domingo, 6 de outubro de 2013

EBD Editora Betel - Davi é Ungido Rei de Israel

Assembleia de Deus CONAMAD
Lição 02 – 13 de Outubro de 2013
Revistaebd Revista escola bíblica dominical editora betel conamad Passagem bíblica trecho bíblico bíblia como estudar teologia bíblia escola dominical escola dominical betel escola biblica betel escola bíblica betel escola dominical conamad auxilio professor ajuda professor subsídio professor auxílio professor subsidio comentario ebd comentário bíblico ebd professor mestre comentário biblico escola dominical comentario biblico escola bíblica comentario bíblico pregação pregador palestra estudo bíblico bíblico

Texto Áureo

“Achei a Davi, meu servo; com santo óleo o ungi.” Sl 89:20

1. O Messias seria da semente de Davi. O verdadeiro Davi.
2. Seria servo do Pai. "Meu servo".
3. Seria consagrado ao seu ofício por Deus. "Com meu óleo sagrado".
4. Ele o cumpriria com perfeição. "Minha mão o susterá".
5. Seria sustentado no ofício pelo Pai. "Meu braço".

                Esboços Bíblico em Salmos – Charles H. Spurgeon

Verdade Aplicada

A unção é a capacitação para o serviço, ninguém recebe unção para benefício próprio, e sim, para servir.

A igreja hoje está vivendo mais em função do seu passado do que do seu presente. Muitos que sepultaram a velha vida, estão chorando diante da sepultura, recordando um tempo que já não existe mais. O que aconteceu? Onde foi parar a alegria, a fé, a ousadia?
O povo de Deus está voltando a ser um povo errante. Qualquer dificuldade é motivo para se afastar em busca de um oásis inexistente.
A lista para explicar este tipo de comportamento é grande. Tudo tem uma explicação para apoiar o afastamento, o desinteresse. Assim vamos colecionando fracassos na família, no trabalho, na igreja culpando até mesmo a Deus pelas nossas derrotas.
O estudo sobre a unção do Espírito visa restaurar o poder de Deus em nossas vidas. Estamos vivendo num período muito singular. O mover do Espírito Santo está começando a acontecer em muitos lugares. Precisamos estar preparados para não deixar esta onda passar sem nos tocar. A hora é de entrega e disposição de buscar a presença de Deus e a manifestação do Espírito Santo. Que Deus nos ajude!

A Unção do Espírito na Vida do Cristão – Tito Oscar

Objetivos da Lição

Ensinar o que significa a unção de Deus na vida de uma pessoa;
Mostrar quais são os benefícios e o malefícios de receber-se unção;
Mostrar que toda pessoa que recebe unção sofrerá mudanças em sua vida.

Glossário

Amadurecimento: ato ou efeito de amadurecer;
Limitadamente: que tem limites, pouco extenso;
Parcimonioso: comedido.

Textos de referência

Sl 78:65 - Então o Senhor despertou como quem acaba de dormir, como um valente que se alegra com o vinho.
Sl 78:66 - E feriu os seus adversários por detrás e pô-los em perpétuo desprezo.
Sl 78:67 - Além disto, recusou o tabernáculo de José e não elegeu a tribo de Efraim.
Sl 78:68 - Antes elegeu a tribo de Judá; o monte Sião, que ele amava.
Sl 78:69 - E edificou o seu santuário como altos palácios, como a terra, que fundou para sempre.
Sl 78:70 - Também elegeu a Davi seu servo e o tirou dos apriscos das ovelhas;


Introdução

Os propósitos da unção vêm desde o AT, em que sacerdotes e reis eram ungidos com óleo, para indicar a presença permanente do Espírito Santo em suas vidas e, assim, exercerem suas funções (Jz 9:8; I Sm 9:16). Mas, em relação aos profetas, a unção era diretamente dada por Deus (I Rs 19:16; Is 61:1). Essa ideia é a base da unção no NT, tanto de Cristo, quanto dos cristãos. Na lição de hoje, veremos a unção literal e espiritual na vida de Davi.


1. A unção de Davi

Em termos práticos, a unção é a capacitação dada por Deus para executar o serviço ou a vocação dada por Ele. A unção (capacitação) é sempre muito pessoal, variando de pessoa a pessoa, pois nem todos possuem um mesmo chamado. Em algumas pessoas, Deus usa mais tempo e mais circunstâncias para que o aprendizado torne maduro o possuidor da unção. Porém, todos são lapidados como Deus desejar.

1.1 A importância da maturidade

Conceitos orientadores: modelagem; adestramento; aprimoramento; desenvolvimento; lucidez; prudência

Os traçados de Deus guiaram a vida do jovem Davi para que ele trabalhasse apascentando o rebanho de seu pai. Chegou a enfrentar um leão, um urso, salteadores, frio, calor, sede, fome e etc. Assim ele foi trabalhado perfeitamente conforme os projetos divinos. Deus conta com homens quando estes ainda sequer nasceram. Mesmo entendidos e tementes podemos ter a evidência do chamado (específico: cargo, tarefa, função, missão), mas pode não ser chegado o tempo. O próprio Messias necessitou esperar para se apresentar. Foi necessário um tempo! Vemos que antes de iniciar seu ministério ele teve uma rápida experiência/teste para poder estar apto (quarenta dias jejuando no deserto). Lembremos que seu trabalho durou menos de três anos. Muitos de nós não suportam uma dificuldade (provação) de poucos meses ou semanas. Se fizermos o cálculo, veremos que a provação de Cristo foi muito maior, na proporção (quarenta dias ininterruptos!).
Quando a unção chega a nossa vida, é sinal de que nada mais será como antes. Podemos observar que a vida de Davi sofreu diversas modificações. Ele amadureceu através das provações, das situações de riscos, de seus atos heroicos e da perseguição. O que mais nos anima em seu heroísmo é que ele nunca desistiu, jamais retrocedeu e sempre confiou no Senhor mesmo quando tudo parecia não ter sentido em sua vida.

            Continua...

1.2 Samuel ungiu a Davi

Conceitos orientadores: investidura; eleição; nomeação; capacitação; revestimento espiritual

O Senhor ordenou que Samuel interrompesse a intercessão por Saul e fosse a casa de Jessé para ungir um novo rei de Israel. O mundo da época ficou perplexo quando Davi foi ungido rei. Agora o profeta teria que sair a procura de Davi: Deus não é preso a modelos operacionais, como nós! Precisamos estar atentos às instruções em cada etapa nova em nosso ministério. Observe que Saul foi ungido com um “vaso” de azeite. O vaso é feito por mãos humanas e simbolizava a vontade do povo. Samuel usou um “chifre e não um “vaso” em Davi! O chifre é feito pelas mãos de Deus, que cresce na cabeça de um animal sem interferência humana. Naquele momento “o Espírito do Senhor se apoderou de Davi” (I Sm 16:13).
           
            Continua...

1.3 As peregrinações e perseverança de Davi

Conceitos orientadores: determinação; teimosia X insistência; ajustes; recálculos; invernações;

Davi passou pela aflição, para depois (já aprovado) chegar à promoção. Doze anos ficou como um fugitivo; enfrentou os desânimos que a vocação provoca; solidão em uma nova fase em sua vida. Que maneira “inglória” de se coroar um rei! Isto o faz lembrar a vida de um outro rei? Do auge de batalhas, palácios, tropas, banquetes e glórias para, num outro dia, a caverna; de comandante geral do exército israelita, a pedinte de exílio nas terras inimigas para escapar da morte. Nossas vidas possuem ‘repentes’ que não fazem sentido, pois a vocação nos revela surpresas. Fiquemos atentos, pois podemos ser levados por caminhos que jamais pensamos ter que passar.
Davi sempre foi um homem de muita perseverança. Ele compreendia muito bem o que significava aquele ritual na casa de seu pai, ele sabia que seu dia chegaria. Muitas pessoas desistem nas primeiras etapas probatórias, outras perdem o foco, e outras como Esaú trocam as coisas eternas pelas passageiras. A graça de Deus sempre trabalha, sempre nos impulsariam para o que fomos chamados a fazer. Devemos compreender que, após recebê-la, jamais teremos vidas normais outra vez.

            Continua...


2. Davi perseguido como vilão

Algo que deveríamos compreender em nossas vidas é que jamais agradaremos a todas as pessoas, e que nossos maiores inimigos podem ser aqueles que amamos e por quem arriscaríamos qualquer coisa para agradar-lhes. Davi, mesmo de posse da unção de rei, sempre se submeteu, honrou e respeitou Saul. Se não fosse plano de Deus, e se Saul não o invejasse, ele tranquilamente continuaria como comandante do exército. Ele era simples, humilde e íntegro. Mas o problema não era ele, mas as perseguições por causa de sua vocação.

            Em elaboração

2.1 As etapas de um vocacionado

Conceitos orientadores: prontidão; submissão; serviço; histórico; evolução pessoal; prestatividade; aprendizado

            Todos nós temos uma missão geral a cumprir e missões específicas em decorrência disto. Mesmo os que estão fora do Aprisco estão nos planos do Criador. No momento em que se voltarem para o Pai, estarão dando ouvidos ao Chamado.  Davi foi ungido para ser rei e Saul foi reprovado, mas ambos foram chamados!  Deus tinha em mente muitas tarefas para Davi cumprir ao introduzi-lo no palácio real. Deus instruiu a Davi como funciona a Monarquia e como jamais um monarca deve agir, ao mesmo tempo em que o preparava em cada departamento para que soubesse como cada um deles funciona, ao ser coroado. Através de Davi aprendemos uma grande lição: mesmo tendo uma grande promessa, cumpria com maestria as etapas de sua vida, e sabia estar contente em todas as situações.
Que teste profundo é saber que o trono que nos pertence em ocupado por um tirano e nada poder fazer, parque Deus ainda não sinalizou. Davi terá aprendido que Deus é quem exalta e abate, quem promove e rebaixa; e quem faz oque bem entende na hora que achar que deve agir. Infelizmente, encontramos pessoas totalmente contrárias a Davi. Que nada têm, mas acham que devem reinar; que jamais esperam o sinal verde, e semelhantes a Saul, vivem a infernizar a vida do povo com seu péssimo governo.

            Continua...

2.2 Invejado por causa do chamado

Conceitos orientadores: destaque; ascensão; frutificação; esplendor; desafetos; oposição

Quem pensa ou fala bem não é sábio no sentido das Escrituras, se não vive e age bem. A sabedoria verdadeira pode conhecer-se pela mansidão do espírito e do temperamento. Os que vivem em maldade, inveja e contenção, vivem em confusão; e estão obrigados a ser provocados e precipitados em toda má obra. Tal sabedoria não vem do alto, senão que brota de princípios, atos ou motivos terrenos, e está dedicada a servir a propósitos terrenos. Os que se jactam de uma sabedoria assim devem cair na condenação do diabo. A sabedoria celestial, descrita pelo apóstolo Tiago, é próxima ao amor cristão, descrito pelo apóstolo Paulo; e ambos são descritos assim para que todo homem possa provar plenamente a realidade de seus logros nelas. Não tem disfarce nem engano. Não pode cair nos manejos que o mundo considera sábios, que são espertos e mau-intencionados, senão que é sincera, aberta, constante, uniforme e coerente consigo mesma. Que a pureza, a paz, a bondade, a docilidade e a misericórdia sejam vistas em todas as nossas ações, e que os frutos da justiça abundem em nossa vida, provando que Deus nos tem outorgado este excelente dom.

                Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso AT/NT – Matthew Henry

Os líderes que fazem a obra de Deus precisam de nosso encorajamento e apoio. Uma olhada mais cuidadosa às funções de Miriã e Arão entre os filhos de Israel nos lembra de que cada um de nós é chamado por Deus para um trabalho especial. Em vez de sentir inveja daqueles que estão em posição de destaque, devemos procurar descobrir que papel Deus deseja que desempenhemos em Sua obra. Esta lição faz referência também à outra situação de liderança. Nadabe e Abiú eram os mais próximos a Moisés e Arão, em questão de comando. Eles haviam desfrutado uma liderança especial. Mas seu pecado não foi sentir inveja de Moisés; eles caíram na armadilha de Satanás: a falta de disciplina e reverência – questões que estavam ligadas ao texto de Números 11.

        E Eu? A inveja de Miriã irmã de Moisés – http://www.historiasbiblicas.advir.com

            Quantas pessoas você conhece que, ao destacarem-se, começam a ser perseguidas, criticadas e invejadas? Não pense que o chamado trazia problemas somente nos dias de Davi, ainda hoje acontece o mesmo em muitos lugares. O problema não está no que realizamos, mas naquilo que nos capacita a realizar o que está incidindo sobre nós. Todas as pessoas que possuem um chamado passarão por incompreensões. Se até Jesus chamaram de endemoninhado, o que não falarão de nós? (Mt 12:24). Na verdade, ninguém poderá apagar o brilho de quem Deus escolheu para cumprir sua vontade (Mt 5:14-16). Infelizmente, muitas pessoas não compreendem que deveriam se alegrar ao ver Deus levantar alguém para fazer a diferença, tais pessoas, em vez de combatê-las, deveriam unir-se às erguidas por Ele. Já imaginou se Saul e Davi fossem unidos?


2.3 A fuga de Davi

Conceitos orientadores: desespero; fingimento

Como Davi lidava com as dificuldades

Davi solucionava seus problemas, independentemente dele mesmo tê-los causado ou não, confiando-os a Deus. O Salmo 55 também demonstra esse tipo de atitude. O pano de fundo histórico relativo a esse salmo pode ser encontrado nos capítulos 15 a 18 do segundo livro de Samuel: Absalão, o filho de Davi, tinha assumido o poder por meio de um golpe de Estado. Davi estava fugindo dele. Seu próprio filho queria não apenas a coroa, mas também desejava matá-lo. Além disso, um dos amigos de Davi tinha se bandeado para o lado do revoltoso. Em sua fuga, Davi sofreu humilhação pública, foi apedrejado e amaldiçoado. Como ele lidou com isso?

        Davi e sua Forma de Resolver problemas – Samuel Rindlisbacher

Então disse Aquis aos seus servos: Bem vedes que este homem está louco: porque mo trouxestes a mim? Faltam-me a mim doidos, para que trouxésseis a este que fizesse doidices diante de mim? [mais literalmente “voltar-se contra mim”. Ele ficou com medo deste homem. Os loucos têm a tendência de serem perigosos, de produzirem injúrias, de ferirem as pessoas ao seu derredor, de causarem dano à propriedade. Aquis não queria nada com este homem demente.] Há de entrar este na minha casa?
Por isto Aquis despachou aquele demente. Se lermos o Salmo 34, quando Davi foge para a caverna em Adulão, observaremos que Deus fortalece a mente de Davi e o faz ver que não fora a sua esperteza e sim o próprio Deus que o livrara das mãos de Aquis. Ele escapou daquela tremenda enrascada que se meteu, porque Deus o livrou, porque Deus é fiel e porque ele se manteve fiel durante todo o tempo. Isto fez com que Davi percebesse a ação de Deus e se arrependesse de seus pequenos e marotos truques e pecados.

        Davi, Aimeleque e Aquis – Ludgero Bonilha Morais

Davi perdera tudo e fogiu para buscar socorro para sua vida na terra de Aquis, o rei de Gate (I Sm 19:9 e 10; 21:10-13). Diante do rei de Gate finge ser louco. Espumando pelo canto da boca, arranhando portas, conseguiu enganá-lo. Assim, consegue fugir outra vez indo para a caverna de Adulão. Ele não perdeu a esperança em Deus. Disto nos disse: “Até que saiba o que Deus há de fazer de mim...” (I Sm 22:3).
Quando fugia de Saul, Davi se escondeu em outra caverna. A Bíblia não relaciona tal caverna com a cidade, como também não foi encontrada qualquer caverna por perto para ocultar quatrocentos homens. Talvez a caverna de Adulão ficasse no ermo montanhoso a oeste de Judá, seguindo para o Mar Morto, onde existem cavernas. O esconderijo de Davi ficava em tal região. Davi chamou seus pais para ali e eles viviam em Belém. Esta região parece mais certa para a caverna. Alguns eruditos preferem perto da cidade de Adulão. Cavernas têm sido encontradas à meio caminho entre Socó e Queila (a dezesseis quilômetros a noroeste de Hebrom) que poderiam ter servido como refúgio e fortaleza de Davi.
Podemos dizer que aquele dia de derrotas foi também o dia em que Deus redirecionou a vida de Davi para que se desenvolvesse nele outras habilidades especiais resultantes da unção que estava sobre sua vida. Ele não encontrou vida pacífica no palácio, e ter unção é sinônimo de sofrimento por parte dos poderosos. Saul não queria que sua imagem diante do povo fosse ofuscada pelo vitorioso Davi, e vendo que Davi somente crescia, sua única saída seria matá-lo. Esse, infelizmente, é um clássico pensamento de nossos dias, onde muitos não sabem por que a glória de Deus resplandece em seus ungidos.



3. Davi é ungido rei de Israel

Após a morte de Saul e seu filho Jônatas, Davi lamentou com profunda tristeza o sofrimento de Israel. Mas a sua ascensão ao trono só aconteceu depois. Primeiro: como rei de Judá e, só mais tarde, veio a tornar-se rei de todo o Israel.

3.1 Davi buscou a orientação de Deus

Conceitos orientadores: oração; obediência; sabedoria; temor; esperança; direção

Como encontrar a direção específica de Deus na minha vida?
Três coisas devem estar funcionando na vida do crente para ele sentir a vontade de Deus e
receber sua direção.
A. O Espírito Santo de Deus – O Espírito Santo, que habita em todo crente, deve ter um
curso livre na sua vida para dirigir-te. Gálatas 5:25; João 16:13; I Coríntios 2:9-10
B. A Palavra de Deus – A Palavra de Deus é a sua absoluta autoridade em todos detalhes da
sua vida. Você deve saturar a sua mente com pensamentos de Deus. Filipenses 2:5; Isaías
55:6-11
C. Igreja local – A igreja local é organizada para equipar líderes para o ministério.
Efésios 4:11-12
1. Mantenha a relação certa com a igreja (ie.- membrasia, participação activa e suporte,
etc.).
2. Exercer o dom espiritual na área necessitada do serviço e ministério.

A Vontade Deus – King James Bible Study Correspondence Course

Buscar a orientação de Deus é sempre a melhor opção. Infelizmente muitos agem loucamente (como Saul, que mesmo orientado divinamente veio ao fracasso pela desobediência). A vontade maior de Deus está em obedecer a Cristo e à Bíblia.
Davi buscava a orientação de Deus em sua vida. Em II Samuel 2:1-4, ele pergunta ao Senhor onde deveria ir naquele momento. Não vemos detalhes de como veio a ter orientação; possa ter sido por meio do Urim e Tumim (I Sm 23:6). Conforme a posição destas, a resposta do Senhor era “sim”, ou “não”. Sabemos que existem especialistas em dizer a vontade de Deus para qualquer área da vida e vários casos de lares destruídos, ministérios enfraquecidos e muita gente desiludida, devido a que alguns desses falsos profetas despejam ladainhas incompreensíveis, alegando falsas determinações de Deus. No entanto, é evidente que o Senhor fala diretamente com o seu povo de várias maneiras (At 8:26; 9:10-16; I Co 12:8), sem, contudo, contrariar as Escrituras que expressa a boa e perfeita vontade de Deus.

            Continua...

3.2 Primeiro Hebrom, depois Jerusalém

Conceitos orientadores: mobilidade; meta; conquistas; estratégia; agregar;

Davi seguiu se desenvolvendo; em alguns momentos de sua vida havia escalas crescentes e decrescentes, mas por onde passava, deixava marcas grandes na história. Seu chamado era confirmado pela unção de Deus manifestada, que crescia junto com ele. Saul morreu e o sucessor confirmado tinha apenas trinta anos. Mas ao ser coroado rei, Davi não reinou em Jerusalém devido a necessidade de conquistar toda a nação. Foi a Hebrom por ordens divinas, reinando limitadamente sobre Judá por sete anos e meio (II Sm 2:11). Era necessário Deus debilitar o antigo reinado e lhe entregar toda a nação fortalecida. Ele já era rei, mas não era ainda o momento de reinar sobre tudo. O Pai nos conduz a escalas e degraus nos quais o tempo precisa ser apreciado para não saltarmos as etapas da vida e desistirmos.

            Continua...

3.3 Lições práticas acerca do chamado na vida de Davi

Conceitos orientadores: ensino; administração; desenvoltura; brilhantismo; perícia; aprimoramento;

Poucos monarcas conheceram tanto poder e prestígio quanto Davi. As bênçãos demoraram, mas, quando chegaram fizeram sua taça transbordar. Vendo que Deus estava com ele, unificou a nação tendo Deus como base, despertando o interesse nacional pelos assuntos espirituais, elevou o sacerdócio de modo que o judaísmo pudesse operar de forma aberta e livre na terra; destruiu os altares dos ídolos; foi brilhante, organizador e estrategista, expandindo as fronteiras de 24.000 quilômetros para 240.000. Davi cresceu muito, mas foi nesse período que colecionou esposas, teve filhos com várias mulheres, resultando mais tarde em tragédia para sua vida. Precisamos aprender que o poder pode ser perigoso se administramos para nossas vontades; que os tempos de prosperidade são também tempos perigosos e não simples bênçãos.
Se Davi hoje estivesse conosco, seu conselho seria: “tome cuidado, o inimigo não respeita unção, ele está sempre à espreita, procurando nos destruir com as coisas mais simples da vida, até mesmo com o sucesso”. A unção nos levará ao objetivo de Deus, e Ele honram nossos esforços. Mas Deus não escolhe por nós, por isso devemos ser sábios e sempre buscar Sua orientação.


Conclusão

Davi compreendeu muito bem o que significa ter sobre a vida uma capacitação especial, o que significa ser encontrado por Deus. Nós já observamos esse processo na vida de pessoas como Moisés, Jacó, José, Paulo e até mesmo Jesus. Sabemos que a unção vai mexer conosco, vai nos conduzir a situações adversas. Por fim, a única coisa que deve-mos ter em mente é que Deus não erra em suas escolhas, e, se nos escolheu, chegaremos ao destino final, portanto não esmoreçamos na fé.


Fontes:

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/NTLH
Davi, A Lâmpada de Israel (revista professor) – Editora Betel – 4º Trimestre 2013 – Lição 02
Davi, As vitórias e as derrotas de um homem de Deus (revista) – CPAD
Esboços Bíblico em Salmos – Charles H. Spurgeon – Shedd Publicações
A Unção do Espírito na Vida do Cristão – Tito Oscar – Web-evangelismo
Por que Davi Chegou Exausto ao Jordão? – Hernandes Dias Lopes – http://hernandesdiaslopes.com.br
Davi, Colhendo tempestades (I) (II)
A Vontade Deus – King James Bible Study Correspondence Course – 5311 Windridge lane, Lockhart, Florida 32810, USA
Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso AT/NT – Matthew Henry –  CPAD
Comentário Bíblico Esperança NT – Editora Evangélica Esperança
Bíblia Comentada – http://www.bibliacomentada.com
Comentário Bíblico Moody AT/NT – Editora Batista Regular

Bibliografia Indicada (estude mais)

Davi e sua Forma de Resolver problemas (link)
A Vida do Rei Davi – O Filósofo (link)


Questionário

1. Como podemos definir unção?
R. Como a capacidade dada por Deus para a execução do serviço pelo qual ele nos chamou.
2. O Que aprendemos com a ida de Samuel a casa de Jessé?
R. Que o Senhor nem sempre usa o mesmo método.
3. Porque Davi não assumiu imediatamente o reinado?
R. Livre.
4. Qual a diferença marcante entre Saul e Davi?
R. Davi sempre buscava orientação de Deus.
5. Qual era a base de Davi?

R. O próprio Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho