sábado, 6 de setembro de 2014

EBD Editora Betel - Pecados Capitais de uma Liderança

Super-Treinamento de Liderança



Acesse e avalie o empreendimento
Inscreva-se e divulgue aos seus amigos


Assembleia de Deus CONAMAD
Lição 11 – 14 de setembro de 2014
Revistaebd Revista escola bíblica dominical editora betel conamad Passagem bíblica trecho bíblico bíblia como estudar teologia bíblia escola dominical escola dominical betel escola biblica betel escola bíblica betel escola dominical conamad auxilio professor ajuda professor subsídio professor auxílio professor subsidio comentario ebd comentário bíblico ebd professor mestre comentário biblico escola dominical comentario biblico escola bíblica comentario bíblico pregação pregador palestra estudo bíblico bíblico

Olá, amado. Graça e Paz!

Estaremos terminando ainda hoje (sábado). Ore por nós e volte  aqui mais tarde.

R.S. Costa

Ferramentario do Trimestre

Clique aqui e leia nossa lista de estudos, artigos, apostilas, teses e dissertações que irão te dar bases bíblicas ministeriais, acadêmicas, humanísticas e técnicas poder periciar as lições deste trimestre. Leia, releia, anote e assista aos vídeos tantas vezes quantas forem necessárias. Tente ler todos os livros indicados (ao menos os examinem).

Texto Áureo

“Ai deles! Porque prosseguiram pelo caminho de Caim, e, movidos de ganância, se precipitaram no erro de Balaão, e pereceram na revolta de Corá”. Jd v.11

A sentença de fato já foi proferida, a saber, sobre Caim e Balaão e Corá, aos quais os sedutores da igreja se assemelham. Andam pelo caminho de Caim. Obviamente não mataram de fato nenhum irmão da igreja, mas se tornam “assassinos” de irmãos em um sentido muito diverso: seduzem para maus caminhos, privando os membros da igreja da vida eterna. Arrastam irmãos e irmãs para longe da verdadeira salvação na cruz de Jesus, confundindo sua fé por meio de discursos inteligentes e superiores. Disputas e cisões na igreja causam tribulação a muitos. Ou Judas podia opinar como o apóstolo João: “Todo aquele que odeia seu irmão é assassino” (1Jo 3.15). Os inovadores podiam expressar livremente seu desprezo e seu ódio contra aqueles que lhes resistiam na igreja.
Também na missiva a Pérgamo (Ap 2.14) “Balaão” é o “typos” de um falso profeta cuja sedução é tão perigosa porque a princípio de fato era um homem “a quem foram abertos os olhos” (Nm 24.3). Que gloriosa verdade ele pronunciou sobre Israel! Mas então não deseja perder a recompensa, a recompensa tilintante que Balaque lhe oferecera, e por isso “ensinou” Balaque a seduzir os filhos de Israel, de modo que estes comeram carne ofertada a ídolos e “praticaram devassidão” (Ap 2.14). Judas julga que os hereges se entregaram inteiramente ao engano de Balaão por causa de recompensa. Porventura “engano” deve ser entendido de forma ativa ou passiva? Será que os desencaminhadores se deixam enganar como Balaão ou agem eles mesmos de forma enganosa e enganadora como ele? Provavelmente esta segunda é a idéia implícita, visto que também Balaão agiu exatamente como enganador ardiloso.

Comentário Esperança – Werner de Boor

Verdade Aplicada

A vigilância e a prudência são ingredientes essenciais na vida de todo aquele que milita na obra do Senhor.

Objetivos da Lição

Apontar alguns tipos de pecados principais ligados à liderança;
Descrever concisamente as consequências principais desses pecados;
Oferecer uma chance para uma constante autoanálise.

Textos de Referência

Ne 5.14-17


Introdução

A definição básica de pecado no grego é “hamartia”, e significa: “errar o alvo”. Pecar é desvincular-se do propósito original de Deus, que é alcançar determinado objetivo. Com o pecado não se brinca, e aquele que está ativo no exercício de liderança deve trabalhar preventivamente vigiando. Quem está sob a pressão da tentação deve se resguardar orando, resistindo ou até mesmo fugindo (I Co 6:18), dependendo da natureza da tentação. Portanto, é imprescindível conhecermos os principais pecados ligados à liderança e algumas de suas consequências.

Agora pode ser feita a clara solicitação: “Fugi da impureza!” Essa formulação é de grande significado prático. Diante das tentações na área sexual Paulo não convoca para “resistir”, nem para “lutar”, nem para reprimir e prostrar as inclinações perigosas. Só há um conselho possível: “Fugi!” E o mais rápida e decididamente possível. Aqui unicamente a “fuga” constitui a verdadeira coragem. Porém esse conselho grave e duro não é dado a partir de uma “lei” qualquer. É significativo que em todo o presente trecho o sexto mandamento não seja mencionado com palavra alguma. Não é com base num mandamento que Paulo fornece alguns preceitos legais que precisam ser obedecidos, mas é a essência e o significado do “corpo” que tornam a pureza sexual necessária. “Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer é fora do corpo; mas aquele que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo”.

Comentário Esperança – Werner de Boor



1. Pecados emocionais

Assim como alguém definiu que há virtudes ligadas à emoção tais como o amor, a alegria e a paz interior, há logicamente seus contrapontos e contrastes em sentido pecaminoso. Nossa lista está longe de ser perfeita, e até sabemos que todos os pecados têm algum peso emocional, mas destacaremos aqueles que precisam ser considerados no estudo desta lição.

“A palavra emoção traduz, em geral, à mente uma das seis emoções ditas primárias ou universais: Alegria, Tristeza, Medo, Cólera, Surpresa ou Aversão.(…)” Antônio Damásio, neurologista português

Função da Emoção:

A Emoção é extremamente importante, ela traz “cor” à Vida Humana, no entanto, jamais podemos nos deixar guiar por ela. As emoções se manifestam de muitas formas, entre elas: Amor, Ódio, Alegria, Tristeza, Pesar, Saudade, Desejo, etc.
Alguns exemplos de emoções:
Amor – 1Sm 18.1 “... e Jônatas o amou como à sua própria alma”. (ver também: Ct 1.7 e Sl 42.1) O Amor é algo que surge em nossas almas e isso confirma que dentro da alma existe uma função como a emoção.
Ódio – 2Sm 5.8 “Davi, naquele dia, mandou dizer: Todo o que está disposto a ferir os jebuseus suba pelo canal subterrâneo e fira os cegos e os coxos, a quem a alma de Davi aborrece”. (ver também: Ez 36.5) Expressões como: menosprezo, aborrecimento, desprezo, etc. significam ódio e, vemos que procedem da alma.
Alegria – Is 61.10 “Regozijar-me-ei muito no SENHOR, a minha alma se alegra no meu Deus”. Sl 86.4 “Alegra a alma do teu servo, porque a ti, Senhor, elevo a minha alma”. A alegria, segundo os textos citados é uma emoção da alma.

Alma, Espírito & Corpo – Elias R. Oliveira

É simplesmente assustador o número de pessoas que confundem entusiasmo com espiritualidade. Isso acontece porque Satanás opera fortemente sobre nossa alma manipulando quase que à vontade as nossas emoções. Deixar-se levar pelo que se sente e pelo que se vê leva a muita frustração e desânimo. Para que você possa entender a força das investidas de Satanás contra nós nessa área da nossa alma, vamos considerar primeiramente o caso do profeta Elias. Pelo que se vê Elias não era um servo “relaxado”, ao contrário era muito zeloso e mesmo diligente. Então, o que aconteceu com ele? Satanás venceu Elias quando  fez com que Elias olhasse para si mesmo, para seu grande zelo - só eu sou fiel...
Aquele que começa a trilhar esse caminho está destinado à derrota e à frustração. Mas vejamos o que Deus fez com o profeta, depois de lhe mostrar o seu poder e magnificência nos elementos da natureza: vento, terremoto e fogo.
Satanás agiu rapidamente contra Elias depois do grande triunfo no monte Carmelo porque Elias começara a ameaçar o esquema de trevas que o diabo organizara contra Israel, e Satanás tinha de removê-lo.
Como acabar com Elias? Os passos dados por Satanás são muito significativos:
1) Satanás fez com que Elias valorizasse sobremaneira seu próprio zelo, sua própria  importância;
2) Satanás fez com que Elias se sentisse só, e o único fiel;
3) Satanás ameaçou-o através de Jezabel, levando-o a sentir medo (“Temendo Elias”);
4) Satanás pressionou-o no sentido de providenciar, ele mesmo, sua própria “salvação” (o que Deus chamou no versículo 15 de “teu caminho”), ou seja, a fuga;
5) Satanás induziu-o a “eliminar-se” a si mesmo, “pediu para si a morte”.
Recapitulemos:
Orgulho
Solidão
Medo
Direção própria
Morte - desânimo fatal. 
Este é realmente um triste quadro, que culminou com a substituição de Elias por Eliseu. Mas devemos observar ainda o que Deus fez em relação a todo esse processo. Será que Deus deixou Elias lutar sozinho contra os ataques malignos? Não! claro que não!

A Alma Sob Controle - A Mente e As Emoções - www.casadosenhor.com.br


1.1 Soberba

Humildade vem da palavra “húmus” que significa terra fértil, solo sobre nós. É a qualidade das pessoas que se procuram manter com os “pés na terra”, no nível dos outros. Ninguém é pior ou melhor; todos estamos no mesmo nível, porque somente Deus está acima, por isso devemos manter dignidade, cordialidade, respeito, simplicidade e honestidade com todos, se quisermos alcançar a Deus. Humildade é assumir seus direitos e obrigações, erros e culpas sem resistir. Agir diferente disto é uma arrogância, e uma negação da sua origem.

Em elaboração

1.2 Mau humor

Em elaboração

1.3 Coração impiedoso

A vida é recíproca. Se nos relacionarmos bem com as pessoas, elas também se relacionarão bem conosco. Às vezes, não entendemos bem o significado da palavra “humildade”. A humildade que Jesus nos ensinou é ser como se não fossemos, e ter como se nada tivéssemos. Uma pessoa mansa e humilde de coração sabe conviver de forma amável com as demais. Embora esteja passando por momentos difíceis e de grande provação, não descarrega seu mau humor nas pessoas. Tal pessoa jamais se orgulha da posição que ocupa; do contrário, é capaz de perder para ver o Reino de Deus progredir.

Em elaboração


2. Pecados relacionais

Como já dissemos acima, a soberba é a mãe de todos os demais pecados. Os pecados a serem comentados a seguir não fogem a regra. Veremos como um líder pode pecar tão seriamente contra Cristo, contra si mesmo e a organização a qual pertence.

Existe algum paralelo entre pecado e as relações humanas?
O conceito de pecado nos dias de hoje tem sofrido esvaziamento e na prática se criou o "ranking dos pecados" (geralmente a escala mais visada é questão sexual). O termo também se perdeu no anonimato das grandes corporações e das decisões governamentais tomadas dentro de um esquema de poderes diferenciados. Segundo Wayne Grudem em sua Teologia Sistemática "pecado é deixar de se conformar à lei moral de Deus não só em ato e em atitude, mas também em natureza moral. Nossa própria natureza, o caráter íntimo que é a essência daquilo que somos, pode ser também pecaminosa". Mas, não há possibilidade de falar em pecado se não apontar para a esfera das relações humanas ou de algum outro tipo de relacionamento pessoal como por exemplo, relacionamento com Deus, sendo assim, o pecado se movimenta e acontece na esfera dos relacionamentos.
As conseqüências e as "dores" do pecado, de forma secundária sempre afetarão o próximo. Este relacionamento horizontal (relações sociais) quando afetado pelos "poderes" do Pecado, são rompidos e degradados de alguma forma, vejamos: multidões empobrecidas por um sistema ganancioso e egoísta, crianças induzidas ao erotismo precoce pela mídia, abuso infantil (Pedofilia, algo muito antigo, mas que agora tem entrado na pauta de governos cegos), filhos que não falam com os pais, casamentos destruídos, corrupção na política, o famoso jeitinho brasileiro para resolver as situações, quero lembrar também quantas atitudes pecaminosas temos tomado contra o meio ambiente, mesmo não entrando nesse assunto profundamente, vale ressaltar que os nossos pecados ferem toda a criação, lembremos do aquecimento global, pense mais, agora vale a sua imaginação... Como se nota, o Pecado sempre afetará ao próximo mesmo que esse seja anônimo (quando causado por decisões políticas ou de grandes corporações) e acontece dentro de um relacionamento resultando em afastamento do próximo e de Deus, porque Deus também vive numa esfera de relacionamento com o homem, sendo assim, este relacionamento vertical também é afetado.

Pecado e Relacionamento – Thiago Nardoto


2.1 Centralização excessiva

Não raro se vê líderes omitindo títulos de livros que leem, desestimulam o aprendizado em seminários teológicos, impedindo membros de participar de palestras, etc., por serem inseguros, tudo tem que se iniciar neles. E como se sempre estivessem maquinando passar-lhe a perna e derrubá-lo de sua liderança. A consequência dessa centralização excessiva é que, quando as coisas não vão indo bem, a culpa recai sobre ele. Na verdade esse tipo de postura faz com que os liderados fiquem desmotivados e até torçam para que as coisas deem errado.

Em elaboração

2.2 A cobiça pelo reconhecimento

Em elaboração

2.3 Agressividade

Assim como uma mosca pode estragar todo o aroma de um bom perfume, uma atitude errada por parte de um líder pode colocar uma organização em sérias dificuldades.

Em elaboração


3. Pecados laborais

Agora trataremos de alguns pecados que se relacionam diretamente com o trabalho: a luxúria, a negligência e a preguiça.

Você já ouviu falar em "Pecados Capitais"? Muito provavelmente que sim, pode nem tê-los todos da sua mente, mas já escutou ou leu algo sobre o assunto. Pois bem, os Pecados Capitais foram catalogados pela Igreja na Idade Média e até hoje norteiam os princípios morais do cristianismo. Após ler artigo do professor e psicólogo Gerson Silva, que trata do perigo de alguns comportamentos nos ambientes de trabalho, aproveito a carona e registro aqui algumas considerações sobre o tema. Para Silva, "muitos profissionais já caíram e muitos ainda vão cair nas armadilhas desses pecados. Gente que não sabe lidar com o próprio sucesso ou do colega; que reage negativamente às adversidades; que não tem humildade para reconhecer os erros, e por aí vai...".
Nos ambientes de trabalho, permeado por interesses, objetivos e expectativas distintos, a linha que separa a razão da emoção é sempre muito tênue. A maturidade profissional desejada e necessária nem sempre é encontrada nos talentos corporativos. A vaidade, a intolerância, a falta de respeito às diferenças, entre outros comportamentos, perturbam o cotidiano, fragilizando as relações e comprometendo resultados.

Os Pecados Capitais no Ambiente de Trabalho – Elizabeth Hernandes de Oliveira 


Continua...

3.1 Luxúria

Fomos alertados que, nos últimos dias, haveria homens amantes de si mesmos, blasfemos, enganadores, e que fariam do evangelho uma causa de ganhos. O que Paulo disse a Timóteo como recomendação é uma verdade que, em nossos dias, deve ser confrontada pela veracidade da Escritura.

Em elaboração

3.2 Negligência

Em elaboração

3.3 Falta de ética (no falar)

Mesmo que alguém possa encontrar alguma coisa de positivo em alguns desses comportamentos, isso não passa de engano pueril. Os prejuízos são muitos diante de si mesmo, da igreja, e diante de Deus. O pecado sempre deve ser visto de maneira séria, com efeito regressivo. Daí haver uma maneira própria de encarar tais pecados.


Continua...


Conclusão

Enfim, existem algumas atitudes que são fundamentais para que o líder possa encarar tais pecados e evitá-los, a saber: prudência na conduta pessoal sempre, orar, vigiar e ter um momento devocional consistente para resistir as astutas ciladas do diabo (Ef 6:11).


Fontes:

Bíblia Sagrada ARC/ARA/ACF/TB/BV/RV/NTLH
Liderança Cristã – Conhecendo os segredos da Liderança Eficaz (revista EBD professor) – Editora Betel – 3º Trimestre 2014 – Lição 11
O Líder que Deus Usa – Russell P. Shedd – Vida Nova
Cura e Edificação do Líder – Marcos de Souza Borges – Ed. JOCUM
Princípios para uma Boa Liderança – Cleverson de Abreu Faria (link)
Elementos Essenciais da Liderança: Visão, Influência e Caráter – Greg Ogden & Daniel Meyer – Ed. Vida
A Alegria de uma Família Cheia da Palavra (ebook)
Novo Dicionário da Bíblia – John Davis – Ed. Hagnos
Enciclopédia Ilúmina
O Antigo Testamento Interpretado – Norman Champlin – Hagnos
O Novo Comentário da Bíblia – F. Davidson – Vida Nova
Comentário Bíblico F. B. Meyer – F. B. Meyer – Ed. Betânia
Comentário Bíblico Matthew Henry (Conciso) – Matthew Henry – CPAD
Comentário Bíblico Moody – Editora Batista Regular
Comentário Bíblico Esperança NT – Editora Evangélica Esperança
Comentário Bíblico Efésios - Elienai Cabral – CPAD
A Cura das Enfermidades Emocionais (link)
Pecados nos Relacionamentos (link)
A Necessidade de Relacionamento para o Desenvolvimento da Igreja (I) (II) (III)
Solte suas Emoções (link)
Emoções e Afetos no Trabalho (link)

Bibliografia Indicada (estude mais)

Socorro! Precisamos de líderes cristãos capacitados para treinarem a nova geração (link)
Beijar na Boca é Pecado? (link)
Os 9 Pecados no Trabalho, da Ganância à Preguiça (link)
Sentimentos, Humor, Afetos, Emoções, Paixões e Temperamento (link)
Paixões, Afetos, Emoções e Sentimentos (link)
A Emoção (link)
Fisologia do SNC e Psicofármacos (link)

Neurobiologia das Emoções (Pesquisa em Neurociência)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho