segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Como Ensinar às Nações e Ser um Pregador Reconhecido

(Reflexões para mestres e leitores do MDA)

Você ama ensinar a Palavra de Deus? Sente muito amor pelas almas e sofre vendo tantos perdidos? 


Nos dias de Cristo e dos profetas que o antecederam, houve muito trabalho da parte dos enviados de Deus, como também muita falta de apoio e reconhecimento. Entretanto, eles operarm as maravilhas que até hoje nos inspiram a tentar seguir nossa jornada. Muitos foram mortos, perseguidos e maltratados insistindo em tais trabalhos.

Venha conosco fazer algumas auto-avaliações e reflexões às portas de um novo ano. Veremos alguns itens que nos são bastante difíceis e indispensáveis:


1- Autoria
2- Desprendimento
3- Persistência
4- Convicção
5- Mudança Eficaz
6- Duradouro Comprometimento
7- Reavalições e Controles


1- Autoria – O que fazemos, pensamos ou discordamos aqui, assumimos. Damos nossa rota de localização e paradeiro. Não raro, vamos em sentido contrário aos líderes, expositores e teólogos famosos (também somos teólogos, porém de pouca fama). O que você tem feito pelo Reino e pelo MDA, além de nos seguir de longe e lamber os dedos no Mel? Que tal entrar na Floresta e enfrentar as abelhas conosco?

Se você que nos acompanha se diz um professor, mestre ou obreiro, és um pregador. E se és um pregador, não teme a Vida, a Morte e etc., logo não deveria usar anonimato nem se eximir de nada. O que mais aparece aqui são pseudo-profetas anônimos reclamões. Que tal você ter peito, respeito e comprometimento? Quer opinar? Identifique-se (nome, telefone, endereço eletrônico, cidade, estado e etc.)! Uma vez mantido o contato, seja educado e responda nossas mensagens.

2- Desprendimento – O que você faria pelo ensino das nações, se fosse removido de sua função (ou fardo?) de professor? Bem sabemos que muitos são empurrados para tal trabalho e, por comodismo, o fazem “empurrando com a barriga”. Recebendo todos os possíveis e impossíveis louros e aplausos e culpando todos em redor por falhas, rendimentos fracos e problemas.

Você que usa nossos estudos, já se perguntou o quanto preguiçosamente e relaxadamente possa estar fazendo sua função de ensinador? Já pensou nos desgastes, gastos e extenuantes horas diárias e semanais que doamos? Em 1º de janeiro entraremos em nosso 5º ano de atuação oficial (já trabalhávamos desde 96/97, mais ocultos e recolhidos)! Quantas vezes pensou em promover algo maior em sua localidade? Quantas vezes pensou em nos dar qualquer tipo de ajuda, especialmente orando, jejuando, enviando opiniões e trabalhos seus e até mesmo financeiramente?

3- Persistência – Sabemos que o Senhor é o autor da nossa fé, no Criador, nosso Pai e nosso Provedor. Nós somos os gerenciadores de nosso ministério. Deus nos capacita, nos orienta e nos guia, mas nós somos os realizadores operacionais (com as devidos resguardos e reconhecimentos). Se somos autores confiantes, sérios, comprometidos e devotados, certamente estávamos realizando obras referentes ao Ensino antes mesmo de algum “reconhecimento” ou “posse” de cargos/funções. Já refletiu no que fazer em dificuldades, impedimentos ou na “perda” de tais atribuições/cargos?

Queremos trazer ao seu coração e à sua memória pesamentos que possam ajudá-lo a ser mais firme, insistente, determinado. Imbatível, enfim! Qual é a sua convicção antes, durante e depois de ministrar algum ensino, aula, palestra e etc.? Quais os seus sentimentos e quais os seus projetos e perspectivas futuras? Aguardar uma nova congregação surgir para ajudar a dirigir ou resgatar vidas para aumentar o número de alunos em todas as classes EBD? Ser reconhecido como mestre, pregador de destaque e ministrar conferências e seminários (até mesmo viver disto, desde que dignamente pago, em todos os aspectos) ou criar frentes de trabalhos, projetos e movimentos indo até os necessitados da Palavra? Até onde vai a sua determinação e convicção? Não pare, caminhe. Não desista, prossiga. Não perca o fôlego, alegre-se no Senhor. Ele te ajudará, confortará, guiará e recompensará.

Este artigo está sendo elaborado em partes (aprox. duas por semana). Pedimos sua compreensão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colabore conosco: escreva seus pontos de vista, opiniões ou críticas. Contamos contigo neste trabalho