domingo, 17 de novembro de 2013

EBD Editora Betel - Davi: Um israelita vivendo na terra dos filisteus




Assembleia de Deus CONAMAD
Lição 08 – 24 de Novembro de 2013
Revistaebd Revista escola bíblica dominical editora betel conamad Passagem bíblica trecho bíblico bíblia como estudar teologia bíblia escola dominical escola dominical betel escola biblica betel escola bíblica betel escola dominical conamad auxilio professor ajuda professor subsídio professor auxílio professor subsidio comentario ebd comentário bíblico ebd professor mestre comentário biblico escola dominical comentario biblico escola bíblica comentario bíblico pregação pregador palestra estudo bíblico bíblico

Graça e Paz!

URGENTE: AMADO, NÃO DEIXE DE LER NOSSAS RECONSIDERAÇÕES, ALGUMAS BEM CONTRÁRIAS ÀS DA REVISTA (MAS BEM FUNDAMENTADAS).

Tais revisões foram nos itens: 1.3(vida devocional de Davi) e 2.1(morte de inocentes).

Volte novamente aqui e não deixe de orar e jejuar em nosso favor e também divulgar nossos projetos, eventos e trabalho.

Shalom

R.S. Costa

Texto Áureo

            “E Davi feria aquela terra, e não dava vida nem a homem nem a mulher, e tomava ovelhas, e vacas, e jumentos, e camelos, e vestes; e voltava e vinha a Aquis”. I Sm 27:11

Ziclague estava situada perto da fronteira israelita, e Aquis esperava que David atacasse os israelitas em Judá. Porém Ziclague também estava perto de outra fronteira; ao Sul de Ziclague viviam várias tribos que eram inimigas tanto de Israel como dos filisteus. Isto deu a Davi a oportunidade de beneficiar ao povo de Judá, atacando a seus inimigos e, de uma vez, enganar a Aquis. Aquis podia ver por si mesmo os despojos de guerra, porém não podia saber de onde vinham.
Também David se beneficiava, porque estes despojos de guerra supriam as necessidades de comida e apetrechos.
É notável a habilidade de Davi de aproveitar uma oportunidade assim. De uma perspectiva cristã, não podemos admirar seu engano nem seu massacre de homens e mulheres. Esta passagem não está, naturalmente, recomendando o engano e a crueldade. Basicamente, mostra quão desesperada era a situação de Davi, uma situação criada por Saul. Também mostra a determinação de Davi de não fazer nada que pudesse prejudicar seu próprio povo, senão de fazer todo o possível para ajudá-lo. Seu primeiro dever era perante Israel, e não sentia nenhuma obrigação diante dos inimigos de Israel.

Nuevo comentario biblico siglo XXI

Verdade Aplicada

            A visão horizontal pode nos conduzir a um raciocínio pessimista, capaz de nos fazer ver a terra do inimigo como um lugar de refúgio.

Objetivos da Lição

Explicar que, quando tomamos uma decisão fora dos planos de Deus, podemos afetar seriamente as pessoas que confiam e dependem de nós;
Mostrar como a personalidade de Davi foi influenciada durante o tempo que passou na terra dos filisteus;
Apresentar a graça de Deus como sendo o ponto de recomeço para todos aqueles que um dia falharam.

Glossário

Mavioso: sensível aos sentimentos de amizade; compassivo;
Camuflado: que se disfarçou; dissimulado;
Intervenção: ato de intervir; ato de emitir opinião, contribuir com ideias.

Textos de Referência

I Sm 27:1 - Disse, porém, Davi no seu coração: Ora, algum dia ainda perecerei pela mão de Saul; não há coisa melhor para mim do que escapar apressadamente para a terra dos filisteus, para que Saul perca a esperança de mim, e cesse de me buscar por todos os termos de Israel; e assim escaparei da sua mão.
I Sm 27:3 - E Davi ficou com Aquis em Gate, ele e os seus homens, cada um com a sua casa; Davi com ambas as suas mulheres, Ainoã, a jizreelita, e Abigail, a mulher de Nabal, o carmelita.
I Sm 30:1 - Sucedeu, pois, que, chegando Davi e os seus homens ao terceiro dia a Ziclague, já os amalequitas tinham invadido o sul, e Ziclague, e tinham ferido a Ziclague e a tinham queimado a fogo.


Introdução

            A unção está trabalhando na vida de Davi, e agora ele vive mais uma etapa de onde as incertezas e o medo da morte o conduziram a tornar-se o que jamais pensou. Ele parece estar atordoado, e vai buscar escape exatamente na terra dos seus inimigos, os filisteus, cujo maior herói ele próprio havia derrotado.
            Esperamos conhecer os motivos, justificativas e desculpas de Davi para as perguntas que ele mesmo gerou na mente de todos os que viessem a se perguntarem de seus atos. Roguemos ao Espírito Santo de Deus que esclareça tanto quanto possível, iluminando nosso coração e nossa mente, para que tentemos entender as lições que Deus tem para nós.


1. Vivendo em tempos sombrios

            Na terra dos filisteus, Davi viveu como um filisteu embora fosse um israelita. Seu pessimismo o fez ver um futuro sombrio, onde as promessas de Deus foram esquecidas. Neste ponto de sua provação, Davi resolveu olhar a vida sob a ótica humana e tomou o caminho errado. Durante um ano e quatro meses, ele viveu em desobediência (I Sm 27:7). Vejamos.

Os capítulos 13 a 15 vão apontar as falhas de Saul, que são anteriores ao seu relacionamento de Davi. O autor tem esse cuidado para mostrar que não foi Davi quem desqualificou Saul, mas ele próprio. O caso do sacrifício oferecido por Saul demonstra sua incapacidade de tomar decisões sábias em momentos difíceis, qualidade de um verdadeiro rei. Ao fazer o sacrifício Saul agiu conforme o modelo monárquico cananita, isto é, onde o rei também possui o ofício de sacerdote.
Os capítulos 14 e 15 continuam revelando a incapacidade de Saul de tomar decisões, e isto levou Deus a mandar Samuel ungir Davi como futuro rei de Israel. Daqui para frente a narrativa se volta para Davi e mostra como ele, mesmo sendo predestinado ao reinado, não tomou o trono de Saul. A narrativa apresenta três fatores para comprovar isso:
A hostilidade de Saul – Foi sempre Saul quem iniciou os confrontos com Davi.
A ausência de vingança por parte de Davi – Davi teve duas oportunidades claras de matar Saul, mas não o fez (I Sm. 24 e 26).
As afirmações de inocência de Davi no texto – Estas declarações são feitas por: Samuel (I Sm. 28:16-18); Abigail (I Sm. 25:30); Jônatas (I Sm. 19:4-5, 20:14-15, 22:16-18); e pelo próprio Saul (I Sm. 20:31, 24:16-22, 26:21-25).

        Introdução ao Livro de Samuel – O homem governa? – Alexandre Milhoranza 


1.1 Atitudes incorretas em momentos sombrios

Conceitos orientadores: procedimentos; pessimismo; desespero; naufrágio espiritual; descrença; comodidades; decisões equivocadas

            A fragilidade da fé (v. 1): “... Ele disse ao seu coração...” (de acordo com várias traduções), sobre a sua condição atual: “... ainda algum dia perecerei pela mão de Saul.” O domínio do medo em Davi, era o efeito dos acontecimentos recentes na vida de um foragido. Olhava para suas próprias forças e para seu exército. Observava seu pequeno número. Não havia recebido novos recrutas por um longo período. Assim, não conseguia perceber que estivesse ganhando terreno. Em tristeza, desânimo e melancolia, ele conclui: “vou morrer pela mão de Saul!”
            Ele recebeu a unção de Deus? Não iria ser o sucessor no trono? Essas garantias (ser preservado para o reino) não o alegravam mais. Cego pelo momento, e mesmo não tendo motivo algum para confiar nas promessas de Saul, podia desconfiar nas promessas de Deus? Podia confiar em um povo inimigo? Experimentado no cuidado particular divino, suas experiências deveriam tê-lo encorajado. O Libertador de Israel continuaria (e continuará) libertando! O pecado da falta de fé ronda, pesa e assusta. Pode derrubar até os homens justos. Diante de angústias, perseguições e conflitos, se há temores por dentro (II Co 7:5), é difícil passar por cima deles. Senhor: A acrescenta-nos a fé!
            Davi sofreu uma crise de abatimento, chegando a pensar que depois de tudo, pereceria nas mãos de Saul. Assim também se sentiu Elias, à sombra do zimbro, quando pediu a Deus que lhe tirasse a vida; o mesmo se deu com João Batista, quando, da prisão, mandou perguntar a Jesus se Ele era o Cristo. Não nos deixemos afundar no desespero quando a sombra do desânimo surgir em nosso caminho. Creiamos que a Palavra de Deus prevalecerá mesmo que tudo pareça contrário ao que Ele disse. Foi assim com José, será assim conosco também.


1.2 Nossas decisões podem pôr em risco outras pessoas

Conceitos orientadores: escolhas; liderança; equilíbrio; responsabilidade; rotas; mapas e atalhos; ambientes ermos; mordomia cristã

Não se passou muito tempo desde a primeira vez que Davi procurou refúgio em Gate. Isso foi um desastre tremendo para ele. Ele sobreviveu, mas foi expulso como um lunático babão e arranhador. Qualquer um teria pensado que, ao deixar os portões de Gate, Davi tenha dito a si mesmo: “Jamais farei isso de novo!” E, no entanto, ei-lo aqui, mas, desta vez, ele não está só. Desta vez ele tem 600 seguidores, mais suas mulheres e famílias (27:2-3). As duas mulheres de Davi também estão com ele.
Davi tem razão sobre uma coisa. Quando Saul fica sabendo que ele fugiu para Gate, não o procura mais. Será que isto significa que Saul teria tentado acuar Davi se este tivesse permanecido em território israelita? Realmente não é nenhuma surpresa que Saul não procure capturá-lo em território filisteu. Afinal, ele nunca foi muito enérgico na sua luta contra os filisteus. Jônatas, seu filho, é quem foi. No entanto, para ser “justo” a respeito da desistência de Saul, isto não significa que Davi esteja certo em fugir para lá, como acho que o Autor quer deixar claro.

        1 Samuel – Robert L. (Bob) Deffinbaugh

Às vezes as pessoas tomam decisões ao lado de Jesus quando estão com problemas. Temos a tendência de pensar que essa motivação não é muito boa. Mas Jesus usa esse tipo de decisão também. Até as crianças às vezes tomam decisões muito sábias, as quais Deus considera com carinho.
Uma decisão ao lado de Jesus é a única segurança verdadeira neste mundo. Deus sempre responde, mesmo em coisas que pareçam insignificantes.
Pequenas decisões funcionam de duas maneiras. Algumas são para o bem; mas outras pequenas decisões comodistas e egoístas, acabam colocando Jesus para fora de nossa vida.
Deus trabalha constantemente para influenciar as pessoas na direção da vida, mas se elas escolhem a morte, Ele tem que aceitar essa decisão. Uma decisão em favor da vida não acontece por si só. Outras decisões influenciam e constroem a escolha final. Algumas podem ser fracas, ou podem ser tomadas pelos motivos errados, mas pequenas e fracas decisões acabam salvando ou destruindo.
A verdadeira liberdade permite que você faça escolhas, tanto a favor como contra Deus. A liberdade completa também traz responsabilidade pelas escolhas que você faz. Liberdade de escolha e responsabilidade andam de mãos dadas.
Se Deus trabalhasse mais por alguns do que por outros, isto O tornaria injusto. Se Deus tivesse preferidos, as acusações do maligno seriam verdadeiras.
Deus quer que tomemos boas decisões. Ele quer que sejamos felizes e tenhamos sucesso. Mas Deus pensa em termos de eternidade. O que consideramos uma vida de sucesso é muito curta E preciso apenas uma decisão. Às vezes Deus tem que tirar todo o lixo que há em nossa vida para conseguir nos fazer enxergar aquela decisão mais importante.

        Em que Basear minhas Decisões - Josué e os Muros de Jericó - http://www.historiasbiblicas.advir.com

Decisões ruins. Algumas de nossas muitas “feridas” nos perturbam e doem. Nos incriminam mesmo e são geradas por nossas decisões ruins. Cristo pode curar-nos. Mais que isto: se nos arrependemos do nosso mal e decisões ruins, então Jesus nos perdoa com amor. Ele remove nossa culpa do pecado e de erros, e com isso as cicatrizes (os sentimentos de culpa e outros).
            Devemos reordenar as coisas que eventualmente fizemos (ou causamos) em relação a outras pessoas, como mágoa, dor, prejuízo ou danos causados. Nós podemos receber o perdão (sendo danos materiais, devemos indenizar e cobrir; “perdão” é para o que é imaterial!). Seremos limpos. Ficaremos em condições de viver uma vida completamente nova!
Mesmo iniciando uma vida cristã, de todo coração, descobriremos inclinações (tendências) más habitando em nós (o Velho Homem). Seguir-las nos adoecerá! Outra vez ganharemos muitas feridas novas. Destas inclinações, vícios e maus-costumes, Jesus pode nos livrar. Ele é o curador das nossas almas.
            Experimentaremos curas, cada vez mais, destes males, obedecendo às diretrizes de vida, descritas na Bíblia. Viveremos uma vida, onde somente os bons frutos prevalecerão: gratidão no lugar de ingratidão, clemência ao invés de palavras duras, verdade e sinceridade, em troca das mentiras do Mundo, suas hipocrisias e fraudulências.


1.3 Vivendo um estilo de vida desobediente

Conceitos orientadores: santificação; aprimoramento; degradação; inconstância; esmorecimento; devoção; ilegalidade; imoralidade

A palavra empregada por Davi (traduzida por “perecer na versão ARA) é significativa, principalmente porque ele conhece a Lei de Moisés. A palavra é empregada 18 vezes de Gênesis a Juízes - isto é, até Davi empregá-la em 26:10 e 27:1. Três dessas vezes ela é usada para se referir ao julgamento de Deus sobre os inimigos de Israel. Onze vezes se refere ao julgamento de Israel como inimigo de Deus, por desobedecê-Lo e desrespeitar Sua lei. Não é interessante que Davi, que acabara de falar de si mesmo como inocente e dos outros como culpados, agora use este termo para expressar o temor de que Saul o destrua? Davi realmente está perdido. Dale Ralph Davis escreve que: “... o pensamento que levou Davi a este ponto indica crises de enfraquecimento da fé (como são chamadas por H. L. Ellison):

        1 Samuel – Robert L. (Bob) Deffinbaugh

Há pessoas que passam no mundo como cometas brilhantes, e as suas existências nunca serão esquecidas. Aristides de Sousa Mendes foi uma dessas pessoas. Cônsul brilhante, marido feliz, pai orgulhoso, teve a sua vida destruída quando, para salvar 30.000 vidas, ousou desafiar as ordens de Salazar.
Cônsul em Bordéus durante a Segunda Guerra, é procurado por milhares de refugiados para quem um visto para Portugal é a única salvação. Sem ele, morrerão às mãos dos alemães. Infelizmente, Salazar, adivinhando as enchentes nos consulados portugueses, proibira a concessão de vistos a estrangeiros de nacionalidade indefinida e judeus.
Sob os bombardeamentos alemães, espremido entre as ameaças de Salazar, as súplicas dos refugiados e sua consciência, Aristides sente-se enlouquecer. E então toma a grande decisão da sua vida: passar vistos a todos quantos os pedirem. Salvará 30.000 inocentes mas destruirá irremediavelmente a sua vida.

        O Cônsul Desobediente – Sónia Louro

Porque há problemas com a oração

Deus não responde a todas as orações. Ele não dá ouvidos às orações dos perversos. Observe certos textos que mostram claramente Deus recusando ouvir as orações daqueles que fazem o mal: "Então, chamarão ao Senhor, mas não os ouvirá; antes, esconderá deles a sua face, naquele tempo, visto que eles fizeram mal nas suas obras" (Miquéias 3:4). "Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para não poder ouvir. Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça" (Isaías 59:1-2). "Porque os olhos do Senhor repousam sobre os justos, e os seus ouvidos estão abertos às suas súplicas, mas o rosto do Senhor está contra aqueles que praticam males" (1 Pedro 3:12). As Escrituras são unânimes em ensinar que a vida desobediente de uma pessoa impedirá Deus de responder as suas orações.
Não é somente à pessoa perversa que Deus não ouvirá. Ele não ouve as orações da pessoa que está espiritualmente em cima do muro:"Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; pois o que duvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento. Não suponha esse homem que alcançará do Senhor alguma coisa; homem de ânimo dobre, inconstante em todos os seus caminhos"(Tiago 1:6-8). Uma pessoa cujo compromisso espiritual é incerto não será ouvida. Deus também não dará ouvidos a orações egoístas: "pedis e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres" (Tiago 4:3). Deus não responderá a orações que são feitas para se mostrar: "E, quando orardes, não sereis como os hipócritas; porque gostam de orar em pé nas sinagogas e nos cantos das praças, para serem vistos dos homens. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa" (Mateus 6:5). E o Senhor não responde a orações por perdão quando a pessoa está se recusando a perdoar um outro: "se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas" (Mateus 6:15).
Quando minhas orações não são respondidas, seria uma boa idéia eu olhar no espelho e determinar se há algum problema comigo ou com o meu motivo ou com aquilo pelo que estou orando. Porque é possível que o Senhor não responde por falha minha.

        Orações sem Resposta – Gary Fisher

            Deixar de servir à causa divina e ir servir à causa do adversário. Pedir favores e socorro ao inimigo (não somos contra relacionamentos interpessoais, mas contra envolvimentos em práticas), morar com ele passar a se chamar servo dele (“servo de Aquis”, I Sm 27:5).
            A vida de Davi passou a estar conduzida e em favor do povo que odiava Israel. O cantor de Israel ficou mudo. Como cantar as canções do Senhor numa terra dominada pela influência do inimigo?O desespero o levou a viver no mundo perdido e literalmente ele se esqueceu de Deus. Em Gate (por um período muito longo), não lemos que tenha feito orações ou composições (tambem não lemos que ele tenha deixado de fazê-las); era como Ló em Sodoma, sendo intoxicado pela vida de pecados daquela cidade.
Decidir segundo nossos corações. No dia do amanhã pode (é bem certo) existir momentos doloridos, árduos e esgotadores das forças. Temos uma/alguma promessa? Deus a cumprirá no tempo dele! Se temos recitado: “esperei com paciência no Senhor, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor” (Sl 40.1), não sejamos o Davi de Gate.



2. O Davi filisteu

            Davi optou por esse caminho, Deus não o mandou fugir para a terra dos filisteus. E para viver em paz nessa terra, ele teve que viver camuflado, era israelita por dentro, mas filisteu em suas atitudes. Ele teve que optar por um novo estilo de vida. Lá passou a mentir, roubar, saquear cidades e a viver como um bandido.

2.1 Coração israelita, atitudes de filisteu

Conceitos orientadores: maquiagem; dissimulação; indefinições; contradição; desejos; dupla personalidade; deveres e devoção

            Dezesseis meses mentindo. Assim foi a vida de Davi naquele lugar. Os gesuritas, gersitas e amalequitas eram inimigos de Israel, não dos filisteus. Ao trazer relatórios do que fazia (tinha que prestar contas a Aquis), ao retornar, mentia e dizia que atacara “o sul de Judá, o sul dos jerameelitas, e o sul dos queneus”; passava-se por inimigo de sua nação (da qual fora ungido o sucessor no Trono) e aliado dos filisteus. Vivia como um agente duplo, levando Aquis a acreditar (e dar testemunho de seus fiéis serviços) que havia se tornado um deles (I Sm 27:8, 9 e 12). Em I Samuel 30:26-31 é mostrado como Davi não havia abandonado sua nação. Vejam o contraste teatral como Davi representa. Como ele realmente se conduz? Diz lutar contra seus irmãos (os israelitas), levando o rei filisteu a concluir que “... Fez-se ele, por certo, aborrecível para com o seu povo em Israel; pelo que me será por servo para sempre.” (27:12)  Ele mata os inimigos de Israel e partilha os despojos com os israelitas, sempre visitando as suas cidades (30:26-31). Assim, ganha o favor dos israelitas, sendo protegido pelos filisteus.
            A duplicidade de Davi o faz errante a cada segundo de sua vida. Ele estava totalmente fora dos planos de Deus, estava mentindo, matando pessoas inocentes¹ para esconder quem realmente é. Bem lá no fundo, ele é israelita, sempre será, mas procurando fazer com que os filisteus pensem que passou para o lado deles cometeu terríveis atrocidades e suja suas mãos santas de sangue inocente. Ele encobria seus passos para que ninguém descobrisse o que fizera ou onde estivera. Esse foi o fruto colhido por uma atitude insana e a parte de Deus, onde prevaleceu a carne e os sentimentos humanos. Afinal, o que faz um santo na terra dos filisteus? Só poderia se sujar.

¹ Nota MDA: Analisem atentamente nossas considerações e o texto abaixo sobre as mortes inocentes, citadas acima (cf. revista).

Ele pede que, se puder, Aquis lhe dê uma cidade onde ele, seus seguidores e suas famílias possam viver, e que não seja muito próxima. Parece um pedido razoável, e Aquis dá a Davi a cidade de Ziclague. Esta cidade fica a aproximadamente 25 milhas ao sul e a leste de Gate. É um tanto fora de mão, da perspectiva dos filisteus, e não muito distante das cidades israelitas. Davi e seus seguidores recebem um “lugar somente seu”, numa região onde suas atividades não serão monitoradas por Aquis. É mais ou menos como se mudar longe o suficiente dos familiares para ter sua própria vida. Davi mora um ano e quatro meses na Filistia, mas a cidade de Ziclague se torna possessão permanente dos reis israelitas (versos 6 e 7).
Davi e seus homens recebem um lugar para viver. Eles também precisam de meios de sobrevivência. A solução que Davi encontra para este problema é realmente engenhosa. Ele usa Ziclague como seu quartel-general, sua base de operações. Dali, ele e seus homens tomam conta da região, invadindo as cidades e os campos dos inimigos de Israel. Nós já conhecemos alguns desses povos, tais como os amalequitas. Mas, de outros, como os geruzitas, nada sabemos. De maneira geral, sabemos que estes são os povos que habitaram a terra nos tempos antigos. Por isso, talvez seja seguro concluir que todos sejam “cananeus”, os quais devem ser banidos da terra (ver Êxodo 23:23; Números 21:3; Deuteronômio 7:1-5; Juízes 1:17).
Se for assim (talvez tenhamos uma pequena dúvida quanto aos gersitas, por exemplo), então o massacre total desses “cananeus” parece justificado. No entanto, devo assinalar que, apesar de Davi matar todas as pessoas das vilas invadidas, incluindo as crianças, ele não mata todo o gado. Ele “tomava as ovelhas, e os bois, e os jumentos, e os camelos, e as vestes” (versa 9). Se ele estiver atacando estes povos para obedecer à ordem de Deus, então ele não é mais obediente do que Saul, que deixou vivo apenas o rei e o melhor do gado. Por isso, parece que ele ataca estes povos por razões mais práticas, tais como providenciar alimento para a sua família e as de seus soldados. Ele mata todas as pessoas, sem deixar sobreviventes, não porque este seja um mandamento de Deus, mas porque é o único meio de continuar com sua fraude (verso 11).
Davi talvez esteja fazendo a coisa certa (isto é, aniquilando todos a quem Deus sujeitou ao banimento), mas por razões totalmente erradas. Muitas vezes Deus realiza Sua vontade por meio do interesse de homens que, só inconscientemente, fazem o que Deus determinou. Isto foi verdade em relação aos irmãos de José (ver Gênesis 50:20), e também parece ser em relação a Davi em território filisteu.
Davi pode não ter sido sábio ao se refugiar em território filisteu, mas, com certeza, ele é inteligente e perspicaz. O rei Aquis talvez se ache muito esperto, mas creio que seja simplório e ingênuo. Davi vai até ele como “desertor”, mas Aquis acha que Davi é um grande prêmio, um “verdadeiro achado”. A presença de Davi entre os filisteus lhe parece uma grande aquisição. Afinal, aparentemente, Davi está lutando ao lado dos filisteus contra os israelitas (27:10). Talvez isto signifique que os israelitas não o recebam de volta e, com certeza, não como seu rei (compare 21:11; 27:12). Em vez de consumir os recursos de Aquis, Davi contribui com ele. Após cada invasão, parece que Davi lhe faz um relatório e lhe dá uma parte dos despojos (27:9). Aquis pensa que tem Davi na palma da mão e que pode continuar ”usando-o” em seu próprio benefício.

        1 Samuel – Robert L. (Bob) Deffinbaugh (trechos)


2.2 Um homem sem identidade

Conceitos orientadores: referenciais; relativismo; testemunho; características; convicções; princípios; caráter; expectativas; apatia; neutralidade X descaracterização;

As águas estão turvas como nunca. É tempo de esclarecimentos, é tempo de VERDADE.
 O que nos disse Jesus em João 8.32? “E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará".
Precisamos de Deus e da sua Palavra aplicada em nossa vida para nos dar certezas inamovíveis
em meio a um mundo sem convicções.
 Vemos o tempo todo pessoas em busca de identidade e fé:

Homens sem identidade masculina,
Mulheres sem identidade feminina,
Crianças sem identidade infantil,
Casados sem identidade conjugal,
Cristãos sem identidade espiritual,
E também igrejas sem identidade de propósito.

O que fazer? É tempo de reafirmar nossa identidade, nossa missão, valores e propósitos.
Entenda que:

- A unidade dos membros formam um corpo.
- A unidade dos salvos formam uma igreja.
- A unidade dos princípios bíblicos formam a identidade de uma igreja.

· O QUE É IDENTIDADE?

Identidade é o que nos diferencia, distingue, nos define em relação aos outros. Uma pessoa sem
identidade é um problema para si mesma e também para a sociedade. Torna-se volúvel e sem
direção. A Identidade traz ao homem segurança e referência.
 Por isso, ao nos identificarmos com um grupo, assumimos valores e comportamentos. Ao nos
identificarmos com Cristo, sua Palavra e sua igreja, assumimos uma identidade de fé!

Reafirmando a Identidade e a Fé da Igreja – www.cbenet.com.br

            Nem filisteu, nem israelita. Um cristão carnal não se sente confortável nas coisas de Deus: passa a viver no abismo! A Perda da identidade é o primeiro efeito produzido por uma vida carnal. Passar por cima de tudo o que sempre pensamos, pregamos, ensinamos e acreditamos em nossa vida, quem somos, nossa missão, que somos ungido sacerdotes, e a quem devemos ser leais. Isso é impensável de se praticar? Assim fez Davi, por decisão pessoal.
            O Davi era agora? Despatriou-se, perdeu suas características e virou um mentiroso e assassino desleal. As decisões racionais (visando lucro, fama, segurança, posição e sucessos vários) nos custam o bem-estar espiritual e podem nos custar a Eternidade ao lado de Cristo. Davi “pagou pra ver” (e como custou a sair deste prejuízo!), pois não buscou de Deus uma direção.
            Nossos guias, ídolos, pais, chefes, governantes, amigos e heróis não são infalíveis. Talvez tenhamos entrado em situações em que estes nunca entraram, mas ao tropeçar (se tropeçarmos), abrimos mão de grandes promessas por nos achar incapazes de nos reerguer. Só existe um que é perfeito, esse é Deus. Assim, ergamos nossas cabeças, sacudamos a poeira e busquemos ao Senhor (SI 105.4; Is 55.8).


2.3 Um abismo chama outro abismo

Conceitos orientadores: depreciação; auto-estima; declínio pessoal; retrocessos; desestruturação; contaminação

O poeta continua reclamando de estar distante do lugar onde poderia cultuar coletivamente a Deus. Estava na floresta montanhosa do Hermon, num dos seus picos (o Mizar, ainda não identificado). Dali, onde nascia o rio Jordao, ouvia o som das cachoeiras. Sua vida estava sufocada por aquele barulho, antes tão agradável, agora tão aterrorizador. 
Este salmo está na Palavra de Deus porque Ele quer nos ajudar a tratar deste problema. Trago algumas lições que minha leitura me trouxe.
1. Tenha uma visão adequada do que seja a tristeza. Não confunda momentos tristes com tristeza, que é um sentimento profundo, doloroso e intenso. Não pense que a vida seja só festa, porque não é e não pode ser. A semana tem sete dias e não apenas fim de semana.
2. Se você tem andado triste, faça uma auto-análise, para descobrir quando o seu bom-humor mudou. Você se tornou triste desde quando perdeu uma pessoa muito amada? Sua tristeza tem toda a razão para existir, mas nenhuma razão para continuar indefinidamente. Quando perdeu seu amigo Lázaro, Jesus chorou; depois agiu e parou de chorar. Você é triste porque todos os seus planos não dão certo? Você tem razão, mas persista nos seus planos ou mude de planos. Alguns são irrealizáveis por natureza. Conheço uma pessoa que não gosto de acordar às cinco e meia da manhã de domingo, mas ele me levanto, lava o rosto preguiçosamente, toma banho intensamente e sai cantando para o dia que o quer.
Seja qual for o problema que lhe trouxe tristeza, pense naquele momento em que as coisas mudaram; veja o que você ainda pode mudar e toque a sua vida. Se você errou, está diante da boa tristeza, aquela que produz arrependimento e não remorso, pois é "a tristeza segundo Deus", aquela que "leva à salvação", diferentemente da "tristeza segundo o mundo" que "produz morte" (2Coríntios 7.10). É por isto que outro poeta, o sábio de Eclesiastes, vaticina que "a tristeza é melhor do que o riso, porque o rosto triste melhora o coração". A tristeza melhora o coração quando nos leva a refletir sobre nossos atos e mudar para melhor.
3. Em todas as situações, não lance mão de recursos ilegítimos para pôr fim à tristeza. Tome-a como um convite à reflexão, sozinho ou com a ajuda de um profissional, para encontrar as suas causas e, logo, os caminhos a serem tomados. Não lance mão do álcool e ou de qualquer outra droga proibida.

        Estou Triste mas Quero Mudar – Israel Belo de Azevedo (trechos)

            Ao lermos a narrativa bíblica da fuga de Davi para Gate, e seu pacto com Aquis, o rei de Gate, nos vêem à mente algumas questões e dúvidas. O capitão de Saul está foragido e sentenciado pelo rei. No final do texto, vemos Davi no exército, saindo com seu rei, pronto para batalhar. Só que ele mudou tudo: O problema é que Davi está no exército filisteu, e também saindo para guerrear com os israelitas. É clara a garantia pessoal dele mesmo ao rei filisteu que está preparado para as batalhas nas guerras de Gate, pronto e disposto a mostrar o que ele e seu exército recém-criado e treinado, podem fazer, contra o povo de Deus! Como é que uma pessoa do caráter de Davi está fazendo em uma situação-cilada como essa?



3. Como fazer um israelita deixar de ser filisteu

Embora vivendo errante, Deus teve misericórdia de Davi, e para trazê-lo de volta a realidade usou o artifício que mais atrai o homem a Sua presença: a destruição. Ao sair pela madrugada e voltar para Ziclague, Davi se depara com cinzas, destruição e o desabafo de seus soldados (I Sm 30: 1-6). É nesse momento que se volta para Deus e, depois de um ano e quatro meses, faz seu primeiro clamor.


3.1 Israelita saído das cinzas

Conceitos orientadores:

Talvez este seja o dia mais negro da vida de Davi até aqui. Neste momento, ninguém parece pensar em perseguir aqueles que fizeram isto, quem quer que seja. As duas esposas de Davi foram levadas, e também todas as famílias de seus homens. Os homens ficam deprimidos. Eles não poderiam ter imaginado coisa pior. Todos choram até não terem mais forças.
Esta não é uma bela visão, mas fica ainda pior. À medida que a dura realidade começa a aparecer, os homens de Davi começam a pensar no que teria acontecido. Tudo é culpa de Davi. Eles os trouxe para Gate e depois para Ziclague. Ele os fez trazer suas famílias junto com eles. Ele ordenou os ataques contra povos como os amalequitas. Seus negócios escusos fizeram com que fossem promovidos no exército filisteu. Devido ao relacionamento de Davi com Aquis, todos estavam muito longe, em Afeca, quando suas famílias foram aterrorizadas e seqüestradas. Eles já tinham o suficiente de Davi e de sua liderança. Eles estão muito desgostosos e prontos para descarregar sua raiva. Um rumor sobre apedrejar Davi começa a circular entre eles.
Agora as coisas estão tão ruins quanto Davi pode imaginar. Ele fora rejeitado por Saul, e depois por muitos de seus compatriotas israelitas. Alguns de seus parentes estavam dispostos e prontos para entregá-lo a Saul para ser condenado à morte. Rejeitado por Saul e os israelitas, Davi foge para Aquis, que o recebe de braços abertos. Mas agora ele é rejeitado pelo exército filisteu e mandado de volta prá casa. E, quando chega em casa, descobre que sua família e as famílias de seus homens se foram, o gado tomado, e a cidade em ruínas. Além de tudo isto, agora ele está sendo rejeitado por muitos de seus próprios homens, que também gostariam de vê-lo morto. Tudo o que poderia dar errado aconteceu.

        1 Samuel – Robert L. (Bob) Deffinbaugh

            Quando uma pessoa se afasta de Deus, à primeira vez, sente-se feliz, livre, e até acha bom o que está vivendo. Mas, depois de algum tempo, as contas chegam, e a tal deverá arcar com os custos. Davi lamentou, e seus homens se puseram contra ele, e a única coisa que lhe restou foi buscar a Deus. Dessa vez, ele fez o que deveria ter feito antes de estar ali, buscar uma direção. É impressionante a maneira como Deus lhe responde! Mesmo agindo falsamente durante esse tempo, Deus o responde e ainda lhe garante a vitória (I Sm 30.8).


3.2 Lidando com o vale de lágrimas

Conceitos orientadores:

As pessoas estavam chorando. Davi também fez o mesmo. Ninguém reage à dor com alegria. A dor é dor e pode trazer lágrimas. Contudo, depois do primeiro choque houve duas reações. Todos os outros continuaram a chorar e eles ficaram com raiva de Davi (de forma similar, muitos ficando nervosos por sua dor, jogam pedras contra o estado, os ministros, as pessoas, Deus, e geralmente todos consideram-nos como responsáveis por aquilo que lhes foi roubado), mas Davi tomou-se de coragem no Senhor e perguntou-lhe o que fazer. O Senhor então deu-lhe a segurança de que se ele perseguisse os Amalequitas ele recuperaria tudo.

        Ataque em Ziclague – Tassos Kioulachoglou

Consolo de Deus

Deus é um Deus de "toda consolação", que consola os Seus, mas Ele somente pode fazê-lo se o quisermos! A disposição de receber o consolo de Deus se manifesta no fato de aceitarmos os caminhos de Deus, mesmo que não os entendamos! Deus não espera que reprimamos as nossas lágrimas, Ele espera que digamos: "Senhor, o teu caminho é santo (conf. Sl 77.14), e por isso me submeto à Tua vontade e ao Teu desígnio". Quem faz isto sinceramente se aquieta interiormente e recebe o consolo e a ajuda de Deus!

Angústia ou Aflição

E o que disse o Senhor Jesus sobre a angústia? É muito esclarecedor e elucidativo observar que Ele nunca afirmou que neste mundo não haveria sofrimento. Na verdade, muitas vezes, se prega que ao se tornar cristão, a pessoa não terá mais tribulações ou tentações. Mas isso não é verdade. O próprio Senhor Jesus disse claramente: "No mundo passais por aflições..." (Jo 16.33) . E então Ele acrescenta o glorioso ‘mas’: "mas tende bom ânimo, eu venci o mundo". Em outras palavras: o mundo é o reino de Satanás, mas Minha vitória sobre esse mundo pode ser a sua vitória também, isto é, em Mim vocês têm a possibilidade de vencer a própria angústia. Essa é a posição de Jesus em relação à angústia!

                O Consolo de Deus em Meio à Aflição – Luiz Henrique de Almeida Silva

            Diante da destruição, Davi se atira aos pés do Senhor pedindo seu perdão. Ele levanta os olhos e diz: “Deus me ajude!”. Ele escreve mais tarde: “Deus é nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na hora da angústia”.
            Devemos ter pensamentos certos e olhar na direção vertical, tanto nos dias bons como nos ruins (estes serão menos insuportáveis, inclusive). As cinzas e as lágrimas não foram para destruí-lo, nem para tirar o que era dele, já que ele tudo recuperou (I Sm 30.18 e 19). Devemos nos ajoelhar e levantar nossos olhos para contemplar um Deus misericordioso em todo o tempo; ele ama e perdoa sem limites. Se vier um Vale de Lágrimas, não nos desesperemos!


3.3 Derrotas que trazem vitórias

Conceitos orientadores:

Muitos se sentem Ok somente para sobreviver, sem esperança nem sonhos, em vez de buscar novamente o relacionamento vivo que eles tinham com Deus. Eu descobri que Deus pode nos deixar neste estágio até que nós decidamos o que nós queremos para mudar. Até que nós não mais nos comprometamos com a derrota ou nós aceitemos e escondamos a perda, mas nós tomamos a decisão para buscar e recuperar tudo que nos foi furtado. Deixe-me lembrá-lo de que o que foi roubado é principalmente a esperança, o entusiasmo, o coração. Uma vez que nós tomamos esta decisão, Deus imediatamente se torna muito próximo de nós. Ele está sempre muito perto. Ele NÃO é a variável. Somos nós as variáveis. 
Nós podemos chorar o quanto quisermos. Nós podemos ver que a vida é dura. E ela é! Contudo, conforme Davi e seus homens fizeram, nós temos que tomar uma decisão: ou nós choraremos as perdas, escondendo provavelmente nossa frustração por anestesia, apatia e atividade religiosa, ou nós negaremos nos comprometer, nós nos encorajaremos no Senhor, como fez Davi, e nós nos enfrentaremos para recuperar tudo. Esta é verdadeiramente uma decisão crítica, uma decisão de vida ou morte espiritual. Ou nós viveremos espiritualmente feridos, ou como heróis espirituais. O que eu quero enfaticamente dizer hoje é que se você está machucado, seu ferimento não será curado pela aceitação da derrota e a perda e o esquecimento da amizade viva que você costumava ter com Deus com a falsa ideia de que “é impossível ter sucesso novamente”. Os ferimentos serão curados somente se você parar de chorar e, em vez disso, resistir para recuperar tudo e retornar pelo menos até onde você costumava estar!

        Ataque em Ziclague – Tassos Kioulachoglou

Diante da morte, tristeza, pânico, sofrimentos e perdas, somente Deus em sua graça pode nos ajudar. Para alguns de nós, essa é a hora da volta a Deus.
Talvez com cinzas e poeira de destruição nos pés, a aflição comprimindo o coração, ameaça de violência, falta de dinheiro, amigos e ajuda, nos voltemos e façamos como Davi que “... se fortaleceu no Senhor” (I Sm 30.6).
            Muitas pessoas já conheceram a alegrias e o privilégio do andar com Cristo, mas, em determinado momento da vida, desesperaram-se e optaram pelo caminho errado, e agora estão no campo da carnalidade. O que aconteceu com Davi acontece a todos indistintamente. Todavia, estamos diante de um quadro que nos ajuda a perceber que Deus pode e deve ser procurado a todo instante, pois é misericordioso, e de grandes oportunidades para corri os que falham. Deus está sempre pronto a perdoar e disposto a restaurar, e tudo o que temos que fazer é nos fortalecer nele corno fez Davi.



Conclusão

Decisões erradas podem nos conduzir a lugares errados e uma vida errada. O que Davi fez na hora da destruição era para ter feito no momento da perseguição. Tomar decisões sem o consentimento de Deus não acarreta somente problemas para nós, mas a todos que conosco convivem. Deus jamais negará o pedido de um coração quebrantado. Por isso, pensemos muito bem antes de qualquer decisão, pois elas podem ser fatais em nossas vidas.


Fontes:

Em Língua Portuguesa

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/NTLH
Davi, A Lâmpada de Israel (revista professor) – Editora Betel – 4º Trimestre 2013 – Lição 08
Davi, As vitórias e as derrotas de um homem de Deus (revista) – CPAD
Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso AT/NT – Matthew Henry – CPAD
Comentário Bíblico Moody AT/NT – Editora Batista Regular
Comentário Bíblico Esperança NT – Editora Evangélica Esperança
Um Passo Para Frente, Dois Para Trás (link)
Introdução ao Livro de Samuel – O homem governa? (link)
Em que Basear Minhas Decisões - Josué e os Muros de Jericó (link)
O Cônsul Desobediente – Sónia Louro (link)
Orações sem Resposta (link)
Reafirmando a Identidade e a Fé da Igreja (link)
Estou Triste, mas Quero Mudar (link)
I Samuel – Robert L. (Bob) Deffinbaugh (link)
Ataque em Ziclague (link)
O Consolo de Deus em Meio à Aflição (link)

Em Espanhol

Nuevo comentario biblico siglo XXI – editorial mundo hispano (El Paso, TX, EE. UU.)

Bibliografia Indicada (estude mais)

A Teoria dos Abismos na Evolução das Empresas (link)
O Cristão que se Desvia Chegou Realmente a Conhecer o Senhor? (link)
Jesus, O Desobediente (link)

Questionário

1. Por que Davi foi habitar em Gate?
R. Ele temia que Saul o matasse.
2. Quanto tempo passou Davi na terra dos filisteus?
R. Um ano e quatro meses.
3. Como viveu Davi em Gate?
R. Com uma falsa segurança, uma falsa identidade, e uma vida falsa.
4. O que Deus fez para lhe chamar atenção?
R. Usou o método da destruição.
5. O que fez Davi para recuperar o que perdeu?

R. Fortaleceu-se no Senhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho