domingo, 16 de fevereiro de 2014

EBD Editora Betel - Seicho-No-Iê, a Seita Oriental mais Popular no Brasil





Assembleia de Deus CONAMAD
Lição 08 – 23 de Fevereiro de 2014
Revistaebd Revista escola bíblica dominical editora betel conamad Passagem bíblica trecho bíblico bíblia como estudar teologia bíblia escola dominical escola dominical betel escola biblica betel escola bíblica betel escola dominical conamad auxilio professor ajuda professor subsídio professor auxílio professor subsidio comentario ebd comentário bíblico ebd professor mestre comentário biblico escola dominical comentario biblico escola bíblica comentario bíblico pregação pregador palestra estudo bíblico bíblico

Texto Áureo

“Do suor do teu rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, porque dela foste tomado; porquanto és pó, e ao pó tornarás.” Gn 3:19

Verdade Aplicada

O Pecado, o Sofrimento e a Morte, são realidades incontestes na vida do ser humano; até o mais indouto entre os homens tem conhecimento dessa verdade.

Objetivos da Lição

Apresentar aos alunos a base histórica do movimento Seicho-No-Iê;
Mostrar seus principais ensinamentos;
Aprender a refutar, com base bíblica, as doutrinas diabólicas das Seicho-No-Iê.

Glossário

Ao encontro de: é uma expressão usada para indicar concordância. Significa “a favor de”, “em direção a”;
De encontro a: é uma expressão usada para indicar discordância. Significa “no sentido oposto a” e indica choque;
Interlocutor: é a pessoa que participa do processo de interação que se dá por meio da linguagem; é aquele que toma parte da conversação.

Textos de Referência

Gn 3:16 - E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a dor da tua conceição; em dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará.
Gn 3:17 - E ao homem disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei dizendo: Não comerás dela; maldita é a terra por tua causa; em fadiga comerás dela todos os dias da tua vida.
Gn 3:18 - Ela te produzirá espinhos e abrolhos; e comerás das ervas do campo.
Gn 3:22 - Então disse o Senhor Deus: Eis que o homem se tem tornado como um de nós, conhecendo o bem e o mal. Ora, não suceda que estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente.
Gn 3:23 - O Senhor Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden para lavrar a terra, de que fora tomado.


Introdução

A Seicho-No-Iê é a seita oriental mais popular no Brasil. Através de literatura com conteúdo de auto ajuda e otimismo, fartamente distribuídas gratuitamente em consultórios médicos, odontológicos e em hotéis, tem conquistado muitos adeptos. Com um apelo ao ecumenismo, afirmando, dentre outras heresias, que todos os caminhos levam a Deus, contraria o que Jesus Cristo afirmou (Jo 14:6). É uma seita em franco crescimento no Brasil, justificando uma lição dedicada ao estudo da mesma.


1. A Seita Seicho-No-Iê

Seicho-No-Iê significa “Lar do Progredir Infinito”, e tem suas origens no Japão. Foi fundada em março de 1930, por Masaharu Taniguchi.
Mesclando Xintoísmo, Budismo e Cristianismo, este grupo fundado pelos idos de 1930, por Masaharu Taniguchi, nascido em Kobe, no Japão. Afirma ser a harmonia de tudo que há no Universo e também a reunião de todas as religiões. Ensinam que Amenominakanushi, o Deus absoluto, manifestou-se em: Cristo, Buda e no Xintoísmo, na Judéia, Índia e no Japão, respectivamente. Alegam que as religiões (todas elas) possuem como fundamento a verdade de que todos são irmãos, filhos do mesmo Deus. Proclama que a sua missão é pregar ao Mundo parte dos ensinamentos de Cristo e de Buda, carentes de maiores e profundas revelações.
Taniguchi, o Fundador, publicou o livro A Verdade da Vida (Em 1932), obra que contém a filosofia Seicho-no-iê.

1.1 Quem foi Masaharu Taniguchi

O Dr. Masaharu Taniguchi, tinha extraordinária inteligência, espírito puro e um profundo sentimento de humanidade. Desde jovem, avidamente procurava soluções para os sofrimentos humanos. Não aceitava um mundo de doenças, misérias e conflitos como sendo criação de Deus. Se o Criador é bom, como podem sofrer os que trabalham honestamente? Escreveu até um livro intitulado “Crítica a Deus”. Pesquisou religiões e filosofias orientais e ocidentais (antigas e modernas), querendo resposta.
Em intenso e doloroso esforço, submerso em profunda meditação, recebe, então, a “revelação divina” como uma voz a dizer: “A Matéria não existe, a Carne não existe, o Pecado não existe, o que existe realmente é Deus. O Homem não é carne. O Homem é filho de Deus. É espírito, é perfeito e isento de pecado, é imortal. Deus está dentro de você. O Ambiente e as circunstâncias são reflexos da Mente. Mude a Mente e a Vida mudará. O próprio Homem é que cria a sua felicidade ou infelicidade com o poder de sua mente”.
Após isto, o Mundo mudou para ele. Libertou-se de todos os sofreres. O Mundo refletia sua mente; com a mente iluminada, tudo estava iluminado; o profundo desejo era passar essa alegria a todos!
Fatos espantosos passaram a surgir. Lendo seus livros e uma revista mensal (publicada por ele mesmo), muitos começaram a ter a libertação e plenitude que Taniguchi conseguiu: Lares reconciliados, filhos transformados, problemas econômicos resolvidos, cura de doenças, etc. Tal filosofia chegou às mais altas camadas intelectuais e econômicas como até as mais humildes.


1.2 Início da Seicho-No-Iê

Em 1930, Masaharu Taniguchi, em forma de poema, publicou um resumo dos 40 volumes de “A Verdade da Vida”, constando em sua primeira parte os poemas da seicho-no-ie. Mas tarde o engenheiro Torajivio Ogui sentiu que não eram simples poemas e que deveriam ser considerados como uma Sutra Sagrada, dando início à Seicho-No-Ie. O termo Seicho-No-Ie significa “mundo dos desejos”, “mundo sublime”, “mundo transcendente”, e está relacionado com os sete candeeiros do livro de Apocalipse, pois aquele que receber luz da verdade através destes candeeiros aniquila os três males: o pecado, a doença e a morte. (O Jornal Batista 22/11/81 página 4). A Seicho-No-Ie surgiu com a finalidade de fazer despertar do pensamento humano a ilusão que nele existe e iluminar todas as facetas da vida humana, e não com o objetivo de curar doenças. Houve épocas em que era tida como religião que curava doenças. Quando se obtém a convicção da perfeição de si próprio, a doença que é apenas uma ilusão e que originariamente não existe, desaparece espontaneamente, dando lugar à saúde e à prosperidade. “O caminho para a verdade é único: o homem é filho de Deus - dar essa convicção aos nossos semelhantes constitui o movimento de iluminação da humanidade.
...Com passar dos anos, porém, devido ao aumento excessivo das pessoas que seguiam este ensinamento, houve a necessidade de se realizar uma propagação organizada. Foi assim que no dia 1o. de agosto de 1952, autorizados pela Sede Internacional da Seicho-No-Ie no Japão, institui-se a Sociedade Religiosa Seicho-No-Ie do Brasil, atualmente a Igreja Seicho-No-Ie do Brasil. Conta hoje com centenas de Igrejas em sedes locais, em todo o Brasil e o número de adeptos já atinge a casa de um milhão e meio, além de incalculável número de simpatizantes e leitores que admiram a filosofia através de livros já traduzidos em português, e suas revistas mensais.

Seitas e Heresias – DGCEC

Surgiu em 1º de março de 1930 como revista de Cultura Moral, cresceu no pós-guerra no Japão, sofreu perseguição militar e foi transformada em religião. Nesta época, a sociedade japonesa viu desmoronar a religião oficial do Estado, baseada na crença na Divindade do Imperador e uma das bases da ideologia militarista. Nesse vácuo ideológico e espiritual surgiram ou cresceram inúmeras seitas e religiões, entre elas a Perfect Liberty, a Igreja Messiânica Mundial (Johrei) e a Seicho-No-Ie. Esta última contribuiu para a revitalização da religiosidade, incentivando seus adeptos à prática de suas religiões de origem.
A Seicho-No-Ie foi fundada por Masaharu Taniguchi (1893–1985) e se mundializa a partir da II Guerra Mundial. Seu conjunto doutrinário incorpora elementos do Cristianismo, do Budismo e do Xintoísmo - três grandes religiões presentes no Japão, representadas no seu símbolo oficial respectivamente pela estrela verde no centro, pela cruz gamada branca intermediária (Lua) e pelo círculo vermelho externo com suas 32 flechas (Sol).
Argumenta-se que a Seicho-no-Ie, na contramão de suas consortes, estava em sintonia com a ideologia do nacionalismo oficial japonês. A professora Leila Marach Albuquerque afirma que a Seicho-no-Ie foi elaborada à luz da ideologia familista do Império japonês. Pela grande população de imigrantes japoneses, as novas religiões chegaram quase que simultaneamente ao Brasil. Em pouco tempo conseguiram grande número de adeptos, não só entre os descendentes de japoneses mas entre toda a população em geral.
A Seicho-No-Ie em particular conseguiu grande número de adeptos. Entre os instrumentos de disseminação de sua crença, a revistaAcendedor e o Preceitos Diários (calendário com mensagens) se tornaram bastante populares nas grandes cidades brasileiras, principalmente nas décadas de 60 e 70 do século XX.

      Seicho-No-Ie – Wikipedia

A base dos ensinos e doutrinas Seicho-No-lê vieram do livro “Para a Santidade”, escrito por Taniguchi em 1922. Tal obra foi de grande aceitação do público. Já em 1928, ele afirmou que fora “iluminado”. Assim, após isto, começou a pregar suas heresias por meio de uma revista, com o mesmo nome da seita. Tal publicação tinha mais de trinta mil assinantes em 1935.
Em 1963 seguiram enviando missionários a vários países, inclusive ao Brasil. São Paulo se tornou o seu principal centro, no nosso país. Estes ensinos estão em quase todos os estados, especialmente entre os que buscam cura física.

1.3 Seicho-No-Iê no Brasil

No Brasil a Sheicho-No-Ie chegou no ano de 1930, pôr intermédio de imigrantes que trouxeram os primeiros livros do Dr. Taniguchi. Em 1934 foi iniciado o “Movimento de Iluminação da Humanidade”. Os irmãos Matsuda, conhecendo a Seicho-No-Ie através do livro “A Verdade da Vida” (40 volumes) escrito pelo Dr. Taniguchi e profundamente comovidos com estes ensinamentos da vida inéditos e de vasta filosofia, tomaram a firme resolução de divulga-lo a todos, impulsionados pôr uma ardente vontade de levar a felicidade e a paz a todas as pessoas. Com passar dos anos, porém, devido ao aumento excessivo das pessoas que seguiam este ensinamento, houve a necessidade de se realizar uma propagação organizada. Foi assim que no dia 1o. de agosto de 1952, autorizados pela Sede Internacional da Seicho-No-Ie no Japão, institui-se a Sociedade Religiosa Seicho-No-Ie do Brasil, atualmente a Igreja Seicho-No-Ie do Brasil. Conta hoje com centenas de Igrejas em sedes locais, em todo o Brasil e o número de adeptos já atinge a casa de um milhão e meio, além de incalculável número de simpatizantes e leitores que admiram a filosofia através de livros já traduzidos em português, e suas revistas mensais.

Seitas e Heresias – DGCEC

As primeiras obras da Seicho-no-iê editadas em português começaram a circular em Goiás por volta de 1970, sendo a principal difusão do movimento a realização de seminários, palestras e conferências por professores de filosofia da Seicho-no-ié. Brasilia já possui sua sede própria em edifício típico do Japão. Em Goiás, o primeiro templo construído foi o de Inhumas, e é dirigido pela comunidade local, sediando assim um importante núcleo. Em setembro de 1981 foi realizado um importante seminário no Ginásio Emmanuel, Goiânia.

      Seicho-No-Ie – CACP

Em 1930 chega ao Brasil, trazida por imigrantes japoneses. O movimento obtém grande progresso. Com grandes investidas, decidem pelo estabelecimento por aqui. Então, no dia 10 de agosto de 1952, com autorização da Sede Internacional da Seicho-No-Iê (Japão), institui-se a Sociedade Religiosa Sei-cho-No-Iê no Brasil, atualmente Igreja Seicho-No-Iê. A sede fica em São Paulo desde 1955. Os adeptos se reúnem para a prática da meditação espiritual em Ibiúna-SP, onde possuem uma propriedade. Além de São Paulo, atuam fortemente no Rio de Janeiro, Mato Grosso, Goiás, Pará, Paraná, Rio Grande do Sul, Bahia e Pernambuco.



2. Ensinos da Seicho-No-Iê

Ao acreditar que todas as religiões são luzes de salvação que emanam de um único Deus, divulgam ensinos totalmente contrários a Palavra de Deus, dentre eles destacam-se:

As crenças do movimento Seicho-No-Iê

Além de possuir uma crendice com base na compensação material, como saúde, dinheiro e bem-estar, possui um sistema doutrinário que o identifica muito bem com outras seitas.
1. Sobre Deus. “Amenominakanuschi, é o Deus absoluto. Não importa os nomes que tenha nas diversas religiões, já que todas elas e todos os deuses levam o homem a ele”.
2. Sobre a salvação. “Ser verdadeiramente salvo é compreender porque a doença se cura; porque é possível ter uma vida financeira confortável e porque se pode estabelecer harmonia no lar”.
3. Sobre o céu. “O homem pode viver um ‘reino do céu’ desde que compreenda que não existem doenças, males, dores etc”.
4. Sobre o pecado. “O pecado é como a doença, os males e a morte, não passando de meras ilusões. Não existe, pois, Deus não o criou’.

Seitas e Heresias (apostila) – Seminário SEMEADOR

2.1 O Jissó

Quando Adão pecou, ele perdeu a habilidade de ter domínio total sobre a terra (Gn 1:28; Rm 8:22). A Agricultura se tornou uma batalha contra a natureza. Espinhos, abrolhos, ervas daninhas e pestes crescem com mais facilidades do que as plantações. O trabalho se tornou uma tarefa suada e cansativa. Simplesmente trabalhar para poder sobreviver, exige da maioria das pessoas, labutar duramente e em meio a muitas dificuldades. A vida termina então com a morte física e o retorno do corpo ao pó.

      Um Guia de Estudo do Livro de Gênesis – Ron Crisp

O Jissó, significa: Mundo Real. O Homem está em um mundo idealizado por Deus; deveria ser livre de doenças, Morte, envelhecimento e sem sofrimento. Nisto tudo há uma contradição testemunhada e explícita: os adeptos desta seita, além de sentirem dores, ficam velhos, adoecem e morrem também. Adeptos ou não desta seita, os homens envelhecem! As Escrituras falam do Éden, lugar idealizado e criado por Deus: a morada perfeita do homem. Devido ao Pecado foi expulso de lá. Vieram os resultados: dores e sofrimentos (Gn 3:19). Iremos nos livrar deste corpo de dor no Arrebatamento da Igreja. Assim, então, teremos um corpo glorioso (I Ts 4:17, I Co 15:53 e 54).

Continua...

2.2 A Shinsokan

Shinsokan: oração feita em pensamento (apenas). Deve ser uma prática diária. Seu conteúdo: “Neste momento, deixo o mundo dos cinco sentidos e entro no mundo da imagem verdadeira”. Após deve-se fazer outras mentalizações, com frases como: “É oceano de infinita sabedoria de Deus... oceano de infinito amor de Deus... de infinita provisão de Deus...”. Mentaliza-se várias vezes, seguidas de exercícios respiratórios. Terminam com o “cântico da grande harmonia”. Assim, entram na dimensão do Jissó.
Cristo ensinou orações bem vívidas; muito além de “mantras”. Iniciadas, pronunciadas ou não, como um diálogo verdadeiro: “Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome”; contendo confissão e pedidos de perdão: “perdoa-nos as nossas dívidas”; e afirmações de perdões: “como nós também temos perdoado aos nossos devedores”; terminando afirmando seu Senhorio: “Porque teu é o Reino e o Poder” (Mt 6.13). Oração: dirigida a Deus, em nome de Jesus (Jo 14:13).
Quando o salmista afirma em Salmo 1:2 que “meditar de dia e de noite” deveria ser uma prática, ele não estava apoiando as doutrinas orientais que pregam a meditação transcendental, que visa esvaziar a mente de alguém com o objetivo de “esquecer”, da realidade, das mazelas daqueles que não têm Jesus. O “meditar”, segundo o salmista, é ocupar o pensamento com a Palavra de Deus. O texto diz: meditar “na lei” de Deus, ou seja, na sua Palavra e não no vazio. A meditação aconselhada pelo salmista difere da meditação ensinada pelas seitas, conforme algumas observações: 1) Objeto da oração - Alguém (e não um vazio); 2) Propósito - Adoração a Deus (não é fusão com Deus); 3) Mediador- Jesus (não é intuição humana); 4) Campo de ação - através da razão (não é irracional); 5) Poder - pela graça de Deus (não pelo esforço humano); 6) Estado imediato - concentração (e não mero relaxamento).

Continua...

2.3 As Doenças

Havíamos empreendido uma longa caminhada, buscando Deus no mundo exterior, e O encontramos dentro de nós! Finalmente, compreendemos que Deus estava em toda parte, inclusive dentro de nós mesmos, pronto para nos acolher de braços abertos, sorrindo. Compreendemos que existia unicamente o bem. Que todos éramos filhos de Deus, perfeitos, que eu vivia em Deus e Deus vivia em mim. Quando compreendi que tudo que era captado pelos sentidos físicos não existia de verdade, desapareceu a tristeza. A partir do momento em que descobri Deus dentro de mim, nenhuma infelicidade conseguiu me atingir. Minha alma sentiu-se plena e meu corpo esqueceu a doença. O futuro se descortinava radioso para nós.

                Surgimento da Seicho-No-Ie – Seicho-No-Ie do Brasil

Seriam ilusões. De igual modo também a dor. A Matéria não teria real existência. Sem matéria, sem corpo; sem sensores/sentidos, sem dor. As formas físicas e materiais são meras sombras da Luz Celeste incidindo seus reflexos sobre a Terra. Entendem que “Como Deus não criou a doença, a doença não existe.” Afirmam: “...de agora em diante não existirá mais nenhum sofrimento, nenhuma tristeza, nenhuma decepção e nenhum desapontamento” Os seguidores aprendem que precisam controlar suas mentes, que a Felicidade deve ser buscada (e encontrada, óbvio) pelo próprio homem, via meditação.
Ao contrário do que afirmam, a verdade é outra, pois tanto a Bíblia como a própria ciência comprovam a realidade da dor e a existência das enfermidades (II Co 11;12; Jó 2:7 e 8).
A ciência comprova que a dor é uma bênção de Deus, pois é um mecanismo que serve para chamar a atenção. Imagina se um objeto cortante ao penetrar no corpo de um ser humano, ou até mesmo no corpo de um animal, não provocasse dor? A dor é um aviso que algo está errado, fazendo com que a pessoa tome uma atitude. Jesus avisou os discípulos que “no mundo tereis aflição” (Jo 16:33). A experiência humana, diferente da heresia Seicho-No-lê, comprova a realidade da doença, da dor e do sofrimento; em sã consciência, ninguém pode negá-los.

Continua...


3. As Principais Heresias da Seicho-No-Iê

Com uma aparência inocente, que, para alguns desavisados, não passam de palavras “positivas” e “pensamentos que ajudam”, esta seita tem, no bojo dos seus ensinos, heresias perigosas, que vão de encontro a Palavra de Deus.

3.1 Para a Seicho-No-Iê Deus é apenas uma energia

Amenominakanushi é o Deus absoluto. Não importa os nomes que tenha nas diversas religiões, já que todas as crenças e todos os deuses levam o homem a ele.
... Se Amenominakanushi é o Deus absoluto, Deus estaria mentindo quando disse: "Há outro Deus além de mim? Não, não há outra Rocha que eu conheça" (Is 44:8).

Seitas e Heresias – Raimundo de Oliveira (trechos)

A Seicho-no-iê tem a ousadia de criticar o Pai Nosso. Diz que os cristãos têm por anos e mais anos repetido o Pai Nosso: “…seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu”, mas tal não se realiza porque o céu não está acima das nuvens nem no mundo das três dimensões; o céu está no íntimo transcendental, aqui e agora (Convite à Prosperidade, p 17)_ o que se deve é mentalizar o céu para que seja encontrado pelas pessoas. Na literatura da Seicho-no-iê não se tem uma noção clara sobre Deus. Ele é panteísta, uma vez que se encontra em cada pessoa, em cada coisa deste mundo.
A Bíblia apresenta um Deus pessoal. Ele criou o homem à sua imagem e semelhança; uma das semelhanças é ser pessoal. A Bíblia ensina que Deus é transcendente, está além do mundo material (Is. 57:15). Deus não habitou no interior de Hitler, Stalin, Mussolini e outros homens perversos. Deus habita no interior dos contritos, humildes, daqueles que dão lugar a seu Espírito.

      Seicho-No-Ie – CACP

Para eles, Deus é apenas uma energia vital. O chamam de “Amenominaka-nushi” (deus absoluto); dizem ser o mesmo deus conhecido por todas as religiões (sic). Contraditoriamente, esquecem que, sendo somente energia, Deus não teria qualidades pessoais. Tais qualidades são por eles mesmos referenciadas! Logo, não poderá ser pessoal e “somente” energia ao mesmo tempo. Em suas próprias orações (a Shinsokan) exaltam a Pessoalidade Divina. Tal heresia é esclarecida nas Escrituras, que nos apresentam Deus como um ser pessoal: ele fala com as suas criaturas (Gn 1:28-30; Ex 3:4-21), além de interagir com a Humanidade (Ex 13:21 e 14:1).
Os atributos comunicáveis de Deus (são aqueles que se relacionam com os seres por Ele criados, também conhecidos como atributos morais), é uma prova de que Deus não é apenas uma energia vital. As Escrituras Sagradas ensinam sobre estes atributos, veja alguns: 1) Fidelidade - Dt 7:9; Js 2:14 e Sl 89:2; 2) Bondade - Mt 5.45; 3) Santidade - Ex 15:11; Js 24:19); 4) Justiça - Rm 4:5; 5) Veracidade - Nm 23:19; 6) Misericórdia - Tt 3:5; Lm 3:22; Is 49:13; 7) Amor - Jo 3:16; Rm 5:8); 8) Sabedoria - Sl 104:24.

Continua...

3.2 Para a Seicho-No-Iê, o Pecado é mera ilusão da Mente

Se o pecado inexiste, então Deus não estaria falando a verdade, quando disse: "A alma que pecar, essa morrerá" (Ez 18:20).
e. Se o homem é perfeito, Paulo não falou a verdade, quando disse: "Não que eu já tenha recebido, ou tenha obtido a perfeição, mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado
por Cristo Jesus" (Fp 3:12).
Pelo contrário, seja Deus verdadeiro, e todo o movimento Seicho-No-Iê e suas filosofias mentirosas (Rm 3:4).

Seitas e Heresias – Raimundo de Oliveira (trechos)

Afirmam que o pecado é uma mera ilusão da mente, visto que Deus não criou o pecado. O pecado, segundo a Bíblia, é toda transgressão contra Deus e Sua Palavra. Isto incluiu até mesmo uma parcela dos anjos (II Pe 2:4). O pecado atingiu toda a humanidade através de Adão. (Rm 5:19a; 3:23; 5:12).
Qualquer pessoa racional e de bom senso observa, através da história, que alguma coisa está errada com o homem. Não somente os religiosos, mas também os psicólogos e sociólogos admitem o erro que existe no homem e que atrapalha o seu ajustamento consigo mesmo e com os outros. A Doutrina do Pecado é uma das mais importantes doutrinas cristãs, pois, além de mostrar a realidade em que, o homem sem Deus, em consequência do pecado, aponta também para a impossibilidade do homem sair de onde está pelos seus próprios méritos, mostrando-lhe necessidade de aceitar a Graça Salvadora que há em Cristo Jesus. O pecado é tão real, que todos os seres humanos possuem uma inclinação no coração para o mal ou para aquilo que desagrada a Deus. O salmista Davi reconhece os muitos pecados que havia cometido, mesmo sendo um homem de Deus. Ele reconhece que fez o que fez porque era pecador (Sl 51:5) e precisava ser perdoado até pela maldade presente nos seus atos (Sl 32:5). Reconhecer a realidade do pecado não é tarefa fácil, mas é só reconhecendo a gravidade do pecado que o homem se conscientiza da necessidade da salvação (Lc 15:18).

Continua...

3.3 A Salvação para a Seicho-No-Iê é uma condição de vida meramente terrena

Se a verdadeira salvação consiste em compreender por que a doença se cura, em ter uma vida financeira confortável e um lar harmonioso, é de se supor que aquele anjo do Senhor estaria mentindo quando disse que Jesus haveria de salvar os pecadores dos seus pecados, e não de uma vida de privações materiais (Mt 1:21).
Se o homem pode viver o reino do céu desde que compreenda que não existem doenças, males e dores, deduz-se que João estaria mentindo quando registrou no Apocalipse que só no céu não haverá mais lágrimas, morte, luto, pranto ou dor (Ap 21:4).

Seitas e Heresias – Raimundo de Oliveira

A salvação para eles está no conhecimento da “Realidade Prima”, ou “Mente de Deus”. A definição destas afirmações para ele é: “o mal, as doenças e a matéria são inexistentes, e que o mundo real é isento de qualquer imperfeição”. Assim, pregam que a salvação consiste em livrar-se das doenças e ter uma vida financeira próspera. Ou seja, a salvação está limitada apenas a benefícios terrenos. O Apóstolo Paulo afirma que “Se é só para esta vida que esperamos em Cristo, somos de todos os homens os mais dignos de lástima” (I Co 15:19), e que tanto os mortos que serão salvos, ressuscitarão, como os vivos, terão um encontro com Senhor nos ares, e, assim, viverão para sempre com o Senhor (I Ts 4:17).

Continua...


Conclusão

Como pode ser constatado através de suas doutrinas e práticas religiosas, a Seicho-No-Iê é um sincretismo religioso, que deve ser combatido. De forma sutil tem adentrado nas mentes de pessoas que não têm o conhecimento da verdade, que liberta das enfermidades, da triste realidade do pecado, e que leva o homem a Deus (Jo 8:32).


Fontes:

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/RV/NTLH
Religiões, Seitas e Heresias – Como identificar e refutar os Falsos Profetas e seus ensinos (revista EBD professor) – Editora Betel – 1º Trimestre 2014 – Lição 08
Seitas e Heresias, Um sinal dos tempos – Raimundo F. de Oliveira – CPAD
Seitas e Heresias (apostila) – Seminário SEMEADOR (link)
Seitas e Heresias DGCEC (link)
Herisiologia (link)
Manual de Apologética Cristã – Esequias Soares – CPAD
ICP http://www.icp.com.br
Princípios de Interpretação Bíblica – Vilson Scholz – Ed. ULBRA
Novo Dicionário da Bíblia – John Davis – Ed. Hagnos
Enciclopédia Ilúmina
O Antigo Testamento Interpretado – Norman Champlin – Hagnos
O Novo Comentário da Bíblia – F. Davidson – Vida Nova
Comentário Bíblico Matthew Henry (Conciso) – Matthew Henry – CPAD
Comentário Bíblico Moody – Editora Batista Regular
Comentário Bíblico Esperança NT – Editora Evangélica Esperança    
Um Guia de Estudo do Livro de Gênesis – Ron Crisp (link)
Surgimento da Seicho-No-Ie (link)
Seicho-No-Ie (link) Wikipedia
Seicho-No-Ie (link) CACP

Bibliografia Indicada (estude mais)

A Verdade Sobre Seicho-No-Iê (link)

Questionário

1. Na lição a oração é um diálogo real ou apenas uma meditação?
R. A Oração deve ser real, um diálogo verdadeiro entre interlocutores.
2. Por que Deus não pode ser apenas uma Energia? Argumente.
R. Porque Deus tem qualidades pessoais.
3. Através de quem o pecado atingiu toda a humanidade?
R Através de Adão.
4. Segundo a Bíblia, qual é o conceito de Pecado?
R É toda transgressão contra Deus e Sua Palavra.
5. A salvação se limita a vida terrena? Justifique.

R. Não. A Bíblia afirma que existe uma salvação para a raça humana que irá além de uma simples qualidade de vida nesta terra.

2 comentários:

  1. Deixe de ser assim. Bem queria você ser um membro seicho-no-ie. Uma pena...

    ResponderExcluir
  2. Olá, amado.

    Agradecemos o prestígio de seu interesse em nosso trabalho e em seu convite velado a que nos vinculássemos ao dito grupo. Novamente, nos sentimos duplamente honrados.
    Admiramos o empenho dos líderes, praticantes e dos visionários fundadores, mas entendemos estarem em desacordo com a Bíblia. Outrossim, se suas colocações são uma conclusão de termos desejos em ir para lá, orientamos a que reveja suas avaliações e apurações: são totalmente equivocadas. Bom, sementes estão ficando em seu coração, ainda que não creia. Deus pode operar o impossível ...

    Deus o abençoe!

    ResponderExcluir

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho