domingo, 24 de agosto de 2014

EBD Editora Betel - Orientações Bíblicas para Delegação de Poderes

Super-Treinamento de Liderança



Acesse e avalie o empreendimento
Inscreva-se e divulgue aos seus amigos



Assembleia de Deus CONAMAD
Lição 09 – 31 de agosto de 2014
Revistaebd Revista escola bíblica dominical editora betel conamad Passagem bíblica trecho bíblico bíblia como estudar teologia bíblia escola dominical escola dominical betel escola biblica betel escola bíblica betel escola dominical conamad auxilio professor ajuda professor subsídio professor auxílio professor subsidio comentario ebd comentário bíblico ebd professor mestre comentário biblico escola dominical comentario biblico escola bíblica comentario bíblico pregação pregador palestra estudo bíblico bíblico

Já são 16:45h de domingo... Terminaremos (infelizmente) mais tarde. Ore por nós.

R.S. Costa

Ferramentario do Trimestre

Clique aqui e leia nossa lista de estudos, artigos, apostilas, teses e dissertações que irão te dar bases bíblicas ministeriais, acadêmicas, humanísticas e técnicas poder periciar as lições deste trimestre. Leia, releia, anote e assista aos vídeos tantas vezes quantas forem necessárias. Tente ler todos os livros indicados (ao menos os examinem).

Texto Áureo

“Escolheu Moisés homens capazes, de todo o Israel, e os constituiu por cabeças sobre o povo: chefes de mil, chefes de cem, chefes de cinquenta e chefes de dez”. Ex 18:25

Chefes de mil. É melhor aceitar isto como significando "mil famílias" e não indivíduos, seguindo assim a natural divisão tribal. Driver acha isto impraticável, porque um homem ficaria sujeito a quatro juizes diferentes (Cambridge Bible). Mas presume-se que estas diferentes categorias funcionariam como tribunais superiores e inferiores. A maioria dos problemas seriam resolvidos, como em nosso próprio sistema, pelo tribunal inferior, pelos "chefes de dez".
Moisés atendeu. Moisés tem sido criticado por esta atitude. Contudo, Jetro condicionou seu conselho com, "se assim Deus to mandar"; e podemos deduzir que Moisés consultou o Senhor. Além disso, não há registro de que Deus tivesse repreendido Moisés. Em Dt. 1:15 Moisés explica como os juizes foram escolhidos dentre os líderes, sábios e conhecidos, nas diversas tribos.

                Comentário Bíblico Moody

Verdade Aplicada

Uma das maiores lições que um líder precisa aprender é que ninguém pode fazer tudo sozinho.

Objetivos da Lição

Compreender a importância de se delegar poderes;
Mostrar que um líder não é um fim em si mesmo, por isso, deve delegar;
Orientações como deve agir um líder antes de delegar poderes.

Textos de Referência

Ex 18.14-19


Introdução

Não importa quão excelente seja um líder, a unidade é tudo em um ministério aprovado. Uma das maiores lições que um líder precisa aprender é que ninguém pode fazer tudo sozinho. Do mesmo modo que uma equipe necessita de bons jogadores para ganhar, uma organização também necessita de bons líderes para alcançar êxito.

“Ninguém será grande líder se quiser fazer tudo sozinho, ou ter todos os louros por o ter feito.” (Andrew Carnegie)

Quantas vezes isso já não aconteceu com um líder? Estar tão próximo à sua equipe, mas ao mesmo tempo, quase sem perceber, tão distante? Esse comportamento combina com uma visão de dirigente que dia-a-dia se torna ultrapassada. Ainda existe, mas o discurso do qual tanto se faz uso hoje, de valorizar o trabalho em equipe, deve ganhar maior território.
Pessoas que têm talento para liderar, em geral, trazem consigo uma formação sólida, currículo repleto de cursos, pós-graduações e MBA’s. Basta?  É um currículo excelente, mas lidar com seres humanos requer muito mais do que estratégias e fórmulas.
Sabe-se que é maioria os executivos que ainda não encontraram um caminho eficaz de se comunicar com a sua equipe. Consideram-se auto-suficientes, mas parecem não enxergar que antes mesmo de um chefe, são integrantes de uma equipe. Julgam-se insubstituíveis, querem resultados rápidos e acham que ensinar seus subordinados é perder tempo. Afinal, quem quer saber sobre as fraquezas de um líder? Ele dirige a sua equipe com pulso forte, é decidido, parece ser inabalável. É essa a idéia que todos fazem de um líder. Mas, agora, os conceitos estão se modificando.

Seja um Líder que Faz Parte da Equipe – Leila Navarro



1. O ato de delegar

Já imaginou um jogador que bate o escanteio e ao mesmo tempo corre para cabecear a bola? Impossível não é? Ele jamais daria conta de fazer as duas coisas ao mesmo tempo. Assim estava Moisés, solitário, prestando assistência ao povo, desde a manhã até o pôr do sol (Ex 18.14). Uma fila enorme de pessoas para atender e responder às suas necessidades, sem ter sequer um auxiliar. Jetro, seu sogro, observou que não era bom o que Moisés fazia, e teve a preocupação, e a ousadia de lhe dizer que era incorreto. Jetro, sem dúvida, demonstrou um tino especial para liderança, apontando-lhe a solução, o ato de delegar.

A Carga Pesada de Moisés

Nenhum grupo de pessoas pode viver junto sem leis e arbitragem. A lei de Moisés foi dada por Deus e representava o Seu caráter santo. Neste momento, Moisés levava a carga de tratar dos problemas de ordem legal de aproximadamente dois milhões de pessoas. Sem dúvida era uma carga esmagadora.

O Conselho de Jetro

Jetro propôs uma distribuição de tarefas. Os homens foram colocados em diferentes níveis terminando com aquele que julgava sobre dez famílias. Isto de alguma maneira se assemelha com nosso sistema judiciário que possui várias cortes de apelo. Em tudo isso Jetro revelou-se um homem muito sábio. Vamos fazer algumas considerações:
Jetro reconheceu que o sistema utilizado até então, iria muito em breve oprimir Moisés e frustrar o povo que ficaria cansado de esperar sua vez. Mesmo nos Estados Unidos, os Americanos falam do direito a um "julgamento ligeiro".
Jetro reconheceu a posição de Moisés como sendo única, pois ele recebera a Lei de Deus (versículo 19) e então se tornara a autoridade final em questões legais (versículo 22).
Jetro reconheceu a necessidade dos juízes e também do povo ser ensinado na Lei de Deus (versículos 19-20). A Civilização precisa ter cidadãos que conheçam o conteúdo e as razões por detrás das leis dela. Na medida em que a nossa nação dá as costas para Deus, ela está menosprezando a Autoridade Divina das suas leis, convidando assim a Anarquia.
Jetro reconhecia que seu plano só poderia ser implementado se Deus permitisse (versículo 23).

O Livro de Êxodo – Ron Crisp


1.1 O que é delegar

DELEGAR = dar autoridade e responsabilidade as pessoas que trabalham ao seu lado, para que elas possam, então, desenvolver determinada atividade ou um projeto, ou parte deles, exatamente conforme você solicitou para que atinja aquele objetivo. (www. batistafluminense.org.br)

A finalidade da delegação

O ato de delegar, colocado de modo simples, envolve a designação, por uma pessoa a outra, de uma tarefa ou projeto específico e o compromisso daquela que recebeu a incumbência de concluir a tarefa ou o projeto. É uma das mais importantes habilidades que um gerente bem-sucedido pode demonstrar, porém freqüentemente negligenciada ou despercebida por gerentes "sobrecarregados."
Quando você delega, não somente transfere responsabilidade para outra pessoa, mas também a obrigação de prestar contas pela manutenção dos padrões estabelecidos.

Os benefícios de delegar

A delegação eficaz pode produzir para você, sua equipe e sua organização benefícios de curto e longo prazos. Ao delegar, você poderá reduzir sua carga de trabalho e o nível de estresse, removendo de sua lista diária de tarefas aquilo que outros estão qualificados a fazer. Isso lhe proporcionará mais tempo disponível para focar em projetos que exigem suas habilidades e autoridade em particular, bem como em tarefas de maior importância, como planejamento de longo prazo e desenvolvimento de diretrizes.

Benefícios da delegação

Para você - Aperfeiçoa o nível de confiança e comunicação entre você e sua equipe. Alcança metas que exigem esforço cooperativo do grupo.

Para sua equipe- Possibilita que membros da equipe aprimorem habilidades atuais e desenvolvam outras novas. Aumenta a motivação e proporciona aos membros de sua equipe um importante sentimento de realização.

Para sua organização - Economiza dinheiro para a organização, ao assegurar que as tarefas são designadas às pessoas certas e nos níveis corretos. Aumenta a produtividade e a eficiência geral, ao fazer melhor uso dos recursos organizacionais.

O que dificulta o ato de delegar?

A delegação faz com que alguns gerentes fiquem inquietos. Eles sentem medo de perder o controle sobre sua equipe e seus projetos, e ficam preocupados em estar abdicando de responsabilidades. Algumas vezes, eles simplesmente acreditam que é mais produtivo quando eles mesmos realizam uma tarefa. A longo prazo, no entanto, esses temores são raramente justificados.

O que é Delegar? - portal.cjf.jus.br


Continua...

1.2 Clareza de objetivos na delegação

Confira as dicas fornecidas por Patricia Atui para que a prática de delegar se torne mais fácil e eficiente para os gestores:
• Certifique-se quanto a sua equipe pode dar conta;
• Assegure-se que a pessoa compreende o que deve ser feito (delegue, não abdique);
• Defina o que deve ser feito;
• Sistematize (escreva de forma clara o que deve ser feito);
• Explique porque deve ser feito;
• Ensine como deve ser feito sem micro gerenciar;
• Tenha certeza de que a pessoa entendeu o processo;
• Determine datas para acompanhar o progresso do trabalho;
• Certifique-se de que há um acordo na data ou prazo.

Líder: Não faça tudo sozinho - Renata Silva


Continua...

1.3 Cuidados no ato de delegar

Em um glossário informal de recursos humanos (RH), o termo ganha um antônimo: "delargar" — usado para definir a atitude do líder ou gestor que, justamente, não sabe como "transmitir poderes" de maneira adequada. E entre o chefe que sabe fazer isso e o "delargador" existe ainda o centralizador, que toma para si todas as tarefas. Especialistas em carreira e RH são unânimes em dizer que a liderança é melhor exercida na medida em que o indivíduo enxerga a importância de delegar e passa a exercê-la diariamente e na dose certa com sua equipe — o que nem sempre é tarefa fácil.
— Dificilmente as pessoas têm oportunidade de aprender essas habilidades em cursos ou universidades e cada profissional acaba dando uma solução segundo sua personalidade, o que nem sempre é o melhor — explica Pablo Aversa, especialista em carreiras e sócio-fundador da Alliance Coaching.
Quer dizer, para Aversa, nem sempre o gestor consegue perceber que administra a equipe baseado apenas em sua intuição:
— As pessoas são muito pressionadas pela agenda, estão sempre fazendo várias coisas ao mesmo tempo, e, por isso, acabam não delegando qualitativamente. Delargar é uma tendência fácil de se encontrar nas organizações atualmente.
Mas a "delargação" pode acontecer inclusive de forma deliberada. Quando, por exemplo, o gestor larga as tarefas nas mãos dos outros apenas para ter mais tempo para si próprio. Ou pior: quando ele usa a técnica de "delargar" para produzir um álibi para demitir algum funcionário.

Delegar Poder se Confunde com o que o Mercado Chama de Delargar – Maíra Amorim

Note que o Senhor Jesus foi criterioso ao enviar seus discípulos representantes. Além de instruí-los Ele os enviou aos pares, pois a solidão é desagradável e traz consigo as suas tentações. E mesmo dentro desses pares, Jesus também utilizou critérios ligados ao temperamento, afinidade e aptidão de cada um. Observe atentamente como ficou estabelecidos os pares: Simão Pedro e André,esses dois eram irmãos; Tiago e João, ambos filhos de Zebedeu; Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o publicano; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu; Simão, o Zelote, e Judas Iscariotes, que traiu Jesus. Note, por exemplo, que Simão, o Zelote e Judas, o Iscariotes, eram pessoas que tinham ambições e diálogo mais político.

Gestão de Pessoas (Curso CAO/SAÚDE – Polícia Militar de Pernambuco)

Continua...


2. Por que alguns não delegam

Como já sabemos, numa administração, se alguém deixar de delegar ou delegar negligentemente isso acarretará prejuízo a todos. Em muitos casos, a sucessão só acontece quando alguns líderes já não suportam mais, estão em desespero, ou à beira da morte. Vejamos alguns motivos que podem impedir a delegação:

Por que alguns não delegam?

Alguns pensamentos prevalecem na mente daqueles que relutam em delegar.

- A atividade não será executada conforme o meu desejo.
- Será mais rápido eu realizar sozinho do que treinar uma pessoa.
- Se eu delegar as pessoas perderão o respeito por mim.
- Não adiantará delegar, as pessoas não tem compromisso.
- Ganho para fazer e não para delegar.
- Não confio nas pessoas.

Will Varner declarou: “O bom líder não tem medo de delegar trabalho. Se não delega, ou é porque sofre da necessidade de agarrar ao poder, ou porque não consegue confiar nos outros. Dessa forma, as tarefas necessárias não são realizadas, e as pessoas que as poderiam ter feito ficam entediadas e se sentem inúteis”.

Delegando Tarefas – batistafluminense.org.br


2.1 A insegurança impede a progressão

Um dos ruídos da Comunicação é a Insegurança.
O medo de errar, de não ser capaz, de não ter feito uma boa escolha, e de não ser aceito acomete a muitos em nossos dias.
Quando alguém não tem uma boa imagem de si, tudo parece conspirar contra, como uma roda gigante que gira, gira, mas para sempre no mesmo lugar.
Desistir e fracassar são adjetivos que fazem parte dos dias do inseguro. Ele não confia nas suas habilidades e não se vê capaz de enfrentar os desafios da vida, colocando-se como um refém dos dias, do chefe e das circunstâncias que não correm a seu favor. Acredita que a Lei de Murphy foi criada para ele.
Essa vilã atroz limita talentos e atrapalha o desenvolvimento do profissional. O Sentimento de Inferioridade se agrava quando o profissional se esquiva de situações complexas, evitando enfrentá-las.

A Inseguranca Impede seu Desenvolvimento Pessoal e Profissional – blog.passadori.com.br

Medo nas organizações

A pressão por mudanças profundas e contínuas nas organizações tem gerado mais crises e perdas do que ganhos e oportunidades. Em grande parte, isto é conseqüência do medo que contamina o relacionamento entre aqueles que dirigem as empresas e seus subordinados. Líderes que não sabem se relacionar e se comunicar de forma aberta e transparente, que não confiam, têm necessidade de controlar e monitorar o comportamento de seus subordinados para obterem aquilo que desejam. Eles têm medo de delegar e compartilhar o poder, demonstram aversão ao risco e não permitem que as pessoas tenham idéias próprias. Nas empresas dominadas por falsos líderes (líderes dominados pelo medo) existe um temor generalizado de tomar decisões, o que faz com que as pessoas adiem ou transfiram esta responsabilidade.
Nestas empresas não se devem levar a sério palavras como "participação", "transparência" ou "trabalho em equipe", pois a personalidade do líder autoritário sente-se ameaçada por relacionamentos baseados na confiança. Não é por acaso que nas empresas em que os relacionamentos são motivados pelo medo, observa-se um baixo nível de integridade no comportamento das pessoas - em outras palavras, existe uma grande distância entre discurso e prática.

Do Medo à Confiança: Como realizar-se no Trabalho –  plenitudeonline.com.br

Moisés já estava consolidado como líder, seu problema não era insegurança, era inexperiência. Jetro aparece com conselhos sábios visando o crescimento de missão de Moisés. Se Moisés continuasse daquele jeito o rumo de sua liderança seria complicado, cansativo e deprimente. Muitos não encarregam outros, porque são inseguros. Afinal, delegar é transmitir e investir alguém de poderes que antes se encontravam-se apenas em sua mão. O medo de repartir autoridade pode ser tão grande que muitos preferem afundar a organização em vez de liderar com outros.


2.2 Perfeccionistas e centralizadores

Podemos ver líderes em praticamente todos os ambientes: em grupos escolares, no trabalho, dentro de algumas estruturas familiares, etc. Mas, afinal, o que separa um bom líder de um ruim? Em muitas situações, o exercício da liderança pode ser atrapalhado por uma característica presente em muitas pessoas: o Perfeccionismo.
Líderes perfeccionistas são capazes de encontrar características (que eles consideram erros) em diversos trabalhos, atrapalhando o rendimento da equipe. É claro que fazer um trabalho o mais perfeito possível é ótimo, mas também é necessário entender que não existem trabalhos completamente impecáveis e que todos nós estamos sujeitos a cometer enganos.
O Perfeccionismo também leva muitos líderes a questionarem suas próprias competências quando algo dá errado, lembrando-se sempre das falhas ao invés de os sucessos.

Veja como o Perfeccionismo pode Atrapalhar a sua Liderança - Universia Brasil

Liderança Autocrática

Neste tipo de liderança, o líder procura fazer tudo sozinho. Ele não abre espaço para ninguém, não confia nas outras pessoas, não deixa que outros se desenvolvam. O líder autocrático é possuidor de uma liderança centralizadora. Ele é um verdadeiro ditador, comando o grupo só pensando em si mesmo, não aceita ideias do grupo, é tirano, déspota, subestima e diminui o grupo. Considera-se o melhor de todos. Geralmente este tipo de líder acaba sozinho no seu sistema ditatorial. Além de não dar espaço para novos lideres, é extremamente exigente. E tem seu foco nos resultados e não nas pessoas. Exemplo de líderes autocrático: Adolf Hitler, Hugo Chaves, Acabe, Jezabel.

Estilos de Liderança – Eder William


2.3 Líderes controladores

O Líder Controlador

Enfim, chegamos ao último de nossa lista – ao líder Controlador. Ninguém deseja seguir um líder que está sempre à sua porta, seguindo seus passos, supervisionando seu trabalho, investigando sua vida e querendo lhes impor submissão exacerbada e liderança debelatória. Assim age esse tipo de líder.
Muitos confundem a arte de liderar com o poder de controlar pessoas. Liderar, nas palavras de George Barna (2002, p. 7), é: “o processo de motivar, mobilizar, dar recursos e dirigir as pessoas a buscar, de modo entusiástico e estratégico, a visão de Deus que um grupo adota em conjunto.” Ao contrário dos líderes controladores, que ao apresentar uma tarefa, controla, supervisiona, corrigi, e reavalia todo o processo sem deixar que o membro que irá realizar, faça de modo pessoal. Acham que só eles podem executar tal tarefa com perfeição, subestimando a capacidade de seus liderados. O pastor de uma igreja local não deve assumir tarefas em todos os cargos, visto ser sua função de liderar; mas também não o impede de ser ativo em todas as áreas da igreja.
O papel executivo nos departamentos é dos membros e o pastor delegará tarefas, evitando a convergência para si, como se não houvesse pessoas capazes em fazê-las; embora em algumas igrejas pequenas isso se torne inevitável, pelo fato dos membros não terem sido treinados com oportunidades que os capacitassem para determinadas tarefas – consequência de líderes que já passaram nessas igrejas e não investiram na formação pessoal, achando que seus liderados não sabiam executar tarefas tão bem quanto eles próprios, ou mesmo tinha insegurança em sua liderança, temendo serem superados por seus membros, que tinham potencial para desempenharem tarefas importantes na congregação.

Os Sete Tipos de Líderes Que Ninguém Deseja Seguir – Cícero Araújo

Diótrefes era uma pessoa que influenciava negativamente os outros – v. 10b.
Ele não apenas não acolhia João, mas também não acolhia as pessoas ligadas a João e além disso, ele impedia que os outros membros da igreja acolhessem os enviados pelo apóstolo João. Sua influência é para o mal. Ele exerce a sua autoridade de forma doentia, usando a arma da intimidação. Exemplo: Saul matou 85 sacerdotes em Nobe e mandou matar os homens, as mulheres e as crianças simplesmente porque eles receberam Davi na cidade.
Diótrefes era um líder controlador, manipulador, ditador. Ele quer controlar a vida das pessoas e impor a elas sua vontade autoritária.
A mesma Bíblia que nos exorta a não ter comunhão com descrentes (2 Co 6:14-16), com hereges (Rm 16:16-19), nos ensina a acolher uns aos outros (3 Jo 8).
Diótrefes exercia a sua autoridade para punir aqueles que discordavam com ele – v. 10c
“… e os expulsa da igreja”. Diótrefes não tinha nem autoridade nem base bíblica para expulsar as pessoas da igreja. A disciplina que ele praticava era abusiva. As pessoas eram disciplinadas não porque haviam desobecido a Palavra de Deus, mas porque haviam desobedecido uma ordem autoritária dele.
A Disciplina Bíblica não é uma arma nas mãos de um ditador para proteger-se a si mesmo. A Disciplina é uma ferramenta para uma congregação usar para promover a pureza e glorificar a Deus. A Igreja não é uma delegacia. Ela não trata as pessoas com chibata. A Disciplina deve ser exercida com amor.

Quem é quem Dentro da Igreja de Cristo – Hernandes Dias Lopes



3. Delegando poderes

A Visão de Reino é diferente de uma visão particular. Quando se pensa no Reino, se é capaz de viver acima dos caprichos e da ignorância. Um líder centrado sabe que, para o crescimento e expansão do Reino, é preciso que surjam novos líderes e novas ideias. É claro que isso deve ser visto com cuidado e se promova outros líderes com critérios. Observemos o conselho de Jetro, ele pode em muito nos instruir.

Mas quem não deixa de notar a má administração por parte da liderança é a equipe que, ora pode estar sobrecarregada — caso seja liderada por um "delargador" — ora subutilizada — quando é chefiada por centralizadores. Quando o líder sabe delegar, os funcionários se sentem motivados.
— Uma equipe que seja muito capaz acaba minimizando ou até neutralizando a incapacidade do chefe. O problema é que um chefe medíocre procura se rodear de pessoas do mesmo nível que ele, então isso é difícil de acontecer. Bons líderes selecionam pessoas do nível dele ou melhores — defende Aversa, da Alliance Coaching.
O fato é que hoje uma das habilidades mais valorizadas nos bons líderes é sua capacidade de negociação, que está diretamente ligada à delegação de poderes. Além disso, as empresas buscam, cada vez mais, gestores que saibam preparar sucessores, em função do cenário de apagão de líderes e talentos que vem sendo enfrentado.
Para delegar bem, é preciso perceber o valor que isso tem dentro da cadeia produtiva da organização. E algumas empresas já percebem que as pessoas mais qualificadas são as que sabem preparar os outros.

Delegar Poder se Confunde com o que o Mercado Chama de Delargar – Maíra Amorim


3.1 “Procure homens” (capazes, tementes, de verdade)

Embora a administração tenha adquirido maior destaque e prestígio após as obras realizadas pelos estudiosos da Escola Clássica da Administração, ela é uma prática que existe desde os primeiros agrupamentos humanos. Kun (2003) apresenta um curioso exemplo:
“A Bíblia relata que Moisés estava passando o dia cuidando de pequenas causas que o povo lhe trazia. Então Jetro recomendou: Procure homens capazes para serem líderes de 10, 100 e 1.000. Este conselho foi dado a Moisés cerca de 3.500 anos atrás. É tão antigo e continua atual.”
Assim, torna-se possível perceber que a administração acompanha a sociedade desde seus primórdios e que a única novidade encontrada na área consiste na sistematização dos seus conceitos e na maior complexidade que atingiu devido ao advento das revoluções tecno-científicas e da globalização, que diminui as fronteiras globais, interligando tudo e todos.

Administração: Conquistando e ocupando seu espaço – Petiana e Jéssica Alves Maciel

Jetro aconselhou que Moisés procurasse homens para tratarem das questões legais do povo. Executar tal função exigia pessoas adequadas para isto. O tino excelente de Jetro o fez dizer: “procure homens...”. Ter olhar investigativo e observador, firmado na experiência e sabedoria, faz identificar a pessoa adequada para a função auxiliar. Conforma e capacidade (alcance de liderança) haveria chefes de mil, cem, cinquenta, e dez. Além da aptidão precisavam ser homens de caráter aprovado: tementes, pessoas de verdade e que aborrecessem a avareza. São ítens de critério aplicáveis na maioria das organizações e principalmente nas igrejas.
A escolha deve ter um foco e também preencher alguns requisitos. Se desejamos ver qualidade em nossas organizações, devemos passar o bastão para aqueles que além de qualificações especiais, possuam também a visão de dar continuidade.

Nota: Lemos na revista “Moisés os deveria preparar”. Temos a ciência que o aprendizado é contínuo para haver evolução, reciclagem e desenvolvimento. Mas, se Jetro disse “homens capazes”, concluimos já estarem aptos que Moisés deveria continuar mentoreando, ensinando e não que deveria preparar. Seria um contra-senso.


Continua...

3.2 “Ponha-os por chefes”

Após a escolha, seguida a uma investidura pública (“põe por chefes... será assim mais fácil para ti, e eles levarão a carga contigo”). A investidura deve ser pública, para saber-se quem foram os escolhidos. Os acordos e ajustes podem ser privados. Esses seus legítimos representantes levariam a carga junto com ele. A ter título de líder não é tudo; necessita levar também a carga de seu líder maior e cumprir sua missão; amar o que se faz. Muitos são nomeados para o desempenho de funções em organizações ou equipes, mas nada fazem. São ostentadores de títulos de cargos designados e inoperantes.


Continua...

3.3 “Estes julgarão o povo”

Após o reconhecimento público estes homens cumpriram a sua missão: “julgaram o povo”. Isto nos ensina que eles atenderam as necessidades do povo (estas não deixaram de existir) e trabalhavam dia a dia. Aliviaram a carga de Moisés, suavizando-a. Muitos deles puderam realizar-se em seus encargos sendo úteis ao próximo. Veja quanta coisa boa acontece quando uma liderança ou administração delega poderes, divide responsabilidades - TODOS GANHAM!
Se para alguns é difícil delegar autoridade pense nos resultados e formule critérios. Aqui chamaremos de: as peneiras de Jetro: 1) Ensine, prepare liderados sempre, 2) Dentre os ensinados procure pessoas capazes, 3) Adeque o encargo ao potencial de liderança de cada um, 4) Faça uma investidura pública para que tanto sejam responsabilizados quanto honrados, 5) Acompanhe os resultados, mas deixe-os à vontade. Observe que não será tão difícil assim.

Continua...


Conclusão

O tempo de qualquer pessoa é precioso, mas principalmente quando se trata de um líder de uma organização eclesiástica. Por isso, ele deve se concentrar em buscar, treinar e empossar pessoas adequadas para essa organização, para aliviarem a sua carga. Ele não estará livre das decepções, todavia, encontrará grande realização juntamente com a sua equipe.


Fontes:

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/RV/NTLH
Liderança Cristã – Conhecendo os segredos da Liderança Eficaz (revista EBD professor) – Editora Betel – 3º Trimestre 2014 – Lição 09
O Líder que Deus Usa – Russell P. Shedd – Vida Nova
Cura e Edificação do Líder – Marcos de Souza Borges – Ed. JOCUM
Princípios para uma Boa Liderança – Cleverson de Abreu Faria (link)
Elementos Essenciais da Liderança: Visão, Influência e Caráter – Greg Ogden & Daniel Meyer – Ed. Vida
A Alegria de uma Família Cheia da Palavra (ebook)
Novo Dicionário da Bíblia – John Davis – Ed. Hagnos
Enciclopédia Ilúmina
O Antigo Testamento Interpretado – Norman Champlin – Hagnos
O Novo Comentário da Bíblia – F. Davidson – Vida Nova
Comentário Bíblico F. B. Meyer – F. B. Meyer – Ed. Betânia
Comentário Bíblico Matthew Henry (Conciso) – Matthew Henry – CPAD
Comentário Bíblico Moody – Editora Batista Regular
Comentário Bíblico Esperança NT – Editora Evangélica Esperança
Comentário Bíblico Efésios - Elienai Cabral – CPAD
Como Delegar Tarefas (link)
Delegar Poder se Confunde com o que o Mercado Chama de Delargar (link)
7 Tipos de Líderes que Ninguém Deseja Seguir (parte 1) (parte2) (parte 3)
Estilos de Liderança (link)


Bibliografia Indicada (estude mais)

O Poder de Delegar – Donna M. Genett – Ed. Best Seller
Empresas Brasileiras Temem Delegar Poder a Estrangeiros (link)
A Arte de Delegar: Uma prática necessária (link)


Questionário

1. O que é delegar poderes?
R. É o ato de transmitir poderes, de conferir a alguém representatividade.
2. Segundo o tópico 1.3 por que um líder precisa observar as qualidades de quem escolhe?
R. Porque o poder pode mudar a mentalidade de uma pessoa.
3. Como deveria ser, segundo o conselho de Jetro, a posição de chefia?
R. Conforme a capacidade de cada um.
4. Por que alguns não delegam autoridade a outros?
R. Porque se sentem inseguros, perfeccionistas e controladores.
5. Descreva uma vantagem em delegar poderes a outrem?

R. Homens se podem realizar, fazendo algo útil ao próximo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho