sábado, 14 de setembro de 2013

EBD Editora Betel - Culto Doméstico: Ferramenta eficaz na aplicação dos Princípios Divinos no Lar

Assembleia de Deus CONAMAD
Lição 11 – 15 de Setembro de 2013
Revistaebd Revista escola bíblica dominical editora betel conamad Passagem bíblica trecho bíblico bíblia como estudar teologia bíblia escola dominical escola dominical betel escola biblica betel escola bíblica betel escola dominical conamad auxilio professor ajuda professor subsídio professor auxílio professor subsidio comentario ebd comentário bíblico ebd professor mestre comentário biblico escola dominical comentario biblico escola bíblica comentario bíblico pregação pregador palestra estudo bíblico bíblico

Graça e Paz!

Você está orando e jejuando em nosso favor? Está divulgando nosso trabalho de todas as maneiras possíveis/imagináveis e impossíveis/inimagináveis?
Precisamos de todo o seu apoio. Estamos recebendo incumbências grandes, junto a autoridades, líderes e mestres, tanto no círculo cristão, como em várias outras áreas. Assim, portas estão sendo abertas, mas carecemos de apoio e cobertura espiritual. Muitos fazem várias promessas e milhares de “estou aqui”, “conte comigo” ou “irei ajudar”. Após aceitarmos e mostrarmos o que é o trabalho, sequer dão sinais de vida (e olhem que nos propomos a trabalhar de graça...).

Shalom

P.S.: Divulgue nossas reuniões mensais no Tribunal de Justiça do Rio e também o Simpósio de Liderança 2014.

Texto Aureo

“Porque o Senhor passará para ferir aos egípcios, porém, quando vir o sangue na verga da porta e em ambas as ombreiras, o Senhor passará aquela porta e não deixará ao destruidor entrar em vossas casas para vos ferir”. Ex 12:23

O cordeiro da páscoa é-nos apresentado sob dois aspectos, a saber: como fundamento da paz e como centro de unidade. O sangue na verga das portas assegurava a paz de Israel: "...vendo eu sangue, passarei por cima de vós" (versículo 13). Nada mais era necessário, senão a aspersão do sangue, para se desfrutar paz em relação com o anj o destruidor. A morte devia fazer a sua obra em todas as casas do Egito. "Aos homens está ordenado morrerem uma vez" (Hb 9:27). Porém, Deus, em Sua grande misericórdia, encontrou um substituto imaculado para Israel, sobre o qual foi executada a sentença de morte. Assim, as exigências de Deus e a necessidade de Israel foram cumpridas por uma e mesma coisa, a saber: o sangue do cordeiro. O sangue fora das portas era prova de que tudo estava perfeita e divinamente arrumado; e, portanto, dentro reinava perfeita paz. Uma sombra de dúvida no coração dum israelita teria sido uma desonra para o fundamento divino da paz—o sangue da expiação.
É verdade que cada um daqueles que se achavam dentro de casa, em cuja porta o sangue havia sido posto, deveria sentir, necessariamente, que se tivesse de receber a justa retribuição dos seus pecados, a espada do anjo destruidor cairia irremediavelmente sobre si; porém o cordeiro havia sofrido em seu lugar. Este era o fundamento sólido da sua paz. O juízo que lhe competia caíra sobre uma vítima designada por Deus e, crendo isto, podia comer em paz dentro de casa. Uma dúvida sequer teria feito do Senhor mentiroso; pois Ele havia dito: "vendo eu sangue,passarei por cima de vós". Isto era suficiente. Não era uma questão de mérito pessoal. O ego nada tinha a ver com o assunto. Todos os que se achavam protegidos pelo sangue estavam salvos. Não estavam apenas num estado de salvos, mas salvos. Não esperavam nem oravam para ser salvos, sabiam que isso era um fato assegurado, em virtude da autoridade daquela palavra que permanecerá de geração em geração.

        Estudos Sobre O Livro de Êxodo – C.H. Mackintosh

Verdade Aplicada

            A prática do Culto Doméstico produz pessoas bem sucedidas contra o pecado, a carne, o mundo e satanás, além de capacitar os membros da família para reconhecerem oportunidades e armadilhas, para lidarem com revezes e tribulações, saltando ou contornando obstáculos.

Objetivos da Lição

Despertar no aluno desejo intenso e profundo de transformar seu lar em uma casa de oração;
Evidenciar e provar a importância do Culto Doméstico na proteção da família;
Ensinar que embora muitas famílias cristãs não o pratiquem, a realização do Culto Doméstico não é uma questão de opção, é um dever que recai sobre os chefes de família.

Textos de Referência

Gn 18:17 - E disse o Senhor: Ocultarei eu a Abraão o que faço,
Gn 18:18 - visto que Abraão certamente virá a ser uma grande e poderosa nação, e nele serão benditas todas as nações da terra?
Gn 18:19 - Porque eu o tenho conhecido, que ele há de ordenar a seus filhos e a sua casa depois dele, para que guardem o caminho do Senhor, para agirem com justiça e juízo; para que o Senhor faça vir sobre Abraão o que acerca dele tem falado.


Introdução

Nesta lição será apresentado o Culto Doméstico como principal ferramenta de ensino, aplicação, vivência e solidificação daqueles princípios no lar. Cremos que por meio deste culto poderemos abrigar toda a nossa família sob a proteção do Precioso Sangue de Jesus até que Ele venha. Que Deus nos ajude a implantar, reimplantar ou a renovar o Culto Doméstico.


1. A importância do Culto Doméstico

O culto doméstico é uma prática muito simples, porém poderosa, que pode ser feito de muitas maneiras, dependendo da idade dos filhos, da instrução dos pais ou dos responsáveis pela direção do culto e do tempo disponível, bastando para isso que se observe seus elementos indispensáveis: leitura da Bíblia e oração com os membros da família.

O culto doméstico é um tesouro perdido na vida da maioria do povo de Deus. Essa perda tem profundas e tristes conseqüências. Ela aponta uma perda de profundidade no relacionamento com Deus e também um enfraquecimento da comunhão familiar.
O mundo contemporâneo sofre uma perda de critérios e valores. As coisas urgentes tomaram o lugar das coisas importantes. Pare para analisar: corremos atrás do vento e gastamos toda a nossa energia buscando as coisas que perecem e deixamos de buscar as coisas lá do alto, aquilo que permanece para sempre. Somos esmagados debaixo de um rolo compressor chamado secularismo, somos vítimas da ditadura de uma agenda que empurra o que é espiritual para a lateral da vida pessoal.
Mas um dos maiores benefícios da devocional em família é nos corrigir nesse aspecto. O culto doméstico corrige a prioridade do nosso relacionamento com Deus. Precisamos buscar o Reino de Deus em primeiro lugar e o culto doméstico abre esse caminho para priorizarmos nossa relação com Deus acima de quaisquer outros interesses. 

        A Importância do Culto Doméstico – http://www.comunhao.com.br

1.1 É indispensável para conduzir os filhos a Deus

Conceitos orientadores: vida devocional; devoção em família; temor a Deus; discipulado

            Muito podemos dizer ou estudar sobre a prática do Culto Doméstico na criação de filhos; na tentativa de orientar aos pais no cumprimento desta missão nos esquecemos de encarar a realidade: vivemos em Mundo corrido e que impõe pavor por meio da eterna pressa. Isto destacado, é indispensável ser dito que nas famílias cristãs das grandes cidades não há culto em família todos os dias. Dizer isto é ser utópico! Especialmente no meio pentecostal nem mesmo semanalmente tenho visto isto (vejam pesquisa Ministério OIKOS em fontes)
            Um relacionamento qualquer não é unilateral. Os relacionamentos em família não podem ser frios, herméticos, mas devem visar crescimento mútuo pela experiência comum de pais e filhos. Destacaremos alguns pontos centrais nisto:

1) Criar filhos é um relacionamento e não uma técnica
2) Criar filhos é um processo dinâmico – não pode ser estereotipado, isto é, precisa ser personalizado e há que ter abertura bastante para criativamente utilizar as situações novas;
3) Criar filhos é um processo contínuo – alcança nossa vida por inteiro. Quer no lugar de pais, de filhos ou em ambos;

            Crianças que crescem em um lar onde se estabelece o Culto Doméstico, serão mais eficientes em rejeitar a mentalidade do mundo quando forem expostas à educação formal, a outros convívios e ambientes fora de casa e em alcançar os companheiros para Cristo.


1.2 É indispensável para manter a unidade da família, e transformar seus membros em vencedores

Conceitos orientadores: perseverança; paciência; Fruto do Espírito; comunhão no Lar; espírito de equipe

No lar em que cotidianamente se lê, estuda, comenta e vive a Palavra, em que todos oram juntos, em que se pratica a piedade, em que se aproveita todos os momentos para falar com Deus e acerca dele, em que se cultiva o hábito de submeter a Deus e à Sua Palavra, os membros da família se tornarão mais aptos para reconhecerem oportunidades e armadilhas, para lidarem com revezes, tribulações, saltar ou contornar obstáculos, superar perdas e tragédias, etc.
A importância do Culto Doméstico na segurança, unidade e conservação da família ficou demonstrada através de uma pesquisa feita nos EUA, pelo pesquisador cristão Dr. Pitirim Sorokin. A pesquisa revelou que para, cada 1.015 famílias que realizam diariamente, somente uma é atingida pelo divorcio. Em contra partida, no Brasil, uma pesquisada Fundação Getúlio Vargas, intitulada Retrato do Cárcere, realizada em 2006 sobre a delinquência juvenil no Estado de São Paulo, aponta para dados alarmantes: a maioria absoluta da população carcerária é composta de jovens, dos quais 11,7 % são oriundos de lares evangélicos. A pesquisa não tinha o propósito de verificar o modo como a religião é praticada nos lares dos presidiários, por isso não sabemos se em suas casas o Culto Doméstico era praticado, porém, o mais provável é que não o fosse, pois é improvável que condutas destrutivas e delituosas proliferem no mesmo ambiente em que se adora a Deus em espirito e em, verdade.


1.3 É indispensável à formação de igrejas felizes, fortes e poderosas em Deus

Conceitos orientadores: saúde congregacional; prevenção de problemas de convívio; vida em comunidade; motivação em projeto e em equipes

Se as pessoas se amarem, mas se Deus não estiver junto, as coisas não vão dar certo. Deus quer cuidar e ajudar as famílias a serem felizes, desde o início.

Sugestões para O Culto Doméstico - http://educadoradiane.blogspot.com.br

Através do Culto Doméstico tanto casais como seus filhos são abençoados ricamente. Eis alguns exemplos dos benefícios do Culto Doméstico:
Proteção do casamento, fortalecimento do respeito e amor entre marido e esposa, pois o casal que busca a Deus juntos, não dão lugar ao Pecado e se tornam verdadeiros companheiros e amantes fiéis vivendo de acordo com a Palavra de Deus. Além disso aprendem qual é o verdadeiro amor ( 1 Coríntios 13)
Ensinamento dos filhos sobre a obediência aos pais e preparação contra os perigos diários (vícios, más companhias), pois o Espírito Santo de Deus dá força ao ser humano para resistir à tentação e não cair nos enganos mortais que nos cercam. (Efésios 6)
Libertação dos sentimentos de depressão, medo e angústia. O conhecimento do amor de Deus e de sua Palavra nos dá força para lutar e certeza de que não estamos mais caminhando sozinhos, por que o Senhor nos acompanha todos os dias. (Salmos 107)
Mudanças positivas de comportamento são também o fruto de um contato diário com o Espírito Santo, que transformam o mais bruto ser humano num novo homem. A cada contato com Deus através do louvor e leitura devocional da Bíblia Sagrada uma nova mudança é iniciada no coração daquele que busca sinceramente a Deus.

A Importância do Culto Doméstico – http://adquartaparada.org



2. A salvação dos filhos, unidade na família e Igrejas poderosa

No tópico anterior foi afirmado que o Culto Doméstico é indispensável para unir e conservar a família, conduzir os filhos a Cristo, transformar os membros da família em vencedores e para a formação de Igrejas felizes, fortes e poderosas em Deus. Agora iremos abordar outros temas:

2.1. A reunião diária para cultuar no lar derruba barreiras e aproxima os membros da família

Conceitos orientadores: laços afetuosos; entrosamento; afinidades; camaradagem; dificuldades; superações

Abaixo, alguns itens extremamente importantes no curso-convívio familiar (a Família é a maior escola do Mundo!). A falta deles dentro dela, nos é revelada na maneira como as sociedades caminham rumo a desentendimentos, afastamento de Deus, falta de compaixão, de amor e de aproximação com o Criador.

1) Mansidão: Willian Barclay a definiu como “o meio termo entre ser irado demais nunca ficar irado de modo algum”. Ao contrário do que se pensa mansidão não é sinônimo de fraqueza, mas é a “suavidade dos fortes”. É a qualidade de uma personalidade forte que é, mesmo assim, senhora de si mesma e serva de outras pessoas. A mansidão forma um par ideal com a humildade, porque “o homem manso pensa bem pouco nas suas reivindicações pessoais, assim como o homem humilde pensa bem pouco nos seus méritos pessoais” (R.W. Dale). Jesus Cristo foi esse homem (Mateus 11:29).
2) Longanimidade: Quando a Bíblia diz que Deus é longânimo, significa que Ele é “grande de rosto”, “lento para a ira”. A longanimidade é a capacidade aguentar, com paciência, pessoas provocantes, tal como em Cristo Deus foi longânimo conosco (cf. Romanos 2:4; I Timóteo 1:16).
3) Tolerância Mútua: Suportar uns aos outros fala daquela mútua tolerância sem a qual nenhum grupo de seres humanos consegue conviver em paz. O autor dos Hebreus nos informa que Jesus suportou a cruz e a oposição dos pecadores contra Si mesmo (Hebreus 12:2-3)
4) Amor: Já foi mencionado na lição anterior e certamente será em outras. E novamente lembramos que o amor é a atitude que visa o bem-estar do próximo.
5) Paz: Preservando “a unidade do Espírito no vínculo da paz” (v.3). “Façam tudo para conservar, por meio da paz que une vocês, a união que o Espírito dá” (Efésios 4:3).
6) Humildade: Cremos que essa é uma das palavras mais mal-entendidas na igreja evangélica. Muitos confundem humildade com roupa rasgada, casa velha, ausência de conhecimento, etc. Nada disso! Cremos que três coisas caracterizam a humildade cristã.

- Não pensar de si mesmo além do que é (Romanos 12:3)
- Veja bem, você pode pensar de você, falar de você, mas não além do que você realmente é.
- Considerar os outros (Filipenses 2:3)
- Alguém disse: “Você sabe tudo o que sabe, mas não sabe tudo o que os outros sabem”.
- Disposição para servir (Marcos 10:43-45)

Efésios: Unidade, Serviço e Crescimento – http://www.ministerioaviv.com.br

É também no Culto Doméstico, enquanto oramos, que confessamos a Deus nossas falhas, fraquezas e dificuldades pessoais e pedimos a Ele força e graça para vencê-las. O reconhecimento sincero diante de Deus ajuda o cônjuge a se tornar mais compreensivo e amoroso e os filhos a confiarem mais nos pais e abrirem para eles suas dúvidas, fraquezas, dificuldades, dilemas, pois sabem que poderão contar com a ajuda e compreensão deles, visto que também são vulneráveis. Isso em nada diminui a autoridade dos pais e o respeito que os filhos têm por eles. sequer abala a confiança dos filhos neles. Estas áreas só sofrem abalo se os pais erram, fraquejam, pecam e não procuram corrigir o erro, fortalecer-se no Senhor e abandonar o pecado.


2.2 O Culto Doméstico evidencia o amor dos pais e gera amor a Deus e confiança nele

Conceitos orientadores: atenção; dedicação; adoração comunitária

Os pais são os representantes de Deus, e a obra de preparar os filhos tanto para esta vida como para a vida eterna, pertence aos pais. Porque o lar é a primeira escola, e os pais os primeiros professores.
Quando se deve começar a educação?
Na infância evidentemente. Logo que uma criança é capaz de formar uma idéia, deve começar sua educação.
Educação quer dizer o processo pelo qual a criança é instruída, desde o berço à infância, da infância à juventude, e da juventude à maturidade.
A Palavra de Deus recomenda: "Ensina a criança no caminho em que deve andar, e ainda quando for velho, não se desviará dele." Provérbios 22:6
Os componentes do relacionamento nos primeiros anos não podem ser supridos por mães substitutas, ou mesmo por creches. O papel desempenhado pela mãe nos primeiros anos tem efeito decisivo sobre a inteligência da criança.
Em resumo: o papel dos pais e principalmente o da mãe, na educação dos filhos, é da mais alta importância e insubstituível.

Preparando Os Filhos para Vencer – http://www.jesusvoltara.com.br

A Psicologia (aliada à Prática e observação), nos faz saber que o tempo dedicado (“gasto”) com elas é amar. É dar importância. Isto também vale e/ou se verifica com adolescentes, jovens e adultos: quase todos  entendem as horas dedicadas à companhia deles como um: “eu o amo, por isto gosto de ficar perto, conversar e ouvir você. De orar junto com você”.
Reuniões em família (leves e agradáveis!), podem ser: reuniões de estudos bíblicos, orações, cânticos, respostas às dúvidas e questionamentos dos filhos, falar com Deus sobre os problemas, planos e projetos da família. Quando os pais ensinam sobre tudo isto, o quanto estes amam a Deus e confiam nele, colherem o fruto de verem seus filhos o amar também. Logo desejarão ter Jesus como Senhor, como seus pais, e se tornarão filhos de um Deus tão bom e tão amoroso (ao menos como gratidão).


2.3 O Culto Doméstico disciplina o temperamento, transforma o caráter e fortalece a vida espiritual e a fibra moral

Conceitos orientadores: tratamento espiritual; conduta moral; ética; bons costumes; relativismo; pós-modernismo;

Bons filhos conhecem o prefácio da história de seus pais Filhos brilhantes vão muito mais longe, conhecem os capítulos mais importantes das suas vidas.
Bons jovens se preparam para o sucesso. Jovens brilhantes se preparam para as derrotas. Eles sabem que a vida é um contrato de risco e que não há caminhos sem acidentes.
Bons jóvens têm sonhos ou disciplina. Jovens brilhantes têm sonhos e disciplina. Pois sonhos sem disciplina produzem pessoas frustradas, que nunca transformam seus sonhos em realidade, e disciplina sem sonhos produz servos, pessoas que executam ordens, que fazem tudo automaticamente e sem pensar.
Bons alunos escondem certas intenções, mas alunos fascinantes são transparentes. Eles sabem que quem não é fiel à sua consciência tem uma dívida impagável consigo mesmo. Não querem, como alguns políticos, o sucesso a qualquer preço. Só querem o sucesso conquistado com suor, inteligência e transparência. Pois sabem que é melhor a verdade que dói do que a mentira que produz falso alívio. A grandeza de um ser humano não está no quanto ele sabe mas no quanto ele tem consciência que não sabe.
O destino não é frequentemente inevitável, mas uma questão de escolha. Quem faz escolha, escreve sua própria história, constrói seus próprios caminhos.

Augusto Cury

Motivações para O Culto Doméstico:

O bem-estar eterno dos nossos queridos. Pensar que os filhos passarão a Eternidade no inferno deve ser terrivelmente avassalador para todo e qualquer pai temente a Deus. Imagine também enfrentarmos a Eternidade tendo que confessar que não lutamos com seriedade pelas almas dos nossos filhos. Seria uma terrível confissão admitir: “Li a Bíblia para os nossos filhos, mas jamais lhes falei sobre ela; orei, mas nunca orei fervorosamente pelas suas almas!” Senhores pais, usem de todos os meios para arrebatarem a seus filhos — como a tições — do fogo. Orem com eles, ensinem-lhes, cantem com eles, chorem por eles, admoestem-nos, roguem em favor deles com base no batismo. Lembrem-se que a cada culto doméstico vocês os trazem à presença do Altíssimo. Busque pela graça de trazer à sua família as bênçãos do Deus Onipotente.
A satisfação de uma boa consciência. Temos que viver e conduzir o culto doméstico de tal modo que os nossos filhos não tenham condição de dizer: “fui amarrado pelas mãos e pelos pés e lançado fora na escuridão eterna por causa do cuidado desleixado de vocês como pais, por causa da hipocrisia de vocês, do descaso de vocês pelas coisas de Deus. Pai, mãe, porque é que vocês não foram fiéis a mim?”.
Auxilia a criação dos filhos. O culto doméstico ajuda a promover a harmonia em tempos de aflição, doença e morte. Proporciona um maior conhecimento das Escrituras e crescimento na piedade individual, tanto a vocês quanto a seus filhos. Ele fomenta a sabedoria de como enfrentar a vida, a abertura para falar de questões relevantes e o relacionamento mais estreito entre pais e filhos. Os fortes laços estabelecidos no culto doméstico em seus anos iniciais podem ser de grande ajuda para os adolescentes nos anos por vir. Esses adolescentes podem ser poupados de muitos pecados ao se recordarem das orações em família. Em momentos de tentação é possível que digam: “como poderia ofender a um pai que luta diariamente com Deus em meu favor?”.
A brevidade do tempo. “Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa” (Tg 4.14). A instrução diária se estende apenas por uns meros vinte anos ou menos, e mesmo esses anos não são garantidos. Devemos conduzir o culto doméstico conscientes do quão breve é a vida, em termos de uma Eternidade que não tem fim. Os filhos perceberão esta realidade se o culto doméstico for realizado com profunda sinceridade, amor, calor e coerência.
Amor a Deus e à Sua igreja. Pais piedosos desejam glorificar a Deus e servir à Sua igreja. Eles querem dar à igreja filhos e filhas vigorosos e corajosos. Orem para que os seus filhos sejam colunas na igreja. Bem-aventurados são os pais que podem ver um dia, entre a multidão de adoradores, os seus próprios filhos e filhas. O culto doméstico é a fundação de um futuro assim.

O Culto Doméstico – Joel Beeke (trechos)



3. Implante o culto doméstico

De uma coisa podemos estar certos: todos os que se lançarem ao Culto Doméstico, seja para reformá-lo, reconstruí-lo ou edificá-lo do ponto zero, receberão graça de Deus para fazê-lo. Portanto, mãos à obra:

Em nossos dias não é muito comum nos lares cristãos o hábito cultivado de fazer o culto doméstico, talvez devido à vida corrida (na verdade é uma desculpa bem chula), outros tantos apenas por não saberem como fazer.
Se você está na segunda categoria (quer celebrar em sua casa mais não sabe como), abaixo estão algumas sugestões. Se você tem dado desculpa ou criado barreiras para não fazer, desejamos que isso lhe sirva de incentivo.

O que é o culto doméstico?

É a reunião diária da família, num horário predeterminado, para juntos louvar a Deus orar e ler a Bíblia.

O que incluir no culto doméstico?

_ Cânticos
_ Se houver crianças, usar cânticos infantis.
_ Leitura Bíblica _ escolher pequenos trechos. Pode-se usar as sugestões para leituras Bíblicas de algum guia devocional.
_ Memorização _ Selecione um versículo curto e significativo, e repetir várias vezes.
_ história _ Ler pequenas histórias para as crianças. Pode-se usar um guia devocional  infantil.
_ Oração
_ Orar por assuntos diversos e uns pelos os outros.
_ Período missionário
_ Escolher um pais e/ou missionário e orar por ele durante algum tempo.

Observações:
- Todos os membros da família devem participa se possível com sua Bíblia.
- Incentive a memorização de versículos.
- Estimule cada membro da família a orar, estimulando assim aqueles que tem dificuldades para orar em publico.
- O culto doméstico deve ter de 10 a 15 minutos de duração.
- Incentive as crianças a montar um “calendário de oração pela família”, que as ajudara a orar pelas necessidades da família.

Culto Doméstico – http://www.historiasbiblicas.advir.com


3.1 Comunique seu desejo de implantar o Culto Doméstico

Conceitos orientadores: comunicação; projetos; liderança; administração; tomada de decisão; comunhão; voluntariado; delegação de tarefas

Não há campo neutro a respeito desta importante matéria do culto doméstico. Um pai que negligencia este dever, que tem uma família que não adora ao Deus vivo e verdadeiro, deve questionar o caráter de sua própria fé em Cristo. Perceba quais são os tipos de pessoas que irão receber a ira de Deus.
Ninguém se surpreende ao ler que os pagãos que não conhecem ao SENHOR e por isso são idólatras receberão a fúria de Deus. Mas e quanto àqueles que fazem profissão de fé e se unem à igreja visível porém suas famílias não invocam o nome do SENHOR? Se Deus julga os pagãos que não O conhecem, o que fará com aqueles que conhecem Sua palavra e recusam-se a obedecê-la? Calvino escreve: “Invocar é sempre fruto da fé, como é uma evidência da religião; pois aqueles que não clamam por Deus provam, de forma conclusiva, que nunca conheceram coisa alguma da religião”. Há algo mais triste e terrível para um pai que professa a Cristo do que observar seus próprios filhos apostatando porque foram treinados na negligência e esquecimento de Deus em casa? Pai, se você negligencia o mais importante dever familiar agora, você sofrerá depois em um leito de lágrimas e aflição.

O Culto Doméstico – Brian Schwertley – www.monergismo.com

...Nesse momento todos param suas atividades para ficarem juntos, somente esse motivo já é suficiente, tendo em vista que as pessoas não conseguem mais se relacionarem, nem mesmo dentro do mesmo ambiente físico. A tecnologia está roubando o tempo das famílias, é muito tempo dedicado à televisão e à internet, e quase nada à meditação na Palavra de Deus. Os momentos de adoração, no culto doméstico, favorecem um clima de piedade no lar. Os poucos minutos destinados ao culto doméstico contribuíram para que a família, não apenas dentro, mas também fora do lar, possam ter atitudes mais piedosas (I Tm. 4.7).
ORIENTAÇÕES PARA O CULTO DOMESTICO: O culto doméstico não precisa ser demorado, na verdade, é bom que tenha curta duração, não mais que meia hora. É preciso considerar que vivemos em meio a uma sociedade agitada, as pessoas estão assoberbadas de tarefas, inclusive os filhos. Por isso, é melhor fazer um culto doméstico com a duração de 10 minutos diários do que fazer uma vez apenas com uma hora de duração. O horário deve ser apropriado à participação de todos, a fim de que, na maioria das vezes, os membros da família estejam presentes. Se não tiver como realizar o culto doméstico todos os dias, todo o esforço deve ser empreendido para que esse seja feito pelo menos uma vez por semana.

                A Necessidade e a Urgência do Culto Doméstico - http://www.alnoticiasichu.com

Se todos os membros da família servem a Deus será mais fácil de fazer e mais difícil de entender/aceitar o fato de ainda não existir tal prática. Exceto para os novos convertidos, não ser aluno da EBD é como não jejuar, não orar ou não ter vida transformada, mas isto é assunto longo e envolve a estrutura da igreja local, o histórico de seus líderes (realizações deles e etc.) e de práticas (especialmente práticas institucionais) permitidas, ensinadas e promovidas.

3.2 Maridos e esposas de cônjuges inconversos também podem implantar o Culto Doméstico

Conceitos orientadores: liberdade religiosa; individualidades; sabedoria cristã; harmonia; comum acordo X ditadura; parceria; sociedade; concessões, tolerância e negligência

Se somente alguns servem ao Senhor em seu lar, conversem entre si e com os demais sobre o desejo de praticar o Culto Doméstico e peça colaboração e pareceres. Deve ficar claro para o marido (existindo) da importância de tudo isto e que ele deve fazer a direção dos trabalhos. Se ele se eximir, faça-se com os filhos e/ou com os demais. Ore. Use estratégias (Deus as dará) para fazer seu marido assumir o papel de sacerdote do lar. Uma sugestão simples e que surte efeito é a esposa, estrategicamente, deixar alguma dúvida das crianças, que tenha surgido em decorrência da leitura bíblica, para o “papai” solucionar quando chegar. Assim, aos poucos, ele vai assumindo seu lugar durante a adoração da Família. A mãe pode realizar o Culto perto do horário em que o marido chega do trabalho; ao entrar em casa, o momento devocional não terá ainda terminado. Sendo a iniciativa toda do marido, que não seja forçada (“sou santo”, “todos devem se santificar” e etc.) e nem apelando a uma suposta “rebeldia”, “insubmissão” ou “desrespeito” ao sacerdote do lar (“chefe”).
Certa mulher recebeu a Cristo como Salvador. Durante anos serviu ao Senhor sozinha, enfrentando barreiras e principalmente as colocadas pelo marido, um respeitável e influente homem de negócios. Quando ela tomou conhecimento do culto doméstico, a filha mais velha tinha sua própria agenda e interesses, por isto raramente podia participar com a mãe. A mulher não desanimou. Realizava o Culto Doméstico com a filha mais nova e com o a secretária do lar; desde então, já alcançou várias pessoas para Jesus e tem sido canal de bênçãos para muitas famílias. Ainda hoje e depois de longos anos, o marido desta persistente serva de Deus ainda não é um convertido, mas suas duas filhas servem ao Senhor e estão aos poucos conduzindo casais e filhos para Cristo.

3.3 Outros membros da família também podem implantar o Culto Doméstico

Conceitos orientadores: livre-iniciativa; inspiração; chamados e funções; dedicação e talentos; liberdade; despertamento

            Na casa onde o tempo de que os pais dispõem é incompatível com o horário das crianças, os avós, irmãos ou irmãs mais velhos, como também tios, podem assumir essa responsabilidade. Serão momentos maravilhosos de comunhão com Deus e de estreitamento dos laços fraternos. Não é uma tarefa difícil, porque, normalmente, as crianças amam os avós e reclamam pela atenção dos irmãos maiores, e, quando esta é dada, se tornam dóceis e prontas para participarem das atividades sugeridas por seus irmãos. Por isso, vovô e vovó, rapaz e moça, titio e titia, alunos da EBD ou leitores desta Revista, edifiquem seus netos, irmãos menores ou sobrinhos por meio do Culto Doméstico. Estarão contribuindo para guardá-los dos males deste mundo, ajudando-os a crescerem no Senhor.


Conclusão

Após a implantação, reimplantação ou a renovação do culto doméstico, você verá que de fato é uma prática muito simples, no entanto, capaz de auxiliar na formação de uma família bem sucedida. No início, talvez, alguns poderão ter dificuldades por inibição ou falta de prática, mas no decorrer das reuniões, perceberão o quanto é eficaz adorar a Deus com a família.


Fontes:

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/NTLH
Família Cristã (revista professor) – Editora Betel – 3º Trimestre 2013 – Lição 12
Estudos Sobre O Livro de Êxodo – C.H. Mackintosh – Associação Religiosa Imprensa da Fé
Pesquisa Ministério OIKOS (link)
Televisão: Amiga ou inimiga? (link) atenção especial aos comentários
“Culto Doméstico (3.1)” – O Diálogo é Vital para O Crescimento Integral dos Filhos (link)
ABS Vida para Adolescentes (link)
O Culto Doméstico – Brian Schwertley – www.monergismo.com
O Culto Doméstico (ebook)
O Caráter e o Perfil do Homem Cristão (ebook)
A Formação do Caráter Cristão (link)

Bibliografia Indicada (estude mais)

Adoração no Lar (ebook) cortesia Editora Fiel
A Necessidade e a Urgência do Culto Doméstico (link)
A Importância do Culto Doméstico (link)
Ensinando, Evangelizando e Aconselhando (link)
Adolescente Vencedor (ebook)
Preparando Os Filhos para Vencer (link) áudio e artigo
O Cristão e Os Temperamentos (link)
O Fruto do Espírito e O Caráter do Cristão (link)
Exemplo de cultos reais (link)
O Culto Doméstico - curso básico (link)

Questionário

1. O culto doméstico pode ser ferramenta de evangelização?
R: Sim, pois a través do Culto Doméstico podemos evangelizar o cônjuge, os filhos, as visitas, os hóspedes, os vizinhos, os parentes, enfim, são inúmeras as oportunidades.
2. Como as crianças entendem o tempo que se gasta com elas?
R: Como expressão de amor.
3. Que tipo de disciplina o culto doméstico passa para os filhos?
R: Aprendem a ficar quietos e prestar atenção enquanto ouvem a leitura e a oração dos membros da família, a esperar a sua vez de participar; que algumas coisas não devem ser feitas e outras que precisam ser feitas para com o próximo, etc.
4. Além dos pais, quem pode assumir a responsabilidade do culto doméstico?
R: Qualquer membro da família.
5. Na casa onde um dos cônjuges não serve ao Senhor, sobre quem recai a responsabilidade?

R: Sobre aquele que serve a Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho