domingo, 12 de janeiro de 2014

EBD Editora Betel - As Testemunhas de Jeová





Assembleia de Deus CONAMAD
Lição 03 – 19 de Janeiro de 2014
Revistaebd Revista escola bíblica dominical editora betel conamad Passagem bíblica trecho bíblico bíblia como estudar teologia bíblia escola dominical escola dominical betel escola biblica betel escola bíblica betel escola dominical conamad auxilio professor ajuda professor subsídio professor auxílio professor subsidio comentario ebd comentário bíblico ebd professor mestre comentário biblico escola dominical comentario biblico escola bíblica comentario bíblico pregação pregador palestra estudo bíblico bíblico

Texto Áureo

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.” Jo 1:1

A expressão usada para apresentar Jesus é “o Verbo”. Embora João não diga que Jesus é “o Verbo” até os versículos 14 a 18, o versículo 1 usa a expressão para descrevê-lo. “O Verbo”, ou “a Palavra”, que em grego é logos, tinha significados diferentes para os leitores judeus e gentios. Os judeus pensavam em “o Verbo”, ou “a Palavra”, como o poder ativo de Deus que criou e sustenta o mundo. É nesse sentido que se fala de “Verbo” em Gênesis 1 e 2 e Isaías 55:3 e 11. Os judeus se lembravam de que “disse Deus: Haja luz; e houve luz” (Gênesis 1:3). A Palavra de Deus é mesmo poderosa!

O Verbo Era Deus, “João: A Jornada da Fé”, Bruce McLarty

Verdade Aplicada

Jesus é coparticipante da essência Divina e, em virtude dessa natureza, é Deus.

O que quer que as pessoas pensassem quando ouviam alguém mencionar “o Verbo”, sem dúvida reconheciam que João, ao iniciar seu Evangelho dessa forma, estava fazendo uma alegação dupla sobre a Pessoa que estava descrevendo. Numa rápida sucessão, João declarou que “o Verbo estava com Deus”, “o Verbo era Deus”, “todas as coisas foram feitas por intermédio dele” e “a vida estava nele” (1:1–4). João não estava tentando convencer as pessoas de que Jesus era um grande mestre ou um sábio; ele estava declarando que Jesus era divino, possuía a natureza de Deus!

O Verbo Era Deus, “João: A Jornada da Fé”, Bruce McLarty

Objetivos da Lição

Fazer conhecida a origem das Testemunhas de Jeová;
Mostrar a incoerência da “Tradução do Novo Mundo”, tradução utilizada pelas Testemunhas de Jeová;
Refutar as principais heresias das Testemunhas de Jeová.

Glossário

Bom alvitre: boa sugestão, boa opinião, bom parecer, um bom conselho;
Asseverar: afirmar com certeza, afirmar com segurança, dar como certo;
Russelitas: termo derivado de Russell, (Charles Taze Russell) nome do precursor da Seita das Testemunhas de Jeová.

Textos de Referência

Jo 1:1 - No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
Jo 1:2 - Ele estava no princípio com Deus.
Jo 1:3 - Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez.
Jo 1:4 - Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens;
Jo 1:14 - E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigénito do Pai.


Introdução

As Testemunhas de Jeová são uma seita que se destaca pela boa organização e excelente estrutura. Outra marca forte deles é a maneira como praticam o proselitismo; através de incansáveis visitas de casa em casa e os treinamentos especiais para os adeptos, com o objetivo de formar seus apologistas e discípulos.

O nosso objetivo aqui é alcançar com a mensagem do amor de Deus os adeptos da STV. No Brasil já são cerca de 400 mil TJs que se reúnem semanalmente em 6 mil congregações (Salões do Reino), e no mundo são aproximadamente 5 milhões reunidos em 75 mil congregações. São pessoas normais como cada um de nós, apesar de serem escravizadas por uma religião falsa.

Para que consigamos o objetivo proposto, usaremos os seguintes métodos:

1) Teórico (At 17:11 e I Pe 3:15) - Com base nesses textos precisamos reconhecer que é dever de todo servo de Jesus estudar e conhecer bem as doutrinas básicas da fé cristã.
2) Prático (At 17:1 e 2 e II Tm 2:15 e 24-26) - Este método é o confronto direto com os adeptos (Mt 10:16). Cabe aqui salientar o planejamento de uma evangelização regular e sistemática de casa em casa. Vamos subdividir esse método em: (1) Pessoal - o melhor é conversar com uma TJ de cada vez; e (2) Coletivo - ir acompanhado com mais alguns irmãos em algumas reuniões semanais do Salão do Reino.
Se você preferir o método individual, evite fazer afirmações diretas que atacarão as crenças da TJ; ao invés disso, formule perguntas simples levando-a a raciocinar e chegar à conclusão em sua própria mente. Se você preferir o método coletivo, vá, sente-se, assista, ouça, compare e raciocine em função de tudo o que você ver e ouvir. Em algumas reuniões (estudo da Sentinela e estudo de livro) o público tem o direito de participar respondendo perguntas feitas pelo Ancião. Eis a ocasião para você agir dentro da programação deles. Responda formulando perguntas de modo que todos possam entender o que você está querendo dizer. Saiba, entretanto, que nessas reuniões nenhuma TJ faz perguntas - tão somente as responde. Portanto, você deve ser bastante objetivo na sua colocação. É aconselhável saber previamente o assunto que será tratado na reunião que você irá assistir.
Quando estamos nas mãos de Deus, somos usados para fazer proezas.

Testemunhas de Jeová – Deivinson Bignon

Introdução Testemunhas de Jeová (áudio)


1. O Surgimento do Russelismo

Charles Taze Russell (1852–1916), inicialmente membro da Igreja Congregacional e depois da Igreja Adventista do Sétimo Dia, filho de pais presbiterianos, em 1872 funda formalmente o movimento Russelita, nome inicial dessa seita. Em 1884, o movimento mudou de nome que passou a ser chamado de Sociedade Torre de Vigília de Sião de Bíblias e Tratados. Esse nome durou apenas doze anos, porque, em seguida, mudou para Sociedade Torre de Vigília¹ de Bíblias e Tratados (retirou a palavra Sião). A partir de 1886, Russell publicou vários livros, dentre eles; “Aurora do Milênio”. Ainda na gestão de Russell, por volta de 1900, essa seita chegou à Inglaterra e Austrália. Atualmente contam com seis milhões de adeptos, em mais de 230 países.

O herético movimento das “testemunhas de Jeová” começou em 1872 com um homem de vida repreensível, Charles Taze Russel, nascido em Allenghemy, Pensilvânia, USA, em 16 de fevereiro de 1852. Russel, no início de sua vida, foi Presbiteriano; migrou para a Igreja Congregacional; dela passou para o adventismo de cuja teologia judaizante retirou os “fundamentos” de sua nova seita. Aliciando um grupo de simpatizantes (adventistas e outros), criou uma equipe de “estudos das Escrituras” ( 1879), aplicando aos textos sagrados suas “interpretações” particulares, sem qualquer habilitação teológica para tal empreendimento. Sua cultura geral também era limitada. Em 1884, ele oficializou e legalizou o grupo com o nome de “Watch Tower Bible and Tract Society” ( Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados). ... Russel transformou seus “estudos bíblicos” em livros: sete volumes, o último dos quais, publicado depois de sua morte. Até hoje, em princípio, as “doutrinas” das TTJ baseiam-se na obra de seu criador. Charles Taze Russel faleceu em 1916, sucedendo-o o habilíssimo advogado Joseph Franklin Rutherford, a quem se atribui a publicação do livro que sintetiza as heresias russelitas: “Seja Deus Verdadeiro”, além de muitas outras obras. Rutherford, em 1931, em meio a uma crise interna, convenceu a uma assembléia de seus liderados a trocar o nome de “Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados” para “Testemunhas de Jeová”, nome pelo qual são popularmente conhecidos.

Testemunhas de Jeová – Deivinson Bignon

¹ O nome correto é “Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados”.

Mundos Separados (documentário)
A História das Testemunhas de Jeová desde o Início (I) (II) (III) (IV) (V)
Por onde andava o Corpo Governante antes de Charles Russel? (vídeo)

1.1 As Testemunhas de Jeová no Brasil

Conceitos orientadores: divulgação; representantes; comissionamento; pioneirismo; propagação tática;

Muitas testemunhas de Jeová têm anotado no final de suas Bíblias a lista dos quatro lugares onde a palavra JEOVÁ pode ser encontrada nas Bíblias de tradução mais tradicional como as da Imprensa Bíblica Brasileira, por exemplo. São eles: Êxodo 6:3, Salmo 83:18, Isaías 12:2 e 26:4. E m sua pregação elas perguntarão de forma insuspeita aos donos da casa: "Você tem uma Bíblia à mão?" Então, dirigirão sua atenção a um destes versículos. Apanhados desprevenidos e achando a palavra JEOVÁ escrita em sua própria Bíblia, onde as testemunhas de Jeová disseram que estaria, algumas pessoas se impressionam com o conhecimento que elas têm da Bíblia e permitem que entrem em suas casas e lhes ensinem mais.

As Testemunhas de Jeová Refutadas Versículo por Versículo – David A. Reed

As Testemunhas de Jeová chegaram ao Brasil através de oito marujos, em 1920, que se converteram em New York². Em 1922, a Igreja das Testemunhas de Jeová estabelecida na Amé­rica do Norte, enviou ao Brasil seu primeiro representante, especificamente à cidade do Rio de Janeiro, onde foi realizada a primeira reunião pública, no auditório do Automóvel Clube do Brasil. De um pequeno grupo formado no final do século dezenove, até nossos dias, gerou-se uma vasta corporação, com um formidável patrimônio formado por parques gráficos, fazendas "do Reino", conjuntos de edifí­cios, etc. O Brasil é, atualmente, um dos países com maior nú­mero de Testemunhas de Jeová. Em 2011, conforme dados deles, foram feitos 27.425 batismos no país; no evento da "Comemora­ção da Morte de Cristo", estiveram presentes 1.748.226 pessoas; foram realizados 801.007 estudos bíblicos pelas Testemunhas de Jeová no Brasil; foram dedicadas 145.889.031 horas na pregação das doutrinas Russelitas no país.

² Alguns nomes, especialmente de cidades, possuem versão em Língua Portuguesa. Neste caso, Nova Iorque é o usual (var. Nova York).


1.2 Falsas profecias de Russell

Conceitos orientadores: espíritos enganadores; falsos profetas; devaneios; impulsos carnais; má interpretação; desconhecimento bíblico; displicência

Predições Falsas de Russel: Russel disse que o tempo dos gentios terminaria em 1914. Isto não se verificou. Pois até 1967 uma parte de Jerusalém estava em posse dos gentios (Lc 21.24). Em 1889 escreveu: "Dentro dos seguintes vinte e seis anos todos os atuais governos serão derrubados e dissolvidos. (Seria em 1915). Outra grande mentira. No ano de 1914 as Igrejas cristãs seriam destruídas. A batalha do Armagedon teria lugar em 1915. No ano de l914 a Igreja Católica Romana desapareceria. Em 1914 todos os governos, bancos, escolas e Igrejas seriam completamente destruídos".

Outras predições falsas: Em 1918 escreveram: "Portanto, podemos esperar confiadamente que 1925 marcará a volta de Abraão, Isaque, Jacó e os profetas fiéis da Antigüidade, particularmente aqueles nomeados pelos Apostolo em Hebreus capítulo onze, à condição de perfeição humana". (Milhões dos que agora vivem jamais morrerão) pp.89-90. Em 1931 escreveram: "Houve uma medida de desapontamento da parte dos fiéis de Jeová na terra concernente aos anos de 1914,1918 e 1925, cujo desapontamento durou por um tempo... e aprenderam também deixar de fixar datas". (Justificação Lv. I, pp.338-339). Isso é incrível! Eles mesmos reconhecem que suas falsas profecias.

Testemunhas de Jeová – Planeta Evangélico

1877:
"O fim deste mundo, isto é, o fim do evangelho e o começo da idade do milênio está mais próximo do que a maioria dos homens supõe; na verdade, já entramos no período de transição, que tem que ser um 'tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação' (Daniel 12:1)." (N. H. Barbour e C. T. Russell, Three Worlds, and the Harvest of this World, pág. 17, citado por Edmond C. Gruss, Jehovah's Witnesses and Prophetic Speculation, Nutley, N. J.: Presbyterian and Reformed Publishing Co., 1972, pág. 82.)
  
1886:
"A perspectiva na abertura do Ano Novo tem alguns aspectos muito encorajadores. As evidências exteriores são que o agrupamento das hostes para a batalha do grande dia de Deus Todo-poderoso está progredindo, enquanto as escaramuças estão começando. ...É chegada a hora do Messias tomar o domínio da terra e derrubar os opressores e corruptores da terra (Apocalipse 19:15 e 11:17-18) em preparação para o estabelecimento da paz eterna sobre a única fundação firme de justiça e verdade." (Watchtower Reprints, I, pág. 817, citada Ibidem, pág. 82.)
  
1889:
"... a 'batalha do grande dia de Deus Todo-poderoso' (Apocalipse 16:14), que terminará no ano 1914 d.C. com a completa derrubada da presente dominação da terra, já começou. A reunião dos exércitos é plenamente visível do ponto de vista da Palavra de Deus." (The Time is at Hand, 1889 ed., pág. 101. A edição de 1915 deste texto mudou o "1914 d.C." para "1915 d.C.", citado por Gruss, Ibidem, pág. 140.)
  
"Em verdade, é esperar grandes coisas ao declarar, como o fazemos, que dentro dos vinte e seis anos vindouros todos os governos presentes serão depostos e dissolvidos...." (C. T. Russell, Studies in the Scriptures, II, Brooklyn: International Bible Students Association, 1915, págs. 98,99).
  
1894:
"Agora, em vista das recentes perturbações trabalhistas e ameaça de anarquia, nossos leitores estão escrevendo para saber se não poderá haver um engano na data de 1914. Eles dizem que não vêem como as condições presentes podem agüentar durante tanto tempo sob o esforço. Não vemos razão para a mudança dos algarismos, nem poderíamos mudá-los se quiséssemos. Elas são, cremos, datas de Deus, e não nossas. Mas temos em mente que o fim de 1914 não é a data para o início, mas para o fim do tempo de angústia." (Watchtower Reprints, II, pág. 1677, citado Ibidem, pág. 140.)
  
1897:
"... completa destruição 'das forças que forem' de 'este mundo mau presente' -- político, financeiro, eclesiástico -- sobre o fim dos 'Tempos dos Gentios,' 1914 d.C." (C. T. Russell, Studies in the Scriptures, IV, Brooklyn: Watchtower Bible and Tract Society 1897, pág. 622.)

1904:
"De acordo com nossas expectativas, a tensão do grande tempo de angústia será logo sobre nós, algo entre 1910 e 1912, culminando com o fim dos 'Tempos dos Gentios,' outubro de1914. (C. T. Russell, The New Creation, 1904, pág. 579, citado por Gruss, Jehovah's Witnesses and Prophetic Speculation, pág. 140.)
  
1914:
"Conquanto seja possível que o Har-Magedon possa começar na próxima primavera, ainda é pura especulação tentar dizer exatamente quando. Vemos, contudo, que há paralelos entre o fechamento da era judaica e a era deste Evangelho. Estes paralelos parecem apontar para o ano justamente diante de nós, particularmente os primeiros meses." (Watchtower Reprints, VI, September 1, 1914, pág. 5527, citado Ibidem, pág. 141.)
  
1915:
"A batalha de Har-Magedon, para a qual esta guerra está levando, será uma grande disputa entre o justo e o errado, e significará completo e eterna derrubada do erro e o estabelecimento permanente do reinado justo do Messias, para a bênção do mundo." (Watchtower Reprints, VI, April 1, 1915, pág. 5629, citado Ibidem, pág. 142.)
Em certo tempo durante a Primeira Guerra Mundial, C. T. Russell, primeiro presidente da Sociedade Torre de Vigia, escreveu:
"A presente guerra na Europa é o começo do Har-Magedon das Escrituras. (Apocalipse 16:16-20). Ele culminará com a completa derrubada dos sistemas de erro que têm oprimido durante tanto tempo o povo de Deus e enganado o mundo.... Cremos que a presente guerra não pode durar mais até que a revolução irrompa." (C. T. Russell, Pastor Russell's  Sermons, pág. 676, citado Ibidem, pág. 142.).

As "Testemunhas de Jeová", São mesmo? – estudosdabiblia.net

Estudando o livro de Daniel, e após fazer e criar alguns cálculos baseados no mesmo, Russell, profetizou sobre a volta de Jesus. Ela aconteceria em 1914, entretanto isto claramente não aconteceu. Algumas outras vezes retornou a seus cálculos, os refez e afirmou que seria  para o ano de 1915. Errou novamente. Outra série de cálculos. Um novo ano: 1918. Mais uma vez nada aconteceu (como das vezes ante-riores). Disse, ainda (outra profecia), que até 1914 haveria um tempo de tribulação, o estabelecimento do Reino de Deus na Terra.


1.3 Falsas profecias dos sucessores de Russell

Conceitos orientadores: continuidade; performance; maus-exemplos; advogar fraudadores; aprimoramento; agir de má fé

Líderes que sustentaram as falsas predições: Nos quase cem anos de existência, as Testemunhas de Jeová tiveram somente três dirigentes: Charles Russell; o juiz Rutherford e atualmente Nathan H. Knorr, desde 1942. Rutherford escreveu cem livros publicados em vários idiomas. Ensinava que todas as Igrejas organizadas (menos as Testemunhas de Jeová) eram do diabo e desde o tempo apostólico o Cristianismo havia constituído a igreja apóstata. É lamentável! Eles se acham os únicos mediadores. (Jo 14.6).

Testemunhas de Jeová – Planeta Evangélico

Em 1916, Russell foi descansar para debaixo da pirâmide que colocaram no seu túmulo mas o seu sucessor Rutherford não deixou os seus créditos de falso profeta em mãos alheias.
Segundo Rutherford, em 1918 os membros das igrejas seriam mortos “aos milhões”. Em 1920 ocorreria anarquia a nível mundial.
A data mais importante de todas era 1925, mas evidentemente também não aconteceu nada.
O “Juiz” Rutherford tinha muito jeito para “predizer” o que tinha acontecido no passado como cumprimento da profecia bíblica, mas não tinha jeito nenhum para predizer eventos futuros.
Depois de a França ter caído em poder da Alemanha em 1940, o “Juiz” declarou que a Grã-Bretanha também cairia em poder dos Nazis.
No ano seguinte, segundo ele, só faltavam alguns “meses” para o Armagedom.
Nesta altura a WTS também disse que o homem nunca poderia sair da atmosfera terrestre utilizando foguetões.
Também disse, mais tarde, que os biólogos estavam tão longe de provar a evolução como o homem estava longe de aterrar na lua (hehe, talvez tenhamos finalmente encontrado uma profecia que eles acertaram!).
Em 1942 os líderes da WTS aperceberam-se de que (como era previsível) a II Guerra Mundial também acabaria, e na brochura Peace — Can it Last? [Paz -- Pode Durar?] eles responderam Não à pergunta feita no título. A paz seria “muito breve.” Portanto não é de admirar que o que se seguiu tenha sido um período que é dos mais longos períodos da História sem grandes guerras!
Toda a gente sabe o que aconteceu em 1975, que teria sido o tempo certo para Deus acabar com o mundo, se Ele se chamasse Fred Franz.
A guerra fria inspirou os profetas da WTS a fazerem numerosas profecias. Em 1991 a União Soviética — “o rei do norte” de Daniel 11, segundo a interpretação das TJ — deixou de existir, apesar do facto de a WTS ter predito que essa nação invadiria país após país até ao fim. O facto de que a WTS compreendia esta profecia tão bem era, segundo as TJ, uma prova de que elas eram as únicas com sabedoria, lembram-se?
Os governantes mundiais deviam tomar atenção à Watch Tower Society. As predições das TJ são uma excelente bússola para avaliar acontecimentos mundiais — desde que se perceba que está a apontar para sul.
Se alguém se interroga por que é que as TJ não são autorizadas pelos seus líderes a jogar na lotaria nem a fazer apostas, esta lista mostra porquê: Elas nunca conseguiriam acertar em nada, nem que tivessem um milhão de anos para tentar!

Mais de um Século de falsas Profecias – CACP

Em 1916, Russel morre e assume Joseph Franklin Rutherford na liderança. Este altera o nome do movimento Russelita, imprimindo, assim, suas características pessoais e administrativo-filosóficas. Sob nova liderança, a marca registrada desta seita continua (ou seja, falsas profecias) passando a se chamar “As Teste­munhas de Jeová. Rutherford recalculou os eventos e estabeleceu o ano de 1925 como o início do Milênio. Estudando o histórico, vemos que todos os sucessores (até hoje) prosseguiram com estes cálculos.

As "Testemunhas de Jeová" – São mesmo? (I) (II)


2. A “Tradução Novo Mundo” da Bíblia

Em 1942, com a morte de Joseph Franklin Rutherford, assume a presidência Nathan Homer Knorr. Foi nesta gestão, em 1961, que publicaram a primeira edição completa da “Tradução do Novo Mundo” da Bíblia Sagrada (na língua inglesa).

A Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas (daqui para frente TNM), conforme ficou conhecida a Bíblia das TJs no Brasil, foi traduzida à base da versão inglesa de King James (Rei Jaime), de 1984, e não direto dos originais em Hebraico, Aramaico e Grego.
A STV sempre omitiu revelar os nomes dos "tradutores" da TNM. Dizem que é para não dar glória a homens pela tradução, mas será que é isto mesmo? Ou será que é para encobrir o fato de que os "tradutores" da TNM desconheciam as línguas originais?

Testemunhas de Jeová – Deivinson Bignon

Os cristãos que se envolvem em discussões com as testemunhas de Jeová devem estar cientes de que a assim chamada "Bíblia" que as testemunhas de Jeová usam contém uma série de modificações introduzidas ao texto com o único propósito de sustentar as doutrinas da Torre de Vigia.
O Apóstolo Pedro disse a respeito das cartas inspiradas de Paulo que "nas quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, como o fazem também com as outras Escrituras..." (II Ped. 3:16). Freqüentemente, tal torcer das Escrituras é limitado à sua interpretação e isso foi feito pela Sociedade Torre de Vigia por três quartos de século. Ela publicou cópias das versões da Bíblia, que mencionam o nome "Jeová" no Antigo Testamento, junto com instruções detalhadas sobre como fazer com que as Escrituras parecessem ensinar que Deus condenou a vacinação, que Abraão e os profetas fiéis seriam ressuscitados para a terra em 1925, que Deus inspirou a Grande Pirâmide do Egito, e assim por diante. Mas havia doutrinas que eram muito difíceis de ser fundamentadas nas versões clássicas da Bíblia, não importando quanta distorção pudesse ser aplicada ao texto.
Assim, durante os anos da década de 50, os líderes da Torre de Vigia foram além da interpretação, produzindo sua própria versão da Bíblia, com centenas de versos modificados para se ajustarem às doutrinas da Torre de Vigia. E a sua Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas continua a ser modificada com o passar dos anos, com as mudanças feitas para trazer a palavra de Deus a uma conformidade maior com o que a organização ensina.
Mas a mudança mais difundida na Bíblia da Torre de Vigia é a inserção do nome Jeová 237 vezes no Novo Testamento. É claro que é apropriado um tradutor escolher o nome Jeová ou Yahweh no Antigo Testamento onde o tetragrama YHWH realmente aparece no texto hebraico. Mas a Torre de Vigia foi além inserindo o nome Jeová no Novo Testamento, onde ele não consta nos manuscritos gregos. Basta verificar uma tradução do original dos textos gregos da Bíblia para notar que o nome Jeová não aparece ali.

As Testemunhas de Jeová Refutadas Versículo por Versículo – David A. Reed

Tradução do Novo Mundo – curso ICP (áudio)

2.1 Modificação nos textos de João 1:1 e 2 na “Tradução Novo Mundo”

Conceitos orientadores: adulterações bíblicas; falsos mestres; fraudes; distorções; induções falaciosas

João deixa de lado tudo o que Mateus e Lucas informam sobre o nascimento e a infância de Jesus. Isso já é do conhecimento da igreja. E, por si só, ainda não é o essencial e decisivo que precisa ser dito sobre o mistério da pessoa de Jesus. Logo no início de seu escrito, João visa dirigir o olhar de seus leitores justamente para esse mistério, para que compreendam de maneira correta tudo o que é relatado sobre Jesus. Pois seu objetivo é mostrar em todo seu escrito que os dons, os feitos e as atuações de Jesus não são o mais importante, mas sim o próprio Jesus em sua pessoa, em seu maravilhoso ser. É por isso que os pontos culminantes do evangelho, conforme nos assegura João, são as grandes palavras “eu sou” de Jesus. Jesus não apenas concede água, pão, vida, ressurreição. Jesus pessoalmente é tudo isso. Ele apenas tem condições de “dá-lo” verdadeiramente a nós porque ele próprio o é por essência. Por isso, João não consegue expressar o mistério da pessoa de Jesus em apenas breves palavras, como Marcos. Precisa dizer mais a respeito. Por essa razão, começa pelo começo, porém aquele começo que é “o princípio” em sentido último, aquele “princípio” com o qual começa, por isso, também a Bíblia: “No princípio, criou Deus os céus e a terra” (Gn 1:1). De forma consciente, e rejeitando todas as especulações “gnósticas”, João não ultrapassa esse “princípio”. Não tenta olhar para dentro da eternidade pré-criacional de Deus. No entanto, constata o seguinte: Naquele princípio já “era” ele, a quem conhecemos como Jesus Cristo e do qual há de falar todo o escrito de João. Ele não foi formado somente naquele tempo, junto com tudo o que foi criado, nem tampouco é o ápice maior da criação. Não, ele já “estava” lá, “estava com Deus”. É por isso que seu lugar é ao lado de Deus, não ao lado do que foi criado: Ele era “Deus por espécie”. E é salientado mais uma vez: “Este estava no princípio com Deus.” Nessa afirmação, o termo demonstrativo “este” e toda a repetição da primeira declaração podem conter uma conotação de exclusão e defesa, mais uma vez precisamente em relação à gnose. Não foram quaisquer outros entes e poderes que estiveram no princípio com Deus; não, apenas “este” estava, apenas este único.

Comentário Bíblico Esperança NT – Werner de Boor

"No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com o Deus, e a Palavra era [um] deus. Este estava no princípio como o Deus" (Jo 1:1 e 2 - Tradução Novo Mundo). Como pode ser visto no versículo de Jo 1:1, adicionaram o artigo indefinido antes do substantivo Deus, que por sua vez está em minúsculo: "um deus". Acrescentaram também no versículo seguinte (Jo 1:2), um artigo definido: como "o" Deus. Este é um dos versículos mais importantes na defesa da doutrina da Santíssima Trindade, doutrina esta que as Testemunhas de Jeová rejeitam. Ao traduzir "era Deus" por: "um deus", nega que Jesus é a segunda pessoa da trindade. Isto mesmo, "adulteraram" o texto bíblico, contrariando todas as demais traduções, para não admitir a Divindade de Jesus. Negar que Jesus é Deus, é anular a mensagem Cristocêntrica da Bíblia Sagrada (I Jo 5:20).


2.2 Ausência do texto de Atos 8:37 na “Tradução Novo Mundo”  e
2.3 Ausência do texto de Marcos 9:44 e 46 na “Tradução Novo Mundo”

Conceitos orientadores: cânon; codex; traduções e copistas; desuniformidade de fontes; supressões desonestas; casuísmos; desonestidade intelectual; autógrafos; originais; crítica textual

Estes versículos amputados não são de todo complicadores para os TJ, mas somente uma parte deles. Para ajudar seus ensinos, afirmam que eles não existem.
Este é um tema bastante melindroso. De fato, há trechos que não constam em certos manuscritos. É necessário dizer que os “originais” da Bíblia tão endeusados, não existem mais. Os textos (papiros, rolos e etc.) que existem são cópias autênticas dos Autógrafos (os verdadeiros originais – os primeiros escritos). A Bíblia de Estudos Almeida e a Vida Nova (não mais publicada), fazem citações aos versos citados aqui (2.2 e 2.3 da lição). Todas as igrejas seriamente preocupadas com o ensino, deveriam trazer anualmente tais pontos críticos aos membros como um todo e não apenas ficar “evitando assuntos polêmicos”. É indispensável o estudo sobre como a Bíblia chegou até nós, os copistas, as dificuldades de traduções e etc. Aos Mestres do Reino: estudem atentamente as obras abaixo (mesmo que necessite entrar madrugada a dentro). Os professores que conosco andam devem parar de ficar apenas lendo a “revistinha”, ou se desculpando de que “isto é coisa para teólogos”.



3. Falsos ensinos das Testemunhas de Jeová

As Testemunhas de Jeová, ao longo dos anos, constituíram-se em uma das maiores divulgadoras de heresias, devido a sua vasta literatura e o seu método agressivo de propagação de seus falsos ensinos, executados através de visitas de casa em casa.

Armagedom: Deus vai em breve travar guerra contra a humanidade, destruindo todos sobre a terra, exceto as testemunhas de Jeová. As igrejas cristãs, dizem, serão as primeiras a sofrer destruição.
Aniversários: Celebrar o dia do nascimento, de qualquer forma, é expressamente proibido. Até mesmo enviar um cartão de aniversário pode provocar uma ação imediata contra o ofensor determinada por um "Comitê Judicial" oficial. A punição é a "desassociação".
Transfusão de Sangue: Na prática, do ponto de vista das testemunhas de Jeová, aceitar transfusão de sangue é um pecado mais sério do que o roubo ou o adultério. Ladrões e adúlteros são mais rapidamente perdoados pelos comitês judiciais da Torre de Vigia do que aqueles culpados de aceitar sangue. ... A organização também requer que os adultos recusem transfusões para seus filhos menores.
Cristianismo: Exceto por poucos e esparsos indivíduos que mantiveram a fé, o verdadeiro cristianismo desapareceu da terra logo após a morte dos doze apóstolos - de acordo com as testemunhas de Jeová. E não foi restaurado até que Charles Taze Russell fundou a sociedade Torre de Vigia no final da década de 1870.
A Volta de Cristo: O Senhor voltou invisivelmente no ano de 1914 e tem estado presente desde então, governando como Rei através da Sociedade Torre de Vigia. Referências à segunda "volta" são traduzidas como "presença" na Bíblia das Testemunhas de Jeová.
Cronologia: As Testemunhas de Jeová acreditam que Deus tem um preciso cronograma para todos os acontecimentos passados e futuros, que estão unidos por simples fórmula matemática e são revelados à humanidade através da Sociedade Torre de Vigia. Os sete "dias" da criação em Gênesis tiveram a extensão de sete mil anos cada um, totalizando uma semana de quarenta e nove mil anos. Deus criou Adão no ano 4026 a.C. A criação de Eva pouco tempo depois marcou o fim do sexto dia da criação e o início do sétimo.
Cruz: Segundo as testemunhas de Jeová, a cruz é um símbolo religioso pagão adotado pela igreja quando Satanás, o demônio, assumiu o controle da autoridade eclesiástica. A cruz não teve nada a ver com a morte de Jesus, já que as testemunhas de Jeová sustentam que ele foi pregado em um poste ereto e sem trave horizontal.
Deidade: Somente o Pai é Deus, e seus verdadeiros adoradores devem chamá-lo pelo nome de Jeová. As testemunhas de Jeová aprendem que Jesus Cristo foi meramente a manifestação do arcanjo Miguel em forma humana - não Deus, mas um mero ser criado. O Espírito Santo é apresentado não como Deus nem como uma pessoa, mas como uma "força ativa".
Desassociação: Esta é a punição para qualquer infração aos regulamentos da Sociedade Torre de Vigia. Ela consiste num decreto público, anunciado em audiência em um Salão do Reino e proibindo toda associação ou comunhão com o ofensor. As outras testemunhas de Jeová são proibidas até mesmo de cumprimentá-lo caso se encontrem com o ofensor na rua.
Céu: Apenas 144 mil indivíduos vão para o céu. Esse "pequeno rebanho" começou com os doze apóstolos, o número foi completado no ano de 1935. Aproximadamente nove mil anciãos das Testemunhas de Jeová são o remanescente na terra hoje, dos que irão para o céu. O restante das testemunhas de Jeová espera viver na terra para sempre.
Inferno: Segundo a diretriz de seu fundador, Charles T. Russell, a Sociedade Torre de Vigia ainda ensina que o Hades é meramente a sepultura, que o fogo do Geena desintegra instantaneamente suas vítimas, transformando-as em nada, e que não há existência consciente para os mortos até o tempo de sua ressurreição corpórea.

As Testemunhas de Jeová Refutadas Versículo por Versículo – David A. Reed (trechos editados)

Obs.: Há mais itens indispensáveis de serem estudados na obra referida acima (acesso livre).


3.1 As Testemunhas de Jeová negam a Doutrina da Trindade

Conceitos orientadores: hermenêutica; compreensão desenvolvida; entendimentos conclusivos X ensinos explícitos; raciocínios ignorados X conclusões óbvias

Na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas da So­ciedade Torre de Vigia, em Gênesis 18:1,2, Deus aparece a Abraão como três homens (os anjos). Abraão se dirige a eles como "Jeová" (v. 3). Quando os três homens respondem, o episódio é descrito alternativamente como "eles" falando (v. 9) e "Jeová" falando (v.13). Quando dois dos três homens se despedem para visitar Ló em Sodoma, Abraão continua a chamar aquele que permaneceu de "Jeová", mas Ló se dirige aos outros dois como "Jeová" (Gên. 18:22‑28, 19:1‑18).
Por si mesma, esta consideração não prova a Doutrina da Trindade. Mas, pelo menos, demonstra que é possível para Deus se manifestar como três‑em‑um. O fato de que este conceito está além do alcance total do intelecto humano não deve fazer com que as testemunhas de Jeová o anulem. Como escreveu o apóstolo Paulo "... agora só podemos ver e compreender um pouquinho a respeito de Deus, como se estivéssemos observando seu reflexo num espelho muito ruim; mas o dia chegará quando o veremos integralmente, face a face. Tudo quanto sei agora é obscuro e confuso, mas depois verei tudo com clareza, tão claramente como Deus está vendo agora mesmo o interior do meu coração" (I Cor. 13:12, Novo Testamento Vivo).

Se me amásseis, alegrar‑vos‑íeis de que eu vá para o Pai; porque o Pai é maior do que eu (Jo 14:28)

Este é o versículo favorito das testemunhas de Jeová ao argu­mentarem contra a divindade de Cristo. Elas começam citando "o Credo Atanasiano" : "Nesta trindade ninguém está antes, ou depois do outro; ninguém é maior ou menor que o outro. Mas todas as três pessoas são co‑eternas e co‑iguais." Então elas lerão as palavras de Jesus que dizem que o Pai é maior do que o Filho, ao contrário de "igual", como diz aquele credo.

As Testemunhas de Jeová Refutadas Versículo por Versículo – David A. Reed

Embora a verdade da Trindade seja considerada divertida pelas Testemunhas, ela não obstante constitui parte da revelação de Deus. O estudante da Bíblia descobre que há uma Pessoa nas Escrituras, conhecida como Pai, que é Deus, Efésios 1:2. Há uma outra Pessoa nas Escrituras, chamada de Filho, Jesus Cristo, e que é Deus, Tito 2:13. Há ainda uma outra Pessoa chamada de Espírito Santo, que é Deus também, Atos 5:3-4. A palavra grega theos, "Deus". foi usada em relação a todas essas três Pessoas, concedendo assim a mesma divindade a cada uma delas. O estudante cuidadoso também nota o fato da Trindade em, Isaías 48:17, 28:19, 2 Coríntios 13:14. A conclusão é simplesmente que há um só Deus manifesto nas três Pessoas conhecidas como Pai, Filho e Espírito Santo e, considerando que cada uma dessas Pessoas é Deus, elas são iguais.

As Testemunhas de Jeová negam a Doutrina Bíblica da Trindade, “Razoes Porque não Posso Ser Testemunha de Jeová” – Robert Mignard

Na Bíblia não encontramos “Trindade”, mas tal fato não significa que a doutrina não exista. No NT, temos várias evidências claras que comprovam a existência da Trindade. Como exemplo: Mt 3.16,17; 2Co 13.13; IPe 1.2. Aconselhamos um estudo profundo sobre A Trindade.
No hebraico, idioma utilizado para escrever o Antigo Testamento, em Gn 1:1, declara: "No princípio Deus (elohim) criou os Céus e a Terra". A palavra "Elohim" é o plural da palavra "Eloah". Ou seja, no primeiro versículo da Bíblia, temos a configuração do Deus Trino. Qual a justificativa para a ausência do termo Trindade nos registros do Antigo Testamento? Os judeus estavam saindo do Egito, uma nação politeísta, tinham dificuldades para entender a doutrina da Trindade. Deus foi, aos pouco, revelando essa verdade através dos relatos históricos, a qual pode ser observada nos seguintes textos bíblicos: Gn 1:26 "Façamos o homem", note a colocação do plural da palavra façamos; Gn 3:22 "como um de nós"; Gn 11:7 "desçamos e confundamos"; Is 6:8 "quem há de ir por nós?". Deus se fez conhecido, através destes e de outros textos bíblicos, como sendo um Deus Único (Dt 6:4), em três pessoas: Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo (II Co 13:13).

Trindade e Nomes (áudio)
Recapitulando Argumentos para Negar a Trindade (áudio)

3.2 As Testemunhas de Jeová e os 144.000 salvos

Conceitos orientadores: acepção; castas; níveis celestiais; conveniências; classes hierárquicas

Muito da confusão em relação aos 144.000 é o resultado das falsas doutrinas das Testemunhas de Jeová. As Testemunhas de Jeová clamam que 144.000 é um limite ao número de pessoas que vão reinar com Cristo no céu e passar a eternidade com Deus. Os 144.000 têm o que as Testemunhas de Jeová chamam de esperança celestial. Aqueles que não são nascidos de novo vão gozar do que eles chamam de esperança terrestre – um paraíso na terra governado por Cristo e os 144.000. Podemos ver claramente que o ensinamento das Testemunhas de Jeová funda uma sociedade casta depois da morte com uma classe dominante (os 144.000) e aqueles que são dominados. A Bíblia não ensina uma doutrina de “dupla classe”. É verdade que de acordo com Apocalipse 20:4 haverá pessoas reinando no Milênio com Cristo. Essas pessoas serão da Igreja (seguidores de Jesus Cristo), santos do Velho Testamento (seguidores que morreram antes do primeiro Advento de Cristo) e os santos da Tribulação (aqueles que aceitam a Cristo durante o período da Tribulação). Mesmo assim, a Bíblia não coloca nenhum limite numérico a esse grupo de pessoas. Além do mais, o Milênio é diferente do Estado Eterno, o qual vai ocorrer no final do Milênio. Naquela hora, Deus vai habitar conosco na Nova Jerusalém. Ele será o nosso Deus, e seremos o seu povo (Apocalipse 21:3). A herança prometida a nós em Cristo e selada pelo Espírito Santo (Efésios 1:13-14) será nossa e seremos todos co-herdeiros com Cristo (Romanos 8:17).

Quem são os 144.000? – Got Questions

Através de boas obras e esforço sincero uma Testemunha de Jeová tem esperança de se tornar um membro do grupo dos 144.000. Nos dois capítulos em que foram mencionados os 144.000, Apocalipse 7 e 14, o estudante das Escrituras nota que os 144.000 são, realmente; Judeus das tribos, sem gentios entre eles, 7:4-8, são todos homens, 14:4, servirão durante a Grande Tribulação, 14:6-13, e não receberão a sua posição mediante obras mas serão designados por Deus, 7:3. Por mais que se force a imaginação. nenhuma interpretação bíblica aceitável pode garantir a essa seita gentia posição entre os 144.000.

As Testemunhas de Jeová estão confusos quanto aos 144.000, “Razoes Porque não Posso Ser Testemunha de Jeová” – Robert Mignard

Baseando-se em Apocalipse 7:4, entendem e ensinam que apenas 144.000 escolhidos habitarão no Céu. Esse número seria o do pequeno rebanho que Jesus fala em Lucas 12:32. Literalmente, o texto refere-se às 12.000 pessoas de cada uma das tribos de Israel, totalizando 144.000 (doze tribos), que "foram assinalados com o selo" (Ap 7:4). Ao lermos nas Escrituras a palavra "tribo", ela faz referência a um grupo étnico; neste verso, aos Judeus. A prova? A citação, nome por nome das doze tribos de Israel! Vemos os nomes dos filhos de Jacó, inclusive Levi e José, - e não Manassés e Efraim, netos de Jacó (Ap 7.5-8). Este ensino é equivocado, pois a Bíblia afir­ma que todos os que creem no senhor Jesus terão um destino celestial, e não somente um grupo de pessoas (Jo 10:16).
Na verdade, esta heresia foi uma tentativa de livrar o vexame de Russell, quando inicialmente ensinava que somente seus seguidores iriam para o céu, e isso ocorreria quando completasse 144.000 adeptos; assim, completando o número do "rebanho de Deus". Só que o número de membros de sua denominação cresceu além de suas expectativas e superou este número. Para justificar mais uma mentira de Russell, Rutherford criou a "Doutrina da Grande Multidão", onde, explica ele que, 144.000 irão habitar nos Céus, os demais salvos, (também membros de sua seita), ficarão aqui na terra mesmo. O primeiro grupo (os 144.000), vive com a esperança de morar no Céu enquanto o outro grupo tem esperança de viver aqui na terra; um tipo de segunda classe dentro de sua religião. Como no Hinduísmo, as Testemunhas de Jeová também fazem separação de castas entres os seus fiéis. Ensinam que terá tratamento diferenciado entre os 144.000 e as "outras ovelhas". Eles desprezam os versículos seguintes de Ap 7:9,10.


3.3 As Testemunhas de Jeová e o Paraíso na Terra

Conceitos orientadores: eternidade; céu; salvação; heranças dos remidos; restrições e limitações

Muito da confusão em relação aos 144.000 é o resultado das falsas doutrinas das Testemunhas de Jeová. As Testemunhas de Jeová clamam que 144.000 é um limite ao número de pessoas que vão reinar com Cristo no céu e passar a eternidade com Deus. Os 144.000 têm o que as Testemunhas de Jeová chamam de esperança celestial. Aqueles que não são nascidos de novo vão gozar do que eles chamam de esperança terrestre – um paraíso na terra governado por Cristo e os 144.000. Podemos ver claramente que o ensinamento das Testemunhas de Jeová funda uma sociedade casta depois da morte com uma classe dominante (os 144.000) e aqueles que são dominados. A Bíblia não ensina uma doutrina de “dupla classe”. É verdade que de acordo com Apocalipse 20:4 haverá pessoas reinando no Milênio com Cristo. Essas pessoas serão da Igreja (seguidores de Jesus Cristo), santos do Velho Testamento (seguidores que morreram antes do primeiro Advento de Cristo) e os santos da Tribulação (aqueles que aceitam a Cristo durante o período da Tribulação). Mesmo assim, a Bíblia não coloca nenhum limite numérico a esse grupo de pessoas. Além do mais, o Milênio é diferente do Estado Eterno, o qual vai ocorrer no final do Milênio. Naquela hora, Deus vai habitar conosco na Nova Jerusalém. Ele será o nosso Deus, e seremos o seu povo (Apocalipse 21:3). A herança prometida a nós em Cristo e selada pelo Espírito Santo (Efésios 1:13-14) será nossa e seremos todos co-herdeiros com Cristo (Romanos 8:17).

Quem são os 144.000? – Got Questions

As Testemunhas de Jeová acreditam que as pessoas más serão destruídas no Armagedom e que os justos (Os fiéis a Jeová) sobreviverão ao Armagedom e viverão eternamente num paraíso na Terra. (Salmos 37:9-11 e 29; Prov. 2:21 e 22). Acreditam que serão ressuscitadas para viver no paraíso, pessoas justas e injustas. Os justos são os servos de Jeová que morreram fieis antes do Armagedom e os injustos são pessoas que morreram sem conhecer a verdade bíblica. (João 5:28 e 29; Atos 24:15) Os injustos serão julgados pelas suas ações após a ressurreição, não segundo o que fizeram antes de morrer, pois 'o salário pago pelo pecado é a morte'. Entendem que quando a pessoa morre, não vai para um purgatório ou para um inferno de fogo pagar pelos pecados, pois a Bíblia diz que morte é o preço pago pelo pecado. Veja, Romanos 6:23. A Ressurreição não se aplica àqueles que Jeová julga terem pecado contra seu santo espírito. (Mat. 12:31 e Lucas 12:5)

Paraíso – Wikipedia

Os TJ ensinam que todos demais salvos que não compuserem o grupo dos 144.000 (que reinarão com Jesus nos Céus), fica­rão aqui na Terra para sempre. Outra gigantesca heresia, firmada em textos bíblicos que não sugerem, nem apontam nem subentendem uma morada para os salvos aqui na Terra, mas que se referem ao Milênio (SI 72:8-14; Is 11:6-8; Mt 5:5). O que de fato a Bíblia registra sobre este assun­to é diferente (Fp 3:20), sendo necessário estudo apurado e profundo, no exame destes temas.
Quando Jesus cita "outras ovelhas" (Jo 10:16), Ele faz referência aos gentios que se converteriam, em contraste com as "ovelhas perdidas da casa de Israel" (Mt 10:6; 15:24) que eram os Judeus que não tinha recebido a Jesus. Assim, quando Jesus disse: “Ainda tenho outras ovelhas que não são desse aprisco", não significa que Deus terá 144.000 morando no Céu e os demais, "outro rebanho", morando na terra, como ensina esta seita. O Apóstolo Paulo, ao escrever aos Gálatas, declara: "Pois todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Porque todos quantos fostes batizados em Cristo vos revestistes de Cristo. Não há judeu nem grego; não há escravo nem livre; não há homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. E, se sois de Cristo, então sois descendência de Abraão, e herdeiros conforme a promessa"( Gl 3:26-29). Sim, todos os salvos serão tratados em igualdade.



Conclusão

Os membros desta seita são treinados especialmente para confrontar os ensinos da Palavra de Deus, e para confundir os desavisados, usam sua própria tradução da Bíblia, a Tradução Novo Mundo. É bom lembrar aos Cristãos a recomendação feita pelo Apóstolo João, que é de bom alvitre em relação a esta seita (II Jo 1:10).

Fontes:

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/RV/NTLH
Religiões, Seitas e Heresias – Como identificar e refutar os Falsos Profetas e seus ensinos (revista EBD professor) – Editora Betel – 1º Trimestre 2014 – Lição 03

João: A Jornada da Fé (link)
O Antigo Testamento Interpretado – Norman Champlin – Hagnos
Comentário Bíblico Matthew Henry (Conciso) – Matthew Henry – CPAD
Comentário Bíblico Moody AT/NT – Editora Batista Regular
Comentário Bíblico Esperança NT – Editora Evangélica Esperança
Seitas e Heresias – Diversos autores (Internet)
Seitas e Heresias, Um sinal dos tempos – Raimundo F. de Oliveira – CPAD
Manual de Apologética Cristã – Esequias Soares – CPAD
Como Responder às Testemunhas de Jeová vol. I – Esequias Soares – Candeia
Testemunhas de Jeová – Comentário Exegético e Explicativo vol. II – Esequias Soares – Candeia
Testemunhas de Jeová – Podemos crer no dizem? (link)
Testemunhas de Jeová II (link)
Mais de um Século de falsas Profecias (link)
Razoes Porque não Posso Ser Testemunha de Jeová (link)

As "Testemunhas de Jeová", São mesmo? (I) (II)

ICP http://www.icp.com.br
Paraíso (link)

Bibliografia Indicada (estude mais)

Falsos Profetas (link)
A Pessoa de Jesus (áudio)
77 Verdades Sobre As Testemunhas de Jeová – Vida
As Testemunhas de Jeová Refutadas Versículo por Versículo – David A. Reed – JUERP
http://www.cacp.org.br/jeovismo
A Vergonha de uma Testemunha de Jeová “Peso Pesado” (link)
Índice TJ (Fórum de ex-TJ) (link)
Dez Razões Que Provam Que as Testemunhas de Jeová Não São de Deus (link)

Questionário

1. Qual o nome inicial das Testemunhas de Jeová?
R. Russelismo.
2. Qual o nome da Tradução da Bíblia utilizada pelas Testemunhas de Jeová?
R. Tradução Novo Mundo.
3. Qual o argumento mais utilizado pelas Testemunhas de Jeová para negar a existência da Trindade?
R. Que na Bíblia não configura a palavra "Trindade".
4. Cite um texto bíblico onde todas as três pessoas da Santíssima Trindade, eram ou visíveis ou audíveis aos sentidos humanos.
R. Mt 3.16,17.
5. Conforme o Apóstolo Paulo escreveu aos Filipenses 3.20, onde será a nossa futura morada?
R. A nossa cidade está nos céus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho