domingo, 1 de dezembro de 2013

EBD Editora Betel - Sucessos no Trabalho, Fracassos na Família






Assembleia de Deus CONAMAD
Lição 10 – 08 de Dezembro de 2013
Revistaebd Revista escola bíblica dominical editora betel conamad Passagem bíblica trecho bíblico bíblia como estudar teologia bíblia escola dominical escola dominical betel escola biblica betel escola bíblica betel escola dominical conamad auxilio professor ajuda professor subsídio professor auxílio professor subsidio comentario ebd comentário bíblico ebd professor mestre comentário biblico escola dominical comentario biblico escola bíblica comentario bíblico pregação pregador palestra estudo bíblico bíblico
 
Texto Aureo

“Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia”. I Tm 3:4

Assim como o relacionamento conjugal reflete a relação entre Cristo e a igreja, assim a associação familiar em uma grande casa é réplica e a célula originária da família de Deus, do qual toda a paternidade no céu e na terra recebe o nome. Pela fé em Cristo os gentios tornaram-se “membros da família de Deus”.
Como um pai governa os filhos e a todos na própria casa, assim o presidente deve conduzir a igreja de Deus, executando seu ministério com entusiasmo, i. é, bem. Ao contrário do mundo grego, os cristãos não mandavam educar os filhos por meio de escravos pedagogos, mas assumiam pessoalmente essa tarefa. Na obediência autêntica (que é o contrário de coação, porque obediência autêntica é voluntária) e na decorrente autonomia disciplinada dos filhos adolescentes seria possível reconhecer a dignidade do pai amável. Isso também pode ser dito de outro modo: somente quem possui autoridade real pode favorecer dignamente a obediência. Quem está amarrado e inseguro, lançará mão de meios violentos, conduzindo assim os filhos à rebeldia, não à subordinação espontânea. “Com toda a dignidade” salienta a autoridade interior, que se situa acima da contraposição de educação autoritária – antiautoritária.

Comentário Bíblico Esperança

Verdade Aplicada

Não existe vida plena, se apenas houver sucesso no trabalho e fracasso na família.

Objetivos da Lição

Explicar que Davi foi um grande homem, um grande herói, mas um péssimo administrador de sua casa;
Mostrar o alto preço pago por Davi por negligenciar seus filhos e sua casa;
Ensinar que nós podemos nos tornar pessoas de sucesso e, ao mesmo tempo, péssimos administradores de nossos lares.

Glossário

Concubinas: outras mulheres;
Harém: parte de um palácio ou casa em que habitam mulheres;
Soneto: pequena canção.

Textos de Referência

I Cr 3:1 - E estes foram os filhos de Davi, que lhe nasceram em Hebrom: o primogênito, Amnom, de Ainoã, a jizreelita; o segundo Daniel, de Abigail, a carmelita;
I Cr 3:2 - O terceiro, Absalão, filho de Maaca, filha de Talmai, rei de Gesur; o quarto, Adonias, filho de Hagite;
I Cr 3:3 - O quinto, Sefatias, de Abital; o sexto, Itreão, de Eglá, sua mulher.
I Cr 3:4 - Seis filhos lhe nasceram em Hebrom, porque ali reinou sete anos e seis meses; e trinta e três anos reinou em Jerusalém.
I Cr 3:5 - E estes lhe nasceram em Jerusalém: Siméia, e So-babe, e Natã, e Salomão; estes quatro lhe nasceram de Bate-Seba, filha de Amiel.


Introdução

Como rei, Davi organizou exércitos, alargou os termos de Israel, fez a nação prosperar. Mas como administrador da sua casa, foi um completo fracasso. Seu maior Golias nunca esteve no campo de batalha, habitou dentro de sua casa, em meio a sua família, durante todo o tempo em que viveu. Sua família sempre foi seu maior insucesso.


1. Uma vida inconsequente

“E tomou Davi mais concubinas e mulheres de Jerusalém, depois que viera de Hebrom; e nasceram a Davi mais filhos e filhas” (II Sm 5:13). Davi gerou outros filhos por meio de outras mães, que a Bíblia sequer lista quantos foram. O que o fez viver em contradição direta com os mandamentos estabelecidos pelo Senhor na vida de um rei, ou qualquer pessoa que reconheça o que está escrito em Gênesis 2:24.

1.1 As três proibições de um rei

Conceitos orientadores: limitações; competências; fronteiras; lisura administrativa; libertinagem; volúpia; domínio próprio

A Lei do Rei. A Lei antecipa que o povo desejará um rei como outras nações (v. 14), como realmente sucedeu com o passar do tempo (I Sm 8:5). O pensamento em Deuteronômio é que Deus é o Rei de Israel. Isto é o que é dito em Dt 33:5 e está implícito na estrutura de tratado que o livro apresenta. O mesmo sentido de que o reinado humano não é o plano ideal de Deus para Israel o expressa claramente Gideão (Jz 8:23), e na fábula de Jotão (Jz 9:7-15). Quando Deus mesmo expressa que a petição de Israel é uma recusa dele como rei (I Sm 8:7), poderia estar criticando unicamente o espírito da petição, deixando assim aberta a porta para seu rei (Davi). Sem dúvida, Deuteronômio não parece muito inclinado a instituir um reinado humano senão a permiti-lo, e assegurar que seja da forma correta.

Nuevo comentario biblico siglo XXI (Trad. Livre MDA)

Eram vícios dos monarcas orientais: amor ao poder, às mulheres e à riqueza. O segundo destes itens trouxe a queda de Salomão (I Rs 11:1-13); pela multiplicação de cavalos (v. 16) ele entrou em parcerias e relações comerciais com o Egito (cf. I Rs 10:28 e 29). O rei devia ter consigo uma cópia da lei (Deuteronômio?), mas, possivelmente, todo o Pentateuco. Devia ler constantemente e cumprir/observar. Assim, teria um reinado longo e seus filhos o sucederiam. Seria designado (chamado) dentre seus irmãos (15), permaneceria irmão, embora rei (20). Deus seria o selecionador (15), comunicando por meio de seus servos, os profetas, e chancelado pelo povo (cf. 1 Sm 10:24; 16:11-13; II Sm 5:1-3; II Rs 9:1-13).
Quando um chefe de família age voluntariamente e irresponsavelmente contra a Palavra de Deus, ele não sofre somente, leva consigo toda sua, casa. Cultivar a lascívia transmite prazer, seriamos tolos em não crer nessa verdade, todavia os frutos irão surgir com o tempo, e, assim, teremos que nos encontrar com os resultados provocados pela colheita dessas sementes de pecado, as quais sempre superam o prazer que foi de pouca duração. Os pecados de Davi, o levaram a experiências tão terríveis e tristes que poucos pais na terra irão experimentar.


1.2 Sucesso no palácio e fracasso no lar

Conceitos orientadores: fundações estruturais; negligência; vida cosmopolitana; prioridades; amparo paterno e materno; ativismo cristão

Êxito, sucesso e reconhecimento. Se não estivermos bem em casa, estaremos realmente bem na vida cotidiana? Como explicar tantos e enormes desastres no lar de um homem como Davi? Governava, fundava cidades, edificava o reino, mas não reservava tempo para família e filhos.
Isso pode (e acontece) acontecer com muitos homens de Deus, que, ao extremo, pensam que a vida se define apenas por seu ministério. Que adianta ser sucesso no púlpito e no trabalho se, no lar, há uma farsa ou baderna?
Não encontramos relatos que Amnom, Absalão ou Adonias tenham imitado a vida devocional e do pai; Salomão, entretanto, foi um buscador de Deus, mas mesmo assim estava longe disso.
Possivelmente tenha dado o nome de Natã a um dos filhos que Bate-Seba lhe gerou, em homenagem ao profeta que o repreendeu (no episódio da morte de Urias). Este profeta foi o instrumento que o levou ao arrependimento. Parece-nos que o tenha amado mais por isso enquanto viveu. É digno e também um dever, estimar aqueles nossos amigos, que nos tratam com fidelidade. Em Lucas 3:31, somos ensinados que o nosso Senhor Jesus descendeu Deste filho de Davi.
Vemos dois Elisama, e dois Elifelete (II Cr 3:6 e 8). É bem possível que os dois primeiros estavam mortos. Assim, Davi teria chamado mais dois pelos mesmos  nomes (se houvesse qualquer algum presságio nesta prática, como alguns pensam fantasiosamente, ele não o teria feito).


1.3 Harém repleto e o coração vazio

Conceitos orientadores: poligamia; desapego afetivo; inconstância passional; insatisfação pessoal; desagregação familiar; remediar X prevenir;

A Família de Davi. 3:1-24.

Este capítulo traça a origem da casa real de Judá desde Davi, seu fundador, até uns 500 A.C. Durante o domínio persa os judeus não tiveram permissão para ter um rei e uma profecia tomou claro que nenhum descendente puramente humano de Davi tornaria a ocupar o trono de Israel (Jr. 22: 30). O interesse pós-exílico, contudo, continuou centralizado nesta família. Pois, além de fornecer líderes cívicos (Zc. 12:7, 8), inclusive Zorobabel, o governador da primeira restauração, através da casa de Davi levantar-se-ia a derradeira esperança de Israel. Eles esperavam pelo maior Filho de Davi, um homem, mas mais do que um homem, "companheiro" de Deus (Zc. 13:7). Através desse Messias, a Divindade traspassada (Zc. 12:10), viria a redenção (Zc. 13:1) e o reino de Deus sobre a terra (Zc. 14: 9).

Comentário Bíblico Moody AT/NT

Contando-se as esposas que Davi teve e se acrescentarmos à lista Mical e Bate-Seba, seriam oito esposas (l Cr 3:1-8). Entretanto, no verso nove entendemos que ele não somente gerou muitos filhos, como também teve muitas mulheres. Apesar de sua intensa vida amorosa, ao avaliarmos o todo, notamos um vazio; não encontramos facilmente nele indicações do amor matrimonial. Existe uma lacuna não preenchida quanto a sua família; é como se os membros dela nunca tivessem existido. Davi era ocupado demais, importante demais, e, por isso, algumas coisas para ele se tomaram tardias demais (Ec 3:1).
Mesmo tendo muitas mulheres, sua voluptuosidade não diminuiu, ela continuou desenfreada. Ter várias mulheres não reduz, mas excita e estimula a libido masculina. Quando se tornou rei, ele acrescentou mais mulheres ao seu harém, mas isso nunca resolveu se problema. Nossa sociedade mente ao dizer que, satisfazendo os impulsos dos prazeres, ele diminuirá. O tempo passou, a idade chegou, mas Davi jamais cuidou de seu coração. Davi é um exemplo familiar de líder que nenhum servo de Deus gostaria de ter. Todo herói é incompleto, e Davi prova para cada um de nós que o perfeito exemplo é Cristo, e sempre será.



2. Exemplo refletido nos filhos

O Livro de Provérbios adverte assim aos pais: “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele” (Pv 22:6). O que a Bíblia está dizendo? Que instruir os filhos é dever dos pais; que, se logo cedo seus pais traçarem uma disciplina sólida para sua vida, eles estarão alicerçados até na velhice; ou que se não houver cuidados quanto a isso na velhice eles estarão perdidos. Davi foi um grande guerreiro, mas vacilou demais na atenção e disciplina de seus filhos, e viu a si mesmo em cada um deles (Ef 6:4; Cl 3:21).

VERS. 3-5. Filhos. Considere:

1. Os efeitos de recebê-los como sendo uma herança do Senhor.
(a) Os pais confiarão no Senhor pelo suprimento e segurança deles.
(b) Os pais os considerarão como um encargo sagrado que o Senhor lhes confia, de cujo cuidado eles precisarão prestar contas.
(c) Eles os ensinarão no temor do Senhor.
(d) Consultarão a Deus a seu respeito com freqüência.
(e) Eles os entregarão sem murmurar quando o Senhor os chamar para si mesmo pela morte.

2. Os efeitos de sua educação correta.
(a) Tornam-se a alegria dos pais.
(b) São o resultado permanente da sabedoria dos pais.
(c) São o sustento e consolo da velhice de seus pais.
(d) São os transmissores das virtudes de seus pais para outra geração; pois filhos bem criados tornam-se, por sua vez, pais sábios (J. F.)

VERS. 4. A função espiritual das crianças.
1. Quando morrem na infância, despertando os pais.
2. Quando voltam para casa da Escola Dominical, levando influências santas.
3. Quando se tornam convertidos.
4. Quando crescem e se tornam homens e mulheres úteis.

VERS. 4-5
1. A dependência dos filhos para com os pais.
(a) Por segurança. Estão em sua aljava.
(b) Por direção. São enviados por eles.
(c) Por apoio. Estão nas mãos dos poderosos.

2. A dependência dos pais para com os filhos:
(a) Para defesa. Quem aceita ouvir falar mal de um de seus pais?
(b) Para felicidade. "Um filho sábio" (Pv 10.1). As crianças trazem à tona algumas das mais nobres e ternas emoções humanas. Feliz é o ministro cristão que com a aljava cheia possa dizer: "Aqui estou, e os filhos que tu me deste" (G. R.).

Esboços Bíblicos de Salmos – C. H. Spurgeon

De novo, Jesus é o exemplo ideal. Quando encontramos o primeiro indício de que Ele sabe que é o Filho de Deus? No templo de Jerusalém. Tinha doze anos. Seus pais haviam caminhado três dias de regresso a Nazaré antes de descobrir que o rapaz não estava com eles. O encontram no templo, estudando com os líderes. Quando lhe pedem explicação, responde: "Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai?" (Lucas 2:49, ACF).
Ainda sendo jovem, Jesus já percebe o chamado de Deus. Mas, o que fazer depois? Recrutar discípulos e fazer milagres? Não; regressa à casa de seus pais e aprende o ofício da família.

      Simplesmente Como Jesus – Max Lucado

2.1 O lamentável silêncio do rei

Conceitos orientadores: liderança abstêmica; ausências; desonra; indolência; disciplina filial; inércia; passividade; violência; abusos

Pais que amam a seus filhos

Não transferem responsabilidade (Davi transferiu a responsabilidade para Joabe).
A responsabilidade dos filhos é nossa, não é da igreja, nem do pastor, da escola, dos parentes, da empregada, nem da televisão (Ok pai? Ok mãe?). Conversar, orientar, apaziguar, educar, castigar, recompensar é responsabilidade dos pais. Se fosse de outros, então deixe outros castigar, exemplo: a empregada castigar nossos filhos.
Não minimizam o poder das amarguras.
Davi não levou a sério o ódio de seu filho Absalão por Amon ter violentado a sua irmã Tamar. É preciso levar a sério nossa família e resolver aos pés do Senhor Jesus com oração, amizade e disciplina os problemas gerados.
Não desprezam seus sentimentos.
Davi deveria resolver o problema, porém, não o fez, ignorou os sentimentos de seu filho Absalão, o que provocou nele muita ira, ódio e vingança.
Não esperam para dedicar tempo aos seus filhos.
Davi estava ocupado demais com muitas responsabilidades e quando se apercebeu já era muito tarde. Pais que amam a seus filhos não esperam ficar tarde demais para procurá-los, oferecer ajuda, amizade, e praticar o perdão. Pais que amam seus filhos chegam juntos, para sanar qualquer problema que haja.

Filhos que amam a seus pais
Rejeitam o fato de terem e cometerem os mesmos erros de seus pais. Os filhos que amam os pais, não darão continuidade aos erros de seus pais. Davi tinha concubinas. Absalão expôs o erro passado de seu pai dormindo com as concubinas a luz do sol. Se os pais bebem, fumam, se prostituem, são violentos, os filhos que os amam não farão o mesmo, não darão continuidade a estas maldições. Os filhos saram os pais, não incorrendo nos mesmos erros.
Não se alimentam com ódio.
Têm coragem de se abrir com seus pais e resolver a situação ocorrida. Absalão não cobrou de seu pai uma atitude, nem manifestou a ele sua magoa; antes, alimentou sua dor e revolta com ódio.
Não se deixa envolver pelas magoas familiares.
Filhos que amam os pais promovem a paz e praticam o perdão, sarando a família.
Qualquer situação familiar deve ser tratada com seriedade, princípios de amizade, amor e perdão e acima de tudo com oração aos pés do Senhor Jesus Cristo, porque disse Ele: Sem mim nada podereis fazer.

Tarde demais, só Jesus Cristo edifica o lar – Welinton Cunha

Davi teve (buscou para si e seu ego) mulheres diversas. Como consequência, teve diversos filhos. Entretanto, tal mistura não fora orientada por Deus. Disso lhe vieram diversos problemas. Cuidava do reino, da nação, das tropas, do tesouro e etc. Reconhecemos que cuidou muito bem, até. Sua atenção estaria priorizando seu lar? Cremos que não. Doutro modo, teria notado comportamentos suspeitos, porém “comuns” entre sexos apostos, mesmo entre irmãos, primos e etc. (nem por isso são ignoráveis ou sadios).
Tamar prontamente foi ao encontro de seu irmão, para socorrê-lo, quando chamada. Ela caiu como vítima de uma paixão infame, e seu irmão Absalão, ao saber do fato guardou em si um ódio vingativo para com irmão Amnon (II Sm 13:1-21). Davi ao saber, apenas irou-se; infelizmente não tomou atitude alguma. Sem confrontos, sem castigos ou sermões. Nem se moveu contra Amnom. Nem ao menos repreensão ou censura (Pv 3:12). A vítima (Tamar) precisava de sua proteção, sua afirmação e seu amparo. Tinha um pai ausente, cego, surdo, mudo e insensível.
Era dever de Davi, como pai, punir o malfeitor. A lei impunha a pena de morte para tal delito (Lv 18: 9 e 29). Mas as mãos de Davi não estavam limpas. Ele tinha incorrido pessoalmente na mesma pena, e não podia condenar em outro o que tinha tolerado em si mesmo. Além disso, a passividade de Davi e sua incrível despreocupação paternal nos fazem pensar que ele sempre esteve com os pensamentos voltados para outra parte. Seus filhos cresceram sozinhos, sem a autoridade e disciplina paterna apropriadas. Seus filhos gozavam de privilégio de perecerem a um palácio, mas sem a presença de um pai que os amasse e lhes desse o mínimo de atenção.

Nota: Em “Ele via as esposas como troféus e os filhos como qualquer coisa” (revista), há uma afirmação conclusiva do comentarista, mas que não é expressa/encontrada na Bíblia. Contudo, no início de 3.1 lemos o inverso de tal sentença (“Seria ledo engano acreditar que Davi gerou filhos para que se perdessem. Ele não era tão insensível assim”). Apesar de mais humanizada e “bonita”, ainda é uma conclusão pessoal em si, independente de ser ou não altamente provável ou de pensarmos igual ou não.

2.2 O julgamento realizado por Absalão

Conceitos orientadores: indignação; vingança; ódio; punição; distância afetiva; tomada de decisão; opróbrio; traumas

Davi demonstra-nos tanta desatenção aos seus filhos que também não observou que Absalão e Amnon não se falavam havia dois anos: mais cedo ou mais tarde Absalão iria se vingar (II Sm 13: 22 e 23). Enquanto tinha de enfrentar uma vida arruinada, o julgamento estava vindo para “reparar” os prejuízos. Existem coisas que o dinheiro e a estabilidade jamais poderão comprar. Uma família bem sucedida; certamente todos possuíam do bom e do melhor, todavia sofriam horríveis carências: o fato de serem ignorados de todas as formas por seu pai.


2.3 Uma confissão tardia

Conceitos orientadores: indiferença; imprudência; dissensão; traição; emboscada; remorso

Sendo um modelo de marido e esposa que se amam.
Façam questão de demonstrar um ao outro na frente de seus filhos que se amam. Se existe algo que desenvolva segurança no coração do filho, é o fato dele saber que seus pais se amam.
Amá-los com amor incondicional.
Amor incondicional é dar-se ao seu filho, sem levar em conta sua aparência, defeitos, deficiências, e suas atitudes. Amar de forma incondicional significa que você ama seu filho, mesmo quando às vezes você não concorde e até deteste seu comportamento.
Amá-lo através do toque.
Os pais devem demonstrar que apreciam seu filho abraçando-o e brincando com ele. A apreciação demonstrada pelo pai à filha, determinará como a menina se sentirá na presença dos homens: bem ou mal. Da mesma forma, se a mãe demonstra amor ao seu filho através do toque, isso com toda a certeza, vai determinar o seu comportamento com sua esposa, ao constituir uma família.
Amá-lo através da comunicação.
Os pais precisam constantemente comunicar amor a seus filhos. Filhos pequenos necessitam muito de abraços e beijos. Filhos adolescentes necessitam de elogios e encorajamento. Desta forma, não só recebem carinho, como também as suas necessidades emocionais são supridas.
Amá-lo através de uma disciplina amorosa, coerente e firme.
Conversar, aconselhar, trabalhar com o filho, e se não houver jeito, a disciplina deve ocorrer; mas não para descarregar a raiva. Ao disciplinar, faça-o com amor. Procure não disciplinar quando os ânimos estiverem exaltados.
Amá-lo dando de seu tempo e atenção.
Muitos pais estão ocupados demais, envolvendo-se totalmente com a realização profissional, que se esquecem que seu filho tem necessidades.
Qual foi a última vez pais, que levaram seu filho para passear? Que brincaram com ele? Que dedicaram tempo a ele?
Os filhos necessitam da atenção dos pais.
Pais lembrem-se que os filhos são "herança do Senhor". Salmos 127:3. Portanto, pais, façam tudo que for possível para salvá-los.

Pais, Não percam seus filhos – Hélio Coutinho (trechos)

Muitas das aflições causadas a Davi e à sua família, foram criadas por ele mesmo devido à forma como assistiu aos seus filhos, em sua criação. Apesar de ter sido um grande estrategista, compositor e tantas outras excelentes características empreendedoras, missionárias e humanísticas, não dedicou atenção o suficiente ao seu lar, mesmo diante dos maus frutos e das oportunidades de aplicar reprimendas, correções ou revisões administrativas.



3. Uma história marcada pela solidão

Davi tinha esposas como quem coleciona troféus. Ele via as esposas como meios de obter prazer, não como parte do plano de Deus. O resultado foi um lar catastrófico e um coração destruído pelas muitas amarguras e perdas. Seu pranto por Absalão revela sua intensa dor. “Ah, meu filho Absalão! Meu filho, meu filho Absalão! Quem me dera ter morrido em seu lugar! Ah, Absalão, meu filho, meu filho!” (II Sm 18:33).

Tendo o rei coberto o rosto. Era a maneira costumeira de expressar pesar. A cabeça coberta indicava o pesar que excluía a pessoa do mundo externo. Talvez simbolizasse a tristeza mortal que Davi sentia por seu filho Absalão. Sua expressão vocal dava a entender que o rei desejava estar morto com Absalão. Num certo sentido a cabeça coberta de Davi simbolizava a mortalha do sepultamento de Absalão. Os véus usados pelas viúvas são uma modernização deste antigo costume. Contudo, a sugestão no luto moderno é que a pessoa deseja ficar sozinha com sua tristeza. Pela mesma razão, nos funerais os membros achegados do morto ficam em uma sala separada.

Comentário Bíblico Moody

3.1 Troque presentes por sua presença

Conceitos orientadores: carências afetivas; fugas existenciais; atitudes práticas X teses e projetos; bens materiais X ausência de convívio

O melhor presente que podemos dar aos nossos filhos não se compra, é grátis! Qual é a mãe ou o pai que não quer dar tudo do melhor prá o seu filho?
Muitas vezes, as preocupações dos pais se resumem a que o seu filho coma bem, que tenha a melhor assistência médica, que estude no melhor colégio, ou que esteja sempre bem vestido e tenha os brinquedos mais modernos. Será que isso é tudo para uma criança?
Os erros na educação dos filhos
O que necessitam as crianças para serem felices? Alguma vez você pensou nisso? Desde o meu ponto de vista, educar aos filhos significa ensiná-los a crescer, a decidir, a escolher, e prepará-los para que saibam viver e se virar em diferentes tipos de situação. O que acontece é que muitas vezes erramos na nossa forma de educar. Alguns pais exageram e acabam protegendo demais aos seus filhos. Erram porque dão tudo, materialmente falando, às suas crianças e esquecem de ensiná-los a valorizar o que têm.
Outro erro que é muito comum entre os pais é tentar dar tudo ao filho prá compensar as horas que não podem estar com ele. É como se quisessem compensar a sua ausencia com um montão de presentes, quando o que o seu filho necessita é curtir um momento em família, com os pais, conversar, rir, brincar, compartilhar abraços, beijos… e atenção. Isso mesmo, atenção e compreensão.
Os presentes que saem do coração para as crianças
O dinheiro, o material, não é tudo. O melhor brinquedo, a melhor comida, a melhor escola, a melhor roupa… quem não gosta? Não está nada mal que uma criança tenha isso, porém, só isso, não completa, e não a fará feliz. O que ela necessita é sentir-se querida, atendida e considerada. Ela necessita de afeto, de carinho, de amor, de paciência, tolerancia, participar da vida dos pais e sentir que faz parte de uma família.
O importante é o equilíbrio e nisso muitos erramos. Não basta trabalhar muito e não ter tempo para os filhos. Não basta dá-lhes as melhores oportunidades se não ensinamos a eles a aproveitá-las. Podemos dar um super brinquedo a eles, mas se não brincamos com eles, de que adianta o só ter?

O Melhor Presente que Podemos Dar aos Presentes – Vilma Medina

Seria ledo engano acreditar que Davi gerou filhos para que se perdessem. Ele não era tão insensível assim. Absalão ou Abshalom significa: “pai da paz”. Ele não lhe deu esse nome por acaso. Nem jamais pensou que seu próprio filho lhe traria tão grandes dores. A triste realidade, é que, mesmo sendo Davi um pai que sonhasse com o bem dos filhos, ele jamais foi capaz de transformar suas boas intenções em investimento de vida na existência deles. Nunca desmarcou reuniões ou batalhas¹ para arrumar sua casa que se deteriorava. Absalão tinha tudo: dinheiro, castelo, casas, prestígio, posição social, “status”, era bonito (a Bíblia diz que ele era o homem mais bonito daquela geração (II Sm 14:25), mas não tinha a presença do pai.


¹ Nota MDA: claramente este “nunca” é um exagero enfeitador. É extremamente ruim e perigoso trocar o que os textos e outras fontes históricas dizem, por aquilo que parece (especialmente quando for uma imaginação, suposição ou achismo pessoal baseado puramente na empolgação ao falar em público). O fato de algo não ter sido dito não afirma não ter existido/acontecido.

3.2 Nos braços de uma estranha

Conceitos orientadores: abandono na velhice; solidão; rejeição filial; granjear amigos; boas ações e convívios; vida social; receptividade

Hão de arquear as sobrancelhas, mas eu lhes digo que, se hoje me divirto mais do que aos 30 anos, espero aos 80 achar ainda mais graça em muitas coisas que, décadas atrás, me fariam arrancar os cabelos em desespero. Se alguém na velhice é realmente só, sem ninguém, nem vizinho nem conhecido nem parente nem mesmo o quitandeiro da esquina com quem falar, me perdoe: a não ser que uma tragédia tenha devastado sua vida sem deixar pedra sobre pedra, possivelmente faltou cultivar interesses e afetos, em vez de esperar por eles como obrigação alheia. Sinto muito: se o velho sempre bonzinho é um mito, o velho simpático, aberto e otimista é uma realidade. Quando comentei isso, alguém retrucou: "Mas todos morreram, não tenho ninguém da minha idade para conversar".
É bem possível e até provável, mas você nunca fez amizades com gente mais jovem? Nunca se abriu para o que há de estimulante no outro tempo da vida? Nunca se renovou, nunca se abrandou? Quem não tiver obsessão pela juventude perdida pode se interessar pela imensa variedade de assuntos que todo dia entram em nossa casa pelos jornais, pela televisão e – por que não? – pelo computador. E não me venham com "na minha idade".
Os grupos da chamada terceira idade podem ser divertidos, estimular amizades, fazer sentir que a gente não é a única nem a vítima do destino cruel... Mas, por favor, não botem as velhinhas a dançar com vestido de bailarina saltitando com balões nas mãos, ou para fazer teatro infantil. Não as maquiem em excesso, não as tornem caricaturas.

A Conquista da Velhice – Lya Luft

Davi aos setenta anos já se encontrava debilitado e sua saúde exigia cuidado.
Ele sentia muito frio e o remédio sugerido pelos seus servos, embora nos surpreenda hoje, era prático e usado naqueles dias para os que sofriam desse problema: uma jovem para serví-lo e aquecê-lo com o seu corpo. Tendo ele concordado, encontraram uma jovem muito formosa chamada Abisague, e ela lhe prestou esses serviços (1 Reis 1.2-3 ''Então disseram-lhe os seus servos: Busquem para o rei meu senhor uma moça virgem, que esteja perante o rei, e tenha cuidado dele; e durma no seu seio, para que o rei meu senhor se aqueça. E buscaram por todos os termos de Israel uma moça formosa, e acharam a Abisague, sunamita; e a trouxeram ao rei.'' ). 
Embora Davi não a tenha possuído, ela foi considerada como sendo uma das suas esposas, como vemos mais tarde.

A Velhice de Davi – Weverton Bernardes

Nessa busca, Abisague foi escolhida por ser muito formosa. Talvez a única maneira de saber que ela era amável, era olhar a sua aparência, que era de bom agrado (I Reis 1: 3). Sua formosura mostrou o quanto ela se cuidava e isso pressupunha que poderia cuidar muito bem de outra pessoa.
Mesmo Abisague sendo escolhida para dormir com o rei, ela não foi possuída, ou seja, eles não tiveram relações sexuais. Ela simplesmente colocou em prática a característica mais buscada e admirada em uma mulher: cuidadora.
A breve passagem Bíblica que cita Abisague com certeza não aparece à toa na Palavra de Deus. Ela nos ensina a importância de ser uma mulher amável, disposta a ajudar sempre.
Será que as outras mulheres de Davi esqueceram o motivo que as levou até o palácio? Ou começaram a dar mais valor ao local e seus benefícios, em vez de observar se o seu rei estava sendo bem cuidado?

Amável, foi escolhida para cuidar do Rei Davi – Tany Souza

Uma coisa é certa, nem sempre sabemos o tempo da colheita, mas iremos colher aquilo que plantarmos. Este é um último alerta para que também não venhamos pagar o preço que Davi pagou. O primeiro livro dos Reis de Israel nos apresenta como foram às últimas horas de Davi, e o terrível preço de uma família negligenciada. Davi está prestes a encontrar-se com a morte, e sente um frio que os cobertores não podem tirar. O rei precisa de uma virgem para aquecê-lo, alguém para abraçá-lo firmemente enquanto ele dá seus últimos suspiros (I Rs 1:3 e 4). Não chamaram nenhuma de suas esposas², nenhum filho está próximo a ele. Que triste verdade: “Davi morreu aos cuidados de uma estranha, porque fez de sua família pessoas estranhas”. Ainda existe tempo para nós. Não sejamos como Davi (SI 68:6; 107:41).

O Padrão Sexual do Pastor – “Sensato Coração” – Ed. Hagnos (trecho do livro)

² Nota MDA: A jovem citada, era Abisague (seria ela “A Sunamita”, de Cantares?). Em “O Padrão Sexual do Pastor” (link acima) há uma citação muito interessante sobre ela, como também em “Abisague”, na Bibliografia Indicada.

3.3 Doze mandamentos que tornam o filho um marginal

Conceitos orientadores: alertas; indicadores; conselhos; imposição de limites; conivência; paparicações e mimos excessivos; super-protecionismo

1 - Desde cedo, dê a criança tudo o que deseja. Ela crescerá com a convicção de que o mundo todo lhe pertence; 2- Se a criança utilizar expressões impróprias, dê risadas. Ela vai então se considerar especialmente espirituosa; 3 - Não lhe dê nenhuma educação espiritual; quando ela crescer escolherá o caminho que melhor lhe convém; 4 - Nunca lhe diga: “Isso está errado!”. Ele poderá ficar com complexo de culpa!; 5 - Sempre arrume toda a sua desordem. Assim, a criança ficará convicta de que a responsabilidade é sempre dos outros; 6 - Permita que ela leia o que quiser! Preocupe-se em esterilizar as louças da sua casa, mas deixe que a mente de seu filho fique com bactérias 7 - Desenvolva toda desavença conjugal diante da criança. Se mais tarde houver o divórcio, pelo menos ela não ficará surpresa; 8 - Dê-lhe todo o dinheiro que pedir; nunca lhe ensine a produzir; 9 - Cuide para que a criança receba todo o imaginário em comida, bebida e conforto. Do contrário, poderá ficar facilmente deprimida; 10 - Sempre lhe dê razão: Os vizinhos, os professores e a polícia apenas visam o mal da pobre criança; 11 - Se finalmente se tornar um marginal, simplesmente explique que você não pode fazer nada! 12 - Prepare-se a tempo para uma vida espinhosa. Com toda a certeza, você a terá!

Deixamos uma série de estudos sobre erros, acertos e orientações voltadas para educação dos filhos. Orientamos a que todos os alunos, visitantes e professores sejam dedicados e examinem todos eles atentamente. Lembramos que não são mandamentos estilo “Lei Mosaica”, mas ideias e pensamentos a serem avaliados, principalmente para se ter conteúdo comparativo, evitando problemas no lar e família, como também alienação ao que o Mundo pensa e faz (certo ou errado, que o seja). Há um artigo sobre mesadas interessante. Lembramos que tarefas obrigatórias dentro do lar não são para serem pagas (idem bom comportamento, boas notas). Ensinemos nossos filhos a serem bons por amor, convicção, caráter e serviço a Deus. Já quanto a serviços e ou tarefas que pagaríamos a terceiros para os fazer, devemos pagar aos nossos filhos (não são nossos escravos).



Conclusão

Observamos que podemos nos tornar pessoas de sucesso e, ao mesmo tempo, péssimos administradores de nossos lares. O que vimos em Davi está refletido em nossa sociedade, e, infelizmente, é realidade em muitos lares cristãos. Não precisamos pagar o preço pago por Davi, ainda podemos resgatar nossos familiares. Deus, com certeza, está falando ao nosso coração.


Fontes:

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/RV/NTLH
Davi, A Lâmpada de Israel (revista professor) – Editora Betel – 4º Trimestre 2013 – Lição 10
Comentário Bíblico Esperança NT – Editora Evangélica Esperança
Davi, As vitórias e as derrotas de um homem de Deus (revista) – CPAD
Esboços Bíblicos de Salmos – C. H. Spurgeon – Shedd Publicações
Comentário Bíblico Matthew Henry Conciso AT/NT – Matthew Henry – CPAD
Comentário Bíblico Moody AT/NT – Editora Batista Regular
Simplesmente Como Jesus – Max Lucado –
Segundo o Coração de Deus – Luis Palau – Ed. Betânia
Como Resolver Problemas em I e II Samuel – Ancil Jenkins – A Verdade para
A Conquista da Velhice (link)
Amável, foi escolhida para cuidar do Rei Davi (link)
Tarde demais, só Jesus Cristo edifica o lar (link)
Pais, Não percam seus Filhos (link)

Em Espanhol

Nuevo comentario biblico siglo XXI – editorial mundo hispano (El Paso, TX, EE. UU.)
Usos Y Costumbres de Las Tierras Biblicas (link)

Bibliografia Indicada (Estude Mais)

"Que rei sou eu?" Pastores entre o poder, a fama, o glamour e a luxúria (link)
8 Idéias Essenciais para Uma Velhice Feliz (link)
Sentimento de Fracasso (link)
Abisague (link)
O que a Bíblia Diz sobre Ser um Bom Pai ou uma Boa Mãe? (link)

Questionário

1. Qual das três proibições de um rei que Davi não respeitou?
R. A de ter muitas mulheres.
2. Como explicar tamanho desastre no lar de um homem como Davi?
R. Enquanto se ocupava com o reino, não sobrava tempo para a família.
3. Por que Absalão matou Amnon?
R. Por haver deflorado e desrespeitado sua irmã.
4. Quem tentou usurpar o trono de Davi?
R. Seu filho Absalão.
5. Como morreu Davi?
R. Nos braços de uma estranha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho