segunda-feira, 21 de outubro de 2013

EBD Editora Betel - Davi e Jônatas, Amigos para Sempre

Assembleia de Deus CONAMAD
Lição 04 – 27 de Outubro de 2013
Revistaebd Revista escola bíblica dominical editora betel conamad Passagem bíblica trecho bíblico bíblia como estudar teologia bíblia escola dominical escola dominical betel escola biblica betel escola bíblica betel escola dominical conamad auxilio professor ajuda professor subsídio professor auxílio professor subsidio comentario ebd comentário bíblico ebd professor mestre comentário biblico escola dominical comentario biblico escola bíblica comentario bíblico pregação pregador palestra estudo bíblico bíblico

Texto Áureo

“Em todo o tempo ama o amigo; e na hora da angústia nasce o irmão”. Pv 17:17

Verdade Aplicada

Confiança e transparência são o material com o qual as verdadeiras amizades são construídas.

Objetivos da Lição

Mostrar que a amizade de Davi e Jônatas é uma grande lição de amor para nossos dias;
Ensinar que Jônatas era um grande amigo e encorajador para Davi;
Apresentar Jônatas como uma figura tipológica do próprio Jesus Cristo por suas ações.

Glossário

Vulnerável: o ponto pelo qual alguém pode ser atacado; estar fraco;
Tecelão: individuo que tece teares; referido a Deus, aquele que une;
Entrever: ver sem muita clareza.

Textos de Referência

I Sm 18:1 - E Sucedeu que, acabando ele de falar com Saul, a alma de Jônatas se ligou com a alma de Davi; e Jônatas o amou como à sua própria alma.
I Sm 18:2 - E Saul, naquele dia, o tomou e não lhe permitiu que tornasse para casa de seu pai.
I Sm 18:3 - E Jônatas e Davi fizeram aliança; porque Jônatas o amava como à sua própria alma.
I Sm 18:4 - E Jônatas se despojou da capa que trazia sobre si e a deu a Davi, como também as suas vestes, até a sua espada, e o seu arco, e o seu cinto.


Introdução

A amizade entre Davi e Jônatas nos apresenta pelo menos três grandes coisas: uma grande lição de amor para os nossos dias; que amigos da extirpe de Jônatas são encorajadores; e no sentido espiritual, Jônatas aparece como uma figura tipológica do próprio Jesus Cristo (Amigo) por suas ações, cuidados e renúncias.

O Senhor conhece as fraquezas e dificuldades comuns aos homens, afinal, Ele nasceu de mulher; sentiu dores; experimentou a tristeza em muitas situações, alegrou-se em outras; trabalhou com as mãos e do seu rosto escorreu o suor; viveu numa comunidade; muitas vezes sentiu fome e sede (veja os evangelhos). Em resumo, o Senhor foi um homem comum. Despojado da glória celeste; sujeito aos mesmos erros e dissabores dos demais humanos. Era com muito esforço e luta (Jejuns, orações, pureza, etc.) que conseguia ter comunhão com o Pai. Ele conseguiu e afirmou-nos que podemos também!
Ele sabe o quanto custa obedecer a Deus num meio que é hostil a Deus. E nos temos de aprender a obediência e exercitá-la em nossa vida. É muito comum ouvirmos as pessoas falarem que pagariam qualquer preço para servirem a Deus, no entanto, quando o Espírito os convoca e apresenta situações desconfortáveis, voltam atrás em suas declarações.
Às vezes, a obediência a Deus implica a separação de pessoas ou coisas que amamos. Em muitos casos, de coisas boas em si, que dele próprio havíamos recebido, ou, ainda, de pessoas muito amadas ou familiares que são retirados de nós ou porque a obediência a Deus, requer que os laços sejam desfeitos. Talvez seja necessário abandonarmos a vida profissional, ou, ainda a obra espiritual que desejávamos fazer e, dizermos não ao “sistema cristão”, às tradições que enchem as igrejas (pentecostais ou não), e à nossa cultura cristã pré-concebida que só podemos servi-Lo dentro de uma igreja e outros conceitos humanos.

Jesus, Amigo e Sacerdote – Elias R. de Oliveira


1. A amizade de Davi e Jônatas

Analisando o contexto social da época em que Davi e Jonatas se conheceram vemos que a atitude de Jonatas para com Davi foi algo admirável (I Sm 18:1,3 e 4).

Davi e Jônatas. Talvez a mais conhecida amizade na história seja a de Davi com Jônatas, filho do rei Saul. O ciumento rei tentou matar o jovem Davi, escolhido por Deus como seu sucessor. Pelo mesmo motivo, Jônatas poderia ter olhado para Davi com inveja ou ódio. Se Deus não tivesse nomeado Davi, o próprio Jônatas seria rei depois da morte de Saul. Mas Jônatas não mostrou tais atitudes. Ele manteve uma amizade especial com Davi durante toda a sua vida. Quando Saul tentou matar Davi, foi Jônatas quem protegeu o seu amigo (I Samuel 20). Davi lamentou amargamente a morte deste amigo excepcional (II Samuel 1:17-27). Mesmo depois da morte de Jônatas, Davi mostrou bondade para com seu filho aleijado, Mefibosete (II Samuel 9).

        Amizades – Dennis Allan


1.1 Uma amizade surpreendente

Conceitos orientadores: parceria; fraternidade; solidariedade; desprendimento; companheirismo; mutualismo; trivial X extraordinário

            Jônatas teve grande apego por Davi após a conversa deste com Saul. Jônatas, o filho mais velho de Saul, assumiria o trono de Israel. Porém, o Senhor já havia ungido a Davi. Logo, a amizade entre os dois foi singular.
            Ao dar suas vestes oficiais e armas a Davi, o colocou como seu amigo e um igual: reconheceu que, um dia, Davi tomaria seu lugar no trono. Possivelmente Davi tenha relatado sobre a ida de Samuel à sua casa e a unção recebida. Nascia ali uma aliança inabalável, de acordo com a qual, quando Davi se tornasse rei, Jônatas seria o segundo no poder: “...porém tu reinarás sobre Israel, e eu serei contigo o segundo; o que também Saul, meu pai, bem sabe.” (I Sm 23:17) Vemos que houve uma promessa de proteção da vida à família de Jonatas.
            Notemos que as vestes de Saul não serviram em Davi, mas as de Jônatas, sim. Há estudiosos que afirmam que o problema não era o peso nem o tamanho, mas a falta de prática de Davi. Vejam que os guerreiros combatiam com lanças, escudos e espadas; Davi usou uma funda. Alguém que tinha perícia e força contra ursos e leões, não suportaria pesos?
            O fato de as roupas de Jônatas terem servido em Davi nos colocam algumas questões: ou Jônatas era pequeno como sempre se pensa/ensina de Davi, ou Davi não seria assim tão pequeno, visto ter tentado usar as roupas de Saul, que era alto (I Sm 9:2).
            Os símbolos de honra de Saul não cabiam ainda em Davi; ele os tirou. Com o tempo ele se tornaria merecedor disto para só então usá-los (Eram trajes de reis guerreiros. Os de Jônatas eram de príncipe!). Mas agora já havia exibido provas da coragem, habilidades e honra de um príncipe e de um soldado, ele não estava envergonhado em usar os trajes de um príncipe e de um soldado.


1.2 Jônatas sempre foi capaz de renunciar a si mesmo

Conceitos orientadores: altruísmo; desprendimento; socorrismo; sacrifício; filantropia; ética

Primeira marca do cristão – é a Renuncia.
Jesus disse em lucas 9;23 se alguem quer vir após mim a si mesmo se negue.
O que significa renunciar?
Tem duas palavras gregas para definir a palavra renuncia; a primeira é apeipon – significa rejeitar.
A segunda palavra é apotassõ – significa despedir, abandonar, deixar. citado por Jesus em Lucas 14:33 “ assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo”.
eu penso que renunciar é aquilo que está escrito por Jesus em Lucas 6:27-31.
Aqui tem uma lista de renuncias.
- amar os inimigos.
- fazer bem aos que vos odeiam.
- falar bem dos que falam mal de ti.
- orar por aquele que te calunia
- oferecer o outro lado da face para aquele que te bate.

Negar-se a si mesmo é deixar a cama com frio e levantar para ter comunhão com Deus. É deixar o cansaço do trabalho e vir para a Igreja para louvar ao Senhor.


                As Quatro Marcas do Verdadeiro Cristão Filho de Deus – Ministério Anunciai (adaptado)

            Deus, o Criador, é nosso regente. Ainda assim, se rebaixou a homem de dores. Cristo, Deus conosco, Emanuel, nos amou de maneira única, incompreensível e inédita. Desprendeu-se das suas roupas para nos cobrir, esvaiu seu sangue para nos lavar, purificar e salvar. Esvaziou-se para nos enriquecer. O Senhor Jesus fez muito além do que o feito de Jônatas: ele mesmo tomou sobre si nossas dores (trapos). Tomou para si nossas dívidas incalculáveis e impagáveis. Jônatas, entretanto, não vestiu as roupas de Davi, não foi cuidar de ovelhas, tocar harpa e nem mesmo compor salmos.
            Vemos que Jônatas agia com desprendimentos para com Davi, mas não é possível afirmar categoricamente que ele sempre foi ou era assim, nem mesmo que o fizesse com todos. Sempre é bom lembrar de ter cuidado com conclusões muito abrangentes e lacradas, especialmente com o uso de “sempre”, “nunca”, “jamais”, “de forma alguma”, “impossível”. Testemos mais “talvez”, “possivelmente”, “vemos assim”, “nos parece” entre outros. Interpretar textos deve abranger mais que poesia, suposições e respostas rápidas.


1.3 Jônatas era uma fonte de encorajamento

Conceitos orientadores: motivação; inspiração; animosidade; alegria; despertamento; carisma

10 Formas de encorajar os outros:
1) Encoraje em particular. Quanto mais pessoas envolvidas mais comumente eles tenderão a se posicionar e proteger;
2) Concorde com seus sentimentos. Jamais minimize ou corrija. “Isso não é tão ruim assim”, é humilhante não encorajante;
3) Quebre obstáculos e desafios em pedaços menores;
4) Use perguntas: “Você acredita que vai conseguir entregar seu relatório esta tarde?” Progredir encoraja;
5) Remova um peso ou responsabilidade, temporariamente. Aviso: algumas pessoas desanimadas precisam de um novo desafio;
6) Explique o valor deles. “Você é o melhor (preencha esta lacuna) que nós temos”;
7) Desça ao nível deles. Evite falar como um supervisor;
8) Favoreça o descanso. “Por que você não tira um dia de folga?”. Vince Lombardi diz que “a fadiga torna todos nós em covardes”;
9) Deixe-os falar;
10) ????

            Um líder sensível é e será um líder encorajador e incentivador; acima de tudo ele fará isto junto com sua equipe ou liderado. É necessário ajustar rotas e rever procedimentos e até fazer correções ou advertências:o encorajamento precisa ser aplicado ‘na veia’.
            O que diz um líder sempre terá um peso maior do que o normal seja guiando, modelando ou dando a palavra final.
            Assim, a fala encorajadora de um líder age profundamente; será inesperada, se ignoramos tal verdade. Um líder precisa finalizar seus diálogos de forma positiva. Desta forma, a abordagem inter-pessoal será ativa, ágil, dinâmica e fácil, promovendo um ambiente melhor e mais produtivo no trabalho e criações em equipe.
            Há muitas forças geradoras de desânimo em todo canto. Necessitamos de guias que nos encorajem e sejam encorajados. Que tipo de guias temos sido? Em um lindo dia de sol enxergar a pequena nuvem escura do horizonte ao longe?Ou em meio às tempestades, lembrarmos que sobre as pesadas nuvens o Sol nunca deixa de brilhar? Isto já é um bom começo...
Com certeza, jamais agradaremos a todas as pessoas. Iremos conviver com aqueles que nos amam e com aqueles que nos odeiam. Em nada, somos diferentes de Jesus. Mas uma coisa precisamos compreender, Deus sempre colocará, ao nosso lado, pessoas que realmente nos amam, e precisamos ter a sensibilidade de corresponder-lhes, de sermos leais a elas, de ajudá-las, e de jamais esquecer-lhes.



2. O que Davi encontrou em Jônatas

Quando se trata do assunto família na vida de Davi, as coisas se tornam muito complicadas. Nós só ouvimos falar de sua família quando ele é ungido, quando é ignorado por Eliabe antes de enfrentar Golias, e quando está na caverna de Adulão. Parece que Davi só tinha mesmo Deus e Jônatas para conversar. Davi foi excelente, mas foi homem de poucos amigos. Todavia, em Jônatas, ele encontrou alguém capaz de dividir um ombro e amparar suas lágrimas.
No início, Saul "amou muito" a Davi (16:21). Mas tudo virou inveja e, depois, ódio mortal. O Mal não conseguiu atingir ao leal servo do rei. Durante quase dez anos, foi ele um fugitivo. Deus frustrou os planos de Saul e usou a hostilidade do rei para preparar a Davi, amadurecendo-o e o transformando num guerreiro de coragem. O rei protegia a si e a seu trono. Davi estava sendo preparado para este posto. Neste meio, surge Jônatas, confortador, salvador, amigo e irmão.

2.1 Davi encontrou em Jônatas a liberdade de ser ele mesmo

Conceitos orientadores: desenvolvimento pessoal; evolução profissional; prosperidade ministerial; personalidade; talentos; dons; expressividade; oportunidades; retração, introversão e omissão

Sendo a personalidade um reflexo da idéia que temos de nós mesmos, logicamente, ela tende a se alterar de conformidade como se altera no indivíduo a apropriação de si mesmo, ou a crença no seu valor excepcional...
O indivíduo que não alcança o estágio de plena consciência de si mesmo, não é identificável, é um anônimo na massa humana impossível de ser destacado, admirado e, portanto; impotente para liderar pessoas!
A personalidade se manifesta e se eleva com a eliminação de qualquer impressão confusa de si mesmo, com a capacidade de se conhecer, se possuir, de se auto-afirmar e de influenciar o próximo.
Só pode aglutinar boas condições de Liderança, a personalidade virtuosa, o “eu” emancipado livre das tiranias das paixões, imune às influências negativas tornando-se racional e, plenamente, senhor de si.
A transformação positiva da personalidade, só é possível com a ajuda de um incansável esforço pessoal para conhecer e poder explorar todo o potencial individual para daí lograr substituir o “eu” retraído e influenciável de ontem pelo “eu” liberto e fecundo, imprescindível, em nossos dias.

        Expressão Pessoal – Reinaldo Müller

Davi resolvia problemas para Saul, ele não os trouxe. O rei revelou transtornos profundos prévios. O jovem pastor era um jovem (17 – 18 anos) honesto e vivia pela fé; Saul, um homem dissimulado, orgulhoso, intolerante, impaciente e mundano. Em sua nomeação real, Davi teve enorme humildade; Saul entrou em delírios querendo proteger seu posto. Deus abandonou Saul, mas havia de seu Espírito em Davi, que liderou tropas brilhantemente para a nação. Tão submisso quanto valente e corajoso, havia ele provado ser um filho submisso a Jessé, seu pai, e agora um servo obediente a Saul, seu senhor e rei. Jônatas foi um apoiador e protetor de alguém muitíssimo conhecido e provado, diferente de Barnabé que foi fiador pleno de Paulo, matador e perseguidor (uma “peste”, em suas próprias palavras). Com tal aparato, pode continuar desenvolvendo seu ministério, chamada e serviços à nação.
Quando foi a última vez que você encontrou um amigo capaz de chorar com você? Alguém que não fosse como os amigos de Jó, que, vendo seu sofrimento, não dissessem que você está em pecado. Alguém que realmente lhe veja apenas como amigo, que esteja disposto a não lhe confrontar na hora da miséria, que lhe fortaleça com palavras dóceis, que seja capaz de ouvir-lhe e não ficar tentando descobrir por que seu coração está sangrando. Quem tem amigos como Jônatas pode até chorar, mas não chora sozinho. Amigos verdadeiros não dividem apenas sorrisos e momentos bons. Choram juntos.


2.2 Davi encontrou em Jônatas o que nunca encontrara em casa

Conceitos orientadores: lar, família, igreja local e trabalho; problemas de convívio; comunidade; desagregação; desarmonia; receptividade; acolhimento

Não vemos bases de afirmar que Davi nunca teve boas coisas em sua casa. Cremos que foram raras tais ocasiões, mas a omissão de relatos destas não afirma a total ausência. Tais suposições/especulações podem nos conduzir a erros enormes.
Entendemos que era uma enorme alegria para Davi ficar com as ovelhas de seu pai, pois assim ele demonstrava serviço e obediência. Não entendemos ser sua maior alegria para se achar importante, pois ele sempre demonstrou saber da grandeza de Deus e de nossa insignificância.
De fato não há relatos de comemorações, nem com seus irmãos nem com seu pai e nem com ninguém. As pessoas (familiares-empregadores) apreciavam muito o que e como ele fazia, sua pessoa era esquecida. Não queriam saber a pessoa que era.
Jônatas surge como alguém que o valorizava como pessoa, e se preocupava com seu bem estar, com seu futuro. Davi era o complemento à sua alma (I Sm 18:1).
Jônatas, não desejou ser rei. Possivelmente não via, em seu pai, nada que lhe causasse admiração, ou motivação. Os dois não somente eram amigos porque se amavam, mas, porque também tinham algo em comum: suas famílias.
E muito triste quando os de fora desempenham um papel melhor que nossos familiares, quando nos sentimos melhor fora de casa do que dentro dela. Davi nunca sentiu saudade de casa, mesmo sofrendo o que sofreu. Nosso lar nos chama para responsabilidades. É tempo de mudanças.


2.3 Davi encontrou em Jônatas mais que o amor das mulheres

Conceitos orientadores: afetos naturais; irmandade; camaradagem; ternura; ágape, eros e phileo;
apego sensual; libertinagem, promiscuidade e depravação; materialismo

O íntimo relacionamento entre Jônatas e Davi é visto na Bíblia como um modelo de amizade. Em nenhum lugar das Escrituras se encontra referência a uma ligação homossexual entre eles. O versículo normalmente citado para justificar o homossexualismo é aquele em que Davi chora a morte de Jônatas, dizendo: ‘Teu amor me era mais precioso que o amor das mulheres’ (2 Sm 1.26). É importante observar, entretanto, que a palavra hebraica ahavá não significa apenas amor no sentido conjugal/sexual, mas também no sentido paternal (‘Isaque gostava de Esaú’, em Gn 25.28), no sentido de amizade ( ‘Saul afeiçoou-se a Davi’, em 1 Sm 16.21), no sentido de amor a Deus (‘Amarás o Senhor, teu Deus’, em Dt 6.5) e no sentido de amor ao próximo (‘Amarás o próximo como a ti mesmo’, em Lv 19.18). Em todos estes exemplos, o verbo usado na Torá (a Bíblia hebraica) é ahavá. É por razão lingüística — e não por falso pudor — que a maioria das traduções bíblicas cita 1 Samuel 1.26 ‘Tua amizade me era mais preciosa que o amor das mulheres

Rabino Henry I. Sobel, da Congregação Israelita Paulista.

Mesmo que Davi tivesse tido um caso homossexual com Jônatas, isto não justificaria o homossexualismo como um comportamento aprovado por Deus porque:

1)Na Palavra de Deus estão contados tanto os acertos quanto os erros das personagens. Se tudo o que elas fizeram nos justifica a repetir suas ações, como Davi, poderíamos adulterar, praticar homicídio, mentir, idolatrar, desonrar a Deus e aos pais, cobiçar, furtar, etc.
2)Saberíamos que tal comportamento, apesar de registrado pela Bíblia, não seria aprovado pela mesma, pelo fato de que:

a)Em nenhum lugar do texto bíblico há apoio para o comportamento homossexual.
b)Em outras passagens a Bíblia condena o homossexualismo (Rm 1:26-27; Lv 18:22; Cr 6:9; 1Tm 1:10-11).

Todos os traços louváveis dos caracteres de Davi e Jônatas foram aglutinados por um verdadeiro afeto, e Jônatas compreendeu que a felicidade consiste em amar antes de ser amado. Cristo nos amou desta forma, de tal maneira que voluntariamente se despojou de todas as suas prerrogativas divinas (Fp 2:6-8) a fim de poder iluminar a todo homem (Jo 1:9).

Davi e Jônatas - Um Caso de Amor – Valdeci Junior

Mais uma vez a Revista SUPER INTERESSANTE presta um desfavor à causa da Palavra de Deus.
Não se compreende quais as intenções obscuras que os colunistas Alexandre Versignassi e Tiago Cordeiro se serviram para afrontar e desacreditar a Santa Palavra do Senhor bem como atacar os seus princípios doutrinários.
Com certeza os mesmos que fizeram a revista Veja, que é publicada pela mesma empresa, ser desacreditada por servir de instrumento de apoio às falcatruas no caso “Cachoeira”.

Para a declaração de II Sm 1.26:
“Angustiado estou por ti, meu irmão Jônatas; muito querido me eras! Maravilhoso me era o teu amor, ultrapassando o amor de mulheres.”
Não está Davi aqui afirmando que tinha uma relação Homossexual com Jônatas, e muito menos que esta relação fosse mais prazerosa do que com mulheres, mas que o sentimento de amizade que era nutrido por ambos não tinha fim, ou seja, no sexo entre um homem e uma mulher, após o orgasmo os corpos se separam, mas com Jônatas não, eram ligados pela alma.
I Sm 18.1
“Ora, acabando Davi de falar com Saul, a alma de Jônatas ligou-se com a alma de Davi; e Jônatas o amou como à sua própria alma.”
I Sm 20.17
“ Então Jônatas fez Davi jurar de novo, porquanto o amava; porque o amava com todo o amor da sua alma.”
A revista erra quando se baseia em suposições de pseudos conhecedores das Santas Escrituras, mas como tem provado em cada edição, para esta editora, a verdade é o menos “INTERESSANTE”.
Tinha razão o grande historiador Heródoto quando disse:
“É SEM DÚVIDA MAIS FÁCIL ENGANAR UMA MULTIDÃO DO QUE UM SÓ HOMEM”.
Fiquemos com a Bíblia, Deus te abençoe.

        Uma Mentira “Super Interessante” – http://artigos.gospelprime.com.br

            Em II Samuel 21:8 lemos “os cinco filhos de Mical, filha de Saul, que ela dera à luz a Adriel”. Estes estavam entre os membros da casa de Saul, entregues por Davi aos gibeonitas como expiação pela tentativa de Saul de aniquilá-los (II Sm 21:1-10). Este falso conflito entre II Samuel 21:8 6:23, que mostra que Mical morreu sem filhos, pode ser esclarecido pela visão de alguns comentaristas: estes filhos eram os cinco filhos de Merabe, irmã de Mical. Esta os criou depois da morte prematura da mãe deles (II Sm 21:8).
            Não vemos base para afirmar que ela ficou sem filhos como maldição, nem mesmo que fosse fértil. Lembremos que Davi não vivia bem com ela. Pedimos aos amados mestres, leitores e alunos que leiam e meditem profundamente nos textos abaixo, sobre Mical.

É claro que Mical ajudou Davi a salvar sua vida, mas ela tinha duas opções: fugir com o marido ou continuar na cidade, no conforto do seu lar e como filha do rei Saul.
Como esposa, será que Mical não deveria estar ao lado de Davi, onde ele fosse, e vivendo de qualquer maneira ao seu lado? Ou era melhor ela continuar no conforto da sua casa, como filha do rei? Este era o momento de Mical expressar o seu amor a Davi, mas ela escolheu ficar ao lado do pai.
Davi e Mical ficaram muito tempo sem se ver. Ele foi muito perseguido por Saul, por diversas cidades. Em uma delas, conheceu Abigail e Ainoã, ambas foram suas esposas (I Samuel 25: 39-43). Se Mical tivesse ficado ao seu lado, Davi teria outras mulheres?
Há mulheres que preferem o conforto a fazer valer suas palavras de fidelidade e companheirismo ditas ao seu marido no dia do casamento. Quantas desvalorizam o homem que Deus colocou em sua vida, ao não apoiá-lo nas decisões, não estar ao seu lado em dias difíceis e não dar a devida atenção aos seus projetos. Atitudes como estas, e ainda outras não mencionadas, dão abertura para as amantes, amizades não tão convencionais.

        Princesa ou Fugitiva? – http://www.montesiao.pro.br

Lembro que Davi tinha várias mulheres desde Hebrom cf. II Sm 3:5 das quais gerou  6 seis filhos e que em Jerusalém ele ainda tomou mais concubinas  e mulheres,  com quem gerou mais 11 filhos cf. II Sm 5: 13-16. O que se pode supor é que após ser criticado por Mical, Davi não tenha mais coabitado com ela, o que impediria que ela tivesse filhos com ele. Ou, até, que  realmente ela já seria infértil antes desse acontecimento. Para finalizar, creio que o Deus da Vida, o Pai bondoso e amoroso que Jesus Cristo nos revelou, não castigaria dessa forma, principalmente, quem apenas critica outra pessoa.

        Porque Mical foi castigada com a esterilidade, por repreender ao rei Davi, quando o mesmo dançava a Deus?
        – http://www.abiblia.org



3. Amizade, um presente dado por Deus

Davi não ficou somente na amizade de Jônatas, ele era de gentil presença, e conquistava as pessoas (I Sm 16:18b). Quando fugia de Saul, fez amigos em uma caverna, que, mais tarde, se tornaram seus homens de confiança. Fugindo de Absalão, andou errante pela terra dos filisteus, e seus novos amigos o seguiram. Davi teve muitos amigos, mas nenhum deles foi semelhante a Jônatas. Teremos amigos em várias escalas, mas poucos serão os que marcarão nossas vidas como Jônatas marcou a de Davi. Vejamos o que é ser amigo.

Todo pastor, conferencista ou orador sente a inutilidade de seu desempenho quando não recebe da audiência o menor comentário elogioso. O que se aplica a profissionais aplica-se duplamente àqueles que trabalham em escritórios, lojas e fábricas e aos nossos familiares e amigos. Nas nossas relações interpessoais, não devemos nos esquecer de que nossos companheiros são seres humanos e que, como tais, desejam ouvir uma palavra que os valorize. É a moeda legal que todas as almas apreciam.
Experimente deixar um rasto amistoso de pequenas centelhas de gratidão à sua passagem. Você se surpreenderá em ver como elas acendem chamas de amizade que alumiarão sua trajetória numa próxima visita.
Leia atentamente esta amostra do sábio conselho de Elbert Hubbard, mas lembre-se de que a leitura não lhe fará bem algum a menos que seja aplicada:
"Todas as vezes que for sair, encolha o queixo, firme a cabeça e encha os pulmões o mais possível; cumprimente os amigos com um sorriso e ponha a alma em cada aperto de mão.
Não receie ser mal compreendido e não gaste um minuto sequer pensando nos inimigos. Procure fixar na mente o que você gostará de fazer; e, então, sem mudar de diretriz, mova-se para o objetivo visado. Pense nas grandes e esplêndidas coisas que gostaria de fazer e, assim, os dias passarão e você se sentirá, inconscientemente, senhor das oportunidades que lhe são requeridas para a consecução do seu desejo, do mesmo modo que o coral tira da passagem das marés os elementos essenciais para a alimentação. Tenha sempre no pensamento a pessoa capaz, importante e útil que deseja ser e tal pensamento, a cada hora, o transformará neste indivíduo particular. O pensamento é supremo. Conserva a correta atitude mental, a atitude da coragem, da franqueza e do bom humor. Pensar acertadamente é criar. Todas as coisas emanam de um desejo e todas as súplicas sinceras são atendidas. Tornamo-nos tal quando nossos corações estão a isso resolvidos.

Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas – Dale Carnegie (trechos)

3.1 Os verdadeiros amigos nascem nos momentos de angústia

Conceitos orientadores: pactos e parcerias; condoer-se; hombridade; empatia, tristezas e alegria; bonanza, adversidade e conveniências;

            Amizade, companheirismos, cooperações mútuas e etc. são sempre agradáveis, contributivas e favorecedoras dos ambientes, vizinhanças, grupos, equipes, igreja local, matrimônio, ministérios e etc. Porém, em tempo bom e economia idem, todos saem às ruas. Já com tempo ruim, escuridão ou temporal e apertos financeiros ou de saúde, somente os legítimos irmanados fazem alguma coisa desprendidamente.


3.2 Os amigos são como luzeiros para nossa escuridão

Conceitos orientadores: mentoreamento; guia; direcionamento; aconselhamento; despertamento; lucidez; ajudar

O escritor F. B. Meyer faz a seguinte afirmação quanto a Jônatas. “Jônatas é um dos mais nobres tipos humanos apresentados nas biografias da Escritura. Tanto na sua vida particular quanto na pública, ele brilhou como uma estrela num céu escuro. Davi disse que ele era “querido e amável”. Jônatas tinha uma clara previsão da futura grandeza de Davi, mas nunca deixou entrever qualquer sentimento de rivalidade. Ele amava seu amigo mais do que a si próprio, tanto que, na verdade, para Jônatas, era melhor ver Davi coroado e exaltado do que ele próprio ascender ao trono. O amor expulsa o ciúme. Essa amizade era ideal; e só nos cabe pedir que possamos perceber alguma coisa da sua beleza e conhecer o amor de Cristo assim dessa maneira (I Sm 20:1-16).

Continua...

3.3. O amor de Jônatas por Davi é comparado ao amor de Deus por nós

Conceitos orientadores: dom supremo; salvação; expiação; sombras, tipos e figuras; exemplo; apontar; doação; cuidado

Através de Jonatas, aprendemos que nós devemos saber onde está a vontade de Deus. Para isso, devemos manter sempre o relacionamento vivo e verdadeiro com Deus. Devemos orar para isso. Ou seja, Jonatas sabia bem onde estava a vontade de Deus. Ele sabia bem quem era ele mesmo perante Deus. Ele conhecia sua pessoa.
Vários problemas e dificuldades acontecem, porque nós não sabemos quem somos. Nós pensamos que podemos fazer tudo, mas não podemos nem fazer o bem. Devemos saber qual é o nosso ponto forte e o ponto fraco. Devemos ser francos e honestos para com o que sabemos e não sabemos, e para com o que podemos fazer e o que não podemos fazer, para não cairmos em maiores problemas na nossa vida. Para saber exatamente o nosso ser, a ajuda de Deus e a Sua iluminação são fundamentais. Por isso devemos orar e meditar nas palavras de Deus, e ter uma atitude humilde perante Deus e perante as pessoas.

A Amizade – https://docs.google.com

Quando Saul vem em busca de Davi, Jônatas o esconde. Ele normalmente lhe dá avisos como este: “Meu pai está procurando uma oportunidade para matá-lo. Tenha cuidado amanhã cedo. Vá para um esconderijo e fique por lá” (I Sm l9.2). Jônatas faz uma promessa a Davi e dá-lhe roupas e proteção. Davi encontrou um amigo no filho daquele a quem era seu inimigo. Essa é a nossa história, e Jônatas é um belo tipo de nosso Salvador.

         Continua...


Conclusão

Como é bom ter um amigo como Jônatas. Um amigo e confidente que o protege, que não procura nada senão o seu bem, que não quer nada senão a sua felicidade. Um aliado que o permite ser quem você é. Deus deu a Davi esse amigo. Ele deu um pra nós também. Davi encontrou um companheiro em um príncipe de Israel; nós podemos encontrar um amigo no Rei de Israel, Jesus Cristo. “Ele sempre estará ao nosso lado” (Mt 28:20).


Fontes:

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/NTLH
Davi, A Lâmpada de Israel (revista professor) – Editora Betel – 4º Trimestre 2013 – Lição 04
Davi, As vitórias e as derrotas de um homem de Deus (revista) – CPAD
Como Resolver Problemas em I e II Samuel – Ancil Jenkins – A Verdade para Hoje (link)
Jesus, Amigo e Sacerdote – Elias R. de Oliveira (link)
A Amizade (link)
Amizades (link)
As Quatro Marcas do Verdadeiro Cristão Filho de Deus (link)
Expressão Pessoal (link)
Davi e Jônatas - Um Caso de Amor (link)
Princesa ou Fugitiva? (link)
Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso AT/NT – Matthew Henry – CPAD
Comentário Bíblico Esperança NT – Editora Evangélica Esperança
Bíblia Comentada – http://www.bibliacomentada.com
Comentário Bíblico Moody AT/NT – Editora Batista Regular
Porque Mical foi castigada com a esterilidade, por repreender ao rei Davi, quando o mesmo dançava a Deus? (link)
Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas – Dale Carnegie – Companhia Editora Nacional


Bibliografia Indicada (estude mais)

É Perigoso para os Cristãos Terem Amizade Profunda com Incrédulos? (link)
Expressividade: Você Sua Imagem. Como se comunicar corretamente e deixar a sua marca – Ed. Saraiva
Livres da Raiz de Amargura (link)


Questionário

1. O que aconteceu quando Davi e Jônatas se avistaram pela primeira vez?
R. “A alma de Jônatas se ligou com a alma de Davi”
2. Que atitude teve Jônatas com Davi que nos recorda a Cristo? 
R. Se despiu de suas vestes reais.
3. Por que motivo Jônatas aparece na vida de Davi?
R. Para fortalecê-lo nos momentos de angústia e solidão.
4. Foi Deus quem uniu Davi e Jônatas, mas o que possuíam em comum para se apegarem tanto?
R. Suas famílias.
5. Segundo a Bíblia, quando nascem os verdadeiros amigos?

R. Nos momentos de angústia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho