terça-feira, 24 de junho de 2014

EBD Editora Betel - O Perfil Bíblico de um Líder

Super-Treinamento de Liderança



Acesse e avalie o empreendimento
Inscreva-se e divulgue aos seus amigos

Assembleia de Deus CONAMAD
Lição 01 – 06 de Julho de 2014
Revistaebd Revista escola bíblica dominical editora betel conamad Passagem bíblica trecho bíblico bíblia como estudar teologia bíblia escola dominical escola dominical betel escola biblica betel escola bíblica betel escola dominical conamad auxilio professor ajuda professor subsídio professor auxílio professor subsidio comentario ebd comentário bíblico ebd professor mestre comentário biblico escola dominical comentario biblico escola bíblica comentario bíblico pregação pregador palestra estudo bíblico bíblico


Base para o Trimestre

Coração de Líder (palestra)
Auto-liderança
Auto-liderança (treinamento)
Treinamento de Líderes (I) (II)
Curso de Liderança (amplo, sólido e didático)
Capacitação de Líderes (práticas, desenvolvimento e problemas)
Tópicos Básicos Tearfound
Intensivo iTeenChalenge (virtudes, características, relacionamentos e pontos críticos) 200 itens
Pessoas, Cargos e Alvos (ebook)
Curso de Liderança para Mulheres (excelente)
Talento e Vocação
Autoconhecimento
Treinamento Intensivo em Gestão de Pessoas e RH - Escolas de Governo SP (I) (II) (III) (IV) (V)

Texto Aureo

"E graças a Deus, que sempre nos faz triunfar em Cristo, e, por meio de nós, manifesta, em todo lugar o cheiro do seu conhecimento". II Co 2:14

Paulo interrompeu um trabalho concedido pelo próprio Senhor e “com aflições prosseguiu à Macedônia”, “em tudo atribulado: lutas por fora, temores por dentro”, como dirá em 2 Co 7.5. Porventura esse não é novamente, como julgam os coríntios, um quadro deplorável para um emissário do Rei dos reis? Será que sua trajetória na realidade não deveria ser uma marcha de “triunfo”? Também é, replica Paulo, mas obviamente de modo bem diferente do que os coríntios imaginam, porque não vêem corretamente o relacionamento entre ser humano e Deus. Não se trata da grandeza e vitória do Ser Humano, porém integralmente do triunfo de Deus. “Graças, porém, [seja] a Deus, que, em Cristo, sempre nos conduz em triunfo.” Portanto é Deus que, em Cristo, realiza sua marcha vitoriosa pelo Mundo.

Esperança

Verdade Aplicada

A capacidade de liderar é dada por Deus. Preparar-se é um dever de todo aquele que lidera.

Objetivos da Lição

Mostrar que um líder é aquele que se relaciona em três dimensões distintas;¹
Apresentar o impacto causado por um líder nessas três dimensões;
Demonstrar as qualidades pessoais indispensáveis de um líder.

Textos de Referência

I Sm 17.48 - E sucedeu que, levantando-se o filisteu, e indo encontrar-se com Davi, apressou-se Davi, e correu ao combate, a encontrar-se com o filisteu.
I Sm 17.49 - E Davi pôs a mão no alforje, e tomou dali uma pedra e com a funda lha atirou, e feriu o filisteu na testa, e a pedra se lhe encravou na testa, e caiu sobre o seu rosto em terra.
I Sm 17.50 - Assim Davi prevaleceu contra o filisteu, com uma funda e com uma pedra, e feriu o filisteu, e o matou; sem que Davi tivesse uma espada na mão.
I Sm 17.51 - Por isso correu Davi, e pôs-se em pé sobre o filisteu, e tomou a sua espada, e tirou-a da bainha, e o matou, e lhe cortou com ela a cabeça; vendo então os filisteus, que o seu herói era morto, fugiram.

¹ Nota: De imediato nota-se uma afirmação restritiva, pois com um pouco de reflexão deduzimos existirem mais de três dimensões (vide a nota seguinte).


Introdução

Neste trimestre, estudaremos sobre liderança e o que é necessário para entendê-la e praticá-la. Nesta lição, falaremos biblicamente sobre o perfil geral de um líder. Há pelo menos três dimensões² de vínculos relacionais que tornam uma pessoa líder em alguma coisa. O líder relaciona-se com pessoas, com a organização e consigo, vejamos de maneira concisa e prática como essas dimensões se desenvolvem.

Liderar

É a um só tempo, planejar, organizar, dirigir, coordenar, controlar, e avaliar.

- Planejar. Tem a ver com o trabalho do líder, em geral, como um todo. É a função administrativa de prever e programar o trabalho, de modo generalizado. Em resumo: Planejar é estabelecer alvos realistas.
- Organizar. Tem a ver com o tempo disponível do líder. E consoante o tempo disponível que o líder agrupa recursos e fatores necessários aos planos já feitos. "Deus não é Deus de desorganização" (I Co 14:33 , literalmente).
- Dirigir e comandar. Tem a ver com as pessoas. É conduzir a organização, tomando decisões e controlando a execução de tarefas, e motivando as pessoas a ação: a) pelo exemplo; b) pela capacidade; c) pela experiência e d) pela dedicação ao povo e ao trabalho.
- Coordenar. Tem a ver com a integração das tarefas, visando a realização do trabalho como um todo. Coordenar, em Liderança, é equilibrar a ação administrativa do líder.
- Controlar. É racionalizar, regular eficazmente as atividades, os desvios e distorções que podem ocorrer na função administrativa.
- Avaliar. Tem a ver com resultados. É a função administrativa de verificar os resultados, de acordo com as normas existentes e os padrões estabelecidos.

Eliseu Bayer - ideiasjovemcristao.com.br

Qualidades Espirituais

É indispensável que o líder caminhe ao lado e com Deus na liderança. Para isso, é necessário que o coração do líder seja inteiramente de Deus (II Cr 16:9). Sendo assim, o líder é uma pessoa que procura com intensidade ter ou possuir uma elevada estatura espiritual. O padrão divino para o líder é extremamente elevado, para que ele possa atingir o padrão de Deus, é necessário uma obediência plena da parte dele.

Qualidades Morais

Os líderes devem possuir uma vida limpa, isso não deve ser por medo dos liderados, mas sim pelo temor diante de Deus, por querer agradá-lo. Nas Escrituras, temos um exemplo bastante forte deste padrão moral que o líder deve ter. José se recusou a ter relações sexuais com a mulher de Potifar, não por temer a Potifar, mas por temer cometer tamanho pecado diante de Deus (Gn 39:7-21).
Ter uma vida moral reta é algo que não tem preço. Não se pode comprar. Tendo uma vida limpa perante Deus e os demais, o líder terá uma visão clara de seus alvos e objetivos, será mais fácil para ele alcançar seus objetivos assim.

Qualidades Pessoais

Cada líder tem a sua própria personalidade. Ninguém é igual a ninguém. Porém há qualidades pessoais que cada líder deveria ter preocupação. Um líder deve estabelecer alvos pessoais. Ele deve estabelecer alvos para si mesmo, bem como para sua congregação (Rm 12:3; Fp 3:14).
O líder é uma pessoa cuja influência se faz sentir em todos os aspectos. Por onde quer que vá, ele é alvo de observações e por isso há de exercer uma influência na vida das pessoas que o cercam. Ele não deve procurar fazer certas coisas somente para que outras pessoas vejam que ele está fazendo, mas ele deve ter em sua mente que quando ele faz alguma coisa os outros estão observando o seu modo de fazer ou agir. Até mesmo tudo o que o líder fala, faz ou pensa serve para influenciar os seus liderados, quer positiva, quer negativamente. De uma maneira ou de outra, o líder, influenciará os seus liderados em tudo o que faz, portanto, é necessário que se tenha o máximo cuidado para não ser uma influência negativa na vida deles.

Princípios para uma Boa Liderança – Cleverson de Abreu Faria

Sabemos que há temas que deveriam ser estudados em quatro, cinco ou mais tópicos principais (pois existem mais aspectos). De igual modo, há temas que possuem apenas dois itens ou dois sub-itens. Há muito tempo nossa revista passou a ter fixos três itens com três sub-itens cada. Talvez isto tenha gerado o impasse tema de nossa primeira nota (“... aquele que se relaciona em três dimensões distintas”), já que trabalhar limitadamente acaba nos limitando mentalmente.
            Estas considerações são para introduzirmos um parecer nosso: há também as dimensões 4) do líder em relação a Deus, 5) do líder em relação a sua família e 6) em relação a sua equipe. Logo, entendemos serem ao menos quatro os aspectos centrais. Na lição nº 3 há um discorrer sobre isto (o líder e Deus). A aula 4 é uma extensão da 3 (a Oração é inseparável da vida devocional individual). Finalmente a aula nº 5 trata da [dimensão] família do líder.

² Nota: Esta afirmação abre-nos a possibilidade de crermos existirem mais dimensões, endossando o pensamento de quem achou estranho o primeiro objetivo da lição.



1. O líder em relação às pessoas

A palavra líder procede do inglês (leader) que tem, como significado, aquele que pastoreia, isto é, um pastor ou aquele que lidera. Dessa maneira, um líder é alguém que guia ou conduz pessoas a algum lugar para realização de um propósito (Jo 10:3 e 4). O líder é aquele que sabe para onde vai. Daí se pressupõe que um líder é alguém que sabe o que está fazendo, principalmente quando diz respeito ao bem estar das pessoas.
Notamos que tratou-se aqui de pessoas-indivíduos. Faltou o aspecto pessoas-equipe de forma explícita; o aspecto nº 6 que nós cogitamos existir (em relação a sua equipe). O conceito “grupo”, “equipe” ou “liderados” é percebido apenas levemente. Sem sua respectiva equipe, o líder não existe, ainda que possua títulos, ele não exerce liderança sem um grupo. Liderar é exercício contínuo de autoconhecimento, aprimoramento de conhecimentos, habilidades e competências para dar propósito às pessoas (equipe), levando estas à alta performance. Para extrairmos o máximo de uma equipe e promover um ambiente de confiança (e colaboração), o líder deve entender que, e como, seu estilo pessoal de liderança guia e interfere no desempenho da equipe (e, é claro, nos resultados da organização).

Relações Interpessoais (I) (II) (vídeo-aulas)

1.1 Um líder inspira através de seu exemplo

Quando perguntamos a respeito da maior habilidade de um líder, é comum sempre ouvirmos que é a habilidade de inspirar as pessoas, de mostrar-lhes um norte.
Mas a pergunta que fica é: como inspirar as pessoas?
E a resposta, aparentemente tão simples, é talvez a tarefa mais difícil de um líder. A resposta é: O seu próprio exemplo!
Então, por que o próprio exemplo é tão difícil?
 Porque primeiro é necessário identificar seu próprio norte. Para isto, precisa identificar o que aporta para esse mundo que o torna diferente.
Sintetizando, isso seria descobrir a intersecção de “o que sabe faz bem”,   “qual o seu chamado”, “o que prioriza”, “com o que contribui” e finalmente  com “o que gosta”. Por fim, conectar isso com suas escolhas, respondendo a mais algumas perguntas como:
- Por que faz seu trabalho diário? 
- Como faz a diferença?
- Que caminho escolhe, diariamente, para cumprir seu papel?
E somente depois disso, será possível pensar em algo que gostaria de poder fazer ou saber para melhorar seu desempenho nos seus papéis atuais ou para avançar mais um passo na sua vida.

      Irene Azevedo – hbrbr.com.br

Em diferentes níveis (resistindo ou autômatos) influenciamos uns aos outros. Esforço, criatividade, genialidade e muitos riscos. Gostamos de imitar os melhores, os superadores e os mestres legítimos. Inspirar, transpirar ousadia e coragem. Um líder primeiro possui em si, transforma a si e se desafia em muitos aspectos e situações. Já o chefe quer ver tudo isto nos outros sem pedir e ainda cobra se não for assim. Dá ordens. O líder inspira e motiva através de seu exemplo (I Pe 5:2). Influenciar exige esforço. Tudo o que pode conduzir à vitória (ou aproximar-se dela a cada tentativa), requer empenho e dedicação, o que é dignificante (Jo 15:13).
Por que existem recordes? Recordes existem para serem quebrados. Porque alguém sempre inspira alguém a vencer obstáculos. Porque quando as coisas acontecem com facilidade, sem luta, sem batalha, sem envolvimento, há a tendência de não darmos o devido valor. A Bíblia ensina que a operação de influenciar as pessoas é função do Espírito Santo (Jo 16:8), mas "Ele não fará nada " se não estivermos dispostos a cooperar em nossa parte.


1.2 O líder influencia na tomada de decisões

Influência de algumas emoções

1 - Quando estamos de bom humor, por exemplo, possivelmente tendemos a aumentar a confiança nas outras pessoas, o que pode trazer sérias consequências, pois estas pessoas podem não ser capazes de fazerem o que você esperava, decepcionando-lhe. 
2 - Quando estamos de mal humor ficamos mais céticos, ou seja, tendemos a confiar menos nos outros, o que pode ser bom, pois com isso analisamos as pessoas de forma mais real. Entretanto o excesso é extremamente prejudicial.
3 - Quando estamos tristes somos muitos afetados afetados por “Âncoras”. Âncoras são uma referencia, que por muitas vezes esta errada, pois na maioria das vezes escolhemos referencias erradas.
4 - Em um momento de raiva a tendência é que a pessoa fique mais confiante e insensível a riscos, tendo até mais sentimento de poder, e é por isso que quando vimos pessoas com raiva percebemos que as mesmas tomam decisões irracionais e erradas. 
5 - Em momentos de desgosto tendemos a querer sair o mais rápido possível daquela situação, um bom exemplo é em vendas, quando um vendedor tem esta característica ele tenderá a vender os produtos mais baratos, pois ele que chegar logo a sua meta de vendas, ou seja, sair da situação de pressão nas vendas. 
6 - Como uma última emoção, o temor nos deixa mais sensíveis aos riscos, e com isso nos preparamos para uma situação de fuga, tal questão é correta, pois tendemos a gerenciar melhor os riscos e procurar ações preventivas quando se esta em tal situação.

José Elias Silva - rhportal.com.br

É triste, mas temos tendência mais acentuada para nos mostrarmos como vítima do que como guerreiros. E a questão diz respeito muito mais à forma como percebemos o mundo do que à forma como o mundo efetivamente é. Lembre-se: suas atitudes não nasceram com você, mas foram aprendidas, foram desenvolvidas ao longo dos anos de acordo com um certo estilo de aprendizado e de acordo com preconceitos que, ainda hoje, influenciam o seu pensamento e o seu comportamento. Só que, da mesma forma como foram aprendidas, suas atitudes podem também ser alteradas por meio do aprendizado.

Joaquim Botelho – uol.com.br

Reunimos algumas considerações sobre decisões extraídas de obras e manuais profissionais/acadêmicos. Vejamos:

Precipitar-se: ter conclusões sem analisar os aspectos importantes, tentando compreender como as decisões devem(riam) ser tomadas. Falta de controle estrutural: influenciar-se pelos outros ou não definir o problema de maneira racional/consciente (vendo vários ângulos). Excesso de confiança em seu julgamento: sentir-se excessivamente seguros com relação à suas hipótese e opiniões, não colhendo informações e fatos importantes. Fracasso em grupo: não gerenciar o processo decisório do grupo crendo que as escolhas serão automaticamente boas (devido à presença de pessoas inteligentes no grupo. Deixar de conferir seu processo de decisão: isto pode englobar todos os demais erros, já que os gestores/executivos não usam/elaboram uma abordagem organizada para compreender as próprias decisões. Questões Rotineiras: uma mesma circunstância se repete e elegem-se questões (pontos) específicas para resolvê-las (economizando tempo e processamento). Questões de Emergência: pode ocupar tempo excessivo, pois são as questões críticas e arriscadas (ou inéditas) que surgem. Tais decisões precisam ser baseadas nos fatos que as cercam (estrategicamente deveria haver simulações e análise de casos pregressos). Questões Estratégicas: envolvem fixação de metas e prioridades, projetos de implementação, ou sub-decisões, que podem ser ainda mais difíceis, mas que são a principal tarefa de um gerente. Questões Operacionais: lidam especialmente com questões que envolvem pessoal (funcionários, membros e componentes: os “operadores”) como contratação e demissão. Na maioria das vezes requer atenção extra. Estruturar a questão: simplificar o processo decisório. Determinar critérios de raciocínio da tomada de decisão. Colher informações: buscar fatos relevantes ou não ao problema/caso/oportunidade, analisando estes dados positivos ou negativos igualmente, sem se deixar influenciar por sua opinião particular. Chegar a conclusões: não acreditar apenas em pontos intuitivos, mas em ter uma sistemática para resolução do problema, mediante interpretação de dados coletados. Aprender com retornos da Comunicação (Feedback): ouvir sua equipe, analisar opiniões, tomando a decisão correta, além de aprimorar realizando a melhora do processo. Tomada de decisão de racional: analisam-se os fatos, baseando a tomada de decisão com relatórios para escolher a melhor alternativa. É a escolha da alternativa com a melhor chance de sucesso, segue a razão (cabe aconselhamento, consulta a especialistas e costuma ser conservadora); Tomada de decisão intuitiva: é raciocinar baseando-se na experiência (não confundir com impressões, avisos espirituais ou destino). A avaliação e o julgamento, são feitos de forma inconsciente e automática, segue a intuição.


1.3 Um líder conduz seu povo ao cumprimento de metas

Ao longo das últimas décadas, as organizações têm vivenciado inúmeras alterações, desde a estrutura de seu capital econômico até as relações existentes entre os indivíduos e destes com a própria instituição. Dia após dia, pessoas de diferentes origens, religiões, formações acadêmicas e visões políticas se reúnem em empresas ou organizações a fim de exercerem suas atividades profissionais. Esta heterogeneidade de indivíduos transparece nas divergências de pensamentos, métodos e formas adotadas para realização de tarefas, comuns à organização. Em contraste com estas personalidades individuais, as personalidades coletivas somente emergem e se tornam indivíduos quando começam a interagir como conjunto. Etzioni (1964) apud Hall (2004) expõe que as organizações são entidades sociais ou agrupamentos humanos deliberadamente criados e recriados para atingir metas específicas.
A Liderança também é vista como um fenômeno de construção social no qual o líder interage com seus liderados (SMIRCICH; MORGAN, 1982). As interações entre líderes e liderados são importantes para o contexto social e devem buscar principalmente sinergia para alcançar metas e corresponder às expectativas das organizações para as quais desempenham suas funções.

      Vitor Luciano de A. Benvides – bibliotecadigital.fgv.br

Segundo Lacombe (2009, p.191), liderança é “conduzir um grupo de pessoas, influenciando seus comportamentos e ações, para atingir objetivos e metas de interesse comum desse grupo, de acordo com uma visão do futuro baseada em um conjunto coerente de ideias e princípios”. Esse conceito dá uma ideia de que o líder esta trabalhando em conjunto com o grupo para o alcance da meta.
Para Robbins, Sobral e Judge (2010), liderança é a “capacidade de influenciar um conjunto de pessoas para alcançar metas e objetivos”.
Segundo Wagner e Hollenbeck (2011), a liderança é a força que ativa e dirige os grupos.
Diante a opinião de Daft( 2010), liderança é a capacidade de influenciar pessoas ao alcance das metas organizacionais.
Para Daft (2010), A teoria do caminho-meta sugere que os líderes podem mudar o comportamento para ajustar-se à situação. Fieldler chama atenção para importância de encontrar o ajuste entre o estilo de liderança e a situação.
Dubrin (2008) conta que os “lideres carismáticos são mestres da comunicação, eles transformam sonhos acreditáveis e apresentam sua visão de futuro como um único caminho a ser seguido”. O líder carismático, ele inspira os colaboradores a trabalhar em equipe para atingir as metas, e estando dispostos a apostar suas carreiras para seguir a visão do chefe.
Os seguidores dos líderes carismáticos identificam-se com o líder e a missão do que ele coloca, exibem extrema lealdade e confiança no líder, igualam os valores e comprometimento do líder e fazem a auto estima do seu relacionamento com o líder o que torna o trabalho em equipe mas pratico e fácil no alcance das metas.
Equipe de trabalho gera uma sinergia positiva, resultando os esforços em um alto nível de desempenho, aumentando os resultados organizacionais para o alcance das metas, sem necessidade de investimento. Robbins, Judge e Sobral (2010), fala que o uso extensivo das equipes gera o potencial para a organização aumentar seus resultados sem necessidade de aumentar os investimentos.
Equipe de trabalho gera uma sinergia positiva, resultando os esforços em um alto nível de desempenho, aumentando os resultados organizacionais para o alcance das metas, sem necessidade de investimento. Robbins, Judge e Sobral (2010), fala que o uso extensivo das equipes gera o potencial para a organização aumentar seus resultados sem necessidade de aumentar os investimentos.
Ediane Torres Brito – aedb.br

Todo líder deve ter visão (Gn 13:14), sem visão, ninguém chega a lugar algum. Porque a visão nos leva a um destino, e, líder sem alvo é povo sem destino. Ser líder é ter essa chama acesa e contagiar outros através dela. A alegria de um líder são os seus liderados e o destino dos liderados depende da visão do líder (Nm 14:6-8). Que triste seria desperdiçar uma vida inteira sem descobrir o propósito pelo qual fomos criados. No relacionamento com pessoas o líder é alguém que exerce um papel especial para incentivar seus liderados a alcançarem suas metas (Sl 77:20). Apesar de estarmos falando no perfil geral³ de liderança, não estamos esquecidos de que, no Reino de Deus, todo líder tem o compromisso de ser um servo, logo uma característica indispensável no líder cristão é a humildade. Essa é a maior virtude de um líder: ser servo. (Jo 13:14-17)
Um líder solitário nada poderá construir, mas ao agregar qualidade a um grupo e trazer ânimo a seus liderados, tudo se torna mais fácil, e até mesmo, os alvos mais impossíveis se cumprirão em tempo recorde. (Exemplo Bíblico: Neemias)

³ Nota: O trecho fala de Gênesis, Números, Salmos, destino, propósito da Criação do Homem. Logo, segue a linha do título da lição. “Apesar de estarmos falando no perfil geral” nos parece totalmente destoante não só do alvo do dito trecho, como da lição (Perfil Bíblico de um Líder).


2. O líder em relação à organização

Uma organização se refere a um grupo de pessoas, uma instituição ou órgãos que sirvam à determinados interesses. A isso incluímos à igreja local, evidentemente (I Co 12:14-20). Um líder, em relação a uma organização, é alguém que pode atuar de diferentes maneiras, pois devemos reconhecer que existem qualidades que caracterizam bons líderes.

Um dos livros mais conhecidos sobre Liderança é O Desafio da Liderança, que combina a prática e a teoria. Partindo da premissa de que liderança é da conta de todos, os autores propõem uma estrutura para compreensão dos papéis e responsabilidades da Liderança.
Baseados em pesquisas e entrevistas eles descobriram "cinco práticas comuns às melhores experiências pessoais em Liderança". Sempre que conseguiam resultados extraordinários nas organizações, é porque os líderes se engajaram nessas Cinco Regras Básicas da Liderança Exemplar:

- desafiar o estabelecido;
- inspirar uma visão compartilhada;
- permitir que os outros ajam;
- apontar o caminho;
- encorajar o coração.

Apoiado em pesquisa e pelo Leadership Practices Inventory (LPI), este livro ainda é considerado por muitos como sendo um dos trabalhos mais confiáveis sobre Liderança e tornou-se um livro padrão para muitos cursos universitários na área.

Fabíola pasini - administradores.com.br


2.1 Bons líderes organizam

Hoje vamos tratar do assunto organização, pois quem não sabe estabelecer as prioridades para sua vida e que não estabelece uma ordem para realizá-las não pode almejar o sucesso financeiro, profissional e pessoal, em suma, o que devemos buscar é a harmonia em nossas vidas, traçamos vários objetivos e tentamos buscá-los todos ao mesmo tempo, não concentrando as forças em buscar primeiro a um depois a outro e assim sucessivamente.
As pessoas saem sem planejamento ordenado e correto para obter seus resultados, não canalizando suas forças corretamente para conquistar seus objetivos.Vamos então a algumas dicas para alcançar esse objetivo.
Um erro muito comum que cometemos é estabelecer um objetivo e depois um outro objetivo que dificulta ou até mesmo impede a realização do objetivo anterior. Após listar os objetivos que você deseja alcançar você deve fazer uma auditoria e estabelecer se estes objetivos não são conflitantes entre si.

Prazo
Outra medida que devemos tomar é estabelecer um prazo para cada objetivo a se realizar, pois só assim você pode saber se está caminhando ou não em direção aos seus ideais de realização. 
Cada coisa em seu devido lugar
É importante cada objeto em sua casa e em seu local de trabalho tenha um lugar determinado, isso evita que você perca um tempo precioso procurando aquilo que devia ser encontrado de imediato, evita também o stress da busca, que pode facilmente acabar com um dia de trabalho.
Momentos ociosos
Procure tirar proveito de todos os momentos ociosos que você tiver. Use o tempo de locomoção de um local para outro, o tempo de espera por algo. Use e abuse de um Cd player, pois há diversos cursos e livros gravados em CD, que podem ser adquiridos a um custo relativamente baixo, você pode estudar um segundo idioma por exemplo, enquanto vai para o trabalho.

Edson Silva – artigonal.com




Os líderes não existem para manter as coisas, a função de um líder é sempre melhorá-las. Bons líderes tomam decisões que produzem crescimento e qualidade, mesmo que isso não agrade a muitos. Agradar a Deus nem sempre é agradar ao povo. Casa que não tem liderança vira bagunça! Observe o conselho de Paulo ao jovem pastor Tito: "Por esta causa te deixei em Creta, para que pusesses em boa ordem as coisas que ainda restam, e de cidade em cidade estabelecesses presbíteros, como já te mandei" (Tt 1:5). Tito não estava em Creta, para realizar cultos, ele foi enviado para "colocar as coisas em ordem". Sem liderança nada será corrigido.
O fracasso ou o sucesso de uma organização são resultados de uma liderança. Não devemos jamais colocar a culpa nas pessoas se somos nós quem as lideramos. O sucesso de um líder não é brilhar, mas trazer luz onde havia trevas. Disse John C. Maxwell: "a pessoa bem-sucedida é aquela que pega a água fria jogada em seus planos, aquece-a com entusiasmo e produz o vapor que a ajuda a seguir adiante".

Ser Líder de Jovens não é Ser Organizador de Eventos (I) (II)

2.2 Bons líderes administram

Administrar é exercer autoridade de acordo com as regras, mas também significa servir alguém ou ainda gerir. Uma palavra muito comum para referir-se à administração no grego do Novo Testamento é "oikonomia". Essa palavra faz parte do vocabulário do português na forma de "economia". Mas "oikonomia" é formada por duas palavras "oikos" que significa casa e "nomos" que significa regra, princípio e norma. Logo, economia refere-se à administração de um lar ou dos afazeres de um lar. Líderes são pessoas que cuidam de administrar a casa de Deus com todos os recursos a eles confiados. Para que alguém possa ser recomendado como um líder na casa de Deus deve dar provas da sua administração doméstica. Caso ele não prove ser bom administrador do seu lar, fica a pergunta: "pois, se alguém não sabe governar a própria casa, como cuidará da igreja de Deus?" (I Tm 3:4 e 5; Tt 1:6 e 7).


2.3 Bons Líderes trabalham com propósitos e unidade

Resultados não acontecem sem planejamento, sem trabalho, ou sem foco. Um líder deve estabelecer metas a curto, médio, e longo prazo para ser bem sucedido (Lc 14:28). Sucesso só vem antes de trabalho no dicionário. O êxito de um líder é o êxito de sua equipe de liderados que cooperam com ele. Mas, para que isso aconteça, todos devem falar uma mesma língua e focalizar um mesmo objetivo. Podemos considerar a torre de Babel como um grande trabalho de equipe (Gn 11:1-4). Embora seus desígnios fossem maus perante Deus, o próprio Deus considerou que a unidade é produtiva. "E disse o Senhor: “Eles são um só povo e falam uma só língua, e começaram a construir isso. Em breve nada poderá impedir o que planejam fazer" (Gn 11:6).
O grande afã de um líder é trabalhar para alcançar resul­tados através de sua equipe de liderados, o que exige unidade (Sl 133). Vejamos como exemplo o conselho de Jetro (Ex 17:13-26).

Em elaboração


3. O líder em relação a si mesmo

Vimos acima que um líder é alguém que se relaciona com pessoas e com coisas (administrativas). Agora, porém, veremos que os relacionamentos chegam a uma dimensão intrapessoal. E quem sabe, seja esse o principal requisito, visto que envolve o possuir de uma imagem e a relação do equilíbrio consigo (Rm 14:7).

Em elaboração

3.1 Um bom líder deve ser fiel à visão recebida (I Co 11:23a)

Um líder deve ser fiel a visão recebida. A visão é sua respiração, é quem o motiva a acordar mais cedo, ela é seu destino. Os líderes são possuídos pelo futuro, pelo senso de direção, eles não vivem só o presente. O que dizia Jesus? Meu reino não é deste mundo. Ele estava aqui, seu pensamento e alvo não. Até hoje, muitos não compreendem porque Paulo e Silas cantavam enquanto eram chicoteados. Eles tiveram uma visão do futuro, viviam e respiravam através dela, sabiam que havia algo tão maravilhoso que o viver aqui lhes era de pouca importância (Fp 1:21). É lastimável quando vemos pessoas morrendo por coisas efêmeras, porque jamais tiveram um vislumbre das coisas eternas (II Co 12:1-4).
A autêntica visão envolve também o atender de uma vocação e aptidão para realização de um propósito específico através de seus meios próprios. Ninguém no Reino de Deus pode ficar sem uma visão. Há pessoas que recebem uma visão para levá-la a efeito, outros devem abraçar a visão de seus líderes, tomando-a como sendo deles mesmos, visto que ninguém deve ficar parado ou como "peso morto" na Casa de Deus.

Em elaboração

3.2 Um bom líder busca seu próprio crescimento

Você precisa ser forte e ter recursos para fazer a jornada. Você precisa influenciar e inspirar os outros para juntar-se a você, de outro modo você arrisca ser um viajante solitário e não um líder. E você precisa de um mapa, pois mesmo sendo forte você pode se perder em um sistema complexo.
Em primeiro lugar, ser um líder significa desenvolver-se a si mesmo. A medida que se torna um líder, você encontra recursos em si mesmo que não sabia que tinha. Você se torna mais você, porque a maior influência de um líder vem de quem ele é, do que ele faz e do exemplo que ele dá.
Em segundo lugar, o líder inspira outros para juntar-se a ele na estrada, então liderança envolve habilidades de comunicar e influenciar.
Em terceiro lugar, um líder precisa olhar para frente, bem como prestar atenção onde ele esteve e onde ele está agora. O líder vê além da situação imediata. Ele vê o contexto da jornada inteira. Isso significa que ele precisa compreender o sistema do qual faz parte, ver além do óbvio, sentir como os eventos se conectam a padrões mais profundos, enquanto outros apenas vêem acontecimentos isolados. Liderança é uma combinação de quem você é, habilidades e talentos que você tem, e a sua compreensão da situação ou do contexto em que você está. Embora esses elementos sejam universais, você juntará as peças de uma maneira única.

      metas.com.br

Quem se sente vocacionado para uma determinada liderança/comissionamento deve preparar –se para tal. Aos que já exercem, cabe buscar continuamente o crescimento (II Pe 1:5). Isso requer investimento, tempo, aprendizado, erros e acertos. Davi cresceu muito, até tornar-se o rei de todo o Israel. Vemos em Davi um homem de contínuo crescimento (apesar de graves erros, foi referendado por Deus: “Homem Segundo o Meu Coração”). Todavia, ele jamais foi um homem obcecado pelo poder.

Em elaboração

3.3 Um Bom líder possui satisfação pessoal

Como pode uma pessoa que vive em conflito consigo mesma liderar a outros? As pessoas querem seguir quem lhes traga soluções e não problemas. Quem tem uma imagem de si mesmo desequilibrada e ou sentimentos negativos de mágoa, vingança, etc, terá dificuldade de influenciar outros e permanecer liderando. Você consegue pensar em algum líder que não tenha auto-estima, que não seja entusiasmado? É muito difícil não é? Assim, quem lidera deve ser uma pessoa que se ame, ame imensamente o ser humano, e que se satisfaça em conduzi-lo também a satisfação. Pense em como Davi transformou muitos fugitivos, desacreditados, amargurados em heróis (I Sm 22:2). Davi era um perito soldado, mas descobriu homens valorosos e com capacidade de guerra muito acima das que ele mesmo possuía. Davi soube honrá-los, soube ser generoso para com eles, e tantos outros que jamais saberemos seus nomes. Daí se conclui facilmente que a satisfação de um líder é a satisfação simultânea de seus liderados, visto que trabalham para uma meta em comum.

Em elaboração


Conclusão

Biblicamente, por princípio Divino, toda a liderança procede de Deus (Rm 13:1). Esteja onde estiver, seja igreja ou empresa, etc, a liderança deve ser uma forma de pôr, em movimento, os dons recebidos de Deus. Tais dons e aptidões devem servir para que outros possam atingir seus objetivos, a fim de glorificar a Cristo Jesus.

Fontes:

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/RV/NTLH
Liderança Cristã – Conhecendo os segredos da Liderança Eficaz (revista EBD professor) – Editora Betel – 3º Trimestre 2014 – Lição 01
O Líder que Deus Usa – Russell P. Shedd – Vida Nova
Cura e Edificação do Líder – Marcos de Souza Borges – Ed. JOCUM
Princípios para uma Boa Liderança – Cleverson de Abreu Faria (link)
Elementos Essenciais da Liderança: Visão, Influência e Caráter – Greg Ogden & Daniel Meyer – Ed. Vida
Novo Dicionário da Bíblia – John Davis – Ed. Hagnos
Enciclopédia Ilúmina
O Antigo Testamento Interpretado – Norman Champlin – Hagnos
O Novo Comentário da Bíblia – F. Davidson – Vida Nova
Comentário Bíblico F. B. Meyer – F. B. Meyer – Ed. Betânia
Comentário Bíblico Matthew Henry (Conciso) – Matthew Henry – CPAD
Comentário Bíblico Moody – Editora Batista Regular
Comentário Bíblico Esperança NT – Editora Evangélica Esperança
A Liderança e as Relações Interpessoais no Ambiente de Trabalho (link)
Introdução à Liderança (link)
Relacionamento Interpessoal (vídeo-aula)
O Comportamento e Seus Reflexos (link)
O Processo de Tomada de Decisões Estratégicas: Entre a Intuição e a Racionalidade (link)

Bibliografia Indicada (estude mais)

O Processo da Percepção e das Relações Interpessoais do Líder Através de um Instrumento de Treinamento Gerencial: Janela de Johari (link)
Relacionamento Interpessoal e Liderança (link)
A Influência da Estrutura de Poder na Tomada de Decisão Estratégica em uma Cooperativa Agropecuária no Estado do Paraná (link)
A Intuição e a Racionalidade na Tomada de Decisão em Uma Empresa de Pequeno Porte (link)

Questionário

1. Por que Paulo deixou Tito em Creta?
R. Para "colocar as coisas em ordem" (Tt 1:5).
2. Em relação a pessoas, qual é a diferença entre um líder e um chefe?
R. Um líder inspira peio exemplo (I Pe 5:2).
3. Segundo a lição qual é a maior virtude de um líder cristão?
R. Ser servo (Jo 13:14-17).
4. O que é necessário para um líder alcançar êxito?
R. Que todos falem uma mesma língua e tenham um só objetivo.
5. Por principio Divino, qual é a origem de toda liderança?

R. Toda a liderança procede de Deus (Rm 13:1).

5 comentários:

  1. 1 - Quando suportamos as broncas, calados, por considerar que a voz do Pastor era a voz de um profeta a quem não cabia questionamento, e uma vez respondendo somos considerados “rebeldes”, “fora da visão do reino”, parecendo ao membro inapropriado o questionamento de ordens e ainda, assistindo a cumplicidade entre os funcionários (obreiros);
    2 – Quando somos inicialmente amados por eles e de uma hora para outra passamos a ser desprezados acontece o tratamento diferenciado, ou seja, a acepção de pessoas;
    3 – Existe um determinado projeto na igreja. O Pastor em uma espécie de chantagem alega que quando coisas ruins acontecem é porque pessoas queriam sair do projeto;
    4 – Alegam ter a voz de Deus enquanto a leitura das escrituras não a são;
    5 – Pessoas que caem são humilhadas publicamente diante da congregação;
    6 – Aterrorizam membros (pregadores destemperamentados);
    7 – Pastores que recebem continuamente bens valiosos por terem ajudado pessoas combalidas por problemas gravíssimos, sem limites éticos nesses recebimentos de doações;
    8 – A liderança autoritária e legalista procura o membro carente e vulnerável;
    9 – Não apazigua as ovelhas, não fortalece as fracas, não procura as desgarradas (Ezequiel 34.5,6);
    10 – Costumam afirmar “vou prestar contas a Deus pelo que fizer a vocês”, como quem assumisse o peso dos erros ou as recompensas pelos acertos de toda a congregação;
    11 – Não há limites saudáveis para intromissão na vida dos membros. Por exemplo:
    Diz uma membra: “__Com quem vou casar? ”
    Responde o Pastor: “__ Com João. ”
    O pastor não descreve o caráter do homem que deve se casar a luz da Bíblia, aponta e fala que é de Deus e no futuro vem as respectivas frustrações da irmã da igreja;
    12 – O pastor autoritário distorce seu papel verdadeiro;
    13 – Gostam de serem tratados como profetas do passado, com reverência intocável;
    14 – Gostam de serem bajulados e idolatrados; Enquanto a Bíblia que se vangloriar pela própria boca é vergonha.
    cont..

    ResponderExcluir
  2. 15 – Elogia um obreiro em público e outro humilha;
    16 – Faz voto de pobreza mas gosta de se servir em mesa regalada;
    17 – Liderança baseada no carisma e não na integridade moral;
    18 – Não se importa se o excesso de atividades impostas na igreja vão provocar rupturas familiares devido essa devoção ao respectivo líder;
    19 – Gostam que os membros tenham medo deles; Enquanto o perfeito amor lança fora todo medo. Não tem relação de afeto, amizade, de solidariedade;
    20 – Utilizam a frase “sou a cobertura espiritual da igreja” para poderem controlar os que estão sob suas tutelas, ou seja, se de fato existe uma cobertura, essa é a do amor de Deus e essa, não a consideram;
    21 – Quer sempre a glória por um determinado milagre;
    22 - Os projetos, programas são mais importantes que as pessoas. As pessoas passam a ser peões a serviço de um programa;
    23 – Sinais de ostentação e vaidade, de riqueza e mudanças comportamentais do líder à medida que o ministério se expande e que sua representação vai crescendo;
    24 – São geralmente triunfalistas; tentam garantir aos seus fiéis que nada de mal vá acontecer aos seus fiéis; Ao se depararem com um mal em um membro, gostam de culpar o Diabo e dizem ainda estar o irmão em pecado;
    25 – Não prestam contas a ninguém, tomam decisões sozinhos em questões financeiras e doutrinárias, acabando por tirarem das pessoas a oportunidade de funcionarem como um corpo;
    26 – Fazem leitura da Bíblia para atenderem eles mesmos, aplicação hábil de muitos textos fora do contexto. Usam textos bíblicos que vão ajuda-los a levantar dinheiro;
    27 – A relação dos fiéis com esses líderes se dão pela emoção e não no campo da reflexão; mensagens de sucesso, motivação e autoajuda;
    28 – Na hora de orientar mulheres que sofreram violência doméstica não sabem lidar; A ovelha agredida procura o gabinete pastoral e ouve aquela conhecida passagem que diz que a mulher deve submeter-se ao marido. Elas ficam confusa, sente-se desamparada, em conflito. Pastores que ignoram o código civil. O mesmo que eles usam, quando exigem que um casal se case “segundo a lei dos homens.” Sabem de cor o mandamento que fala da necessidade de submissão feminina ao “cabeça” da família. Reforçam um Deus legalista.

    ResponderExcluir
  3. COMO IDENTIFICAR QUALQUER COISA MENOS UM LÍDER


    A Paz do Senhor aos professores de EBD,

    O convívio dos membros com um Líder que apresenta abuso de poder acarreta consequências não só para os membros de uma determinada congregação mas também às suas famílias respectivas. Que esse apanhado de constatações possa servir de parâmetro a não ser seguido por líderes eclesiásticos e subsidiar cada lição da revista, lembrando que os que realmente “velam por nossas almas” (Hebreus 13.17) existem e são instrumentos de Deus para o corpo. A sujeição é um princípio importante, demonstrada no cumprimento da história da redenção em que o Filho se sujeitou à vontade do Pai. Deus não quer anarquia no meio de seu povo. Mas não quer e adverte da obediência cega.

    “O que acontecerá quando morrermos se estivermos adorando ao Deus errado todo esse tempo? Será que Ele nos dirá: ‘bem, o que passou passou, vamos esquecer o passado’?” (Michael Horton)

    “também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias...”
    (2 Pedro 2.4)

    Um líder tem coragem de apontar o pecado no meio do povo sem medo da repreensão popular ou medo da impopularidade;
    Um líder não manipula a Palavra de Deus segundo seu próprio entendimento, fazendo pouco caso dela;
    Um líder não impõe escravidão religiosa através de prosperidade adquirida por sacrifícios;
    Um líder não prega ego, não fazem questão de ganharem as somas mais absurdas de dinheiro em troca de uma noite de pregação carnal, histérica, manipuladora, idólatra, mentirosa, fraca, sem unção, com técnicas psicológicas de autoajuda, romantismo exagerado;
    Um líder não permite venda de indulgências e amuletos religiosos que servem tão somente para fonte de enriquecimento ilícito dos pregadores da prosperidade e da superstição;
    Um verdadeiro líder não fica extorquindo ofertas sem limites, por meio de uma série de mensagens sem uma mínima fundamentação teológica;
    Um líder não deixa que permeie a falsa ética no alto clero;
    Um líder não tem vaidades nos púlpitos;
    Um líder não tem tolerância em relação aos costumes mundanos dentro da igreja;
    Um líder toma uma decisão e posição com relação a pontos de vista controversos (heresias);
    Líder não se envolve em escândalos financeiros e absurdas artimanhas politiqueiras para benefícios duvidosos;
    Um líder não se envolve direta ou indiretamente com o ecumenismo, trazendo ritos pagãos, doutrinas de demônios, regras humanistas, legalismo, idolatria, e formas religiosas contrárias à Fé cristã para o seio evangélico;
    Um líder não nega uma vida simples, trabalha por baixos salários e possuem através de suas vidas, a simplicidade que há em Cristo;
    Um líder não realiza arrecadação desordenada de dinheiro nas chamadas campanhas de prosperidade;

    ResponderExcluir
  4. Em Mateus 23 Jesus critica duramente a falsa religião, em especial a falsa liderança religiosa. Foi a liderança farisaica que afastou Israel de Jesus, mantendo Israel fora do reino de Deus que estava irrompendo por intermédio de Jesus.
    1 – Os fariseus controlavam quem entrava ou não nas sinagogas estabelecendo um código de pureza. Jesus deixou todos, prostitutas e coletores de impostos. Hoje líderes estabelecem desempenho religioso ao invés de fé; Jesus se importava mais com as pessoas do que com a religião;
    2 - A “cadeira de Moisés” Mateus 23.2 funcionava quase do mesmo modo que os títulos de liderança, graus acadêmicos
    3 – Líderes abusivos então reivindicam autoridade baseada em posição, título, grau acadêmico ou cargo sendo que a punica autoridade que Deus reconhece e a qual nós devemos se submeter é a verdade.
    4 – A verdade, pregadores não podem estar acima da Palavra de Deus. “Qualquer declaração de que se tem autoridade divina para comandar, esperar, revelar ou dirigir de forma não estabelecida nas páginas das escrituras é característica de um tirano espiritual e farisaico” (Michael Horton);
    5 – A noção de cobertura espiritual é um outro tipo de doutrina falsa, não tem base bíblica. Mateus 18, 23.8-12, 1 Coríntios 12.14-26 desmentem isso;
    6 – O que tem verdadeira autoridade deverá servir como escravo (Mateus 20.24-28);
    7 – Hebreus 13.17 não é obediência cega. Membros não podem ser coagidos ou envergonhados para que se submetam a qualquer líder.
    8 – Deus não julga pastores por habilidades administrativas. Em Ezequiel 34.2-5, Deus culpou os líderes de Israel por não fortalecerem o fraco e não curarem o enfermo. Usam a ovelha ao invés de servirem a elas;
    9 – Tradição dos Anciãos – preceitos de homens (Mateus 15.1-4); líderes que focalizam as tradições humanas torna o abuso espiritual mais provável;
    10 – Jesus não previu seus discípulos para que tivessem cuidado com o fermento das prostitutas e dos coletores de impostos – os de baixo nível moral daqueles dias. O mal deles era óbvio, é claro, e, portanto, relativamente inofensivo. O verdadeiro perigo é a mentira religiosa de boa aparência misturadas em um copo de verdades faladas por uma pessoa de respeito. Em Mateus 16.6-12, Jesus nos exorta a termos cuidado com aqueles que se apresentam como autoridades religiosas.

    ResponderExcluir
  5. Que alegria é poder ter ajuda em nosso trabalho. Deus o abençoe, amado. Já há alguns meses que podemos receber seus textos e estudos, que são de excelente nível.

    Shalom

    ResponderExcluir

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho