cingiu-se.
Jo 13:5 - Depois, pôs água numa bacia e começou a lavar os pés aos discípulos e a enxugá-los com a toalha com que estava cingido.
Jo 13:12 - Depois que lhes lavou os pés, e tomou as suas vestes, e se assentou outra vez à mesa, disse-lhes: Entendeis o que vos tenho feito?
Jo 13:13 - Vós me chamais Mestre e Senhor e dizeis bem, porque eu o sou.
Jo 13:14 - Ora, se eu. Senhor e Mestre, vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns aos outros.
Jo 13:15 - Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também.


Introdução

Na lição anterior, a comunicação nos foi apresentada como algo essencial aos relacionamentos. Tivemos uma noção geral do verdadeiro ato de comunicar. Agora vamos aplicá-lo à Família.


1. Estabelecendo a Comunicação Familiar

Normalmente a comunicação familiar é entendida como o processo pelo qual marido e mulher, pais e filhos expõem suas necessidades, expressam opinião individual e comunicam suas decisões. Isto, porém, representa apenas os aspectos mais superficiais e práticos das relações domésticas. A comunicação plena é muito mais que isto e envolve ações subjetivas, tais como comunhão, entrega, compreensão, perdão, etc. Assim, neste tópico, procuraremos afastar aqueles equívocos que sutilmente vão destruindo a ligação familiar e acrescentar aqueles traços que a tornam eficaz:

Muitas vezes a causa primária da crise conjugal, consiste na falta de   habilidade ou relutância dos casais em se comunicarem. Muitos casais sabem que estão falhando em sua comunicação, porém, não estão bem certos ao que se deve fazer ou não para melhorar.
A maioria dos problemas existente nas famílias é decorrente da falta de comunicação adequada,  conversa, diálogo;
Às vezes até conversam bastante, mas num sistema destruidor, que fere, magoa, machuca e que muitas vezes deixa cicatrizes incuráveis;
Precisa haver diálogos sadios que tem como fim,  a solução dos problemas;

Comunicação (apostila) – Wellington Pereira da Silva

1.1 Comunicação e democracia

Conceitos orientadores: vida desregrada; normas estabelecidas; rebeldia; autoridade X autoritarismo

Disciplinando os Filhos

A criança que nunca é disciplinada crescerá sendo egoísta e rebelde para com autoridades. As crianças devem ser disciplinadas a qualquer hora que desobedecerem desafiadoramente regras lógicas que foram colocadas de antemão por seus pais. Crianças não devem ser punidas por irresponsabilidade ou erros infantis. Contudo, deve ser requerido que enfrentem as consequências de seus erros e irresponsabilidades, ajudando assim a prepará-las para a realidade da vida adulta.
Crianças pequenas devem ser disciplinadas com a vara, como a Palavra de Deus instrui. É claro que bebês não devem apanhar com a vara, mas isso não significa que devam ter tudo do jeito que quiserem. Na verdade, desde o nascimento deve ficar claro que a mãe e o pai estão no controle. Eles podem aprender, desde muito cedo, o que a palavra “não” significa por simplesmente restringi-los de fazer o que estão fazendo ou vão fazer. Uma vez que começam a entender o que o “não” significa, um leve tapa no bumbum os ajudará a entender melhor durante as vezes que não obedecerem. Se isso for feito consistentemente, a criança aprenderá a ser obediente desde cedo.
Os pais também podem estabelecer suas autoridades não reforçando comportamentos indesejáveis em seus filhos, como dar a eles o que querem toda vez que choram. Ceder é ensinar a criança a chorar para ter suas vontades feitas. Ou, se os pais cedem às demandas de seus filhos todas as vezes que ficam de mal-humor ou manhosos, tais pais estão encorajando esse comportamento indesejável. Pais sábios só recompensam comportamentos desejáveis em seus filhos.
A disciplina não deve fazer mal fisicamente, mas certamente deve doer o suficiente para fazer com que a criança desobediente chore por certo tempo. Deste modo, a criança aprenderá a associar desobediência à dor.

A Família Cristã - https://www.heavensfamily.org

            Não é sadia a aplicação/implantação de uma disciplina num ambiente familiar baseada em cumprimentos rígidos de regras, normas, punições e coisas do tipo. Por outro lado, a falta de normas pré-definidas conduzirá tal lar à ruína. Entre os membros da família deverá sempre existir a figura do líder e de alguns auxiliares. Sem isto, teremos um grande albergue ou pousada, nos piores sentidos. Existem  vários elementos que favorecem, dão manutenção e geram harmonia em um ambiente familiar (lares, em especial); entre eles estão a sabedoria, a temperança e a capacidade para perdoar. A harmonia em um lar é facilmente sentida e vista quando existe disciplina e regras. É essencial à missão dos pais: educar, dar segurança material e afetiva, ensinar e formar valores, disciplinar, estabelecer limites, promover e incentivar a autoestima, a autonomia, a independência. Uma casa bem administrada precisa de regras e o estabelecimento de limites, ainda que os líderes não sejam os pais sanguíneos.
            Existem estudos que comprovaram que os pais passam de duas a três horas por dia assistindo TV  com os filhos e ficam menos de trinta minutos em outras atividades com eles. Não deixe a TV ou outras mídias e diversões modernas roubarem um tempo precioso que vocês podem e deveriam passar juntos. Nada pode impedir a comunicação eficaz de  sua família entre si!

- Criem regras, normas e limites domésticos que eliminem os programas impróprios e os excessos no uso das mídias eletrônicas
- Participem de jogo de mesa (“tabuleiros”e etc.) com seus filhos.
- Ajudem seus filhos nas lições de casa.
- Façam  juntos uma caminhada (ou várias)
- Conheçam-se melhor (sempre)!






1.2 Comunicação e autoridade

Conceitos orientadores: divulgação de normas; equidade X justiça X compreensão; líderes e caprichos

O fato de não considerarmos a democracia como regime favorável à comunicação familiar, não significa que o autoritarismo o seja. Para não transformar o lar num regime de arbitrariedade e tirania, a autoridade precisa ser exercida com clareza, moderação, imparcialidade, coerência e diligência e, principalmente, com amor e temor de Deus (Pv 1:7-9).

A função sacerdotal

A Bíblia diz que o homem é o sacerdote do lar. A posição de sacerdote ou cabeça não deve ser vista como o mundo vê, pois o mundo vê o homem nesta posição como um ditador. A Bíblia não diz isso e sim mostra a responsabilidade do homem no lar. A autoridade que o homem no lar tem, não é da sua origem. (I Cor 4:7, “Porque, quem te faz diferente?”) É uma autoridade que Deus confia ao homem no lar. O homem exercita esta autoridade com firmeza e sabedoria, mas é Deus quem a mantém e a estabelece (The Christian Family).
Hoje infelizmente vemos este principio de autoridade quebrada em muitos lares cristãos. Algo que é estabelecido por Deus jamais pode ser tirado. Pois as conseqüências são espirituais. O diabo conhece princípios de autoridade e devíamos prestar mais atenção sobre isto.

        Salvando Sua Família da Destruição – http://www.semeandoapalavra.net

Você sabe com quem está falando?

Você já ouviu alguém usar esta expressão? Normalmente ela está associada à questão do exercício de “poder”, quase sempre ligada a autoritarismo, uma pergunta para sufocar a outra parte. Normalmente associada a suposta falta de respeito, reconhecimento do poder e autoridade é evocado o “autoritarismo”. De alguma maneira desejo de constranger a outra pessoa, colocá-la numa posição de inferioridade e quase insignificância.

O exercício exarcebado do poder humano

Muitas vezes no relacionamento conjugal mesmo em nome da fé, percebemos o exercício de uma força sufocante, que diminui o cônjuge, ou os filhos. Existe uma expressão que define esta situação de conflito: “se você deseja conhecer um homem de a ele poder e se quer conhecê-lo profundamente tire dele o poder”! Nossa sociedade é competitiva e existe um grande apelo para o exercício do poder. Talvez uma das grandes tentações dos nossos dias. A Igreja evangélica muitas vezes reproduz isto, quando procura “distribuir” cargos e instituir diversas “lideranças” sem muitas vezes estar ligadas de fato as necessidades do Corpo de Cristo e o exercício dos dons e ministérios.

        Cuidados com A Vida – http://www.larcristao.com.br


1.3 Comunicação e informação

Conceitos orientadores: dados; informações; comunicação efetiva; irrelevância

Em agudo contraste a esta oposição do mundo e sua fraude, Timóteo devia continuar com a doutrina sadia das Escrituras, dependendo de Deus. Um importante elemento da perseverança é continuar naquilo que aprendeste. O caráter do mestre e da testemunha é importante para estabelecimento da verdade do Evangelho. Paulo poderia ter-se incluído e também aos pais de Timóteo, mas o de quem do texto original também poderia se referir às Escrituras como a prova mais alta da verdade das doutrinas.
Timóteo conhecia as Escrituras desde a sua infância, e assim o poder delas foi demonstrado na sua vida. Depois Paulo apresenta a razão dessa eficácia das Escrituras: é de origem divina.
Inspirada significa, expirada por Deus. Ele tem plena autoridade divina porque é inteiramente a verdade e, portanto, é útil. As traduções alternantes do original como toda Escritura ou cada Escritura ambas são possíveis e implicam na mesma coisa: Se cada Escritura é inspirada, então toda também é. A sentença em grego não tem o verbo expresso. Deveria o adjetivo "inspirada por Deus" ficar com o sujeito, ou seda uma parte do predicado do sujeito? A E.R.A. é mais exata do que a E.R.C, neste ponto, uma vez que a E.R.C, parece admitir a possibilidade, absurda no caso de Paulo, que poderia haver Escritura que não fosse inspirada. A paráfrase de Warfield suaviza a ambigüidade: "Cada Escritura, visto ser emitida por Deus, é proveitosa . . . " ("Inspiration", ISBE, III, 1474a). Ensino, enfatizado nas Epístolas Pastorais. Repreensão está intimamente ligado com "convencer" de Jo. 16:8. A Escritura é o instrumento que o Espírito usa para convencer. Correção carrega a idéia de melhoramento. Educação na justiça indica treinamento ou educação que se encontra no caminho da justiça, ou na "fé" (a instrução que há na justiça). A palavra traduzida para educação encontra-se somente em Paulo; foi traduzida para "disciplina" em Ef. 6:4. Em Hb, 12:5, 7, 8, 11 foi traduzido para "correção" e "disciplina".
Homem de Deus. Paulo tinha em mente especialmente Timóteo (cons. I Tm. 6:11). É uma frase do V.T, significando profeta (Dt. 33:1; 13:1). Perfeito e perfeitamente habilitado (equipado) têm a mesma raiz.

Comentário Bíblico Moody AT/NT – Editora Batista Regular

Quando eu digo que toda pessoa precisa se dedicar constantemente ao aperfeiçoamento na forma de informar e de se comunicar, muitas pessoas reagem dizendo que não são profissionais em comunicação. Parecem pensar que o aperfeiçoamento cada vez melhor em comunicação só é necessário para profissionais como jornalistas, radialistas, apresentadores de programas de TV, publicitários - enfim, profissionais de comunicação social. Na verdade, esta é uma necessidade de qualquer pessoa, seja qual for a profissional que exerce ou exercerá. O avanço da globalização mundial e as evidências cada vez mais fortes de que o mundo está se transformando gradativamente numa "aldeia global" evidenciam também, nitidamente, a necessidade de cada pessoa entender bem algumas noções básicas de sociologia da comunicação.
..."Informação" é apenas o relato de um fato. "Comunicação" é uma trica de informações, entre duas ou mais pessoas, sobre um mesmo assunto. Mas é importante lembrar que a comunicação só se concretiza de fato se for confirmado que todas as pessoas envolvidas entenderam corretamente os conteúdos das informações que receberam. Porém, este é apenas um dos detalhes importantes para que uma comunicação seja bem sucedida. É muitíssimo importante conhecer os fenômenos básicos da informação e da comunicação para verificar as diferenças entre ambas. Isto é fundamental para obter soluções para os problemas gerados pela hegemonia da mídia e de todas as formas de sociedade. A mídia (radiofônica, televisiva, impressa, Internet, etc.) tem influências cada vez mais incisivas no cotidiano de cada pessoa, por mais que esta não goste de admitir isto. É exatamente por isto que temos que evitar de restringir a qualidade da informação e da comunicação à mídia e aos profissionais de comunicação social e assumir que esta é uma responsabilidade de todos nós (inclusive sua, caro leitor ou cara leitora). 

Saiba as diferenças entre "informação" e "comunicação" –  Elias Alves
                                                    
No sentido primário, comunicação é a arte de tornar comum o conhecimento adquirido e a disposição que uma pessoa apresenta em utilizar corretamente a informação recebida. Por exemplo: Enquanto aguarda no salão de beleza para ser atendida, Magali lê um livro sobre relacionamento conjugal e obtém a informação de que os homens são mais objetivos que as mulheres e por isto não lidam bem com. a linguagem subjetiva e/ou codif icada. Depois de dar uma repaginada no visual, vai para casa. Quando o marido chega. Magali espera que ele note sua nova produção. Mas como ele se demora em fazer qualquer comentário, ela põe-se diante dele e diz queixosa: "Puxa, você não me ama. Nem me nota mais”. O marido olha para ela sem entender nada e uma discussão sem sentido toma corpo. Magali tem a informação certa de como os homens reagem aos códigos. mas não a utilizou para se comunicar com seu marido. O correto seria algo semelhante a: "Que tal meu novo visual? Gostou do meu penteado?''



2. Comunicando princípios e padrões duradouros

Vivemos em uma época que se fala muito em quebra de padrões e mudanças de paradigmas. Contudo, mesmo que reconheçamos que alguns padrões devam ser removidos ou modificados, sabemos que a vida em comunidade seria impossível sem o estabelecimento dos mesmos, que por sua vez, obedecem a princípios. Por isso, é importante que no lar cristão os padrões sejam comunicados dia a dia com discernimento e sabedoria estabelecidos com firmeza (Dt 4.1-2).

Os versículos 1-8 fazem uma convocação à sabedoria. Os estatutos que Moisés ensinou a Israel foram uma revelação da vontade de Deus (v. 5).
Nada acrescentareis. . . nem diminuireis. As leis de Deus não deviam sofrer emendas ou reduções através de legislação humana (cons. 12: 32; Ap. 22:18 e segs.). Toda a obrigação do homem era obedecer, e os israelitas obedientes receberam a promessa de vida e rica herança – para que vivais . . . e possuais a terra (v. 1). O fato de que, em última análise, a piedade e a prosperidade não se separam fica prefigurado na história da teocracia de Israel, pois simboliza o reino de Deus realizado. Ilustração deste fato era o recente juízo divino sobre Israel por causa do seu envolvimento na idolatria de Baal-Peor (v.3; Nm. 25:1-9); pois aqueles que se comprovaram fiéis naquela tentação foram poupados da praga da morte (Dt. 4: 4). De maneira compreensível, então, a obediência às leis divinas identifica-se com a verdadeira sabedoria.

Comentário Bíblico Moody AT/NT – Editora Batista Regular

2.1 O que são padrões?

Conceitos orientadores: normatização; valores e modelos referenciais;

Antes de tudo, para comunicar padrões, é necessário entender o que este termo significa. Padrão é aquilo que é estabelecido para servir de referência ou modelo. Por exemplo, a fita métrica, as trenas e as réguas são medidas universais de superfície que utilizam o Metro, cujo símbolo é o “m” como medida padrão, por isso elas possuem a mesma medida em qualquer parte do mundo onde são utilizadas. Deste modo, o metro corrido, quadrado e o metro cúbico terão o mesmo tamanho e serão simbolizados do mesmo modo em qualquer parte do mundo onde esta modalidade de medida seja utilizada. Já imaginou a confusão nos relacionamentos comerciais se cada estabelecimento comercial ou se cada país usasse medidas de superfície que representassem tamanhos diferentes e variáveis de acordo com os humores e as conveniências de cada um? (II Pe 1:20 e 21).

Um irmão e irmã serão um exemplo de pureza de virtude um para o outro

Todo irmão deveria ser um exemplo de fineza, cavalheirismo e pureza para sua irmã. Seu caráter e linguagem, juntamente com seu testemunho cristão, deveriam ser claramente um guia para o padrão
que ela busca em um homem.“O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem; e o homem mau, do seu mau tesouro tira o mal; pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.” (Lc 6:45). Portanto, seu exemplo a guiará quando chegar a hora dela escolher seu marido. Por causa da vida e caráter de seu irmão, seus ideais serão tão altos que ninguém, a não ser o mais valoroso, deve ter esperanças de conquistá-la; assim ela estará em salvaguarda.

        O que é Um Lar cristão? – http://www.bbnradio.org


2.2 A importância dos padrões na edificação da família

Conceitos orientadores: caráter; fortificação do lar; família e influenciais sociais recíprocas; convívio; pais e mestres; professores, pregadores e doutrinadores

Os padrões são importantes na aplicação da disciplina, para que cônjuges e filhos saibam o que se espera deles e para dar segurança aos membros da família. Eles são necessários à coerência e à constância na doutrinação familiar (Mt 5:37). Os filhos precisam de padrões que os guiem e os dirijam quando estiverem diante de situações que exijam tomada de decisão (Dt 11:19). Os padrões devem ser comunicados através do exemplo e da palavra e precisam ser baseados em princípios. Lembre-se, padrões baseado em preceitos bíblicos são fundamentais para a edificação de uma família plenamente bem sucedida (Pv 9:9 e 10).

Afinal de contas, quando Deus esboçou Seu plano para as famílias de Israel, esta era a essência inteira de Seu projeto para a criação de filhos e a vida no lar. A Palavra de Deus era para ser central em cada aspecto da família. Ela foi dada para ser o principal assunto da instrução dos pais e da conversação familiar durante todas as ocasiões de trabalho, viagem e lazer. A Palavra de Deus seria usada até mesmo como uma jóia e seria gravada nos batentes das casas:

Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te. Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas. (Deuteronômio 6.6-9).

Edificar uma família centrada na Palavra é, portanto, a exata essência da responsabilidade que Deus mesmo tem dado aos pais, e é um dever que cada pai deve abraçar alegre e avidamente.
Em The Vanishing Conscience, John MacArthur escreveu um das apresentações mais úteis que eu já achei sobre este assunto. O sétimo capítulo, “Despedaçando Agague”, é maravilhoso. MacArthur listou oito ações práticas para começar o processo de mortificação. Deixe-me compartilhar uma adaptação dos passos dele para sua edificação nesta área vital da santificação:

1. PARE DE PECAR. (I Pe 2:11) Pare agora!
2. NÃO ALIMENTE A CARNE. (Rm 13:14) Revista-se de Cristo!
3. OLHE PARA JESUS. (Cl 3:1 e 2) Busque as coisas de cima!
4. SEJA SATURADO COM A PALAVRA. (Js 1:8) Medite dia e noite!
5. PERMANEÇA EM CONSTANTE CONTATO. (I Ts 5:17)
Ore sem cessar!
6. SEJA CAUTELOSO COM O PODER DO PECADO. (Mt 26:41)
Vigie e ore!
7. FAÇA ESCOLHAS PEQUENAS. (I Tm 4:7) Discipline-se!
8. ANDE NO ESPÍRITO. (Gl 5:16) Ande diariamente!


2.3 Discernindo padrões fundamentais e padrões secundários

Conceitos orientadores: prioridades emergenciais, médias e baixas; discernimento; exame; perícia

Os pais devem estabelece no lar padrões verdadeiramente cristãos, bíblicos, e também ensinar aos filhos quanto a que se referem a comportamentos, costumes e hábitos, que podem causar-lhes prejuízos tais como retardar a conquista do primeiro emprego, sustentando os filhos por muito tempo, e assim prejudicar reputação deles junto aos pais dos amigos e na escola, o causar o constrangimento de ser confundido como usuários de drogas. Para que haja equilíbrio nestas questões, os pais precisam aprender a distinguir entre padrões fundamentais (bíblicos) e padrões secundários (tendências culturais).
Aconselhamento amoroso e espera paciente pelo fim de cada fase poupam pais e filhos de desgastes, aborrecimentos vão se rompimentos. Cônjuges e pais cristãos devem ter o cuidado de não sobrecarregarem um ao outro e aos filhos com exigências que podem ser padrões sociais aceitos e praticados por cristãos, mas que na verdade não são bíblicos.

Os Valores Morais (monografia)


3. Criando convicções por meio da Comunicação

Nenhuma modalidade de comunicação que os pais utilizem terá sido eficiente se não conseguir transferir aos filhos convicções, certezas, e formar neles a capacidade de serem juizes de si mesmos ao construir suas próprias opiniões. Isto só se alcança quando, no relacionamento familiar, existe o claro propósito de comunicar fé, princípios, valores.

Falando com convicção envolve expressar uma forma genuína e significativa para que os ouvintes são capazes de compreender a mensagem e da sinceridade de comunicação. Falando com convicção torna mais fácil convencer as pessoas, como é mais provável que concordar com uma opinióno uma ação especial se eles confiam na mensageiro. Diferentes pessoas podem usar técnicas de comunicação estratégica para aprender a falar com convicção.
Instruções
Você tem que acreditar na mensagem que você está se comunicando. Se isso não for possível, porque, por exemplo, alguém atribuiu o tema de um discurso ou estão participando de um debate, ensaiar até que você possa convencer os outros de que você realmente acredita no que você está dizendo.

Falar com Convicção – http://textozon.com


3.1 Comunique valores e princípios inquestionáveis e universais

Conceitos orientadores: relativismo; Padrão Divino; Santidade; Inerrância; Perfeição;Doutrinas Bíblicas; Ética; Conduta Cristã

Como interconectar as descobertas com o futuro, com a visão de Deus para a Família? Os chefes de família devem buscar uma declaração objetiva dos seus valores centrais e uma busca eficaz da visão de Deus. Quais são os valores principais da Família? O que podemos ou estamos a fazer (ou fomos chamados a fazer) nesta rua, bairro, cidade, estado, empresa e país? Como a família e a igreja podem fazer a vontade de Deus onde estão inseridas? Qual é a visão evangelística integral que o Espírito Santo nos deu? Devemos estar agindo e perguntando “O que o Senhor quer que eu faça”? Baseado em dados detalhados, o que o Pai está nos falando? Diz a Bíblia que “sem visão o povo perece”.
Firmados na Palavra, cobertos por intercessão estratégica, com uma estratégia evangelística contextualizada, sem desprezar dados de diversas pesquisas, é mister que a família, igreja e seus líderes saibam, vivam e ensinem os valores fundamentais, busquem discernimento espiritual de Deus e que saibam e vivam sua vontade para a cidade. Temos que proclamar uma clara, firme, ousada e visionária mensagem profética a somar na evangelização e transformação de cada local  específico da cidade.
É indispensável um diálogo em que pastores e líderes tracem um plano estratégico claro e enxuto para a sua “igreja-em-missão”. Envolver o todo dos membros de forma apaixonada em reflexão, decisão e ação. Veja este exemplo de plano de ação para a liderança da igreja. Reservar um dia na semana (ou no mês) para fazer o seguinte:

- Orar juntos
- Compartilhar suas experiências, anseios, espectativas, alegrias e lutas
- Analisar o contexto e cultura na qual estão inseridos (sem desvios ou coisas tais)
- Ouvir Deus falando nas Escrituras
- Buscar discernimento e obediência para as funções e tarefas a que foram chamados
- Engajar-se em ministérios de cooperação

Trabalhar e buscar estes valores é iniciar o preparo do terreno no coração dos filhos para que eles produzirem o Fruto do Espírito (Gl 5:22).


3.2 Comunique valores e princípios com coerência

Conceitos orientadores: Exemplo X Coerência X Pregação; Teoria X Prática; Hipocrisia; Farisaísmo

Não há razão para considerar que sejam maus os votos solenes num tribunal de justiça ou em outras ocasiões apropriadas, sempre e quando sejam formulados com a devida reverência. Mas todos os votos feitos sem necessidade ou na conversação corriqueira são pecaminosos, como assim também todas as expressões que apelam a Deus, embora as pessoas achem que assim evadem a culpa por jurar. Enquanto piores sejam os homens, menos comprometidos estão pelos votos; enquanto melhores sejam, menor necessidade há dos votos. Nosso Senhor não indica os termos precisos com que temos que afirmar ou negar, senão que o cuidado constante da verdade faz desnecessários os votos e juramentos.

Comentário Mateus – Josias Moura –  (publicador?)

Vivemos em uma sociedade que nos impõe determinados conceitos do certo e do errado, para que possamos ser considerados pessoas de sucesso. Pensem sobre tudo o que está acontecendo ao nosso redor, nas famílias, nas empresas públicas e privadas, nos governos e na sociedade.
No entanto, o que quero agora ponderar com vocês é sobre um valor que acredito fazer muita falta nesse momento na sociedade: o caráter.
Não podemos esperar ter sucesso, se não tivermos um caráter que o sustente, que seja sólido o suficiente durante os momentos difíceis que enfrentarmos. O caráter nos mantém firmes e na linha,
independentemente do que possa nos acontecer pelo caminho, independente do que se apresentar ou apresentarão para nós.

A Força dos Valores na Busca do Sucesso – www.rh.com.br

Em minha infância muito ouvi de alguns parentes um pseudo-provérbio: “Faça o que eu falo mas não faça o que eu faço”. Tal adágio é uma escusa. É como se autenticasse a divergência prática-teoria “alertando” o aluno-filho-subalterno que se este viesse a imitar os erros do ensinador, estaria com a culpa em si mesmo, por já ter sido avertido como proceder (hipocrisia). A incoerência - contradição, discrepância entre o que se fala e o que se faz - é a maior inimiga da comunicação eficiente. “Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não; porque o que passa disso é de procedência maligna” (Mt 5:37). É da natureza dos seres  imitação. A palavra discípulo deriva de mimesis, que era um tipo de imitação total por parte de um aprendiz (vide hoje o mimetismo , na Botânica e na Biologia). Resumindo: os maiores ensinos, mestres e escolas são a observação das práticas.


3.3 Comunique um relacionamento confiável e aconchegante

Conceitos orientadores: doçura no ensino; gentileza; amabilidade; ternura; anfitrião; cortesia; cativação; carisma; afetuosidade; receptividade;

Quando o pai ou a mãe mostram com gestos, atitudes, palavras e ações que os filhos são sempre bem-vindos em todos os momentos e sabem o que estão sentindo, porque também sentiram algo semelhante quando tinham a idade deles, o canal da comunicação e da aceitação se estabelece, porque a criança ou o adolescente percebem que seus pais o amam, compreendem e aceitam. Então elas abraçarão os valores dos pais e, mesmo que num ímpeto juvenil se desviem, voltarão a eles. É importante que pais de filhos questionadores ouçam sempre os argumentos deles e demonstrem sua admiração pela capacidade de questionar que eles têm para, em seguida, apontar o que poderia acontecer se eles (pais) cedessem à argumentação dos filhos e lhes permitissem fazer sempre o que desejam.
Ao rejeitar os pais, os filhos rejeitam também seus valores e princípios. A aceitação se dá quando os pais equilibram autoridade e igualdade. Pais devem conversar com os filhos quando estes erram ou fracassam nalguma empreitada e assegurar-lhes que os amam mesmo assim e que eles próprios já passaram por situações semelhantes, por isso estão aptos e dispostos a compreendê-los, a corrigi-los e a orientá-los. Professor ensine também a sua classe que relacionamentos são mais importantes do que conforto, luxo, presentes, status, etc. São também mais proveitos do que regras discursos e sermões, pois amar implica em sentir prazer na companhia do outro.



Conclusão

Usemos com sabedoria, portanto, os recursos e as ferramentas da comunicação praticada e ensinada por Jesus, afim de que seja estabelecido e mantido aberto o canal do diálogo, da empatia, do amor e da disciplina, a fim de desenvolvermos o modo de pensar, de ser e agir dos nossos filhos.


Fontes:

Língua Portuguesa

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/NTLH
Família Cristã (revista) – Editora Betel – 3º Trimestre 2013 – Lição 05
Comentário Bíblico Moody AT/NT – Editora Batista Regular
Comunicação (apostila) – Wellington Pereira da Silva
Comentário Bíblico Esperança NT – Editora Evangélica Esperança
Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso AT/NT – Matthew Henry –  CPAD
Comentário Popular da Bíblia – Paul E. Kretzmann (dom. públ.) (link)

Espanhol

El evangelio según Mateo – Wayne Partain (link)
El Evangelio según San Mateo – William Hendriksen – LIBROS DESAFÍO –
Grand Rapids, MI 49560 EE.UU.

Bibliografia Recomendada (estude mais)

Família Cristã (link)
Como Lares Cristão Produzem “Roqueiros Rebeldes” (link)
Lucy não Gosta de Regras – Nancy Rue – Mundo Cristão
Alegria de Uma Família Cheia da Palavra (ebook)

Questionário

1. O que acontece quando a democracia se torna o único modo de conduzir a comunicação do lar?
R: Afasta as diferenças fundamentais e necessárias entre seus componentes, abole os papéis de autoridade e liderança e torna o lar uma verdadeira anarquia,
2. Como deve ser exercida a autoridade no lar?
R: Precisa ser exercida com clareza, moderação, imparcialidade, coerência, diligência e, principalmente, com amor e temor de Deus.
3. Qual o proveito da informação? 
R: Será proveitosa, se a utilizarmos como ferramenta, e canal para uma comunicação eficaz,
4. O que é padrão?
R: É aquilo que é estabelecido para servir de referência e/ou de modelo.
5. O que representa os valores cristãos?
R: Representa o preparo do terreno no coração dos filhos, para que eles produzam o finito do Espírito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho